Assembleia aprova homenagem a Walmor Marcellino | Fábio Campana

Assembleia aprova homenagem a Walmor Marcellino

0110walmor marcellino

“O Marcellino se transformou num dos personagens mais ilustres da história recente de nosso Estado, sempre defendendo o direito a liberdade de expressão das pessoas”, disse o deputado Waldyr Pugliesi.

A Assembleia aprovou esta semana um requerimento de autoria de Pugliesi para envio de votos de pesar à família do jornalista, poeta e escritor Walmor Marcellino, que faleceu em Curitiba na última sexta-feira (25 de setembro).

Walmor Marcellino nasceu em Araranguá (SC), em 1930 e se destacou como ativista de esquerda participando das lutas pela volta da democracia brasileira nos anos de chumbo do Regime Militar. O jornalista, poeta e escritor começou sua trajetória em Florianópolis, na década de 1950, como dramaturgo. Depois, morou em Porto Alegre (RS), onde conheceu o grupo Quixote e iniciou suas experiências poéticas.

Desde os anos 1960 viveu em Curitiba (PR). Aqui militou contra o regime fardado. Dele foi vítima, fez teatro, organizou grupos, dirigiu peças, publicou livros, contra a ditadura e foi um dos colaboradores na organização do MDB (Movimento Democrático Brasileiro) no Paraná.

“Marcellino acabou perseguido covardemente pela ditadura militar, enfrentou processos e demissão na Assembléia Legislativa do Paraná, onde seria readmitido mais tarde”, informa Pugliesi. Jornalista dos mais atuantes na imprensa paranaense, ganhou admiração e respeito pela coerência e honestidade em seus pontos de vista, no comportamento como homem e profissional. “Ele nunca foi de fazer concessões”, frisou o deputado.

Literatura

Em 1964, poucas semanas após o golpe militar que o Brasil tomou conhecimento em 1º de abril daquele ano, publicava um corajoso livro de poesias cujo título demonstrava o asco que sentia pela ditadura que começava no Brasil: “Tempo de Fezes e Traições”.

Quase que simultaneamente, em outro livro crítico sobre o golpe dos militares (“Sete de Amor e Violência”), incluía um texto amargo, cruel e profundamente político sobre aqueles dias cinzentos. Atualmente militava como coordenador na área de comunicação do Fórum Contra o Pedágio do Paraná.


4 comentários

  1. Márcia Souto
    quinta-feira, 1 de outubro de 2009 – 17:25 hs

    Tá aí uma homenagem justa. O Waldyr Pugliesi tá de parabéns por reconhecer a luta do Walmor Marcellino.

  2. quinta-feira, 1 de outubro de 2009 – 22:01 hs

    BOA PESSOA, BO ESCRITOR, E BOM AMIGO, MERECE SIM UMA JUSTA HOMEAGEM,,,,,,,,,,

  3. Marcos Calonga
    sexta-feira, 2 de outubro de 2009 – 10:21 hs

    Com tanto assunto realmente importante para ser resolvido( não discutido), esses POLÍTICOS continuam torrando $$.
    País de terceiro mundo é assim mesmo! Enquanto Chicago dispensa os jogos Olímpicos, nossos POLÍTICOS dedicam-se totalmente ao evento; já na expectativa das obras faraônicas, desvios de verba, nepotismo, etc…
    Que País é esse…

  4. Carlos Molina
    sexta-feira, 2 de outubro de 2009 – 11:23 hs

    Parabéns ao Waldir pela bela e merecida atitude!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*