Alvaro explica a falta de segurança no Paraná | Fábio Campana

Alvaro explica a falta de segurança no Paraná

images

Em 18 de janeiro deste ano, Alvaro Dias apontava uma das razões da escalada de violência e criminalidade no Paraná. É dele o texto que segue. Curto, mas muito elucidativo.

Mais habitantes, menos policiais

A Gazeta do Povo de hoje lembra que como governador do Paraná, em dezembro de 1990, assinei a lei 9.224, estabelecendo que o efetivo mínimo da Policia Militar no Estado seria de 20.083 policiais. A população era de 8 milhões e 400 mil paranaenses.Nosso efetivo era de 20.345 profissionais. Quase 20 anos depois a lei não foi ainda atualizada.

Hoje o Paraná tem dois milhões de habitantes a mais e práticamente o mesmo efetivo (21.598) . O crescimento da violência no Estado é alarmante.


16 comentários

  1. Dunga
    terça-feira, 13 de outubro de 2009 – 22:38 hs

    É como jogar com oito contra onze … e sem goleiro. Percebem ?

  2. Nilton Ribeiro
    terça-feira, 13 de outubro de 2009 – 23:47 hs

    Extremamente coerente o posicionamento do Senador Álvaro Dias! Parabéns Senador!

  3. quarta-feira, 14 de outubro de 2009 – 2:52 hs

    No tempo do ÁLVARO tinha tanto policial que sobrava até para descer o porrete em professores…

  4. Marcos Calonga
    quarta-feira, 14 de outubro de 2009 – 8:35 hs

    Tá! E de quem é a responsabilidade por ATUALIZAR esta lei?

  5. jAMIL
    quarta-feira, 14 de outubro de 2009 – 9:23 hs

    O procurador Néviton Guedes, da Procuradoria Regional Eleitoral, do Ministério Público Federal, concluiu ontem parte das investigações que correm contra o prefeito de Curitiba, Beto Richa (PSDB), que é acusado de formação de caixa 2. As investigações prosseguem, agora, na Promotoria Eleitoral do Ministério Público Estadual.

    “Não há dúvida de que, no Comitê Lealdade, realizaram-se arrecadação e despesa não contabilizada na campanha do candidato Beto Richa, que de pronto e sem qualquer dúvida, revelam-se ilícitas”, diz um trecho do parecer do procurador.

  6. V.Lemainski-Cascavel
    quarta-feira, 14 de outubro de 2009 – 10:35 hs

    É bom o posicionamento do Álvaro. Entretanto é apenas um paliativo, pois não prevê o combate às causas da violência como o repressão ao tráfico de drogas e tratamento de deficientes, geração de emprego e opções de renda . Investir também em qualidade na educação, que é muito deficiente.

  7. João Campo Mourão
    quarta-feira, 14 de outubro de 2009 – 11:07 hs

    E quando é que o o Sr Requião cunpre as Leis!!!!!!!!!

  8. Zé do povo
    quarta-feira, 14 de outubro de 2009 – 11:24 hs

    FALANDO EM GAZETA LEMBREI DA GLOBO E DE SEU PROGRAMA “VALE A PENA VER DE NOVO”:

    http://www.youtube.com/watch?v=uyks-1v3Ang

  9. Zé do povo
    quarta-feira, 14 de outubro de 2009 – 13:00 hs

    Quando vejo atualmente o Requião e o Álvaro fico me perguntado se estespolítico não possuem memória se são amorais!

    Será que eles esqueceram do que já disseram um contra o outro:

    “Requião processa Alvaro Dias

    Redação O Estado do Paraná

    O governador Roberto Requião (PMDB) apresentou representação criminal (INQ 1886) contra o senador Álvaro Dias (PDT), em que o acusa dos crimes de calúnia e difamação praticados durante um debate por ocasião do segundo turno das eleições de 2002. Os fatos teriam ocorrido no debate realizado em 24 de outubro do ano passado pela Rede Paranaense de Comunicação. Na ocasião, o senador Álvaro Dias apresentou sentença do Judiciário paranaense em que o Estado do Paraná foi condenado a indenizar duas pessoas pela morte do líder sem-terra Deniz Bento da Silva, conhecido como “Teixeirinha”, praticada por policiais militares.

    O senador, tanto no debate quanto em seu programa eleitoral veiculado no Horário Gratuito, afirmou que Requião foi acusado e condenado, na referida sentença, pela morte de “Teixeirinha”. Afirmou, ainda, que Requião, quando exercia seu primeiro mandado de governador do Paraná, teria dado a ordem que promoveu o linchamento do líder sem-terra.”

  10. quarta-feira, 14 de outubro de 2009 – 13:41 hs

    Bz, senhor Alvaro Dias, tinha tanto policiais, cavalos e bombas que usavam até em quem só sabia usar o giz.
    Hoje ele fala de leis contra a criminalidade, da mesma maneira que ele lutou contra os professores violentos e criminosos.
    Parabéns Alvaro, nossa duvida é o que seria do Paraná sem sua participação efetiva contra aquele bando que queria aumento de salario e melhoria da educação.
    Muito efetivo e bem definido sua posição.
    Parabens.

  11. Jorge Ventura
    quarta-feira, 14 de outubro de 2009 – 13:58 hs

    Nos dias de hoje, precisamos é de polícia, pois já perdemos uma geração e esta não acredita em justiça.
    Polícia para esta turma e educação para as futuras.
    Preciamso de um efetivo de no mínimo 45.000 policiais no momento.
    Requião já fez a sua parte, colocou 268 novos policiais civis no estado.
    Em 2010 vamos lhe agradecer com fervor.

  12. Ita
    quarta-feira, 14 de outubro de 2009 – 14:57 hs

    Só o aumento de policiais não acaba com a criminalidade.
    A falta de segurança é por imcompetência inclusive do senador Álvaro que nada faz para resolver o problema.
    A culpa é dos Deputados e Senadores que só criam leis que não geram segurança, mas insegurança.
    É preciso uma revisão urgente nas Leis.
    Menor de 16 anos não pode trabalhar e por isso fica na rua cometendo crimes e se envolvendo com drogas.
    Comecei trabalhar com 7 anos e não tive nenhum problema por isso.
    Com 12 anos os adolecentes já sabem muito bem o que fazem, o que é certo e errado, também poderiam responder pelos seus atos.

  13. Falência
    quarta-feira, 14 de outubro de 2009 – 16:44 hs

    NÃO ADIANTA FALAR AGORA, QUEM ERA DA ÉPOCA SABE A MARGINALIDADE ERA MENOR MAS PELO MOTIVO DA POPULAÇÃO SER MENOR, MAS A SUA LINHA DE CONDUTA ERA A MESMA DESTE GOVERNO REQUIÃO NÃO INVESTE NO SER HUMANO (POLICIAL) ERA COMO HOJE UM SALÁRIO REDÍCULO ONDE CHEGOU AO CUMULO DE HAVER A PRIMEIRA PARALIZAÇÕES DA PM NO ESTADO E NO BRASIL.

  14. Incrédulo
    quinta-feira, 15 de outubro de 2009 – 15:50 hs

    A programação da tv brasileira está realmente uma porcaria, mas um dia desses tive que dar boas gargalhadas naquele programa pânico, que não tem conteúdo algum que se aproveite, no entanto, a sabrina sato, quando perguntou a sua Excia. o senador Álvaro Dias, quando se comemorava o dia da proclamação da república, diante da demora em responder, colocaram uma insersão do Chaves dizendo “Que burro”. Não saber o dia da proclamação da república para um professor de História e senador da república é grave, mais grave é ser rotulado de “burro” e não reagir de forma veemente.

  15. pmpr
    sexta-feira, 16 de outubro de 2009 – 0:50 hs

    Na época em que esse senador era o governador do paraná o salario do PM era menor que um salário minimo, todo mês tinha abono para completar o que faltava para um salário minimo.

  16. Sandro Honorato
    sexta-feira, 16 de outubro de 2009 – 12:24 hs

    Muito coerente senador, um politico que ainda da pra confiar e ter esperança que algo possa melhorar nesse estado.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*