Perdemos o Luiz Felipe Haj Mussi | Fábio Campana

Perdemos o Luiz Felipe Haj Mussi

49455

Morreu o Mussi. Luiz Felipe Haj Mussi. Militante nos anos de chumbo. Advogado de presos políticos. Lutou pela redemocratização em todas as frentes. Do movimento estudantil ao teatro engajado. Em 1983 integrou o governo de José Richa, como secretário de Segurança Pública. Foi candidato ao Senado nas últimas eleições. Era presidente nacional do Conselho de Ética do PPS.

Luiz Felipe Haj Mussi era advogado, foi secretário da Segurança Pública e desembargador Federal do Trabalho.

De infarto, na noite de hoje.

Atualização: o velório do Mussi se realiza no primeiro andar do Palácio das Araucárias.


38 comentários

  1. Jorge Vanzuit, Major
    segunda-feira, 21 de setembro de 2009 – 22:55 hs

    Lamentável perda. Dr Mussi foi uma das pessoas mais ilibadas com quem já trabalhei. Integro e inteligente. Simples e dinâmico. Um amigo da Policia Militar do Paraná. Deus conforte a família do meu grande amigo.

  2. Luiz Fernando Pereira
    segunda-feira, 21 de setembro de 2009 – 23:07 hs

    Recebi a notícia com uma tristeza profunda. O telefonema, há poucas horas, realmente me abalou. Não convivi por muito tempo com o Dr. Mussi. Foram alguns anos, mas o suficiente para que eu possa dizer com toda convicção: morreu hoje um homem digno. A dignidade do Dr. Mussi não era apenas moral, de retidão de caráter. A dignidade, neste caso, era um tanto além disso. É a dignidade em sentido amplo, de quem tinha espírito público. O Dr. Mussi foi alguém que se dedicou a muitas causas, sempre com o mesmo entusiasmo. Sempre que conversávamos, lá vinha o Dr. Mussi com uma ideia nova; com um protesto antigo. Todas as vezes embalado pela mesma dignidade. Era sempre o Dr. Mussi! O mesmo Dr. Mussi que nos deixa com uma saudade imensa. É esta a primeira vez em toda a minha vida que escrevi algo ao saber que alguém tinha morrido. Foi a primeira vez que senti necessidade. Minhas homenagens à família. Luiz Fernando Pereira

  3. lidson tomass
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 0:00 hs

    Homem de conteúdo e retidão de caráter. Em campanha, no PPS, mostrava-se uma pessoa que todos apreciavam ouvir. Nossos sentimentos e todo respeito à família Mussi.

  4. AMBROSIO
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 0:06 hs

    Perdeu feio a eleição de 2002. Fez mixaria de voto pra senador.

  5. Rsn.46
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 0:20 hs

    Não podia ser mais triste a notícia,para quem conviveu com o

    Luiz Fellipe ,a Eneida o Zé Ribas a Anréia e a Vera.

    Fica aqui um abraço,de um admirador de toda familia.

  6. NILSO SGUAREZI
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 0:24 hs

    UM HOMEM. Viveu acreditando que vale a pena ser honesto e correto. No governo Richa, ainda joens e sonhadores co um mundo melhor, tivemos momentos dificieis, mas foi aí que comecei a conhecer a tempera e personalidade deste ADVOGADO.
    Passaram-se os anos e sempre o vi batalhando e fazendo o bom combate.
    Até quando nos enfrentamos nas lides do TRE ou na Justiça Eleitoral, sempre vi o contendor que vinha armado com principios e ética e, acima de tudo, com a mesma garra e pertinácia de sempre.
    Ainda na semana passada, depois de longos anos encontrei a Vera Mussi no aeroporto de Foz e, das muitas coisas que falamos, muito foi sobre o nosso saudoso amigo.
    Este viveu e deu exemplos.
    A dor da familia é insuperável nesta hora, mas resta o consolo de ter deixado uma vida em que sua contribuição para a vida pública, nas funções que ocupou, foi inestimável.

  7. Loacir Túlio
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 0:39 hs

    Fiquei imensamente entristecido ao saber do seu falecimento. Não posso acreditar. Trabalhamos juntos por muitos anos na Petrobrás, tenho a certeza que todos os petroleiros hoje choram a perda de um homem de grande caráter, de muita dignidade, um defensor das causas justas, e acima de tudo respeito profundo pelas pessoas de todas camadas sociais, principalmente as menos favorecidas. Pai, amigo e muito familia. O Paraná perdeu hoje UM GRANDE HOMEM! Hoje com certeza todos ficamos mais tristes. ADEUS AMIGO MUSSI

  8. Anônimo
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 7:17 hs

    Qual a idade dele???

  9. Roberto Silva
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 7:20 hs

    Campana, saiu a condenação dos 13 dirigentes do Rural e quatro do BMG que participaram da distribuição de verba do mensalão.

    Eles ficarão inabilitados, por períodos de um a oito anos, dependendo do caso, para o exercício de cargos de direção na administração ou gerência em instituições sob fiscalização do BC.

    Você não acha que a Justiça poderia ter sido mais dura, proibindo todos de tomar Danoninho durante seis meses?

  10. Arrelia
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 7:32 hs

    Companheiro dos companheiros, certamente será recebido nos céus pelos anjos do Senhor. Pesames aos familiares, e muito obrigado mesmo, por tudo que voce fez por mim, pela minha familia e pelos Paranaenses em geral. Infelizmente os bons sempre vão, e ficam as sarnas e as ervas daninhas.

  11. Paulo Lima
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 8:43 hs

    O DELAZARI que deveria ter aprendido um pouco de Segurança Publica com essa grande pessoa que foi o MELHOR SECRETARIO DE SEGURANÇA DO PARANA. Grande perda

  12. Michelle Fonseca
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 8:48 hs

    Todos nós, equipe da Operativa Gestão de pessoas, sentimos muito a ausência do Dr. Mussi. Sentimos com a família, com a Anna, D. Maria Amelia… Fica aqui nosso desejo que Deus conforte os corações de cada um.

  13. Euclides Scalco
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 8:53 hs

    Mussi.
    Fomos companheiros de Secretariado do Governo José Richa.Exerceu as funções (espinhosas) de Secretário de Segurança em momento dificil e sempre as exerceu com competência,espirito público e dedicação as em secretaria das mais dificeis.Não só na Secretaria de Segurança,mas em todas as áreas em que atuou o fez com brilhantismo,sempre preocupado com os problemas da população mais necessitada e com esperança de mudanças neste Estado e Pais ,que ele tanto amava.Perdemos um companheiro das boas causas e um brasileiro que honrou a familia e o Estado.A morte de Mussi,como o chamavamos deixa um espaço vazio`.Partiu c edo mas deixou sua marca.

  14. EDILSON BUENO DO NASCIMENTO
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 9:20 hs

    DEUS DO CÉU TENHA PENA DE NÓS. PRIMEIRO PERDEMOS O GRANDE MOZARTE DE QUADROS, NOSSO ADVOGADO CONTRA O TERROR DA CIDADE DE ARAUCÁRIA. DEMORAMOS MUITO PARA ENCONTRAR NA FIGURA ÍMPAR DO DOUTOR HAJ MUSSI ALGUÉM COM GARRA E CARÁTER PARA CONTINUAR NOSSA LUTA. DEPOSITAMOS TUDO EM SUAS MÃOS. COM ELE ESTÁVAMOS NOVAMENTE SEGUROS DE QUE A JUSTIÇA PREVALECERIA NA CIDADE DE ARAUCÁRIA. JÁ SÃO VÁRIOS QUE TOMBAM NESSA LUTA. O ALFEU BACELAR PEDIU UMA PIZZA E EM SEGUIDA TEVE UM INFARTO EM 2001. O MAZARTE FOI ACOMETIDO DE UM CANCER AVASSALADOR DE HORA PRA OUTRA. AGORA NOSSO QUERIDO DOUTOR MUSSI COM ESSE INFARTO. OH DEUS. NESSA HORA APELO A CASTRO ALVES

  15. EDILSON BUENO DO NASCIMENTO
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 9:28 hs

    Senhor Deus dos desgraçados!
    Dizei-me vós, Senhor Deus!
    Se é loucura… se é verdade
    Tanto horror perante os céus?!

    Quem são estes desgraçados
    Que não encontram em vós
    Mais que o rir calmo da turba
    Que excita a fúria do algoz?
    Quem são? Se a estrela se cala,
    Se a vaga à pressa resvala
    Como um cúmplice fugaz,
    Perante a noite confusa…
    Dize-o tu, severa Musa,
    Musa libérrima, audaz!…

    São os filhos do deserto,
    Onde a terra esposa a luz.
    Onde vive em campo aberto
    A tribo dos homens nus…
    São os guerreiros ousados
    Que com os tigres mosqueados
    Combatem na solidão.
    Ontem simples, fortes, bravos.
    Hoje míseros escravos,
    Sem luz, sem ar, sem razão. . .

    São mulheres desgraçadas,
    Como Agar o foi também.
    Que sedentas, alquebradas,
    De longe… bem longe vêm…
    Trazendo com tíbios passos,
    Filhos e algemas nos braços,
    N’alma — lágrimas e fel…
    Como Agar sofrendo tanto,
    Que nem o leite de pranto
    Têm que dar para Ismael.

    Lá nas araucária infindas,
    dos areias de minha cidade
    Nasceram crianças lindas,
    Viveram moças gentis…
    Passa um dia a caravana,

    … Adeus, ó choça do monte,
    … Adeus, araucaria da fonte!…
    … Adeus, amores… adeus!…

    Depois, o areal extenso…
    Depois, as ruas esburacadas.
    Depois no horizonte imenso
    industrias… industrias só…
    E a fome, o cansaço, a sede…
    Ai! quanto infeliz que cede,
    E cai p’ra não mais s’erguer!…
    Vaga um lugar na cadeia,
    a espera dum político desonesto.

    Ontem plena liberdade,
    A vontade por poder…
    Hoje… cúm’lo de maldade,
    Nem são livres p’ra morrer. .

    E assim zombando da morte,
    Dança a lúgubre coorte
    Ao som do açoute… Irrisão!…

    Senhor Deus dos desgraçados!
    Dizei-me vós, Senhor Deus,
    Se eu deliro… ou se é verdade
    Tanto horror perante os céus?!…

    Existe um povo que a bandeira empresta
    P’ra cobrir tanta infâmia e cobardia!…
    E deixa-a transformar-se nessa festa
    Em manto impuro de bacante fria!…
    Meu Deus! meu Deus! mas que bandeira é esta,
    Que impudente na gávea tripudia?
    Silêncio. Musa… chora, e chora tanto
    Que o pavilhão se lave no teu pranto! …

    Fatalidade atroz que a mente esmaga!
    Extingue nesta hora o brigue imundo

  16. Carlos Molina
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 9:44 hs

    MUSSI PRESENTE!

    Conheci o Luiz Felipe Haj Mussi em 1.981, ainda quando estavamos em plena ditadura e compartilhavamos o mesmo ideal na luta de resistência democrática.

    Com José Richa ganhando a eleição para o governo tivemos nele enquanto secretário de Estado um importante aliado do Movimento Social Comunitário, pois sempre viu a luta pelo direito a moradia e outros não como um caso de polícia e sim o direito sagrado do povo.

    Nunca irei esquecer de que quando estávamos em greve de fome pela libertação do Juvêncio Mazzarolo, que era o último preso político da ditadura, quando o coronel da PM recebendo ordens diretas da Quinta Região Militar, a quem a PM como Força Auxiliar do Exército estava subordinada, quis nos retirar a força do coreto da Boca Maldita, que era o local onde ocorria o protesto, e indo ao local o Mussi enfrentou o mesmo dizendo em alto e bom som:

    “Seu filho de uma puta se relar as mãos nos meninos e meninas você poderá até cumprir as ordens do Exército, mas irá ser compulsoriamente reformado, pois quem comanda a Segurança Pública no Estado sou eu!”

    O coronel afinou!

    Este era o democrático, honesto, sério, competente e destemido companheiro Mussi!

    Em 86 participei de sua propositiva e honesta campanha para deputado, que, embora fosse anteriormente secretário da Segurança, por falta de recursos financeiros não foi bem sucedida. Demos um grande voto, mas o Paraná e o Brasil perderam a chance de ter um excepcional deputado.

    As nossas vidas trilharam caminhos diferentes, mas todas as vezes em que casualmente nos encontrávamos me vinha boas as lembranças de um passado de luta e dele recebia um cumprimento afetuoso.

    A última vez em que vi o Mussi foi no debate ocorrido no pátio da Reitoria da UFPR sobre a participação política da “geração 68, onde ao lado do Zequinha, do Vitório, entre outros, ele também deu o seu brilhante testemunho sobre a resistência democrática ao período de arbítrio ditatorial.

    Como nada é eterno se vai o amigo, mas ficam as boas lembranças imortalizando a história de vida de quem foi um homem justo!

    Meus mais profundos sentimentos!

  17. Marcio Guedes Berti
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 10:00 hs

    Foi com muita tristeza que recebi ainda ontem (21.09.09) a notícia sobre o falecimento do Dr. Mussi. Tive a honra de trabalhar com ele para o Sintrascoopa, onde eu acompnhava os processos pelo interior e ele na Capital. Pessoa simples, humilde e atenciosa. Advogado do mais alto gabarito. Realmente, é uma grande perda.

  18. terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 10:34 hs

    Um grande amigo, humilde, conhecedor como poucos do Direito. Um homem reto, integro e um cidadão comprometido com as causas mais nobres…
    Nos deixa com muita tristeza a sua despedida repentina e um vazio em nossos corações.
    Adeus meu amigo, que Deus conforte seus familiares, que recebam da direção da Fetracoop e dos sindicatos filiados os sentimentos mais profundos.

  19. Daniel Godoy Junior
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 10:35 hs

    Conheci o Mussi como advogado da Petrobrás no final da década de 80. Período de grandes greves, eu como advogado dos Petroleiros do Paraná, ele na trincheira oposta. Momentos tensos e decisivos onde o futuro do presente Brasil se desenhava, com o nascimento do PSDB, fortalecimento do PT e primeiras eleições diretas depois da ditadura. Sempre alegre e positivo, independente das diferentes posições, sempre nos respeitamos e tinha por ele um respeito de advogado para com um experiente advogado. Depois, vim a encontrá-lo como desembargador federal do trabalho no TRT da 9a. Região, nomeado para o quinto constitucional. Ali, veio acrescentar à Corte a experiência de advogado militante, de humanista e de homem forjado nos combates sociais, sempre com votos e posicionamentos bem fundamentados e lúcidos. Perda prematura, que já deixa saudades …

  20. Jorge Ventura
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 10:42 hs

    Fico muito triste com a perda que se apresentou para mim e para a sociedade brasileira hoje pela manhã.
    O Dr. Mussi sempre nos brindou com a sua formação ilibada e as suas posturas dóceis, firmes e de grande importância para o nosso querido Paraná.
    Quero deixar aqui expresso os meus sentimentos à família deste nosso nobre companheiro, o qual tenho certeza fará muita falta a todos, bem como dizer que devemos continuar nossa luta em sua memória, pois tenho certeza que este sempre será o seu desejo.

  21. terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 10:57 hs

    Faltou dizer que ele foi candidato a constituinte, também; e teve mais votos do que para senador… Quanta gente boa ficou de fora daquela constituinte devido à forma como foi convocada: um congresso ordinário, o que afastou a discussão popular de leis, e facilitou as práticas tradicionais de troca de votos por favores…
    O que não teriam feito o Mussi e tantos outros bons e vocacionados legisladores naquela constituinte…

  22. João Elias de Oliveira
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 11:02 hs

    Pois é, caro Fábio, Os cachorros de elefante começam a procurar os caminhos que possam levar a relva onde repousarão. Se nossa geração foi premiada pela generosidade da vida, dando-nos condições não somente de olharmos o cenário das transformações, mas termos sido e ainda sendo protagonistas das cenas que movimentam a ribalta deste tão estranha tribo que é o nosso país, o tempo não privilegia a saúde ou premia os que foram ousados, dando prorrogação para mais poderem realizar.
    Tenho orgulho de falar e continuarei falando de e com um amigo de 55 anos de convivência. Daqueles de sentar no meio fio das calçadas, de sorrir com o rosto aberto em cada vez que nos encontravamos, do falar semanal por telefone, do flash-back de ter acompanhado o nascer, crescer, o casar e o continuar dos seus filhos, da admiração pela amiga Maria Amélia. Da lembrança do Dr.Felipe e da Dona Lilita, raízes que sustentaram o caráter do meu amigo Turco. O baque foi enorme pois no mês passado perdemos também o Nelson Olivas.O Nelsão que começou como estagiário no escritório do Mussi e foi seu companheiro e amigo em toda a sua carreira. Ficam no escritório e Luiz Daniel, filho do Turco e o Breno, filho do Nelson. Seguem o exemplo dos pais. Me dói profundamente a perda do amigo, como também é dolorido pensar que nós, repito, cachorros do elefante, Fabio, Marés, Paulão, Garcindo, Paper, Para-Raio, Ione, e tantos outros, chegamos a idade da sabedoria e da perspectiva do silêncio. Fica a memória, permanece a lembrança, não se rompe com o tempo o modelo da generosidade, da força da personalidade, da leveza da amabilidade que sempre caracterizou o Turco.

  23. Ed
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 11:10 hs

    Meus pesares pelo falecimento do Dr. Mussi, homem honrado e exemplo a ser imitado. Deus conforte a sua família!

  24. Maiko Vieira
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 12:20 hs

    Dr, Mussi, sempre foi um homem ético, tranquilo e companheiro, a sua perda não se resume aos familiares, parentes e amigos, mas para toda sociedade paranaense e brasileira, uma figura impar, de carater, dignidade e companheirismo, sempre voltado aos interesses público.

  25. BISTEKA
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 12:25 hs

    Pois é!!!
    Dr. Mussi se foi… Poucos receberam seu exemplo… Nem mesmo os mais
    arrogantes dirigentes deste Estado, achando-se culto e autêntico homem publico, nem com anos de convivência conseguiu aprender nada com Dr. Mussi. É isto aí, Dr. Mussi se vai e fica pra nós os menores(cerebrais) aprendizes Reiquião e o Nanico Incompetente da da Secretaria de Insegurança do Estado…
    Mais de 20 importantes personalidades de nosso Estado conseguiram ver em Dr. Mussi um grande Homem Público e um ENSINADOR…Infelizmente dois personagens indesejáveis de nosso Estado não conseguiram assimilar os ensinamentos de Mussi.

  26. Sérgio Tadeu M. de Almeida
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 13:23 hs

    Mussi, um Homem de Tamanho!

    “Não se mede um homem por suas palavras e sim por suas obras”.

    Lamento profundamente o falecimento súbito do amigo Luiz Felipe Haj Mussi, por quem sempre nutri sincera admiração, pela coerência de sua conduta exemplar, como cidadão e homem público, que exerceu importantes funções, com simplicidade e humildade, virtudes próprias dos que tem verdadeiramente estatura moral.

    Nestas horas, é confortante lembrar das palavras de Santo Agostinho:

    “A morte não é nada, é somente o outro lado da Vida… vocês estão ao lado das criaturas, eu já estou ao lado do Criador”

    É lá, que certamente já está, junto aos justus e bons, o amigo Mussi, onde continuará lutando pelos mesmos ideais de justiça que sempre defendeu durante sua trajetória terrena, fazendo de sua vida um serviço de utilidade pública.

  27. Parreiras Rodrigues
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 14:17 hs

    Uma sensação de orfandade toma conta da gente que na trincheira da legalidade, batalhava pela redemocratização, pelo retorno das garantias individuais como o habeas corpus, por exemplo, mais as diretas do Dante,a anistia para fazer voltar à Pátria os cabeças pensantes que eram o terror da direita que não aceitava conviver com os que se contrapunham ao governo da baioneta, da tortura, do medo!

  28. PERDA LAMENTÁVEL
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 14:59 hs

    Grande DR. Mussi, pessoa maravilhosa,respeitada e honesta. E muito lamentável essa perda. Que Deus, posso confortar a família.

    CURITIBA ESTÁ DE LUTO!

  29. MAURI JOSÉ ZANETTI
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 15:25 hs

    Anonimo, o Dr. Mussi, nasceu no dia 13.08.1945, exatamente no dia em que eu nascí, porisso me orgulho desta data. Foi meu colega no Santa Maria e sempre acompanhei a sua trajetória pólitica, e com orgulho votei nele na última eleição para senador.

  30. eumesmo003
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 16:01 hs

    dessa vida nada se leva , muito pelo contrário se diferencia os heróis dos bandidos pela história que fica.
    e com essa passagem certamente DR. Mussi será recebido com honrarias e glórias que poucos receberam ao adentrar no paraíso.

  31. jose maria correia
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 16:19 hs

    Tive o privilégio de ombrear com o Mussi em diversas causas, primeiro no gurpo que elaborou as diretrizes para a área de Segurança Pública do Governo José Richa em 1982 portanto hà 27 anos como relembrava com seus amigos mais próximos , Antenor , Pedro Dla Riva , Paulo Abraão , Hélio Lewin , Sergio Sinhori e Luís Gabriel entre centenas de outros , isto hoje pela manhã no Palácio das Araucárias .
    Mussi foi um grande Secretário , correto , inovador , sereno e justo. Depois participamos ainda em atividades no nosso Clube Curitibano do qual ele foi conselheiro e eu Diretor também muitos anos atrás.
    Durante a temporada de verão Mussi era um companheiro assíduo dos aperitivos e discussões aos sábados e o tema predominante era sempre alguma causa pública , a melhoria do nosso litoral , as lutas dos aposentados e a busca de uma sociedade mais igualitária.
    Cumprimento o colunista por abrir este espaço de homenagens à esse grande homem público que entregou-se de corpo e alma ao bom combate e deixa este mundo envolvido por grandes manifestações de apreço e reconhecimento às suas qualidades como estadista e ser humano.
    Dele nunca ouvi absolutamente nada que o denegrisse o que convenhamos é bastante incomum em homens públicos nesta sociedade tão pródiga em maledicências.
    Até um dia .

  32. Gustavo Guedes
    terça-feira, 22 de setembro de 2009 – 16:44 hs

    Soube ontem mesmo da morte do Dr. Mussi, situação que me deixou profundamente consternado.
    Apesar do convívio direto não ter sido muito longo, devo ao Dr. Mussi, em grande parte, minha iniciação no Direito Eleitoral. Ainda em 2004, como estudante do último ano de Direito, tive o privilégio de atuar ao seu lado na campanha do Rubens Bueno. Certamente aprendi muita coisa e mal sabia eu que depois de alguns anos criaria grande paixão pela matéria e faria desta disciplina uma das principais da minha carreira.
    Mas se não convivi muito, por outro lado, sempre ouvi muitas histórias boas a seus respeito. No entanto, hoje, no vôo para Brasília, representates do mais diversos cargos e partidos, todos, reafirmaram a perda de um homem íntegro cuja retidão de caráter era uma de suas principais marcas. Fará falta.

  33. J. A. REZZARDI
    quarta-feira, 23 de setembro de 2009 – 1:01 hs

    Caro amigo Campana. Não conheci o sr. Luiz Felipe Haj Mussi, portanto, nada posso falar dele, mas depois de tudo que li sobre ele no seu blog posso concluir que foi um grande homem, uma grande figura pública, pois, ao contrário do que ocorre normalmente, ou seja, blogueiros escondidos sob pseudônimos, até aqui todos assinaram com seus próprios nomes os seus comentários, isso significa que o sr. Mussi, mesmo depois de morto, está dando uma lição de cidadania. E mais: os que agora estão se manifestando são seus leitores frequentes. É, certo está o Geraldo Vandré: “Quem sabe faz a hora não espera acontecer”. Sr. Mussi, que nesta hora o Criador já o tenha recebido de braços abertos! Um abraço espiritual e uma oração deste seu irmão desconhecido! J. A. Rezzardi – Pato Branco – PR.

  34. Luiz Gabriel Costa Passos
    quarta-feira, 23 de setembro de 2009 – 9:19 hs

    Prezado Fábio, a perda do Mussi é irreparável sob vários aspectos. Mas permanecerá, sem dúvida, seu testemunho sempre vivo de amizade, lealdade, probidade e honradez. Tive a felicidade de privar do convívio desse grande amigo e homem público. Primeiramente como diretor-geral da Secretaria de Segurança Pública do Paraná, no governo Richa. Juntamente com o Hélio, Alfredo e Sinhori tivemos dele o norte seguro para uma política democrática de segurança pública, que permeou todos os seus dias dos três anos como Secretário, já que no último ano afastou-se para candidatar-se a deputado federal. Basta dizer que, apesar de todos os conflitos que vivemos à época, em especial os agrários, fez o Mussi, em razão de sua opção de de vida pelos oprimidos e despossuídos, permanente bandeira, e nunca permitiu qualquer repressão policial violenta contra quem quer que fosse. Todos os conflitos eram resolvidos à base do diálogo, mesmo que isso lhe tivesse custado, muitas vezes, deixar a secretaria de madrugada. Fui também seu assessor em sua malograda campanha para deputado federal em 1986. Malograda seguramente por sua transparência e seriedade. Nessa campanha para constituinte, disso sou testemunha, recusava-se a receber grupos de pressão interessados em defender interesses corporativos, que contraditassem qualquer interesse público. Apenas um exemplo: lembro-me de que nem sequer recebeu pessoal ligado a interesses de medicina de grupo, muito menos a oferta de recursos financeiros para sua campanha, que, diga-se, sempre foram extremamente escassos. Lutou com todas as forças em uma campanha essencialmente republicana. Esse era o Mussi, lembrança eterna e exemplo perene de uma vida digna.

  35. José Eugênio Maciel
    quarta-feira, 23 de setembro de 2009 – 17:23 hs

    Figura singular, de notória capacidade ao ser humano e ao ser profissional, virtudes que se mesclavam sempre em favor das belas causas, como pela liberdade e pelo Estado de Direito, sobretudo à época da ditadura militar.
    Pude conhecê-lo no PPS, estivemos juntos em Brasiília representando o Partido num grande debate nacional pela reforma política.
    Mussi irá fazer muita falta, pelo denodo, bom humor, pela cortesia, conhecimento inegável e pela dedicação e ética em tudo que fazia.
    José Eugênio Maciel, professor, advogado, sociólogo – Campo Mourão.

  36. Ronaldo Baltazar
    quarta-feira, 23 de setembro de 2009 – 17:44 hs

    Trabalhei com o Mussi na Petrobras desde o período da obra da Refinaria de Araucária.Isso foi em 1976, meu primeiro emprego. Em 1984, entrei na diretoria do Sindipetro e era lotado na assessoria jurídica onde o Mussi era o gerente. Era um período de muitas mudanças na políticas e, sobretudo, no movimento sindical. Em nenhum momento da nossa convivência na defesa de lados opostos, tive qualquer restrição do meu chefe. Esse pequeno depoimento demonstra o valor que ele dava ao direito de liberdade de expressão, da solidificação da democracia após o período de ditadura no País. Assim era o Mussi. Um exemplo de cidadão e amigo que de forma prematura nos deixou. Porém, no momento triste de sua despedida, uma coisa me confortou: ver os seus três filhos que os conheci quando ainda eram crianças. Eles e sua mãe Maria Amélia saberão manter viva a memória do nosso querido amigo Mussi.

  37. suely consuelo stoterau pichet
    quinta-feira, 24 de setembro de 2009 – 10:31 hs

    Perdemos um grande amigo. Acima de tudo uma referência de honestidade, capacidade e um caráter inigualável.

  38. Elizabeth
    quinta-feira, 24 de setembro de 2009 – 12:08 hs

    Vai deixar saudades e bons exemplos.
    Com certeza ele colherá os bons frutos que plantou.
    Força à família.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*