Paulo Bernardo diz que PT deve caminhar com PDT no Paraná | Fábio Campana

Paulo Bernardo diz que PT deve caminhar com PDT no Paraná

paulo-bernardo

Do Bem Paraná
O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse hoje, em Curitiba, que o PT paranaense deve “entrar de cabeça” na campanha do senador Osmar Dias (PDT) para governo do Estado e, para isso, quer que o PDT “entre de sola” na campanha da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, à Presidência da República.

No feriado de Sete de Setembro, Bernardo, que é marido da presidente regional do PT, Gleici Hoffmann, reuniu-se com Dias para conversar sobre a sucessão no Paraná. “Nestes últimos dias, ficou bastante claro que o senador Osmar Dias vai ser candidato e isso reforça a possibilidade de irmos juntos”, acentuou.

Segundo o ministro, o objetivo é criar um programa de governo a partir de um debate com a sociedade. “Interessa para nós duas coisas: ganhar o governo do Estado e reforçar nossa campanha presidencial com a ministra Dilma”, disse, lembrando que o presidente Lula e a militância do PT definiram as duas últimas eleições para o governo aqui. “Tanto em 2002 como em 2006, o governador Roberto Requião (PMDB) foi eleito com forte apoio do PT. A nossa força não é pequena”. Em 2006, a disputa de Requião foi justamente contra Osmar Dias, que perdeu por uma diferença pouco superior a 10 mil votos.

Bernardo ressaltou, no entanto, que o PT também tem conversado com lideranças do PMDB e pretende continuar o diálogo com o vice-governador Orlando Pessuti, candidato peemedebista declarado à sucessão. “Essa coisa toda vai ficar definida a partir de abril do ano que vem”, ponderou. “Quando chegar em março, o Requião vai renunciar ao governo para ser candidato a senador; é o que se espera. O Beto Richa (PSDB) vai renunciar à prefeitura de Curitiba para ser candidato a governador; a partir daí nós vamos ter as definições todas”.


18 comentários

  1. Ita
    sexta-feira, 11 de setembro de 2009 – 18:40 hs

    Se o PT apoiar o Osmar a Gleise perde meu voto.
    Como o PT (Partido dos Trabalhadores) pode apoiar um senador que é contra o trabalhador?
    Isto é lamentavel.

  2. Das Bases
    sexta-feira, 11 de setembro de 2009 – 18:49 hs

    Ainda bem que o distinto ministro nao fala pelo PT – Ele nao e’ dono do partido – fazer acordos de cupula e’ uma coisa – Acontecer na pratica de verdade e’ outra bem diferente….

  3. Leite Quente
    sexta-feira, 11 de setembro de 2009 – 18:50 hs

    PRA FECHAR NEGOCIO BRIMO VENDE A MÃE, SÓ QUE NA HORA DE ENTREGAR BRIMO ESQUECE. JA VI ESSE FILME ANTES, MAS COMO O SENADOR ESTA MORDIDO PELA MOSCA AZUL, É CLARO QUE ELE VAI ENGOLIR; AGORA SENADOR, TROCAR O CERTO PELO DUVIDOSO É MUITO ARRISCADO, CUIDADO.
    O PT, TEM UMA COISA BOA E UMA COISA RUIM: A BOA, VAI TER DINHEIRO DOS IMPOSTOS DO POVO PARA A CAMPANHA
    E A COISA RUIM, LULA NÃO FAZ O SEU SUCESSOR, ALIÁS NEM QUER, POIS O MESMO SONHA EM VOLTAR NA PRÓXIMA, APÓS 4 ANOS E SEM FALAR O INFERNO ASTRAL QUE O PT PASSA INCLUSIVE COM A POPULARIDADE DO LULA DESPENCANDO. SENADOR, SER SENADOR NA PRÓXIMA É BEM MELHOR E GARANTIDO ENTRE ” “.

  4. Ivan
    sexta-feira, 11 de setembro de 2009 – 19:26 hs

    Ferraram o Osmar.

  5. Carlinho
    sexta-feira, 11 de setembro de 2009 – 19:30 hs

    O Prefeito que é cria do lerner e segue a linha do Collor, vai comprometer seu futuro politico por não honar os compromissos assumidos com o Senador Osmar Dias, está tentando passar a rasteira no Osmar. O Senador vai dar o troco ano que vem com uma vitória exemplar…

  6. sexta-feira, 11 de setembro de 2009 – 19:35 hs

    Leite Quente

    Seu comentario é tão sem logica que não merece resposta alguma.

  7. Pedro Paulo
    sexta-feira, 11 de setembro de 2009 – 21:08 hs

    O Ministro esta correto. Precisamos deixar de lado pequenas diferenças unir forças para que as oligarquias representadas pelos tucanos, democratas e outros não voltem ao poder. O Senador Osmar não é contra o trabalhador e junto com o PT vai fazer o PR avançar.
    Dilma Presidente, Osmar Governador.

  8. Leite Quente
    sexta-feira, 11 de setembro de 2009 – 22:05 hs

    SR. CARLOS OU CARLINHOS, VC VEM FALAR DE LÓGICA, POIS BEM LÓGICA É MENSALÃO; LÓGICA É DOLAR NA CUECA; LÓGICA É A FURTUNA QUE O LULINHA ACOMULOU NESTES ÚLTIMOS ANOS DO GOVERNO DE SEU PAI LULA; LÓGICA É QUERER COMPRAR AVIÕES ULTRAPASSADOS A PREÇO DE OURO E SEM LICITAÇÃO A TOQUE DE CAIXA, FINAL DE FEIRA; LÓGICA É DEFENDER O INDEFENSÁVEL SR. JOSÉ SARNEY; LÓGICA É LÓGICO, NÃO TER LÓGICA DE RACIOCÍNIO. ME POUPE DOUTOR.

  9. ZE NARDO NARINGA
    sexta-feira, 11 de setembro de 2009 – 22:13 hs

    A Gleise só não ganhou a eleição para o Senado por causa do Paulo Bernarodo,e o Osmar entrando nesta de coligar com o PT,pelas mãos de Paulo Bernardo e Enio Verri esta jogando sua eleição na lata do lixo.Acorde enquanto é tempo,pois nós do PT autentico não aceitamos e ,uito menos o eleitor paranaense;

  10. Rock
    sexta-feira, 11 de setembro de 2009 – 23:53 hs

    Tá fechem com o Urtigão, e esqueçam os votos do povão que vai com Pessuti e se a coisa entortar da maneira que Paulo Bernardo e Gleisi querem muita gente do povão ira com certeza até contra o candidato de Lula para Presidência em forma de protesto dessa aliança caduca que esse casal esta fazendo no Paraná.

  11. Diego
    sábado, 12 de setembro de 2009 – 0:22 hs

    Agora dá pra ver com quem a Gleisi aprendeu a ser mala…
    O Osmar deveria processar esse Bernardo por danos morais!
    Esses corruPTos não podem ir enlameando nomes de pessoas por aì… ô se enxerguem!

  12. Contra as privatizações
    sábado, 12 de setembro de 2009 – 1:39 hs

    O PT é um partido maduro, que sabe fazer as alianças corretamente, hoje o melhor para o Paraná é o Osmar Dias, que junto com o PT também amadureceu e merece essa oportunidade.
    O Osmar Dias é um excelente líder que o PDT tem no senado, e como bom trabalhista que é vai honrar a história de Leonel Brizola e das lutas socias que o PDT tem á mais de 20 anos.
    O Lupi está fazendo um excelente trabalho no ministério, mérito da aliança nacional PDT/PT e bom para o Brasil.
    O PMDB no Paraná também tem seus méritos com uma política social bem feita pelo governo Requião/Pessuti, nada mais justo do que unir todos em um mesmo palanque. Isso será fácil já que eles sabem que isso é para manter o Estado em bons rumos e tirar o Lernismo da jogada. Essa tarefa de união de todos esses partidos vai ficar por conta do: Zucchi, Romanelli, Gleisi, Ratinho Jr e do Milton Alves.
    Ano que vem é Osmar Dias e vice Samek e Dilma vice Requião.
    É o 12 e 13 nas urnas!!!!
    Além de Gleisi e Ricardo Barros para o senado e o Pessuti no ministério da Agricultura;
    Será a ampla aliança dos partidos de esquerda: PT, PDT, PMDB, PP, PSC, PCdoB, PHS, PR e PTB.
    Essa é para o Rossoni engolir no seco !!!!

    É o Paraná em bons rumos.

  13. Haroldo Teixeira
    sábado, 12 de setembro de 2009 – 6:57 hs

    HISTÓRIA DOS ATAQUES E TRAIÇÕES DO PT AO PMDB DO PARANÁ

    A história de conflitos entre o PT e o PMDB é antiga. Enquanto toda a sociedade brasileira se manifestava pela unidade nacional para por fim a ditadura militar o PT nasce como força desagregadora tanto no campo das esquerdas como no campo democrático pela sua visão exclusivista estratégica de poder. Contrária a ida ao colégio eleitoral quase ajuda a eleger Paulo Maluf presidente, que acaba de declarar apoio ao PT em São Paulo.

    Não é por acaso que PT e PMDB não tem liga em muitos estados. É só ver no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Bahia, Minas, Pernambuco, enfim nos maiores colégios eleitorais até os dias de hoje muitos conflitos e ataques mútuos. E no Paraná nunca foi diferente.

    Nas eleições de 1985 para a prefeitura de Curitiba quando Roberto Requião (PMDB) foi candidato contra Jaime Lerner, grande parte do PT pregou o voto nulo.

    Em 1982 quando se dava à aliança entre os setores democráticos e grande parte da esquerda para a derrubada do arbítrio do governo do Estado, o PT em seu proposital sectarismo fazia o jogo da ditadura ao transformar a candidatura do José Richa(PMDB) em principal alvo de seus ataques.

    Nas eleições de 1988 o PT através de sua estrutura sindical (APP, etc.) faz o jogo de Jaime Lerner ao aparelhar a sua estrutura sindical corporativista para o ataque ao governo estadual e nesta cegueira e oportunismo político torna a candidatura do progressista Maurício Fruet(PMDB), que sempre foi um dos porta vozes dos professores e da educação em geral no Congresso nacional, em alvo, assim diretamente beneficiando a candidatura de Jaime Lerner a prefeito.

    Em cada esquina estava uma professorinha da APP segurando uma cartolina com o “coração curitibano” desenhado “carinhosamente” a mão enquanto mandavam seus alunos jogarem pedras nos partidários do PMDB.

    Em 1990 quando o PMDB regional quis apoiar Lula para presidente o PT pediu publicamente para o PMDB não apoiar e muitos militantes pemedebistas foram maltratados ao comparecem nos comitês pró-Lula.

    Em 1990 quando parte do PT quis apoiar Requião(PMDB) ao governo, o PT chegou a expulsar Vitório Sorotiuk e Mauro Goulart do partido, pois foram nomeados em cargos do governo estadual em 1991.

    Em 1998 quando Requião(PMDB) foi candidato a governador contra Jaime Lerner(PDT) parte do PT se acertou com Jaime Lerner e daí nasceu à briga entre Roberto Requião(PMDB) com o então candidato ao senado Nedson Micheletti (PT) e Paulo Bernardo, pois estes sempre tiveram boas relações em Londrina com o grupo do José Janene e Antonio Belinati, que foi quem indicou Emília Belinati para vice na chapa de Jaime Lerner.

    Como “prêmio” é garantido aos petistas a manutenção de cargos no governo municipal do Antonio Belinati, que derrotou com o apoio de Jaime Lerner, Luiz Carlos Hauly(PSDB), e por isto o PT recebeu indicações nas Secretaria de Finanças, Secretarias Especiais, Secretaria da Mulher além de muitos cargos terceirizados na tal frente de trabalho.

    Associados a membro da Comissão de Orçamento em Brasilia, garantem recursos em várias áreas para que as empresas de Londrina – VISATEC, VISAMOTORS, VISACON e F. Jannani Grupo Iluminação – o que garante a expansão financeira junto com o grupo a quem eram aliados.

    Acontece então o maior escândalo político de Londrina com a venda das ações da SERCOMTEL, comandada por José Janene e Antonio Belinati e petistas, para a COPEL. Uma CPI na Assembléia Legislativa do Paraná é abafada com promessas divinas para deputados estaduais.

    Começa a farra chamada escândalo AMA-COMURB onde seus associados são pegos com a mão na massa, utilizando notas frias e medições de roçadas irregulares. Uma CEI na Câmara de Londrina começa a demonstrar os fatos e estender para um fundo gerido (COGEF) pelos indicados de Janene/Belinati, indícios muito fortes de uso na campanha eleitoral dos candidatos a deputado estadual Antonio Carlos Belinati, deputados federais José Janene e Paulo Bernardo.

    A Câmara Municipal de Londrina avança e consegue enviar para os promotores estaduais os indícios que se transformam nas mais variadas ações judiciais contra Antonio Belinati, José Janene, Paulo Bernardo, além dos secretários municipais e diretores que coordenam as licitações fraudulentas para desviar o dinheiro da venda das ações da SERCOMTEL.

    Desmascarados pelas práticas imorais Nedson Micheleti perde a eleição para o senado e Paulo Bernardo não consegue sua reeleição. Já o José Janene também não se elege, pois apenas conseguiu ter uma votação ridícula em Londrina e no Norte Pioneiro.

    Neste período o lernista petista Paulo Bernardo foi derrotado nas urnas em Londrina e migra para o Mato Grosso, onde com o Zeca do PT eleito governador se tornou secretário da Fazenda. Coincidentemente, apenas coincidentemente, junto os interesses do José Janene e a empresa VISATEC que constrói obras no Mato Grosso do Sul.

    Na eleição de 2002 o PT fez jogo duplo, pois ao mesmo tempo em que acenava pró-candidatura de Roberto Requião(PMDB), a exemplo do Padre Roque que o apoiou no segundo turno e acabou sendo nomeado no governo, a turma de Londrina tecia críticas tentando desestruturar a candidatura de Roberto Requião(PMDB), atacando o governo estadual o tempo todo, inclusive defendendo os interesses das empresas de pedágio, como ficou claro durante a condução da CPI do Pedágio.

    Enfim em 2006 enquanto Requião(PMDB) saiu candidato à reeleição o clima com a direção do PT Estadual continuava sendo de confronto, pois era reflexo da longa luta política de Roberto Requião(PMDB) em relação ao rompimento por parte do presidente Lula com os compromissos de campanha. Enfim articulado pelo grupo de Londrina o PT lança Flavio Arns e viabiliza o segundo turno entre Osmar Dias(PDT) e Roberto Requião(PMDB). Aqui no Estado o PMDB, que sempre teve uma postura progressista em relação à reforma agrária, ao meio ambiente, ao desenvolvimento sustentável, contra os transgênicos, contra o pedágio, contra a venda do Banestado e o pagamento da divida ao Banco Itaú, a favor da reestatização das empresas privatizadas, pelo rompimento com o FMI, contra as altas taxas de juros, contra o cambio sobrevalorizado etc., enfim o PMDB do Paraná não aceita o caráter neoliberal das deliberações do Consenso de Whashington mantido pelo PT enquanto governo, o que somado aos fatores locais levou o governador a criticar o governo Lula(PT). Não foi por acaso que durante o processo eleitoral de 2006 Paulo Bernardo e a direção estadual do PT não perderam um momento sequer para tentar hostilizar o candidato Roberto Requião(PMDB), sendo isto no meio dos empresários ou no meio da população, a exemplo do que o ministro Paulo Bernardo fez num evento com a imprensa num restaurante em Santa Felicidade , dias antes das eleições, quando criticou Requião(PMDB) por seu postura intransigente em defesa do porto de Paranaguá, contando uma piada de que Requião(PMDB) seria bem votado em Santa Catarina em especial pelo povo de Itajai(SC). Num momento em que o PMDB e Requião(PMDB) trabalhavam pela candidatura de Gleisi Hoffmann(PT) ao senado.

    Agora que uma nova eleição se aproxima o PT de forma oportunista esquece o espaço que receberam no governo com 3 secretarias e inúmeros cargos comissionados e traem a candidatura ao governo de Orlando Pessuti(PMDB) ao tentarem impor ao PMDB a candidatura de Osmar Dias(PDT) que em 2002 e 2006 teve o apoio publico de Jaime Lerner, José Janene e Antonio Belinati, o mesmo grupo aliado da cúpula do PT de Londrina, e que juntos acabam de eleger Barbosa Neto(PDT) a prefeitura de Londrina, contra a candidatura de Luiz Carlos Hauly(PSDB) que foi apoiado pelo governador Roberto Requião(PMDB).

    http://horahnews.com.br

  14. Pendulo Paulo
    sábado, 12 de setembro de 2009 – 7:42 hs

    Pedro Paulo – que vergonha, como vc pode ser assim tao ridiculo – vc e’ o que – um lider petista ou um borra botas do casal VIP – honre o mandato de vereador que lhe foi conferido – hoje vejo que suas chances de se eleger deputado estadual sao praticamentes iguais a zero se vc continuar nessa linha.

  15. Pedro Paulo
    sábado, 12 de setembro de 2009 – 8:26 hs

    Leite Morno…..
    Vc esta fazendo uma análise com argumentação só na questão ética do Governo.
    Entendo que a ética deve ser um dogma em qualquer governo.
    Porém pegar alguns erros, desvios de condutas que tem nesse e em qualquer governo para fazer a tua avaliação é muito superficial.
    O Presidente Lula afastou o Zé Dirceu, o Palloci -absolvido pelo STF recentemente-, o Presidente não tem nada haver com dolar na cueca e por aí vai.
    Eu não entendo de avião, nem voce e nem o Lula. Agora a FAB (Força Aérea Brasileira) entende e o Presidente, o Ministro da Defesa estão tendo a orientação técnica de profissionais da área.
    Nós temos que parar de julgar sem conhecimento de forma leviana.
    Me aponte 10 casos comprovados de corrupção no governo.
    SE MANCA CARA PÁLIDA.

  16. Rsn.46
    sábado, 12 de setembro de 2009 – 18:10 hs

    Duas coisas quue eu gostaria de saber:

    Primeira. O Ministro que está do fim de semana no Paraná,tem suas

    despesas(passagens,diárias, aluguel de automóveis,segurança) pagas

    por quem?

    Segunda: O salário de Ministro , de acôrdo com a Controladoria da

    União não é compatível com todas as despesas (extras).

    Por útimo,vale Cartão Corporativo,ou não ?

  17. sábado, 12 de setembro de 2009 – 22:54 hs

    Sobre o tema, achio que a manchete ficou incompleta, deveria ser: Paulo Bernardo diz que o PT deve caminhar com o PDT no Paraná , mas rumo ao inferno…..

  18. Bisteka
    domingo, 13 de setembro de 2009 – 12:30 hs

    Olá contraprivatizações.
    És coerente até citar Reiquião… Esse não por favor! Não tente colar Osmar nesse nome que estaremos fritos…Não diga isto em Paranaguá e Antonina que será fuga total de eleitores pre-disposto em votar no Osmar… Pelo amor de Deus… Afaste de nós esse… E CALE-SE!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*