Paralisações ameaçam as montadoras | Fábio Campana

Paralisações ameaçam
as montadoras

montadoras

Do Valor Econômico

A greve ronda as montadoras a duas semanas do fim da redução do IPI, que baixou o preço dos automóveis. No Paraná, Volkswagen e Renault já estão paradas há uma semana e, segundo o sindicato, deixaram de produzir 8 mil veículos.

Sindicatos de trabalhadores de montadoras e autopeças de São Paulo preparam greves por tempo indeterminado se hoje não forem fechados acordos de reajuste salarial.

Os metalúrgicos da GM em São José dos Campos interromperam a produção por um dia, em busca de reajuste de 14,65% e redução da jornada para 36 horas. Em Taubaté, oito empresas de autopeças pararam durante duas horas e os trabalhadores de Volks e Ford aprovaram estado de greve em assembleias.


3 comentários

  1. ofachineiro
    domingo, 13 de setembro de 2009 – 13:01 hs

    São as montadoras que motivam as paralizações, e não “Paralisações ameaçam as montadoras”.

  2. Mago
    domingo, 13 de setembro de 2009 – 14:34 hs

    Grevista devia ser mandado pra rua por justa causa. Não tá satisfeito, vaza. Pra se achar tanto deve ter alguém pagando mais.

  3. Luis Adolfo Kutax
    domingo, 13 de setembro de 2009 – 20:52 hs

    Tudo tem seu momento. O governo isentou o IPI tentando evitar o desemprego. A greve pode resultar um momento oportuno para as montadoras justificarem demissões. Se quem deseja fazer greve acredita merecer melhores salários que abra e deixe o espaço para quem precisa de emprego e vai procurar melhores oportunidades conforme seus méritos….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*