Juiz considera irregular contratação na TV Educativa | Fábio Campana

Juiz considera irregular contratação na TV Educativa

As ações populares ajuizadas pelos advogados José Cid Campêlo Filho e José Rodrigo Sade, questionando as contratações por cachê dos funcionários da Rádio e Televisão Educativa do Paraná (RTVE), foram julgadas procedentes pelo Dr. Roger Vinicius Pires de Camargo Oliveira, da 3ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba.

O juiz concluiu que “ficou claro nos autos que a contratação ‘temporária’ se deu para burlar a exigência de concurso, sob o argumento de que não haveria tempo hábil para a realização do certame, optou-se pela via mais fácil: o teste seletivo”. E mais adiante: “Portanto, são irregulares todas as contratações da RTVE sem concurso público”.

O problema não termina aí. Há outro tipo de contratação irregular acontecendo na TV Paraná Educativa. Foram selecionados em dezembro de 2008 e trabalham na TV Educativa desde o início do ano, oito recém-formados em Jornalismo, em Curitiba, e mais seis no interior do estado. Eles foram contratados como bolsistas, por um ano, pela Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI), para produzir um programa na TV com conteúdo relacionado às ações da Secretaria, após receberem treinamento.

Tudo certo, se não estivesse faltando cerca de 3 meses para o contrato se encerrar e nada do tal programa de ciência começar. Enquanto isso, os profissionais estão em “treinamento” fazendo as mesmas funções de qualquer outro jornalista da casa. Com uma única diferença: recebem metade do salário. Dizem as más línguas que tem “bolsista” dirigindo programa e até ensinando funcionário recém-contratado na televisão. E para 2010 existe a previsão de mais uma remessa de bolsistas contratados.

Veja as matérias da época no Leia Mais

Estão abertas inscrições para projeto de popularização da ciência e tecnologia

Extraído de: Governo do Estado do Paraná – 16 de Dezembro de 2008

Começam nesta terça-feira (16) as inscrições para seleção de bolsistas que vão trabalhar no projeto de popularização da ciência e tecnologia, da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Podem participar jornalistas formados há menos de dois anos em instituições públicas de ensino superior e que não recebam outra bolsa. As inscrições serão encerradas nesta sexta-feira (19).

Os aprovados vão atuar na produção e edição de material audiovisual sobre ciência e tecnologia nas instituições de ensino superior públicas do Paraná. As reportagens serão veiculadas em edições diárias e em um programa mensal da TV Paraná Educativa.

Serão oferecidas 12 bolsas mensais, no valor de R$ 940 cada, durante 12 meses. Seis bolsistas vão atuar em Curitiba; os outros serão direcionados para as cidades de Londrina (região Norte), Maringá (Noroeste), Jacarezinho (Norte Pioneiro), Ponta Grossa (Campos Gerais), Guarapuava (Centro-Oeste) e Cascavel (Oeste). Os aprovados vão participar de treinamento na sede da Rádio e TV Paraná Educativa, em Curitiba, durante o mês de janeiro.

O projeto “Estruturação de Núcleos Regionais de Difusão e Popularização da Ciência e Tecnologia Através das Instituições de Ensino Superior Públicas do Paraná” é realizado pela Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia em parceria com a Rádio e TV Paraná Educativa. O resultado da seleção será divulgado na terça-feira (23).

SELEÇÃO – O processo de escolha dos candidatos acontece em duas etapas: análise de currículo e entrevista na Rádio e TV Paraná Educativa, que será realizada na segunda-feira (22), às 14h. Além da ficha de inscrição e da declaração de que dedicará 40 horas semanais às atividades do projeto, constantes no edital, o candidato deve encaminhar currículo e documento de comprovação de que se formou em Jornalismo nos últimos dois anos.

A documentação pode ser enviada por e-mail (carvalhosara@ig.com.br) ou pelos correios, endereçada à jornalista Sara Carvalho, na Rua Júlio Perneta, n.º 695, CEP 80.810-110, bairro Mercês, em Curitiba. O envio deve ser feito até a sexta-feira (19). Os formulários de inscrição estão disponíveis no edital, que pode ser acessado no site www.seti.pr.gov.br.


6 comentários

  1. Paraíso ...
    sexta-feira, 18 de setembro de 2009 – 20:00 hs

    O Paraná foi nestes 8 anos o paraíso novelesco dos nepotes, dos comissionados, dos contratados e dos terceirizados. Novela esta que as ditas autoridades de controle público estaduais – pagas a preço de ouro pelo povo paranaense – assistiram sem constrangimento e fizeram-se de desapercebidas para as irregularidades flagrantes e fartamente denunciadas pela mídia. A sombra e água fresca foi repentinamente trovejada pela Súmula 13 do STF que determinou o expurgo de nepotes, mas uma legião ainda se escondem e até são protegidos nos escaninhos do poder. Mas as ditas autoridades de controle público estaduais continuam desapercebidas na sua portentosa sombra e água fresca – sombra das benesses e água fresca de côco, ora se não … Parabéns aos dois cidadãos que se irresignaram-se …

  2. JUSTICEIRO
    sexta-feira, 18 de setembro de 2009 – 20:25 hs

    RTVE deveria simplesmente ser extinto e seu acervo transferido para uma Fundação Pública que poderia ser criada através de lei estadual, Fundação essa sem nenhum vínculo com o governo do Estado.
    Atualmente a TVE e suas rádios vem sendo utilizada com objetivos puramente políticos para promover o governante que está no Poder. E o mais grave; ao invés de difundir cultura, que deveria ser o seu objetivo, seus programas são permeados de pregações de cunho comunista, além de outras ilações como combate aos trangênicos e outras baboseiras. Isso tudo é feito em forma de “lavagem cerebral” onde não é permitido que seja feita qualquer espécie de debate em contrário. Na “escolinha das terças” só é convidado a falar no programa, esquerdistas que comungam com a mesma ideologia de Requião, visando a fazer sua promoção política. Dessa forma os programas da RTVE, aqui apresentados, são como as da Venezuela de Hugo Chaves. Vivem, aqui, sob censura de Requião, isso sem falar no seu enorme custo para o tesouro estadual.
    Isso jamais poderia ser aceito aqui em um Estado tão civilizado. O que faz a promotoria que nenhuma providencia toma? E os órgãos federais responsáveis pela área de comunicações? E os deputados aqui do Paraná? São verdadeiros absurdos o que vem acontecendo.

  3. Roberto
    sexta-feira, 18 de setembro de 2009 – 22:25 hs

    Hoje, o Sr. Carlos Moraes ,em seu programa noticiou a respeito de uma clinica de olhos em Sorocaba que faz transplante de córnea de graça e por falta de pacientes estão jogando fora as córneas que não tem mais condições de transplantar. Até dá para acreditar, mas qualquer pessoa sabe que é uma tremenda fria, mais conhecida por FAKE pelos internautas
    é pior do que a propaganda do guaraná que o Sr. Requião acreditou que iam vender a Amazônia…

  4. Carlão
    sábado, 19 de setembro de 2009 – 8:47 hs

    O Paraná vive só em irregularidades, descasos, mentiras e nepotismo, é o preço que estamos pagando nestes 8 anos de Governo Requião, mas tudo passa …

  5. Vigilante do Portão
    sábado, 19 de setembro de 2009 – 9:14 hs

    O capachista, digo jornalista Carlos Moraes e sua turma podem ir procurando outro emprego, no Paraná não vai dar mais. KKK
    Quem vai tecer loas ao governador, caso a TV Educativa seja transformada em Fundação?
    O Pessuti, se for esperto, vai demitir toda a cambada, isso vai contar pontos com a população, ainda mais se prometer aplicar o dinheiro economizado com o fechamento da TV em casas populares, via COHAPAR.
    São R$200milões por ano, ou seja, nos anos de (des)governo da família Mello e Silva, o Paraná gastou mais de hum bilhão com a TV Educativa. Um desperdício de dinheiro público.

  6. bimbo
    sábado, 19 de setembro de 2009 – 20:08 hs

    Tá, e daí? “ces” vão continuar votando no “ómi”.
    parem de chorar camba de frouxos., tô de saco cheio de vcs.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*