Marina Silva troca seis por meia dúzia | Fábio Campana

Marina Silva troca seis por meia dúzia

marinasilva2904brazil3

De Vasconcelo Quadros no Jornal do Brasil

A senadora Marina Silva (AC) está trocando seis por meia dúzia. O Partido Verde, seu novo destino, desbotou e está tão corroído quanto a antiga estrela vermelha do PT: alianças esquizofrênicas, fisiologismo, problemas de moralidade envolvendo deputados federais e uma crise existencial motivada por contradições que se estendem da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, às regiões em que a luta pela preservação das florestas e pelo desenvolvimento sustentável deveria estar mais radicalizada.

Com 1.237 vereadores, 76 prefeitos, 34 deputados estaduais e uma bancada de 14 parlamentares na Câmara, o PV enfrenta desvios éticos comuns aos outros partidos. Pelo menos metade da bancada federal é alvo de denúncias que vão de suspeitas de corrupção, nepotismo, crimes eleitorais, improbidade administrativa ou desvios da cota de passagens aéreas da Câmara para viagens internacionais ou para parentes. A força do partido está concentrada em São Paulo e Minas Gerais, com nove parlamentares. Sobre os dois únicos originários da região Amazônica, não se pode dizer que tenham incorporado apenas a causa verde: Sarney Filho (MA) é filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e teve problemas com a farra das passagens aéreas; Lindomar Garçon (RO), ex-prefeito de Candeias do Jamari, responde processo por improbidade administrativa.

O exemplo mais dolorido para a causa vem do Mato Grosso, o estado campeão dos desmatamentos e onde o partido ajudou a eleger e reeleger, em 2002 e depois em 2006, o governador Blairo Maggi, o inimigo número um dos ecologistas, homenageado pela ONG Greepeace com o troféu Motosserra de Ouro.

– Fiquei oito anos sem pisar no partido – diz o atual secretário de Meio Ambiente de Cuiabá, Arquimedes Pereira Lima Neto, indicado este ano pelo prefeito reeleito, Wilson Santos, do PSDB, como contrapartida ao apoio recebido na eleição do ano passado.

A contradição matogrossense foi também uma das maiores humilhações que o partido sofreu. Ao perceber que os verdes haviam virado as costas para seu candidato e apoiado seus rivais tucanos na disputa municipal, Maggi avisou pelo Diário Oficial que oito dirigentes que ocupavam cargos em seu governo estavam sendo demitidos. Entre eles estavam os presidentes dos diretórios estadual e municipal, José Roberto Stopa e Antônio Carlos Nogueira. Os dois eram superintendente de Educação e do Arquivo Público, funções estranhas ao programa do PV.

– À época pedi a expulsão de todos eles – diz o deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), que considera o apoio ao Rei da Soja como o grande equívoco dos 23 anos de existência do partido e uma das razões para o processo de depuração que está em curso na adequação da legenda ao perfil de Marina Silva.

O pragmatismo verde também está estampado na paisagem da Esplanada, em Brasília. Único ministro do partido, Juca Ferreira,firmou-se como sucessor do cantor Gilberto Gil na pasta da Cultura e, assim que Marina anunciou a saída do PT, passou a bombardear seus correligionários. Disse que a cúpula – segundo ele, também movida pelo fisilogismo – está jogando a candidatura da ex-ministra no colo do PSDB. Defensor de uma aliança com o PT, o ministro ainda disse que seu próprio partido não está preparado para receber a ex-ministra.

– Ele criticou o processo mais importante para o partido. Deve estar com medo de perder o cargo – reage Gabeira.

Vice-presidente do PV e outro alvo das críticas, o vereador Alfredo Sirkis (RJ), disse que as declarações foram de “uma grande infelicidade” e que elas destoam da conversa que ambos tiveram na véspera da desfiliação de Marina.

– Entendo que seja uma consequência dos equilibrismos que se sente compelido a fazer para permanecer no Ministério – disparou.


17 comentários

  1. sábado, 22 de agosto de 2009 – 17:56 hs

    A Marina Silva é um modelo a ser seguido, assim como a Heloisa Helena todavia fora do PT não terá força politica suficiente para uma disputa presidencial. Não deveria ter saído.

  2. PABUFE
    sábado, 22 de agosto de 2009 – 18:31 hs

    AS MMARINA VAI ARRASAR.

    A candidatura da Marinba. coloca em risco a candidatura da DILMA, que poderá ficar em 3o. ou 4. lugar, não indo para o 2o.turno.

    Este será o preço que Lula e o seu PT vão pagar, por terem apioiado o PULHA \DO SARNEY.

  3. Rafael
    sábado, 22 de agosto de 2009 – 18:50 hs

    Agora começam as críticas, isso é receio de perderem votos.

  4. adriano
    sábado, 22 de agosto de 2009 – 19:00 hs

    Troca sem pé nem cabeça. Não sou fã do PT. Mas como pode fazer mudança tão drástica? O PT é LULA-Dilma. O PV é Serra. Pulula de cá para lá e o povão aplaude… é a nossa “democracia”.

  5. Vigilante do Portão
    sábado, 22 de agosto de 2009 – 19:07 hs

    É verdade, o partido verde também aderiu ao fisiologismo dos cargos e das benesses.
    A Marina e outros membros do antigo PT, aquele que tinha ética, deveriam fundar uma nova agremiação partidária.
    Quanto ao cometário do Lula de que ela (Marina Silva) não vai dividir o elitorado do PT, trata-se de mais de uma bravata do presidente, depois de ter tomado umas “branquinhas”. KKK
    Claro que vai dividir o minguado eleitorado da Dilma, elas correm na mesma faixa e a Marina é bem mais simpática do que a canditada oficial.

  6. LEAD
    sábado, 22 de agosto de 2009 – 19:53 hs

    A Marina Silva deveria ir para o PSOL. O PV está bichado. A Marina Silva foi avisada de que o Lula iria jogá-la fora como bagaço de uma laranja, pois ela servia apenas para fachada de um governo pseudo ambientalista, mas na realidade, entreguista para as multi fabricantes de veneno e transgênicos como a Monsanto e para os Ruralistas e Poluidores em geral. O CONAMA virou um balcão de negócios. O lobby lá é vergonhoso.

  7. João da Fila
    sábado, 22 de agosto de 2009 – 21:38 hs

    MARINA SILVA EMBORA SAIU NO SILÊNCIA PERCEBE´SE QUE PODE HAVER O EFEITO SARNEY, PORÉM VAI TER DIFICULDADE EM ENCONTRAR UM PARTIDO QUE NÃO SEJA CORRUPTO. LEMBRANDO QUE SE A CORRUPÇÃO NÃO SE DÁ PELA AÇÃO, SE DEU POR OMISSÃO, JÁ QUE NO SENADO E NA CAMARA DOS DEPUTADOS NÃO SÃO AMBIENTES DA MAIS PURA INOCENCIA. COM CERTEZA TODOS TINHAM CONHECIMENTO DE COMO AS COISAS ACONTECIAM. E PIOR, O MESMO FATO ACONTECE EM TODAS AS PREFEITURAS DO BRASIL QUE POSSUEM APADRINHADOS DE TODA ESPÉCIE EM CARGOS DE COMISSÃO. CONTENDA/PR REPRESENTA TAL SITUAÇÃO, ALIMENTA FILHO DE DEPUTADO, EMPREGADO DE FILHO DE DEPUTADO, FAZ CONCURSOS SUSPEITOS DE FRAUDES PARA BENEFICIAR FILHA DE VICE PREFEITO, ALÉM DE FUNCIONARIO EM CARGO DE COMISSÃO QUE É UMA GRACINHA DO PV QUE NUNCA APARECEU PARA TRABALHAR. ENFIM É O ESPELHO DO SENADO DO BRASIL….

  8. Betina
    sábado, 22 de agosto de 2009 – 23:13 hs

    Aquele candidato a prefeito de Curitiba do PV era insuportável, só não consegiu ser mais mala que a gleisi. São todos uma porcaria!

  9. LONDRINENSE
    domingo, 23 de agosto de 2009 – 0:26 hs

    Deixar o PT pelo PV é realmente um retrocesso. Se o PV nacional for como o nosso, aqui no Paraná…Vide os vassalos do requião no PV. Esse partido é uma excrecencia…não dá para levar a sério. Pena pela Senadora Marina, que é uma grande brasileira e merece nosso respeito.

  10. Marcelo Villa
    domingo, 23 de agosto de 2009 – 0:54 hs

    O PV é um partido de apêlo social visto com bons olhos pela população brasileira, talvés por isso que agora que está tendo em sua fileiras pessoas que possam faze-lo decolar as velhas rapozas e coronéis do poder não querem dar espaço e criticam.
    Sou PV o partido que mais cresce em todo o Brasil partido que tem a cor que predomina no nosso querido país e vai comandar a mudança necessária inclusive em nosso estado Paraná.

  11. ELA AINDA NÃO SABE
    domingo, 23 de agosto de 2009 – 12:41 hs

    Depois que ela souber o que este partideco queria instalar corrupção no gabinete do vereador Professor Galdino, ou ela não se filia, ou fará parte desta corrupção aloprada!

  12. Gustavo Pires
    domingo, 23 de agosto de 2009 – 13:07 hs

    Concordo com você Villa, o PV será o Partidos de todos que são pela vida. Os “poderosos” tem medo de perder sua “boquinha”. Toda mudança radical é seguido de críticas que só nos fortalecem. Dalhe PV.

  13. zaza
    domingo, 23 de agosto de 2009 – 14:41 hs

    Porque ela não foi para o PSOL? Será que não seria aceita? Dor de cotovelo da Eluiza Helena? Ou tem caroço no angu da Eluiza Helena ou no angu da senhora Marina? Agora seria a hora fortificar as fileiras do PSOL… E o Flávio Arns que fim o levará, digo, que agremiação vai cata-lo…

  14. P.C.
    domingo, 23 de agosto de 2009 – 20:27 hs

    PV, partido de Zequina Sarney e seus empreiteiros que compraram apartamentos em Sao Paulo para uso da familia Sarney

  15. ALO MAMAE
    segunda-feira, 24 de agosto de 2009 – 5:27 hs

    A Senadora Marina Silva é uma parlamentar de respeito internacional, que prima pela ética e dona de uma trajetória invejável. Como não encontrou espaço no PT e no PSOL pra se candidatar o recurso foi encontrar um partido que mais se assemelhasse c/ suas lutas e lhe desse esse espaço. Mas o PV assim como os demais partidos não é um poço de candura( abriga o Zequinha Sarney que curiosamente defende valores dos ambientalistas). Se se olhasse todos os partidos com rigor nenhum poderia abrigá-la pois ela é maior do que todos.Infelizmente no Brasil não há a possibilidade de se ter um candidato independente como nosEUA. Tem que escolher um partido e trocar.

  16. terça-feira, 25 de agosto de 2009 – 0:00 hs

    Sobre o delírio Marina Silva

    Jamais discutirei a biografia, o caráter ou as intenções da ex-ministra, que nada têm a ver com pretensões eleitorais.
    Sua candidatura não tem chance real de sucesso por inúmeros motivos. Faltam-lhe uma aliança partidária abrangente, tempos de rádio e TV, investimentos, palanques regionais, militância numerosa e qualificada. A experiência e o perfil de Heloísa Helena a sufocam ou, na melhor das hipóteses, anulam suas especificidades. E, convenhamos, atrair Gilberto Gil, Protógenes Queiroz ou Nelson Mandela não trará enormes benefícios junto a eleitorado majoritariamente conservador e preconceituoso.
    Um projeto monotemático (seja ambiental ou qualquer outro) é insuficiente para empreitada desse porte. O pretenso diferencial da “honestidade” e do apelo moral pode ser encontrado em todo e qualquer discurso de campanha. E bastará revelar as ligações de Marina com a igreja evangélica e outros misticismos ultraconservadores para que ela perca o deslumbramento do eleitor progressista.
    Quem ignora essas dificuldades insanáveis está ludibriando o distinto público.
    Ademais, há sim o fator político. Sua militância reagirá bem quando ela sair na foto abraçada com Zequinha Sarney? Marina subirá no palanque fluminense do neotucano Fernando Gabeira, junto a lideranças do DEM (PFL) e do PSDB local? Como se portará em São Paulo, onde o PV apóia José Serra e Gilberto Kassab? Será omissa no segundo turno, prejudicando seu antigo partido e favorecendo o retorno da “direita liberal” que tanto combateu?
    Até as pranchetas do Datafolha sabem que a disputa presidencial será plebiscitária e polarizada; feliz ou infelizmente, Marina permanecerá apartada desse embate. A imprensa serrista comemora sua pré-candidatura porque ainda parece conveniente para dividir os votos de Dilma Rousseff. É só Marina começar a enfraquecer José Serra que o bondoso governador tratora tudo e acaba com essa brincadeira sem graça.

  17. Bus Atinho da Serrinha
    quarta-feira, 2 de setembro de 2009 – 23:22 hs

    Ilmo João da Fila…

    aponte as supostas fraudes nos órgãos competentes… essa é a tua função…
    reclama do resultado….
    não fica caluniando as pessoas,
    venha pra filial do Escritório em Londrina que Papi iria montar para nós… largue daí que vc está infeliz e amargo….
    tenhos saudades do capuccino que tomávamos na faculdade, eu olhando seu olhar sexy….
    Seu Monzão nunca mais saíra da minha memória… no estacionamento da PUC!!!!
    Aquele feijão que você me trazia era formidável…
    Saudades…
    Bus Atinho da Serrinha

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*