Requião não aceita perguntas sobre segurança pública | Fábio Campana

Requião não aceita perguntas sobre segurança pública

dsc07690

Requião deu ordens e a submissa bancada governista atendeu de pronto. Sob a batuta do líder Luiz Claudio Romanelli, a moçada governista derrubou o requerimento de Douglas Fabrício, do PPS, que pedia informações da Secretaria de Segurança sobre o efetivo policial do Paraná.

No mesmo requerimento, Douglas Fabrício pedia esclarecimentos sobre a quantidade de presos e detidos, e o número de vagas em prisões e delegacias do Paraná.

Pasmem. Para rejeitar o pedido, Romanelli encontrou uma desculpa incrível. Disse que os dados são sigilosos. Só não disse quem, quando, onde e porque há o sigilo.


19 comentários

  1. cidadão
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 11:19 hs

    Romanelli é um analfabeto quando se trata de REPÚBLICA e DEMOCRACIA. Qual é o caso de segurança nacinal para determinar o sigilo de informações neste caso? Cade o portal da transparência?

  2. Alessandro
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 11:28 hs

    Romanelli é do executivo ou do legislativo?
    O que tanto se mete essa fubana na Administração Pública?
    Desconhece até mesmo um dos princípios base da Administração: PRINCÍPIO DA PUBLICIDADE.

    Se bem que, do jeito que as coisas andam, ninguém precisa ler estatísticas para saber que a Secretaria de Segurança tem servido principalmente para propósitos políticos.

  3. quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 11:35 hs

    Oi Fabio!
    Gostei muito de teu blog, quando crescer quero ter um igual………………..Mas enquanto isso não acontece, de uma visitada em blog amador mesmo………Bjs
    http://yvanalyma.blogspot.com/

  4. Conegundes de Moura
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 11:50 hs

    Tem muito sigilo nesse desgoverno do senhor “mamona”. Aliás até as ações de governo são sigilosas. Ninguem vê ou sente seu efeitos a não ser os Roubanellis da vida. E dê-lhe Douglas!!!!!!!!!!!!!

  5. ACORDA CURITIBA
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 11:52 hs

    Claro que ele não quer falar sobre o assunto… segurança pública no Paraná não existe… está sucateada…
    Estão matando na porta da casa do governador, imagine oque não tão fazendo pelo resto da cidade e do estado…

    ISSO É UMA VERGONHA (como diria boris casoy)…

    SEGURANÇA JÁ

    GOVERNADOR, NÓS AMIGOS DO NICK EXIGIMOS UMA PROVIDÊNCIA JÁ, PARE DE FICAR ATACANDO O PREFEITO BETO RICHA E VAI CUIDAR DE SUAS OBRIGAÇÕES

  6. Wilson
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 12:37 hs

    Queremos respostas:

    Paraná ‘lidera’ ranking de mortes de jovens

    Pesquisa aponta que em Foz índice é de 9,7 mortes para cada mil adolescentes; no Sul, todas as regiões que se destacam ficam no Estado
    Índice de assassinatos em Foz do Iguaçu é três vezes e meio superior à média nacional; para especialista, saída está em investimento governamental
    Os municípios paranaenses estão entre os mais bem colocados num triste ranking divulgado ontem: o do número de adolescentes vítimas de homicídios. Foz do Iguaçu (Oeste) é a líder da lista, que inclui 267 municípios brasileiros com mais de 100 mil habitantes, elaborada em parceria Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH), Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e Observatório das Favelas. O estudo projeta que entre os anos de 2006 a 2012 cerca de 33 mil adolescentes não chegarão aos 19 anos de idade, pois terão sido vítimas de mortes violentas.

    A faixa etária do estudo compreendeu adolescentes com idades entre 12 a 19 anos. A partir de um cálculo que levou em conta mortes ocorridas em grupo de mil jovens, foi estabelecido o IHA (Índice de Homicídios na Adolescência).

    O índice iguaçuense é de 9,7 mortes para cada grupo de mil jovens. O indicador da cidade faz fronteira com Argentina e Paraguai é três vezes e meio superior à média nacional, de 2,03. Outras cidades do estado também estão ”bem colocadas” na pesquisa: Pinhais está na 14 colocação, seguida por Toledo (27) e São José dos Pinhais (28). A capital paranaense também aparece no ranking. Com 3,03 mortes para cada grupo de mil adolescentes, Curitiba está em 59º lugar. Londrina fica logo atrás, com uma taxa de 3,01 homicídios na 60 colocação.

    As cidades paranaenses detêm índices ainda mais preocupantes se os dados forem comparados com os dos outros estados do Sul. Todas as regiões que se destacam por conta dos altos índices e violência contra adolescentes ficam em território paranaense: Região Metropoliatana de Curitiba, Norte, Central e Oeste, já próximo à fronteira. Levando em conta os cem primeiros municípios da pesquisa, 17 ficam no Paraná, três no Rio Grande do Sul e apenas um em Santa Catarina.

    O município gaúcho ”mais violento” é São Leopoldo, que aparece na 66 posição, com um índice de 2,91 mortes – melhor do que dez cidades do Paraná. Já entre os catarinenses, o indicador mais alto é o de São José, que com índice de 2,45 mortes para cada grupo de mil adolescentes está na 89 posição.

    Entre as capitais, o Paraná também está em pior situação. Em 59º lugar, Curitiba está bem acima de Florianópolis, 122 colocada com índice de 1,76 mortes, e Porto Alegre, na 132 posição, com 1,66 homicídios de jovens.

    O levantamento apontou ainda que a probabilidade de um adolescente do sexo masculino ser vítima de homicídio é 12 vezes superior em relação ao sexo feminino. No caso da cor, a taxa de negros vítimas de homicídio é três vezes superior aos de brancos.

    Para o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil em Foz do Iguaçu, Washington Luiz Teixeira, o resultado da pesquisa é consequência de um ”encontro de situações de ordem econômica e social e por ser uma cidade de fronteira.” A saída, aponta, está em investimento governamental. ”Não só na área educacional, mas também na criação de opções de lazer, esporte e cultura para os jovens”, opina.

    De acordo com dados da Secretaria Estadual da Segurança Pública, o número de homicídios de adolescentes (entre 12 e 18 anos) caiu 36,7% em Foz, entre 2006 e 2009. Ao mesmo tempo, a polícia paranaense, segundo matéria divulgada pela Agência Estadual de Notícias, reduziu pela metade a média de assassinatos na cidade, que, em 2005, era de um por dia e, em 2009, é de um a cada dois dias. ”O estudo divulgado pelo Governo Federal é uma grande estimativa baseada em dados de 2006. O importante é que nós implementamos políticas públicas na área da segurança e revertemos esta tendência”, afirmou o secretário Luiz Fernando Delazari.(Com Folhapress)

    Fernando Rocha Faro

  7. R.Silva
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 13:03 hs

    Sou obrigado a discordar do “ilustre” deputado; não é sigilo ou seguredo pra ninguém que no Paraná não existe segurança pública. Os poucos policiais que existem são desvalorizados e desmotivados. Os bons e capacitados estão “pulando fora” desta nau indo a pique que é a Polícia Civil do Paraná, graças ao descaso do déspota hipócrita e demagogo.
    REQUIÃO NÃO!!!

  8. MARCIA
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 13:47 hs

    Que Vergonha…Será que o Governador não vai acordar para ver o que está acontecendo com o Nosso Paraná……ou será que estamos sem secretário de Seg.

  9. quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 13:47 hs

    Os Dados ou a ocultação dos mesmos, Mostram apenas e tão somente o TODA DESGOVERNO DE REQUIÃO.

    Vamos logo tratar de ver o porque ele protege tanto o Incompetente do Secretário de “cizâni pública”, que é na verdade o que ele tem na SSP..

  10. DON QUIXOTE.
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 13:51 hs

    O REQUIÃO COM ESTA ASSUME:

    NA QUESTÃO DA SEGURANÇA, SEU FOVERNO FALHOU.

  11. jango
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 14:48 hs

    Não aceita perguntas porque não tem rspostas. É um ramatado incompetente. Por outro lado, temos um Ministério Público estadual pífio e submisso aos desmandos do centro do poder e que também não tem respostas à sociedade que lhes paga os mais régios salários para defesa de seus direitos indisponíveis. É vergonhosa a situação das ditas autoridades de controle público no Estado. Se compadrinham para as recíprocas benesses, se fazem de desentendidas para o interesse público.

  12. Nelson Edison de Moura Rosa
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 14:53 hs

    Existem momentos nesta terrinha que chegamos a conclusao de que importante mesmo nesse “desgoverno de REIQUIÃO”, são seus irmãozinhos…. O resto? … É o resto!, desde que seus maninhos estajam protegidos pelo erário publico de nós paranaenses e estejam seguros…
    Pra que seguranca se a “phamiglia” já está protegida?

  13. ofaxineiro
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 14:54 hs

    Não são só os dados sigilosos as ações de segurança também, tudo é muito escondido, quando vão procurar não acham….

  14. Marcio
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 15:04 hs

    As possíveis repostas estão estampadas diariamente nos jornais da Capital. UMA VERGONHA.

  15. KAREKA
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 15:17 hs

    A INSEGURANÇA PÚBLICA DO GOVERNADOR ESTÁ MATANDO MUITO MAIS DO QUE A GRIPE A…..MAIS NINGUÉM FAZ NADA PRA MUDAR……TOQUE DE RECOLHER,,,,PRISÃO SEM MORDOMIAS…..E ATÉ MESMO PENA DE MORTE PARA CRIMES BÁRBAROS SERIAM MUITO BEM VINDAS…E COM CERTEZA O POVO IRIA ADORAR……..FAÇAM UMA ENQUETE, DEPOIS CONFIRMEM O RESULTADO.

  16. cidadão
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 16:43 hs

    Exatamente ofaxineiro, é um absurdo num país onde a Constituição hoje prima pela efetividade da Democracia e da República, se tratar qualquer informação como sigilo. Digo mais, vejo ofensa a estes institutos a exigência de aprovação do requerimento das informações pela plenário da Assembléia.
    O Governo tem que divulgar os dados e aclarear as dúvidas, pronto sem discussão.

  17. ETANOIS
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 17:27 hs

    O negócio de segurança pública no Paraná, é tão sigiloso, que não sabem onde a colocaram.
    E tem mais. O que é que ele vai falar para sua vizinha que teve o marido morto em sua porta.
    Só é possivel responder sobre o que tem, sobre o que não se tem, falar o que?
    Em 2010 ele vai ter a resposta da população paranaense.

  18. INSEGURANÇA
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 20:25 hs

    PARA SABER AS INFORMAÇÕES A RESPEITO DO CASO, FAÇAM UMA ENTREVISTA A QUALQUER POLICIAL DO ESTADO, E SABERÃO QUAL É A VERDADEIRA SITUAÇÃO PELO QUAL TODA POPULAÇÃO ESTÁ SUJEITA. PASMEM, NEM OS POLICIAIS TÊM SEGURANÇA, BEM COMO SUAS FAMÍLIAS.
    COMO UM AGENTE DESSES DARÁ SEGURANÇA A POPULAÇÃO EM GERAL?
    HOJE, CRIAM NOVAS UNIDADES POLICIAIS, MAS NÃO SE CONTRATA NINGUEM! SIMPLESMENTE TIRAM DE UMA DETERMINADA REGIÃO PARA COLOCAR EM OUTRA, MAIS CONHECIDO COMO O FAMOSO “COBERTOR CURTO”

  19. fred
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 21:32 hs

    deveriam publicar todos os dados da segurança, para vermos o colapso imobiliário e do comércio, onde estão os locais mais assaltados e roubados? vou ficar longe!! onde morrem mais pessoas vítima de crimes violentos, nunca vou morar lá com certeza!! queremos saber tudo!!! pq pelo jeito é só o requião ir embora para todos esses problemas serem solucionados!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*