Requião em Curitiba, volta à Brasília na quarta para audiência com Lula | Fábio Campana

Requião em Curitiba, volta à Brasília na quarta para audiência com Lula

600--Requiao

Requião cansou de esperar em Brasília pela audiência com o presidente Lula, que acabou sendo marcada apenas para a quarta-feira. Ele está em Curitiba e marcou seu retorno á Brasília para a terça no fim da tarde.

Requião voltou à Curitiba no final-de-semana, participou da reunião do programa “Mãos Limpas” e dita cátedra amanhã, na escolinha insana, sobre os assuntos de sua obsessão ou outro qualquer que possa surgir, da gripe suína ao cultivo de mamona.

A assessoria do governador Requião tenta emplacar a informação de que ele estaria sendo cogitado como candidato à presidência da República pelo PMDB. Puro factóide. No PMDB, os lulistas estão com Sarney, os anti-Sarney estão com José Serra e não há chances de entendimento.

Requião sempre serviu nas hordas de José Sarney.


10 comentários

  1. Jose Carlos
    segunda-feira, 17 de agosto de 2009 – 12:57 hs

    A pouco menos de dez meses da data de desimcompatibilização, Mello e Silva começa a experimentar o gosto amargo da desimportância que passará a ter após perder a caneta do poder… sem o paço, os cavalariços, os aduladores, a mordomia, sem presentes, de cavalos a vinhos caros, passará a ser mais uma nulidade, entre as demais nulidades senatoriais… vanitas, vanitas, est omnia vanitas… sic transit gloria mundi…

  2. Jose Carlos
    segunda-feira, 17 de agosto de 2009 – 13:52 hs

    É o que nos ensina o Velho Testamento – que deve ser bem conhecido de Simon -, quando Deus desafiou Abraão e Ló a encontrarem dez justos que as cidades não seriam destruídas… no Senado não se encontra um único justo.. é pior que Sodoma e Gomorra juntas…

  3. Eduardo
    segunda-feira, 17 de agosto de 2009 – 13:54 hs

    Fábio, é realmente vc o redator destas notas? Pra criticar é preciso, minimamente, conhecer as regras gramaticais. No teu caso, da crase. volta da. volta de. salve, saúde.

  4. Roberto
    segunda-feira, 17 de agosto de 2009 – 14:32 hs

    Campana alguém passou informação errada pra vocÊ. Porque, HOJE não fpoi realizada a reunião mãos limpas e: O governador Requião decidiu permanecer em Brasília até a próxima quarta-feira, onde está tratando de assuntos administrativos do Estado. E, também aproveita para manter contatos com lideranças políticas nacionais.

  5. Joselito
    segunda-feira, 17 de agosto de 2009 – 14:50 hs

    FRESQUINHO
    Denúncia
    PR Esportes é acusada de não repassar verbas a municípios
    Relatório da CGU aponta que gestão Gomyde não transferiu R$ 1,85 milhão a prefeituras
    16/08/09 às 20:06 | Antônio França

    Gomyde: parte das prefeituras não chegou aos municípios (foto: Jonas Oliveira)
    Leia mais:
    17/08/09Demitido, Gomyde ganha cargo federal
    17/08/09Municípios não receberam recursos da “Lei Pelé”
    Relatório da Controladoria-Geral da União (CGU) aponta que o ex-presidente da Paraná Esportes, Ricardo Gomyde (PC do B), deixou de repassar R$ 1,850 milhão para prefeituras, conforme previa convênio no qual o Estado recebeu recursos do governo federal para fomento do esporte no Paraná. Em sua gestão, Gomyde recebeu o dinheiro do Ministério dos Esportes, mas não repassou os 50% que pertenciam aos municípios paranaenses. Ele foi demitido pelo governador Roberto Requão (PMDB), em junho deste ano, logo depois que o relatório deu entrada na Advocacia Geral da União (AGU). A CGU enviou processo ao Ministério dos Esportes, responsável por cerca de R$ 3,7 milhões repassados a Gomyde, entre 2004 e 2005. Atualmente, o ex-diretor da estatal paranaense ocupa cargo no próprio ministério, por indicação de seu partido, o PC do B.
    No período, foram investigados 13 contratos assinados entre o governo do Paraná e a União. Todos apresentaram irregularidades, mas o governador Requião conseguiu se safar de quase todos eles. O procedimento contra Gomyde caiu na malha fina e foi para a AGU. “Os trabalhos foram realizados ‘in loco’ por técnicos da Controladoria-Geral da União, no período 19/06/2006 a 07/07/2006, sendo utilizados em sua execução as técnicas de inspeções físicas, análises documentais, confronto e conciliação de documentos e de registros contábeis, realização de entrevistas, aplicação de questionários, bem como registros fotográficos”, dizem os técnicos da CGU.
    Gomyde foi o único dos secretários do relatório que não teve suas contas aprovadas. Dentre os investigados estão, inclusive, programas do “Projeto Povo”, da Polícia Militar, assinado pelo secretário de Segurança Pública do Paraná, Luiz Fernando Delazari. Os contratos assinados por Delazeri somaram R$ 40,8 milhões. O dinheiro teria ido para projetos para construção e ampliação de estabelecimentos penais até reaparelhamento e modernização dos órgãos de segurança, como compra de celulares para ficar nas viaturas, confecção de cartinhas e ainda compra de micro-computadores para serem usados por policiais. Com ajuda de advogados pagos pelo Estado, Delazari se safou.
    Caiu — No caso da Paraná Esportes, Gomyde não teve a mesma sorte que o colega. Ele foi investigado em convênios de “funcionamento de núcleos de esporte educacional”, “implantação de infra-estrutura esportiva em escolas” e “transferência a estados da Lei Pelé”. Os três programas continham irregularidades, segundo os técnicos. Porém, foi justamente neste último que Gomyde teve suas contas reprovadas.
    O ex-deputado, que exercia o maior cargo representado pelo seu partido no governo do Estado, recebeu na ocasião R$ 3,7 milhões para incentivar a prática de esportes. Na justificativa assinada por Gomyde, o contrato com o governo federal diz que os recursos seriam para “viabilizar financeiramente os projetos estaduais e municipais de incentivo ao esporte, alinhados com as seguintes diretivas: desporto educacional, desporto de rendimento, desporto de criação nacional, capacitação de recursos humanos e cientistas”. Para o programa funcionar, Gomyde era obrigado a repassar 50% do valor aos municípios e os outros 50% da parte que cabia ao Estado gerir. “Durante os trabalhos de campo, ao indagarmos a administração estadual quanto aos repasses aos municípios, obtivemos a resposta de que o Estado não efetua repasse de verbas próprias para os municípios. Quanto aos 50% destinados às prefeituras, obtivemos a informação de que tais recursos não são geridos pelo governo estadual”, teria justificado o governo, segundo o relatório dos técnicos da CGU.
    A CGU não aceitou as justificativas e concluiu: “O Departamento Financeiro do Paraná Esportes deveria transferir aos municípios, metade dos recursos recebidos. Os recursos não foram transferidos e a justificativa apresentada não elide (isenta o governo estadual) do problema”, diz o parecer da Controladoria.
    A CGU informou através da assessoria de imprensa que Gomyde e Requião, são solidários no contrato e que ambos foram denunciados no Ministério dos Esportes, que fez o repasse dos recursos. O órgão também informou que ambos estão sendo investigados pela AGU. O resultado pode se transformar em processo na Procuradoria-Geral da República. Como se trata de recursos do governo federal, o ex-presidente da Paraná Esportes e o governador podem ser processados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

    ——————————————————————————–
    Instale o novo Internet Explorer 8 versão especial para o MSN. Download aqui

  6. Adalberto
    segunda-feira, 17 de agosto de 2009 – 14:52 hs

    já começou assumir o abandono gerado por ele diante do estado, já que tem por habito despachar apenas na quarta feira, e sendo assim passara duas ausentes do estado.

  7. ofaxineiro
    segunda-feira, 17 de agosto de 2009 – 15:00 hs

    Requião estava em Brasília, procurando os atos secretos do tempo que era Senador…..

  8. Miro
    segunda-feira, 17 de agosto de 2009 – 15:23 hs

    O governador Mello e Silva está ficando nervoso.
    E com ele nervoso, tudo de mal pode acontecer com quem estiver na frente dele.
    Tomara que ele fique sem mandato.
    E quando ele sair do governo, ele vai sair também do Canguiri?

  9. segunda-feira, 17 de agosto de 2009 – 15:35 hs

    Bem agora já sabemos porque o Gomyde foi parar no Governo Federal, mais um SAFADO que tudo o que faz é esconder o que faz ou fazer apenas e tão somente de forma muito escusa.
    Averigue-se o Meliante e PUNA-SE com rigor. ( Isso é que eu queria Ver)

    Requião ou Sarney para Presidente de república, era só o que me faltava. O Ali Bá Bá e seu secretário particular. A chapa ideal.

    ISSO É UMA VERGONHA SÓ COGITAR…Aí que nós colocamos todos o nariz de palhaços e vamos passa a exibir diplomas de Trouxas.

  10. Ricardo
    segunda-feira, 17 de agosto de 2009 – 16:07 hs

    Lula quer Osmar, Requião nem de graça, rs…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*