Paulo, o duque de Renan, arquiva mais 7 denúncias contra Sarney | Fábio Campana

Paulo, o duque de Renan, arquiva mais 7 denúncias contra Sarney

NaniPauloDuque

Do Josias de Souza na Folha Online

Como previsto, o suplente de suplente Paulo Duque mandou arquivar as derradeiras sete acusações que pesavam contra José Sarney no conselho de (a)Ética.

Na quarta (5), Duque já havia engavetado outras quatro denúncias. Assim, livrou Sarney de todas as 11 denúncias e representações protocoladas contra ele.

No Império Romano, como se sabe, duque era o título dado aos comandantes militares das províncias.

No ducado do Conselho de (a)Ética do Senado, Duque comanda as tropas do imperador Renan Calheiros, o bárbaro.

Embora aja com destemor inaudito, Duque eximiu-se de descer ao front nesta sexta (7). Confiou ao chefe de gabinete a missão de entregar os pareceres pró-Sarney.

O funcionário se chama Zacheu Teles. Indagado acerca do sumiço do Duque, ele disse que o chefe amanheceu “um pouco rouco”.

Uma pena. Em plena “Idade Mídia”, o duque de Renan priva a platéia de suas sempre elucidativas considerações.

Eis as sete denúncias que o suplente do suplente arquivou:

1. Denúncia de Arthur Virgilio feita em 23 de julho. Acusa Sarney de usar ato secreto para a nomeação do namorado de sua neta

2. Representação do PSDB feita em 28 de julho. Acusa Sarney de obter favorecimentos através de atos secretos

3. Representação do PSDB feita em 28 de julho. Acusa Sarney de favorecer o neto em operações de empréstimo a funcionários do Senado

4. Representação do PSDB feita em 28 de julho. Acusa Sarney de desvio de recursos públicos na Fundação Sarney e de mentir ao negar ter ligações com a administração da Fundação José Sarney

5. Representação do PSOL feita em 29 de julho. Acusa Sarney de omitir casa de R$ 4 milhões da Justiça e de ter conta ilegal no exterior, gerenciada por Edemar Cid Ferreira

6. Denúncia de Arthur Virgilio e Cristovam Buarque (PDT-DF) feita em 29 de julho. Acusa Sarney de vender terras nunca registradas em seu nome, evitando o pagamento de impostos

7. Denúncia de Arthur Virgilio e Cristovam feita em 29 de julho. Acusa Sarney de ter se beneficiado na operação Boi Barrica. A operação da PF investiga seu filho, Fernando Sarney

Agora, as quatro acusações que Duque arquivara há dois dias:

1. Denúncia de Arthur Virgilio (PSDB-AM) feita em 29 de junho. Contém 19 acusações. Entre elas, está a que acusa Sarney de favorecer a empresa de seu neto em operações de empréstimo a funcionários do Senado, e a que o acusa de ser condescendente com a publicação de atos secretos

2. Representação do PSOL feita em 30 de junho. Acusa Sarney de usar os atos secretos para conceder benefícios e aumentar salários

3. Denúncia de Arthur Virgilio feita em 10 de julho. Acusa Sarney de usar o advogado do Senado no Supremo Tribunal Federal em ação envolvendo causas próprias

4. Denúncia de Arthur Virgilio feita em 14 de julho. Acusa Sarney de ter mentido, ao negar ter ligações com a administração da Fundação José Sarney


15 comentários

  1. Pé Vermelho
    sexta-feira, 7 de agosto de 2009 – 21:31 hs

    FIM DO SENADO. ISSO É INCRÍVEL LOMBARDI. PMDB E PT É UM PÉSSIMO EXEMPLO A NAÇÃO BRASILEIRA. TUDO ISSO MANIPULADO PELA TURMA DO PT, COM MEDO DE PERDER O GOVERNO. MAS NO ANO QUE VEM O POVO BRASILEIRO VAI METER O PÉ NA BUNDA DESTES F.P.

  2. sexta-feira, 7 de agosto de 2009 – 22:03 hs

    Eu defendo que se acabe com o senado a querer fazer o Sarney de boi de piranha, ao bom gosto da oposição e sua claque, vide estadao, folha, globo e o resto. Enquanto não colocarem um senador da midia, vide, psdb/dem, a midia e estes partidos, não descansarão. O pano de fundo, eh boicotar os projetos do governo no senado e atrapalhar o mais possivel o candidato governista, beneficiando, e claro, o Serra.
    Todos, não escapa um, no senado, tem o rabo preso. Objetivamente, ninguem sabe por que o Sarney paga o pato! Os pecados dele, e fichinha perto do artur virgilio e de outros.
    Agora, paga o pato, por que e da base do governo.

    js

  3. Luís A Kutax-Ctda
    sexta-feira, 7 de agosto de 2009 – 23:26 hs

    são politicos que merecemos pois são a nossa imagem. Não podemos esquecer que além do Senado, onde todos participaram por ação ou por omissão, temos um Brasil extremamente corrupto…

  4. Bacamarte
    sexta-feira, 7 de agosto de 2009 – 23:39 hs

    Ai que saudades daquela turma de ternos verde oliva, do AI-5, ….

  5. Bacamarte
    sexta-feira, 7 de agosto de 2009 – 23:43 hs

    Congresso Nacional, pequenas virtudes, grandes negócios!

  6. Julio César Camargo Portugal
    sábado, 8 de agosto de 2009 – 6:51 hs

    O Josias de Souza é um jornalista com um passado memorável na luta contra a ditadura.

    Mas nesse caso do Sarney, data vênia, o nosso bom Josias está apenas com uma parte da razão.

    É compreensível no entanto que, no caso dele, a gente dê um desconto, já que quem o conhece bem, como eu, sabe que, de uns tempos para cá, ele aparenta estar com um grave problema de saúde, que por razões que podemos até imaginar, não é divulgado.

    Esse problema aliás, já afeta muita gente e entre a maioria, políticos e jornalistas que trabalham em locais fechados como o Senado, a Câmara, as Assembléias Legislativas e redações dos grandes jornais como a própria FOLHA, o Globo e o Estadão.

    Parece que é algo contagioso, pois afetou praticamente todos que trabalham nas redações desses jornais, fruto talvez das janelas fechadas e em locais mal arejados, umidos pela ação do clima e da garôa paulista, com grande afluxo de pessoas.

    O principal sintoma dos que já foram contaminados por essa essa doença estranha é uma severa crise de amnésia, com perda da memória de médio, curto e longo prazo …

    Felizmente ou infelizmente, essa perda de memória parece ser seletiva, pois os pacientes esquecem alguns nomes e lembram apenas de algumas coisas.

    Em alguns casos o sintoma é acompanhado por um tipo de obsessão psicopática por repetir apenas alguns nomes, algumas palavras ou conjunto de palavras, como os antigos mantras budistas ou preces dos monges medievais…

    O mantra mais repetido na maioria dos casos já estudados pelos especialistas é o “Hummmmmm-FORA SARNEY-Hummmmmmmmm.OOOOOOOOOOOOOOmmmmm…

    Além da transmissão por via oral, estudos já realizados mostraram que a doença propagação rápida e virulenta da doença ocorre principalmente por via digital, junto com outros virus como Cavalo de Tróia, Trojan, DSS 32, etc…

    Consultados, especialistas falam já de uma segunda onda, mais virulenta, da terrível Gripe Suína, que face ao numero de gatos já afetados, teria se transformado numa gripe felina, como sugere a própria charge…

    Seguindo a orientação das autoridades sanitárias, recomendamos repouso absoluto e Tamiflu, para Josias e outros “coleguinhas” que acometidos por essa doença, correm o risco de passada a etapa de incubação, perderem a credibilidade e o prestígio profissional, depois que passar a fase principal da doença…

    Afinal, seu público pode perder qualquer respeito por jornalistas que esquecem e esqueceram tudo o que disseram no passado…

    Tal como o jornalismo da GLOBO já está perdendo para o da RECORD, no IBOPE…

    Visando oferecer uma contribuição para a recuperação dos “nossos doentinhos”, criamos a série “Recordar é Viver…”, para reavivar a memória dos nossos queridos jornalistas que doentes, repetem e repetem os mantras recitados pela mídia nacional…

    Vamos começar por esse artigo que saiu há pelo menos oito anos atrás, na Revista ISTOÉ, que deve ser lido, preferencialmente, acompanhado de queima de insenso e de música favorável à concentração e meditação transcendental:

    O governador Tasso Jereissati, do PSDB do Ceará, é acusado de beneficiar suas empresas com dinheiro público e de repetir as mesmas práticas dos velhos caciques cearenses.

    pelo jornalista Francisco Alves Filho – Fortaleza

    Conhecido como o homem que derrotou os antigos coronéis da política cearense em nome da modernidade, o governador Tasso Jereissati (PSDB), chamado carinhosamente pelos eleitores de Galeguin dos Zóio Azul, chega à metade de seu terceiro mandato mergulhado em contradição.

    Está sendo acusado de repetir um dos principais pecados da velha oligarquia do Estado: receber dinheiro público de forma privilegiada para usar em proveito próprio.

    Os autores da acusação não são os políticos de oposição, mas os auditores do Tribunal de Contas da União, que fizeram várias investigações no Banco do Nordeste do Brasil, instituição federal presidida por Byron Queiroz, indicado para o cargo por Tasso, de quem foi secretário de Planejamento.

    De acordo com os auditores do TCU, a administração do banco é marcada por várias irregularidades. Uma delas foi o empréstimo à empresa Refrescos Cearenses – cujo proprietário é Tasso – de cerca de R$ 24 milhões, quase três vezes mais que o valor máximo fixado por técnicos do próprio BNB, com dinheiro do Fundo Constitucional de Desenvolvimento do Nordeste (FNE).

    Essas e outras irregularidades praticadas pelo banco com dinheiro do FNE serão julgadas nos próximos dias no TCU, em Brasília. Além disso, o BNB também concedeu à empresa de Tasso um outro financiamento, com juros de 7,7%, muito abaixo do cobrado a outras empresas, que pagaram taxas de 11,37%. O governador também é um dos nomes investigados pela CPI do Fundo de Investimentos do Nordeste (Finor), instalada na Câmara Federal.

    Ele foi acusado de usar em suas empresas notas frias para fraudar a prestação de contas ao BNB.

    A tese polêmica – Criado há 46 anos, o BNB nasceu para fomentar o desenvolvimento do Nordeste e uma das suas principais atividades é a concessão de financiamento às empresas da região com dinheiro do FNE. Sua sede fica em Fortaleza.

    Desde a posse de Queiroz, várias irregularidades passaram a ser cometidas no banco, de acordo com a avaliação dos auditores do TCU. Uma delas foi a concessão de crédito a algumas empresas acima do estabelecido em suas próprias normas.

    A empresa de Tasso – uma engarrafadora da Coca-Cola – que, pela classificação de risco feita pelos técnicos do BNB só poderia receber créditos de até R$ 9 milhões, acabou levando quase três vezes mais.

    O relatório do TCU afirma que o banco permitiu “concentração de recursos para um único grupo econômico”. Para justificar essa liberalidade, Queiroz tem uma tese lapidar. “Quem faz as normas não é escravo delas”, afirmou em entrevista ao jornal cearense O Povo, no mês passado.

    A Refrescos Cearenses teria sido também beneficiada em outra operação de crédito. O BNB captou dinheiro no Exterior para emprestar no mercado brasileiro. Mais de 90% dos financiamentos concedidos com esses recursos foram feitos a uma taxa de juros de 11,37% ao ano. Para a empresa do governador, que tomou dinheiro em 1997, a taxa foi bem diferente. Ficou em módicos 7,7% – a mais baixa de todas.

    Procurado para comentar esse possível favorecimento ao governador, Queiroz preferiu não dar entrevista. A assessoria técnica do BNB enviou fax à ISTOÉ rebatendo as irregularidades identificadas pelos auditores do TCU.

    Os técnicos afirmam que o secretário de Controle Externo do TCU no Ceará, Paulo Nogueira de Medeiros, “reformulou” o relatório dos auditores do próprio tribunal, dando como regular a operação em que a empresa de Tasso recebeu o empréstimo. De acordo com as normas do TCU, no entanto, o secretário não tem o poder de reformular relatórios, apenas de convocar ou divergir da opinião dos auditores. Em Brasília, a interpretação de Medeiros não teve eco. O ministro-relator do TCU, Adylson Motta, analisou o processo e concluiu que houve “concessões de crédito a empresas em desacordo com pareceres técnicos do próprio BNB, bem como com suas próprias normas internas”.
    Procurado várias vezes por ISTOÉ para comentar as acusações, o governador não deu retorno.

    Talvez por estar ocupado demais com o cenário político.

    Tasso continua sonhando em disputar a sucessão de Fernando Henrique com apoio do próprio presidente, que chegou a sinalizar – antes do episódio Eduardo Jorge – que o governador poderia ser seu candidato dentro do PSDB. Ultimamente, Tasso tem se aproximado de seu afilhado Ciro Gomes, presidenciável do PPS.

    Os dois têm se encontrado no palanque de Patrícia Gomes, ex-mulher de Ciro e candidata à Prefeitura de Fortaleza coligada com os tucanos locais.
    Os ministros do TCU terão muito trabalho quando começarem a julgar os deslizes cometidos no BNB. Os auditores constataram que apesar de o banco ter recebido nos últimos dez anos o valor de R$ 9,2 bilhões por conta do FNE, só tem de patrimônio a quantia de R$ 5,9 bilhões.

    Ou seja, o BNB tem disponível apenas 64% da quantia enviada pelo Tesouro Nacional. Além disso, os auditores reclamam de operações em atraso que não são lançadas no balanço como prejuízo.

    As 12 principais empresas inadimplentes estão “em difícil situação financeira ou já faliram”. Outro ardil: uma renegociação com empresas de duvidosa capacidade de pagamento transformou os saldos atrasados em normais, fazendo com que o balanço do FNE apresente um “ativo saudável quando na verdade é de liquidez duvidosa”. Os auditores afirmam no documento que o BNB dita regras favoráveis ao banco e prejudiciais ao fundo.

    Mas talvez o mais grave tenha sido a grande concentração de recursos liberados para um pequeno número de empresas. “De um total de 334.812 operações realizadas, 3.776 (1%) concentraram 40,99% dos recursos”, apontam os técnicos. Do saldo devedor bruto de R$ 6,2 bilhões, nada menos que R$ 2,5 bilhões destinaram-se a 1% dos beneficiários.

  7. O Pato Curitibano
    sábado, 8 de agosto de 2009 – 8:43 hs

    Enquanto o brasileiro, tratar defesa de partido como trata defesa de time de futebol, não vamos tirar o Brasil do atoleiro em que se meteu. É verdade. Nós, o povo, colocamos o Brasil nesta situação. Nós escolhemos e colocamos estas caricaturas de homens públicos para defender, para legislar em nosso favor. Agora, quando acontece estas coisas, ficamos indignados, fazemos piada, mas não fazemos absolutamente nada. Por que? A maioria recebe bolsa-familia, bolsa-escola, bolsa-esmola, etc… Logo também a bolsa puxa-saco. Falta senso crítico. Falta fazer um exercício de imaginação. O que será o Brasil daqui a 2 anos? E a 10? Teremos empresas para nossos filhos trabalharem ou vão trabalhar em estacionamentos ou lojas de 1,99 que é o que as cidades estão se transformando? O Lula, deu a dica. Nós nos comportamos como torcedores de vasco x flamengo. Quem ouviu, pense. Criticam os EUA. Mas lá tem “presidente de uma nação”. Aqui temos “presidente de torcedores de partidos”. Está na hora de tirar o Brasil que está “deitado eternamente em berço esplêndido”, e fazer voltar o “de um povo heróico o brado retumbante” e transformá-lo em uma nação de verdade, ou continuar aumentando a dose de remédio contra enjoo e ansia de vômito.

  8. SYLVIO SEBASTIANI
    sábado, 8 de agosto de 2009 – 8:58 hs

    Já ví de tudo em política, nestes 55 anos, mas essa é o maior desprezo à população brasileira, dos jovens aos idosos.Creio que até os presos das Penitenciárias do país, estão apavorados, que depois dessa atitude de um Senador da República, tudo poderá acontecer.Se o Senado Federal não tomar, de imediato, uma providência séria, vai tudo para a bancarrota, é a falência total da vida pública brasileira. A população brasileiras, através de seus eleitores e principalmente eleitoras, tem a responsabilidade de mudar “totalmente”, os 54 Senadores que pretendem se reeleger no dia 3 de outubro de 2010, eles não merecem ser nossos representantes, vamos retirar as Procurações que demos à eles, através do voto secreto, direto e democrático.Ajudei a combater a ditadura militar, tivemos êxito, mas essa é a CORRUPÇÃO, muito mais dificil, há necessidade da população brasileira reagir, pois as pessoas sérias estão diminuindo, frente e corrupção nas Casas Legislativas.

  9. Astrinha
    sábado, 8 de agosto de 2009 – 8:59 hs

    Será que ainda alguém c/ dúvidas de que isso aconteceria???

  10. V.Lemainski-Cascavel
    sábado, 8 de agosto de 2009 – 10:43 hs

    Defecaram um verme no senado e o elegeram presidente da comissão de ética. Vergonha nacional.

  11. Jaferrer
    sábado, 8 de agosto de 2009 – 11:46 hs

    O comentário acima é um bom exemplo da visão rasteira da chamada “esquerda” no poder.

  12. joao pereira
    sábado, 8 de agosto de 2009 – 18:32 hs

    Uma vergonha o Senado Brasileiro sao 81 Senadores , deveria acabar com o Senado é uma Casa de Leis, que nao ajuda o Povo e nao contribui em nada para o Crescimento e Desenvolvimento do Brasil.

  13. ofaxineiro
    sábado, 8 de agosto de 2009 – 20:48 hs

    Nas penintenciarias Brasil afora, deve ter gente com mais “vergonha na cara”…….Fora Sarney e leve esta quadrilha…….

  14. nei
    domingo, 9 de agosto de 2009 – 2:19 hs

    A corrupção no Brasil jamais acabará. É tão generalizada,é de P a P que não vejo como acabar. Além de tudo, nós aceitamos que um corrupto ataque o outro e “passe” por etico, honrado, com uma facilidade que me entristece. Quando vejo o senador Simon atacar um corrupto,em vez de atacar a corrupção como um todo, perco a esperança de melhora do quadro. Ao atacar Sarney ele se abraça com Vergilio, este tão corrupto quanto o Sarney, logo com a saida de Sarney e a entrada de Perilo e permanencia de Vergilio, nada muda. A corrupção e os corruptos continuarão no mesmo lugar e o povo, idiota e otário, acha que conseguiu uma limpeza naquela gafieira. Quanta ingenuidade e burrice.

  15. sexta-feira, 14 de agosto de 2009 – 22:19 hs

    É hora de tirar as mascaras.

    O coronel do senado tem o poder de intervenção e se livra de mais uma, o que os senadores tem a perder com essa cumplicidade, o que o brasil tem a ganhar com esse circo armado no congresso, o povo tem que sair do picadeiro e tirar o nariz de palhaço, arrancar a mascara dos congressistas com o voto. Chega de escândalos a impunidade é uma luta dos inconformados a corrupção é uma praga silenciosa, que acaba com os recursos públicos, diga não a falta de ética, diga não a falta de vergonha, doe sua voz.

    Peterson Correa Pimentel
    (www.terceiromundo.spaceblog.com.br)

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*