Ministério Público denuncia Ribas Carli por duplo homicídio | Fábio Campana

Ministério Público denuncia Ribas Carli por duplo homicídio

ribas

O Ministério Público do Paraná denunciou o ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho (foto), por duplo homicídio, qualificado*, com dolo eventual, dirigir embriagado e ainda violar a suspensão da Carteira Nacional de Habilitação. Com a decisão, Ribas Carli pode ir a júri popular.

“Em 14 anos de atuação no Ministério Público do Paraná, sendo os últimos dois na Promotoria de Delitos Trânsito, este foi o caso de infração praticada no trânsito mais violento em que atuei”, afirma a promotora de Justiça Danuza Nadal.

“Confio na justiça e espero que a resposta penal seja repressiva e proporcional à gravidade do crime praticado. Também espero que seja educativa, para que o denunciado e outros motoristas adotem maior cautela ao dirigir e comecem a pensar o veículo somente como um meio de transporte e não como instrumento para ceifar vidas humanas”, completou a promotora.

Ribas Carli também será julgado por dirigir embriagado e ainda violar a suspensão da carteira de motorista

Clique em Leia Mais e veja o teor da denúncia do MP contra Ribas Carli:

Carli Filho é acusado pela morte de Gilmar Rafael Yared e Carlos Murilo de Almeida, na madrugada do dia 7 de maio, após colisão entre o Volkswagen Passat que dirigia e o Honda Fit conduzido por Gilmar Yared. O então deputado estava alcoolizado. Segundo descrição contida na denúncia, por volta da meia noite e quinze minutos, ele saiu de um restaurante localizado no bairro Batel, onde havia ingerido diversas taças de vinho, dirigindo seu veículo, mesmo após ser advertido de que não estava em condições para conduzir veículo automotor devido ao seu aparente estado etílico e mesmo ciente de que geraria risco à segurança do trânsito. De acordo com laudo próprio, o denunciado tinha concentração de sete decigramas e oito décimos de álcool por litro de sangue analisado. Carli Filho ainda dirigia violando a sanção administrativa de suspensão de habilitação que lhe havia sido aplicada devido a dezenas de autuações por infrações de trânsito, a maioria delas por excesso de velocidade.

Ainda segundo a denúncia, por volta da meia noite e 50 minutos, quando ingressou na Rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, no bairro Mossunguê, próximo ao cruzamento com a Rua Paulo Gorski, cujo semáforo estava em alerta, o veículo atingiu velocidade entre 161 km/h e 173 km/h, entre 168% e 188% superior à regulamentada para o local (60 Km/hora). A alta velocidade provocou a decolagem do veículo cerca de 0,98 metros acima do asfalto, momento em que o veículo atingiu o eixo traseiro do Honda Fit conduzido por Gilmar Yared, tornando impossível qualquer manobra defensiva da vítima. O Passat girou em torno de seu eixo transversal até parar sobre o passeio de pedestres de outra rua, distante cerca de 100 metros do local do impacto. O Honda Fit, por sua vez, foi arrastado por aproximadamente 35 metros.

Em virtude do violento impacto, as duas vítimas sofreram politraumatismo com esmagamento do tórax, sendo que o condutor do veículo, Gilmar Yared, ainda sofreu esmagamento do crânio com esvaziamento de massa encefálica e arrancamento da porção superior do crânio.

A denúncia Assinada pelos promotores de Justiça Danuza Nadal e Marcelo Balzer Correia, a denúncia foi ajuizada perante a 2ª Vara de Delitos de Trânsito da capital. Tendo em vista os tipos penais pelos quais Carli Filho foi denunciado (que incluem crimes dolosos contra a vida), nesta quinta-feira (27), o juiz Carlos Henrique Licheski Klein determinou o envio dos autos para distribuição a uma das duas Varas do Tribunal do Júri de Curitiba.

Rito – O juiz da Vara do Tribunal do Júri deverá determinar a citação do acusado para apresentar defesa prévia. A partir daí, sendo recebida a denúncia, deverá ser marcada audiência para oitiva das testemunhas (que poderão ser oito para cada fato, tanto de defesa quanto de acusação, podendo, então, chegar a 48 pessoas) e interrogatório do réu. As partes, então, apresentam alegações finais e o magistrado, se entender que existe prova da materialidade e indícios da autoria, poderá pronunciar o réu. A pronúncia é a decisão do juiz determinando que um caso vá a julgamento perante júri popular.

Se Carli Filho for mesmo julgado pelo Tribunal do Júri e se for condenado pela prática de todos os crimes que lhe foram imputados na denúncia, poderá receber pena mínima de 15 anos (14 anos de reclusão + 1 de detenção) e máxima de 30 anos. Ainda poderá ter o direito de dirigir suspenso por prazo entre dois meses e cinco anos. Por se tratar de homicídio qualificado, crime considerado hediondo, caso ele seja condenado deverá cumprir pena inicialmente em regime fechado. Eventual progressão de regime somente poderia ocorrer após o cumprimento de 2/5 da pena imposta.

Tipos penais pelos quais Carli Filho foi denunciado:

Artigo 121, parágrafo 2º, inciso IV (por duas vezes) combinado com artigo 70, ambos do Código Penal, combinados com os artigos 306 e 307, caput, ambos da Lei nº 9.503/97 (Código de Trânsito Brasileiro), aplicando-se a regra do artigo 69 do Código Penal.

Código Penal

Art. 121 – Matar alguém:

Homicídio qualificado

§ 2º – Se o homicídio é cometido:

IV – à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou *outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa do ofendido;

Pena – reclusão, de 12 (doze) a 30 (trinta) anos.

Concurso material – Art. 69 – Quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão, pratica dois ou mais crimes, idênticos ou não, aplicam-se cumulativamente as penas privativas de liberdade em que haja incorrido. No caso de aplicação cumulativa de penas de reclusão e de detenção, executa-se primeiro aquela. (Redação dada pela Lei nº 7.209, de 11.7.1984)

Lei nº 9.503/97 (Código de Trânsito Brasileiro)

Art. 306. Conduzir veículo automotor, na via pública, estando com concentração de álcool por litro de sangue igual ou superior a 6 (seis) decigramas, ou sob a influência de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência:(Redação dada pela Lei nº 11.705, de 2008)

Penas – detenção, de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.

Art. 307 – Violar a suspensão ou a proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor imposta com fundamento neste Código:

Penas – detenção, de seis meses a um ano e multa, com nova imposição adicional de idêntico prazo de suspensão ou de proibição.

Informações para a imprensa com:

Jaqueline Conte / Maria Amélia Lonardoni

(41) 3250-4229 / 4228


32 comentários

  1. Geraldo
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 15:21 hs

    Quero ver para crer, se como tudo de escandalosamente absurdo neste país, também essa não vai virar em pizza…

  2. Pedro
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 15:32 hs

    FINALMENTE QUEM SABE TEREMOS UM POUCO DE JUSTIÇA NESTA HISTORIA, COMO TODOS OS GUARAPUAVANOS ESPERAMOS Q AS LEIS SEJAM COMPRIDAS E QUE CARLI FILHO FIQUE LONGOS ANOS NA CADEIA PRA PENSAR NA “GRAÇA DIVINA” Q RECEBEU AO MATAR DOIS JOVENS, COMO ELE MESMO COLOCOU EM SEUS OUTDOORS PELA CIDADE, AGRADEÇO AS AUTORIDADES DO PARANA, POR NAO DEIXAREM EM PUNE UM ASSASSINO DE TAMANHA FRIEZA, E CONCERTEZA VAI SER UM DIA DE VITORIA PARA TODOS OS GUARAPUAVANOS, O MOMENTO EM Q O JUIZ DECRETAR A PRISAO POR LONGOS ANOS DO SR CARLI FILHO…ESTA É A RESPOSTA A TODOS AQUELES QUE TRABALHAM PARA FAMILIA CARLI E POR UMA MIGALHA QUE RECEBEM DEIXAM DE LADO SUAS OPINIOES PROPRIAS DIZENDO Q UMA FAMILIA DE “RENOME E TRADIÇAO”….RSRSRS….NAO ACONTECERIA NADA AO SR CARLI FILHO….PARABENS A TODOS DO MINISTERIO PUBLICO Q VEM REALIZANDO UM TRABALHO DIGNO E PROFISSIONAL .

  3. Ditão
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 15:39 hs

    Este deve ser o ponto de partida para que a (in)justiça brasileira se afirme como Justiça. Tomara que daqui para frente as coisas mudem e aqueles que tem cargos e benesses respondam exatamente como todo simples mortal.
    Aproveitando o espaço: Se a filiação a partido político da Sra. Yared se confirmar ela perderá 99,9% da credibilidade que tinha comigo.

  4. O Povo
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 16:30 hs

    E tem pessoas mal intencionadas ou desinformada e burras, que ainda criticam a brava atuação da Sra. Cristiane Yared como exagerada ou exibicionista!
    O Ministério Público por essa sua atuação e determinação Judicial dá uma amostra que nem tudo está ainda perdido no sentido da Justiça agir mesmo em se tratando de pessoas que se acham a cima do bem e do mal!

  5. rachel
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 17:03 hs

    Parabéns à srA Yared e à promotora!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1

  6. quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 17:50 hs

    PARABÉNS, A essa MÃE INCANSÁVEL – OU MP – E a todos os que se solidarizaram com a Tragédia que o marginal provocou conscientemente, já que estava bêbado e foi advertido por um amigo médico e pelo próprio garçom do restaurante que não deveria dirigir naquele estado.

    Além de que o energúmeno nem carteira Tinha.

    Agora Tratem de prender logo esse MELIANTE.

    PARABÉNS AO MINISTPÉRIO PÚBLICO e vamos ver se isso não vira Pizza. não, não vira o meliante vai dar no Pé.

  7. A LEI É CLARA
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 18:10 hs

    O ditão agora que hora de apoia-la depois se ela não for bem na política ela cai fora. e boa..

  8. A LEI É CLARA
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 18:14 hs

    Art. 306. Conduzir veículo automotor, na via pública, estando com concentração de álcool por litro de sangue igual ou superior a 6 (seis) decigramas, ou sob a influência de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência:(Redação dada pela Lei nº 11.705, de 2008)

    Penas – detenção, de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.

    três anos: não dá transação penal, vai a julgamento popular, sem contar o duplo 121… (* qualificado o crime)
    neste tipo não há defesa e outra o juri popular meu amigo vai ser implácavel, imagina a gana de político que o povo tem, vai ser a maior vingança popular via juri… se vai haver justiça sei lá, mas vai para o xilindró.

  9. ao ditão
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 18:15 hs

    pó cara vc tem o pessamento do zé povinho…

  10. Rock
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 18:21 hs

    As vezes eu acredito em justiça, esse é um caso que acho que posso acreditar.

  11. quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 19:50 hs

    INDEPENDENTE DE QUEM SEJA O AGRESSOR,,,SE DEVE TEM QUE PAGAR SIM,,,,,,,,,,,JUSTIÇA SEJA FEITA PARA QUE Á FAMILIA PELO MENOS TENHA UM POUCO DE PAZ NA SUA ALMA………………..

  12. JUCA-BALA
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 21:26 hs

    NÃO COLOCARAM ESTE ASSASSINO NA CADEIA AINDA?SE FOSSE EU JA ESTARIA PODRE DENTRO DA CADEIA.O JUSTIÇA LAZARENTA!!!

  13. CURTO e GROSSO
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 22:10 hs

    PARABÉNS AO MP DO PARANÁ, POR SUA PROMOTORA DE JUSTIÇA QUE OFERECEU A DENÚNCIA POR DUPLO HOMICÍDIO QUALIFICADO COM DOLO EVENTUAL.
    É DE SE DESTACAR TAMBÉM A CELERIDADE DA PROMOTORIA EM APRESENTAR A DENÚNCIA ANTES ATÉ DO PRAZO FINAL DE QUE DISPUNHA PARA FAZÊ-LO, O QUE REFLETE SEM DÚVIDA A TOTAL CONVICÇÃO DA PROMOTORA DE JUSTIÇA QUANTO À RESPONSABILIDADE DO CARLI FILHO NA MORTE DOS RAPAZES, BEM COMO REFLETE TAMBÉM A ROBUSTEZ DO CONJUNTO PROBATÓRIO NO INQUÉRITO POLICIAL, NÃO DEIXANDO QUALQUER DÚVIDA QUANTO À AUTORIA E MATERIALIDADE DO CRIME, SUFICIENTES PARA PROPUGNAR PELA CONDENAÇÃO DO EX-DEPUTADO PLAYBOYZINHO.
    E, ASSIM SENDO, É DE SE ESPERAR AGORA QUE O PODER JUDICIÁRIO ACOLHA A DENUNCIA E PRONUNCIE O RÉU PARA JULGAMENTO PELO TRIBUNAL DE JURI. ONDE, FINALMENTE, ESPERA-SE, A JUSTIÇA SE FAÇA SENTIR NA PLENITUDE DE SUA FORÇA.

  14. CURTO e GROSSO
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 22:25 hs

    E PARABÉNS TAMBÉM À FAMÍLIA YARED PELA LUTA INCANSÁVEL E PELA DETERMINAÇÃO, APESAR DE TANTAS CRÍTICAS SOFRIDAS, ESTENDENDO O MESMO CUMPRIMENTO TAMBÉM À FAMÍLIA DO OUTRO JOVEM VÍTIMA DO ACIDENTE.
    E, AINDA, PARABENS AO ADVOGADO DR. ELIAS MATTAR ASSAD, NÃO SÓ PELA COMPETÊNCIA JURÍDICA MAS TAMBÉM PELA HABILIDADE NA CONDUÇÃO DO CASO E PELA COMPREENSÃO DO SENSO COMUM DA VERDADEIRA “JUSTIÇA” , TANTAS VEZES LONGE DOS CONCEITOS DO “DIREITO” PARA TANTOS OUTROS…!

  15. Carol
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 22:55 hs

    Ah tá…rssssssss
    Vcs jurão que o Carli vai preso!!!
    Alô é Brasil…..

  16. nana
    quinta-feira, 27 de agosto de 2009 – 23:04 hs

    Ué!!!!!
    Cade os defenssores do Carli???????

  17. CURTO e GROSSO
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 7:54 hs

    O ÚNICO “SENÃO” AINDA EM ABERTO É O FATO DE NÃO TER SIDO PEDIDA / DECRETADA A PRISÃO PREVENTIVA DO BELEZINHA QUE CONTINUA LIVRE, LEVE E SOLTO EM GUARAPUAVA, FAZENDO POSE DE SANTO… E PASSEANDO PELA CIDADE COM MOTORISTA DA PREFEITURA LOCAL, QUANDO NÃO ELE PRÓPRIO DIRIGINDO APESAR DA HABILITAÇÃO SUSPENSA.
    DIA DESSES A RPC MOSTROU UM CASO IDÊNTICO, DE OUTRO JOVEM RAPAZ DA MESMA CIDADE QUE TAMBÉM CAUSOU ACIDENTE DE TRÂNSITO EMBRIAGADO RESULTANDO DUAS MORTES. E ESTE RAPAZ ESTÁ PRESO… SIM, PRESO NA CADEIA PÚBLICA DE GUARAPUAVA À ESPERA DO JULGAMENTO, POR TER COMETIDO O MESMO DELITO QUE O EX-DEPUTADO PLAYBYZINHO, APESAR DE TÊ-LO FEITO COM DOSES MENORES DE VIOLÊNCIA E BRUTALIDADE DO QUE FEZ O CARLI FILHO…
    EM ENTREVISTA À RPC O REPRESENTANTE LOCAL DO MP SUSTENTOU A DENÚNCIA POR HOMICÍDIO COM DOLO EVENTUAL (ASSIM COMO TAMBÉM FEZ AGORA O MP EM CURITIBA, SEGUINDO A MESMA LINHA DE COERÊNCIA), E O JUIZ DA VARA CRIMINAL DE GUARAPUAVA EM SUA ENTREVISTA ALEGOU O “CLAMOR POPULAR”, A “COMOÇÃO PÚBLICA” CAUSADA POR AQUELE ACIDENTE PARA DECRETAR A PRISÃO PREVENTIVA DO RAPAZ…
    ORA, ORA… SE AQUILO EM GUARAPUAVA FOI COMOÇÃO POPULAR A PONTO DE JUSTIFICAR A PRISÃO PREVENTIVA DO MOÇO, ENTÃO O QUE FOI TODO AQUELE MOVIMENTO EM CURITIBA ? O QUE FORAM AS MANIFESTAÇÕES, FAIXAS, PASSEATAS, CARTAZES, ADESIVOS ? A MANIFESTAÇÃO POPULAR DE REPÚDIO FOI MUITO MAIOR EM CURITIBA QUANDO DO ACIDENTE PROVOCADO PELO EX-DEPUTADO, TENDO ATINGIDO ATÉ MESMO PROPORCÕES NACIONAIS NA GRANDE MÍDIA.
    ENTÃO, FICA NO AR AINDA ESTE SENÃO : QUAL A DIFERENÇA QUE JUSTIFICA A PRISÃO DE UM E A LIBERDADE DO OUTRO…? ? ?

  18. cidadão curitibano.
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 8:44 hs

    Bola de Cristal: agora a pasta do caso será posto numa sala igual aquela que guardaram a Arca do Indiana Jones. Um dia longuincuo, durante uma copa de mundo ou outro evento midiatico talvez, será jugaldo. Mas eu vou estar de olho. Quem está comigo?

  19. rita
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 9:14 hs

    Será que ele será punido mesmo? Não acredito. A familia Carli tem muito dinheiro e poder.

  20. NÃO É BEM ASSIM
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 10:58 hs

    Quem viu o julgamento do Palloci?
    Agora, a grande maioria da população brasileira nem se lembra que é o Palloci.
    Na época que ele foi defenestrado do Ministério da Fazenda do Governo Lula, o Zé Povinho sabia que ele era “importante”, “figurão”. E se comoveu com as denúncias, ajudando a empurrar o então ministro para fora das burras do governo federal.
    Saiu de lá como bandido, como malversador da coisa pública.
    Nesta quinta-feira, Palloci foi julgado inocente. Nem os ditos “formadores de opinião” conseguiram acompanhar o assunto, mesmo Palloci sendo deputado federal (ou seja, continua um “figurão).
    E por que isso?
    Porque o tempo acalma os ânimos, reduz o ímpeto.
    Palloci está voltando à cena política e pode ser até candidato a presidente da República, pois já era cotado como “candidato natural” à saída de Lula, ungido pela preferência do próprio presidente.
    CASO CARLI FILHO: o indiciamento no inquérito policial já era esperado, como também já era aguardado o acatamento pelo Ministério Público.
    O que as pessoas não entendem – e a imprensa não faz questão de explicar – é que há uma diferença elementar entre o Ministério Público e o Judiciário.
    O Ministério Público não julga – ele acusa, este é o seu papel. O Judiciário é quem julga. Na esfera judicial a conversa é outra: o que vale são provas.
    Estou procurando ser racional, e essa racionalidade me permite avaliar o seguinte: Fernando Ribas Carli Filho era um deputado, estava com a carteira vencida, dirigiu embriagado, provocou um acidente em alta velocidade numa avenida onde ele estava na preferencial, no meio da madrugada, com sinal intermitente (amarelo – siga com cuidado).
    Este é o centro nevrálgico da história.
    O ex-deputado estava embriagado. Sim. Se não estivesse, como explicar que estava em “sã consciência” e provocaria um acidente “por querer”.
    Ele bebeu sabendo que provocaria um acidente. Ele estava num jantar com amigos. Não saiu do jantar agindo de forma premeditada, com o objetivo de lançar seu “possante” sobre o primeiro desavisado que cruzasse a sua frente.
    Ao beber, agiu consciente que poderia provocar o acidente? Quem está embrigado, não tem consciência nenhuma.
    Estava com a carteira cassada? Poderia até estar. Mas a maioria dos deputados estaduais estava com sérios problemas com o Detran e até hoje não foram punidos por isso. Além disso, milhares de motoristas do Paraná estavam ou continuam em idêntica situação.
    Dirigiu acima da velocidade? Dirigia com uma dosagem alcoolica que não lhe permitia consciência plena da situação, estava na preferencial e o sinal amarelo não quer dizer “pare”, e sim “cuidado”. Pode ter errado em beber acima do limite, acelerar demais e perder a percepção que um carro poderia entrar na preferencial.
    É isto o que caracteriza o “dolo eventual”. Concorreu para a gravidade do problema. Mas não quer dizer que o ex-deputado agiu deliberadamente, planejou matar os dois rapazes.
    E se ele estivesse fugindo de sequestradores? Se por alguma emergência fosse obrigado a acelerar a 160 ou mesmo 190 km/h? E o Yared cruzasse a frente do ex-deputado?
    As mortes aconteceriam do mesmo jeito.
    Pode se questionar: mas ele estava embriagado, correndo!!!!
    Ok, isto parece ser fato, comprovado no inquérito.
    Só que um acidente de trânsito não é julgado sob o mesma prisma de um homicídio comum.
    É preciso observar – e isto será observado – a responsabilidade de cada motorista.
    Dirigir embriagado e com velocidade acima do permitido irão definir grau de penas, que inclusive podem ser reduzidas por outros fatores.
    Em outras palavras, o indiciamento em “dolo eventual” passa a ser um fator positivo para o ex-deputado, um atenuante.
    O que pode mudar tudo isso são dois caminhos: o das urnas (e aí é uma longa história) e o clamor popular, com a participação da imprensa.
    Em Guarapuava, mesma cidade do ex-deputado, aconteceu um acidente quase parecido. O rapaz autor do acidente está preso até hoje na Cadeia Pública local. Justificativa do juiz: clamor popular, pena corretiva.
    O combustível para o “clamor popular” chama-se IMPRENSA.

  21. Gilmar Yared
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 11:47 hs

    A impunidade no trânsito neste país começa com ” Não é bem assim”.
    O conceito de “fatalidade” no trânsito quando há mortes tem que ser abolida sob pena de continuarmos a acompanhar as tristes estatísticas. Quando não dirigimos somos caronas e o risco de morrermos se não tomarmos uma atitude e rápida, continurá aumentando. Com todo respeito ao “Não é bem assim”, morrem no Brasil hoje 140 pessoas por dia fora os que perdem a vida uma semana após ou aqueles que ficam em cadeiras de rodas a maioria jovens até 39 anos.
    Mais de 45 mil morrem por ano, lavam de sangue nossas ruas e estradas. Aos pais que amam seus filhos, que sonham seus sonhos desde quando nascem, não passem por favor por esta dor da perda de um filho amado. Acordar e dormir todos os dias com a saudade aumentando, desejando estar junto dele abraçando-o, nos destroi. Hoje eu e minha esposa estamos lutando para que nossos jovens possam retornar à suas casas e que seus pais possam descansar enfim orgulhosos de que verão em seus filhos seus primeiros fios de cabelo branco. Não minimizem esta tragédia, tudo que ocorrer apartir de agora poderá salvar ou não a sua vida e de seus familiares. O meu filho não voltará, mas a lembrança de sua morte e da maneira como foi, por mais esmagadora que seja aos nossos corações, poderá salvar muitas vidas a sua vida no trânsito. Me perdoem a emoção. Gilmar Yared

  22. Ditão
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 12:09 hs

    Agradeço as críticas, porém, até hoje, tenho 56 anos, não vi um só sequer político que não tenha se corrompido ou mudado de opinião após ter sido eleito. Tenho vários casos de pessoas conhecidas, que se diziam amigas e que poderia contar com elas sempre. Depois de eleitos, que decepção. Prefiro manter a imagem da Sra. Yared com uma lutadora incasável e disposta a tudo para obter justiça. Acredito que se a pessoa se mantém afastada dessa podridão que é a política no Brasil tem mais chances de permanecer limpa e pura. Quando estão misturadas à corja, particularmente, acredito que é muito difícil suportar as pressões e intimidações. Creio que ela pode lutar contra tudo e contra todos como se manteve até hoje. Não quero me decepcionar de novo. Abraços a todos.

  23. CURTO e GROSSO
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 12:34 hs

    Sr. “NÃO É BEM ASSIM” : Recuso-me a acreditar que AINDA EXISTA alguém defendendo ou querendo atenuar ou distorcer OU amenizar os fatos e confundir a opinião pública sobre o caso Carli Filho.
    Tudo está provado e comprovado. Materialidade a autoria. É o que basta. Contra fatos não há argumentos. Não há mais o que este “pelotão de choque” dos lambe-botas do Carli ficarem aqui remoendo.
    No mais, sabemos muito bem a diferença entre Ministério Publico e Judiciário. Saemos também o que é dolo eventual, bem como sabemos o que são agravantes ou atenuantes…
    Então, Sr. NÃO É BEM ASSIM, faça a voce mesmo o favor de não se expor ao ridículo com comentários descabidos.
    A propósito : corre em Guarapuava a informação de que o Carli pai, o coronel-prefeito, tem telefonado para a mãe do outro rapaz que matou no trânsito lá em Guarapuava e está PRESO, pedindo a esta mãe que não exponha o caso na mídia… que não chame a atenção da opinião pública sobre o caso. Ou seja, o papaizinho do playboyzinho estaria dizendo à mãe do outro que provocou acidente com duas mortes : “o meu também o fez, e com mais agravantes. Mas deve ficar solto porque temos dinheiro e influência. O seu deve continuar preso e tem que se f… porque é pobre, então por valor cale a sua boca.” Será verdade ? Será que não é verdade ? Vale conferir… mas é bem ao estilo do velho coronel…

  24. CURTA E FINA
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 12:35 hs

    É…RESTA SABER MESMO SE QUEM NASCEU EM BERÇO FERNANDÍSTICO VAI PRA CADEIA OU NÃO….

    ESPERA-SE QUE O CASO EM QUESTÃO REALMENTE TENHA UM JULGAMENTO JUSTO, E SERVINDO DE LIÇÃO PARA MUITA GENTE QUE FAZ A MESMA COISA POR AÍ….

    SÓ QUE VAI SER UM “ENROLATION” ATÉ OS FINALMENTES DA COISA…..QUE SÓ ESPERANDO SENTADOS PARA NÃO CANSAR NINGUÉM MEU POVO….MUITA ÁGUA AINDA VAI ROLAR DEBAIXO DA PONTE…

    VAMOS ESPERAR E CONFIAR MEU POVO….QUE A JUSTIÇA CUMPRA O SEU PAPEL!

  25. de olho
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 12:45 hs

    esse juri eu não perco por nada, ver esse assassino sendo condenado…..espero que o corpo de jurados tenha a sapiência de avaliar a gravidade do fato e ainda por cima tirar a impunidade que paira no âmbito político.

  26. GUARAPUAVANA
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 12:50 hs

    POIS BEM…..ANALISEMOS OS FATOS…
    AINDA TEM GENTE QUE ACREDITA NA INOCÊNCIA DO PLAYBOY….HAHAHHA MAS ACREDITAM QUE PAPAI NOEL É AMIGO DO COELHINHO DA PÁSCOA TAMBÉM…

    LOGICAMENTE QUE O JULGAMENTO VAI SER LONGOOOOOOOOOOO DE CANSARRRRRRRRRRRRRRR QUALQUER UM ….

    MAS O POVO CLAMA POR JUSTIÇA….MUITO EMBORA A MÍDIA GUARAPUAVANA POUCO DIVULGUE ISSO …….A RPC ATÉ TENTA CHEGAR NO DITO CUJO….MAS “O ADVOGADO FALA POR MIM”…..

    AH MAS EU QUERIA QUE ELE FALASSE ENTÃO EM NOME DO DITO CUJO……O POVO DE GUARAPUAVA QUER OUVIR….E NÃO VER OUTDOORS AZUL DO CÉU PELA CIDADE…..COM FRASES CÍNICAS DE UM ARREPENDIMENTO FALSO….

    O POVO DE GUARAPUAVA QUER QUE A JUSTIÇA PREVALEÇA….PQ NÃO AGUENTAMOS MAIS ENGOLIR POLÍTICOS SEM ESCRÚPULOS GOELA ABAIXO, SÓ PQ O PAPY É PREFEITO…..

    JUSTIÇA PARA AQUELES QUE SÃO DIARIAMENTE VIOLADOS NO SEU DIREITO DE VIVER….PQ SUAS VIDAS SÃO CEIFADAS POR BÊBADOS IRRESPONSÁVEIS QUE CIRCULAM COM A CARTEIRA CASSADA, DIRIGINDO EM ALTA VELOCIDADE…..E DEBOCHANDO DA CARA DO POVO…RSRSR PQ ACHA QUE É “IMUNE”….
    REMÉDIO PARA “IMUNIDADE” É UMA VACINA BOAAAAAAAAA…….COMEÇA COM JUSTIÇA E A 2ª DOSE É CADEIA!

  27. sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 14:53 hs

    vcs sabem que ele NUNCA irá preso.. Guardem isso!..

    não sei pq ficam alimentando esperanças de justiça..

    AQUI É BRASIL :)

  28. AO SR. GILMAR YARED
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 18:53 hs

    Prezado Sr. Gilmar Yared.
    Se o sr. ceder lugar à razão, esquecendo-se por uns instantes a emoção, perceberá que a correspondência do “Não é bem assim”, revela, de fato, que a situação não exatamente como parece ser.
    Calma!
    Antes que pedras, bordunas e tacapes ecoem nos campos paranaenses, prestem bem atenção.
    O “Não é bem assim” está dizendo coisas que vocês não estão vendo.
    Ele não está afirmando: eu concordo com isso.
    Ele está afirmando, isto sim, que os fatos , na montagem do inquérito, permitem um lastro de argumentos para a defesa do Sr. Luiz Fernando Ribas Carli Filho que podem minimizar em muito a sentença contra o ex-deputado.
    O “Não é bem assim” não está julgando, não está se posicionando favoravelmente. Ele está sendo analítico. Ao raciocinar, pode, e está, demonstrando evidências o “clamor popular” não consegue ver, justamente porque clamor e emoção são ingredientes de uma mesma poção.
    O Sr. “Não é bem assim” não deveria estar sendo atacado, e sim estimulado a continuar sua análise para trazer mais luz a este episódio.
    O que ele está apontando é que em matéria de Direito as provas precisam ser contundentes.
    Se o “Não é bem assim” consegue provocar tremores no Sr. Gilmar Yared, parte legítima do processo, então como ficará se seus argumentos se materializarem?
    O inquérito está montado, o Ministério Público já se pronunciou, o advogado Elias Mattar Assad, em reiteradas declarações à imprensa, já corroborou a posição dos promotores.
    O que resta fazer se o inquérito, que é a base para o julgamento do Judiciário, contém os elementos necessários para o sucesso da defesa?
    O que estou dizendo não é um ponteio emotivo. É a visão sobre a letra fria do inquérito. E se o Sr. Gilmar Yared se assusta com possibilidades contrárias, o que diria se lhe convidassem a pensar sobre o seguinte prisma: todas as acusações possíveis contra o ex-deputado já foram feitas; a contar disso, tudo o que seus advogados puderem desmontar de acusações são fatores que concorrem a favor do réu.
    Esta é a realidade, nua e crua.
    Para quem ainda não entendeu: a partir daqui, a defesa do ex-deputado só tem a ganhar, pois todas as imputações possíveis e imagináveis já foram feitas contra o réu.
    Sou solidário a dor do sr. Gilmar Yared e dos outros familiares, mas uma nesga de racionalidade se faz imperativo para que a sociedade possa, efetivamente, tirar proveito deste lamentável acontecimento.

  29. nana
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 20:44 hs

    É só não deixar o caso esfriar!!!!!!
    Tenho certeza que a Dona Chris está apenas se aquecendo!
    Quando arrancam a cabeça de nossos filhos, tiram-lhes o sangue até ficarem com 11 graus e não podemos nem ao menos abrir o caixão para nos despedir, pois o horror que ali contem não nos permitirá durmir jamais, deve sim causar em nós Mães deste país que diariamente lutamos para manter nossas famílias unidas e saudaveis a mais profunda dor que gera em nós a descencia de pedir justiça.
    Não se cale Dona Chris, pois nós mães e famílias de bem deste Estado, não podemos permitir que nossos amados filhos que nos restam sejam vítimas de jovens inconsequentes que se acham acima do bem e do mal.
    E creia que se a justiça declara-lo inocente, estaremos sim vendo a hipocresia que reina no Poder político e para nós restará as urnas que em 2010 onde poderemos dar a resposta a tamanho descaso.

  30. CURTO e GROSSO
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 21:54 hs

    Caro sr “Ao Sr. Gilmar Yared” :
    Sobre seus comentários acerca dos comentários de “Não é bem assim”, quero colocar :
    Quais são, exatamente, os elementos no Inquérito (que fundamentou a denúncia pelo MP) que poderiam favorecer a defesa de Carli Filho ?
    Mesmo não sendo Advogado, nem Juiz, nem Promotor, eu entendo que, por uma questão filosófica de Direito, a defesa sempre leva certa vantagem, pois : 1) existe o princípio da presunção da inocência, segundo o qual todos são inocentes até que se prove o contrário. Ou seja, cabe à acusação provar a denúncia e não ao acusado provar sua inocênica, presumida de ante-mão. 2 ) quem é acusado tem o direito de saber do que está sendo acusado, até para que possa exercer o direito ao contraditório e à ampla defesa.
    Ou seja, SEMPRE a acusação fala primeiro, esgota seus argumentos e, a partir daí, fica-se dependendo da estratégia e da habilidade da defesa, não é assim ?
    Mas no caso não estou enxergando onde o Inquérito e a denúncia do MP deixariam “brechas” para a defesa amenizar a situação.
    Dizer que por estar embriagado o criminoso não tinha consciência do que estava fazendo exclui a responsabilidade do agente ? Certamente que não…
    Dizer que estava trafegando na preferencial e com o sinal intermitente (amarelo piscando) – se é que estava – autoriza o agente a cruzar a via transversal a 170 km/h, bêbado e com a CNH suspensa ? Certamente que não…
    Entendo seus comentários acerca dos comentários anteriores do outro, mas penso também que se a Dedetran (Delegado Braga) não tiver tido a suficiente isenção ao elaborar o Inquérito, o Ministério Público certamente teve a necessária isenção e profissionalismo ao formular e fundamentar a denúncia por homicídio duplo, qualificado, com dolo eventual.
    Vai caber à defesa tentar provar que :
    1 – não houve morte;
    2 – não houve a qualificadora da impossibilidade de defesa das vítimas, pegas de supresa, por trás, ao adentrarem a via em condições normais de tráfego;
    3 – não houve o dolo eventual, ou seja, o ex-deputado playboyzinho não sabia do risco que estava assumindo ao dirigir naquelas condições, circunstâncias e velocidade.
    Se a defesa conseguir PROVAR os tres tópicos acima, então veremos se o Inquérito e a denúncia foram mal elaborados.
    Se a defesa não conseguir provar os tres tópicos acima, prevelecerá a acusação da denúncia, devendo o réu ser julgado, condenado e cumprir a pena que lhe cabe…

  31. Sr. Racional
    sexta-feira, 28 de agosto de 2009 – 23:23 hs

    Sr Gilmar Yared.

    Sou solidária a sua dor.
    Também me enoja a possibilidade de impunidade.
    Porém…

    Faço coro ao comentário anterior. Sugiro que leia novamente o que disse o “Não é bem assim”. Em momento algum ele defende ou posiciona-se favorável ao Sr. Carli Filho.

    Apenas trouxe a luz da razão ao analisar o caso.
    Descrever a iminência de uma injustiça, não torna injusto quem a descreve.

    Infelizmente é bem provável que aquilo que ele descreve aconteça. Infelizmente!!!!

    Nao desistam. Lutem. Lutem. Lutem.

  32. MAIS ESCÂNDALO EM GUARAPUAVA
    terça-feira, 1 de setembro de 2009 – 15:33 hs

    Na terra do Fernandinando Roncapapo, apelido dado a Fernando Ribas Carli, e que lhe caiu como autêntica carapuça, o “Falastrão das Araucárias” acaba de cometer mais uma das suas: está discriminando jornalistas, punindo a imprensa que noticiou os fatos incontestes relacionados a seu filho plyaboy Fernando Ribas Carli Filho, autor de duplo homicídio qualificado, segundo denúncia do Ministério Pùblico do Estado do Paraná.
    Ao discriminar a imprensa, Fernando Ribas Carli Filho, que por obra do destino ocupa temporariamente a cadeira de Prefeito de Guarapuava, conseguiu uma façanha: só tem duas rádios para dar entrevista, porque estas emissoras de rádio são de sua propriedade e ele controla uma concessão pública atentendo seus interesses particulares.
    Nós, estudantes de jornalismo em Guarapuava, estamos pensando em fazer um protesto público contra estes desmandos.
    Ficamos muito tristes que uma colega formada em jornalismo, a srta JOELMA BAITEL, sirva para cercear o trabalho dos colegas jornalistas, a mando do sr. Carli, atrapalhando a vida de profissionais que cumprem com o seu dever de forma ética e digna.
    Este assunto está devidamente registrado no site da “Rede Sul de Notícias”, autora da denúncia contra o Sr. Carli que, embora até hoje não tenha percebido, exerce uma função pública,; e por este grande motivo, tem como dever atender a imprensa, ele goste ou não, por obrigação de ofício.

    Sr. Fábio Campana e srs. leitores, favor confirmar esta denúncia no site redesuldenoticias.com.br. Esperamos que o Sindicato dos Jornalistas se pronuncie brevemente sobre o caso.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*