Era melhor remediar | Fábio Campana

Era melhor remediar

DEU VOGELGRIPPE TAMIFLU

Diego Moraes no Correio Braziliense

Passados 38 dias desde a primeira morte confirmada em decorrência da Influenza A (H1N1), o país viveu ontem seu pior dia em relação aos óbitos registrados por causa da nova doença. Só o estado do Paraná divulgou 21 mortes, São Paulo chegou a 50 e o Brasil já contabiliza 129 vítimas no total, uma média de 3,3 por dia. E de acordo com especialistas ouvidos pelo Correio, parte dessas mortes poderia ter sido evitada se o governo tivesse liberado mais cedo o uso do Tamiflu para pacientes com sintomas da gripe suína que não estejam no grupo de risco.

O médico e infectologista Edimilson Migowski, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), é bem claro: se o governo tivesse flexibilizado o uso do antiviral desde o início da pandemia, o número de mortes no país poderia ter sido bem menor. “A Inglaterra estima mais de 100 mil infectados e os mortos não passam de 30 porque teve medicamento para todo mundo. A minha crítica é que se não houvesse essa restrição no Brasil, o número de óbitos seria bem menor. Mas antes tarde do que nunca”, avalia.

Após diversas críticas de médicos e especialistas, o Ministério da Saúde cedeu e decidiu modificar o protocolo que orienta a aplicação do Tamiflu. A mudança foi anunciada na segunda-feira. Até então, a recomendação era medicar apenas pacientes com síndrome respiratória grave, gestantes ou portadores de algum fator de risco como doenças cardíacas e diabetes. O Ministério da Saude sustenta que a restrição não foi por medo de que faltasse remédio. Diz que tem no estoque comprimidos para medicar mais de 9 milhões de pessoas, encomendou mais 800 mil tratamentos e justifica que a ideia era evitar que o uso indiscriminado do antiviral, o que poderia fortalecer o vírus.

Mesmo assim, a infectologista Rosana Richtmann afirma que o Ministério da Saúde demorou para alterar o protocolo. “Se tem um numero de medicamentos suficiente, poderíamos ter flexibilizado um pouco antes, quando começamos a ver casos que não faziam parte do grupo vulnerável e tinham esse desfecho pior”, avalia a médica do Instituto Emílio Ribas e do Hospital Maternidade Santa Joana, ambos em São Paulo, em referência a pacientes que não estavam no grupo de risco e morreram sem tomar o remédio.

Rosana destacou que ontem mesmo, um dia após a nova orientação do ministério, receitou o antiviral a pacientes com sintomas da doença. “Vamos indicar (o medicamento) com uma flexibilidade bem maior, nas 48 horas em que o tratamento é mais eficaz, mas o importante é que os médicos mantenham o critério. Se chegar um paciente com quatro dias de gripe e estável, não tem porque receitar o Tamiflu.”

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, ressaltou ontem que a mudança no protocolo não libera o médico a receitar o antiviral sem qualquer critério, mas negou flexibilização. “Não muda nada. Apenas acrescenta que toda e qualquer prescrição fora do protocolo tem de ser tomada em conjunto pelo médico e pela autoridade sanitária local. É uma excepcionalidade, não rotina”, salientou. A modificação deve ser incluída no protocolo nos próximos dias, mas o ministério não soube precisar quando.

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informou que só depois de ser notificada oficialmente sobre as mudanças no protocolo é que irá orientar os médicos da rede pública sobre a prescrição do medicamento. Nos hospitais particulares da cidade, continua o procedimento usado até agora: os profissionais podem solicitar o remédio para pacientes que se enquadrem nos critérios da restrição desde que assinem um termo e apresentem a receita médica. “Esperamos mais autonomia com a mudança”, ponderou o infectologista Marcone Tinhati, do Hospital Santa Luzia.

Enquanto o novo protocolo não é colocado em prática, o número de mortes avança. E as 21 mortes confirmadas no estado do Paraná confirmam esse crescimento. A Secretaria de Saúde estadual disse que havia grande quantidade de casos à espera de confirmação, daí a razão do número alto em apenas um dia. Mas não revelou detalhes como em que regiões e em que período eles ocorreram. Informou apenas que as vítimas, em sua maioria, eram jovens entre 25 e 35 anos.

São Paulo, que confirmou ontem mais 13 vítimas, é o estado com mais mortos: 50. O Rio Grande do Sul conta 29. Houve ainda 25 mortes confirmadas no Paraná, 19 no Rio de Janeiro, três em Santa Catarina, uma na Bahia, uma em Pernambuco e uma na Paraíba. No Distrito Federal, foram confirmados 55 casos da doença, segundo boletim divulgado ontem, mas sem registro de óbitos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reiterou a previsão de que cerca de 2 bilhões de pessoas serão infectadas pelo vírus da gripe suína em todo o mundo até o fim da pandemia.

Se não houvesse essa restrição no Brasil, o número de óbitos seria bem menor. Mas antes tarde do que nunca”
Edimilson Migowski, médico e infectologista da UFRJ


16 comentários

  1. Março aurélio
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 9:59 hs

    Não existe isso não. Eu vi o Requião falar na escolinha que éconspiração para vender remédio. E o que ele fala a gente tem que levar a sério, né?

  2. HARE BABA!!!
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 10:16 hs

    O que poderíamos esperar deste país, o qual nos trata como cobaias!!!! o mundo inteiro já estava sabendo das possiveis consequencias que o descaso do tratamento imediato desta pandemia podería vir a causar, mais era óbvio que as nossas autoridades altamente competentes em realizar burrices e outras coisas do genêro, não poderiam perder mais esta oportunidade para provar ao mundo inteiro que este Brasil continua a mesma merda de sempre, e o imbecil mor ainda queria fazer parte do conselho de segurança da ONU, é pra chorar……

  3. Para Diego
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 10:22 hs

    Tem jornalista falando muita besteira sobre a gripe suína e a atuação do ministério em controlar o medicamento tamiflu.
    Minha mulher foi atendida na rede pública de maneira mais rápida e eficiente do que na rede privada e teve acesso ao medicamento antes sem fazer o exame graças a competência do profissional público. O acesso ao medicamento deve ser controlado para evitar uso indiscriminado e a consequente mutação do vírus. Gostaria de lembrar que nem os EUA tem medicação suficiente para a gripe suína, incluindo as vacinas que serão administradas em parcela restritas à população conforme as condições de riscos dos pacientes. O Ministério da Saúde está certo e as mudanças de protocolo não são rígidas e são modificadas conforme mais se tem conhecimento sobre a nova gripe. Dói no coração ver jornalista falar tanta besteira e ficar posando de crítico quando o que faz é criar condições para que o pânico e a cizânia se instalem entre a população e os serviços de saúde, tanto públicos quanto privados. Quero ver críticas ao governo americano em promover testes rápidos e não confiáveis (50% deeste tipo de teste dá falso negativo) em brasileiros no exterior, liberando-os para viajar e morrer dentro de aeronaves.

  4. Jose Carlos
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 10:50 hs

    Esta conduta do governo beira o crime contra a humanidade… onde está o MPF na defesa dos direitos difusos da sociedade? será preciso atingir a casa dos milhões de mortos para alguém haja… onde estão os parlamentares? ou será que todos já tem sua caixa de tamiflu garantida e, então, banana p’ra população…

  5. Marcel
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 10:58 hs

    Não Tamiflu, é ESTAMOS FU….

  6. Jose Carlos
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 10:58 hs

    errata: onde se lê haja (sic), leia-se aja…

  7. gina
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 11:13 hs

    E OS MEDICOS QUE ESTÃO MORRENDO DESSA GRIPE AQUI NO PR OU SEJA AONDE FOR, PODEM ME DIZER DO QUE? O GOVERNO NÃO TINHA O REMEDIO PRA TODOS PORISSO QUE FICA AÍ DIZENDO QUE NÃO PODEMOS TOMAR, É ESSE O GOVERNO DO SEU LULA LA LA LA LÁ – ELE QUE PEGUE A GRIPE PRA VER O QUE É BOM PRA TOSSE.

  8. lucia
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 11:32 hs

    Infelismente, vivemos em um país em que pagamos impostos, e vemos todo dia o dinheiro dessses impostos serem gastos com políticos corruptos. Em todo o mundo o tratamento da nova gripe foi de aplicar o medicamento Tamiflu em quem tinha os sintomas, só no Brasil é que não temos o direito de receber esse tratamento, o governo não quer gastar na compra desse medicamento e vem com essa desculpa. Isso é um absurdo. Mas com certeza os parentes deles vão ter acesso ao medicamento se espirrarem.

  9. MARCIA
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 11:53 hs

    Nunca vi um Governador ser contra o povo, só no Paraná mesmo….
    Tem muita gente morrendo de gripe A, porém dizem que é de pnamonia……da pra acredite que os numeros da gripe são reais….. acorda secretária da Saúde….vamos cuidar do Povo que precisa muito de vcs neste momento….não esqueça que o ano que vem vcs vão precisar muito do Povo…..

  10. quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 12:00 hs

    Esse Ministro, como todo e qualquer servidor do primeiro escalão do Lula é tão ou mais incompetente que o Lula.

    As Pessoas Morrem por culpa sua Temporão, as suas medidas medíocres estão matando gente.

    O Senhor não parece estar nem aí para isso, aliás não está.

    Provávelmente tem o Tamiflu que tirou de circulação em casa.

    Se é para estar na rede pública, para vcs exercerem Controle, palavra de que nem o significado conhece. – Porque os postos não teem.

    E depois, já que é sabido que não Temos Governo e que as medidas administrativas que partem desses canalhas são sempre tardias ou contraproducentes, porque as farmácias não compram esse medicamento e o vendem, afinal sabe-se que ele é eficaz se aplicado nas primeiras 48 horas porque esperar.

    Pelos vistos os sacoleiros vão ter que ir buscar onde tiver e vender nas feiras, isso pelo menos vai evitar as mortes que os Governos especialmente o Federal e o do Paraná estão promovendo com suas medidas inócuas.

    Quando conseguiremos governantes cônscios de seus deveres e não meninos atrevidos brincando da mandar que é do que realmente estamos rodeados.

    POR FAVOR O MÍNIMO DE SERIEDADE E PAREM DE BRINCAR DE MATADORES…. SÃO VIDAS HUMANAS.

  11. Juliana
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 12:08 hs

    O que se podia esperar de um abortista como o Temporão? Aposto que o cara é fã do Hitler! O que ele quer é promoger um genocídio!!!!

  12. Cap. Nascimento
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 12:32 hs

    A incomPTência, que é a marca registrada dos desgovernos do nepotão de mello e silva e do lulinha viajando da silva, chegou ao que temos de mais precioso; as nossa vidas.
    Sai fora reiquejão e leva junto o seu amigo, o sapinho barbudo com o seu ministrozinho da falta de saúde pública, o temporão (mais conhecido como raspa de tacho)

  13. Raissa Lomonte
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 16:00 hs

    Brasil, lindo e incopetende como sempre.

  14. Raissa Lomonte
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 16:01 hs

    _lembrando, paises desenvolvidos, com copetencia liberaram o uso do rémedio…. Depois que todo o estrago aconteceu o Brasil resolveu imitar…

    Sinceramente, as vezes eu me pergunto o que faço aqui.

  15. Francisco Quadros
    quarta-feira, 5 de agosto de 2009 – 20:42 hs

    Gente, o nome do medicameto está sendo grafado e pronunciado errado, o correto ´TAMUFU…
    O Temporão que o diga…

  16. Doroti Costa
    quinta-feira, 6 de agosto de 2009 – 10:13 hs

    Deveria mudar o nome do remédio para TAMUFU!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*