"Le populiste" Requião compromete as conquistas de Curitiba | Fábio Campana

“Le populiste” Requião compromete as conquistas de Curitiba

requiao120

O jornal francês La Tribune publicou matéria sobre Curitiba, onde o jornalista Yann Le Houelleur avalia os desafios para que a cidade reconquiste sua posição de “cidade verde emblemática”. A reportagem elogia a “rede de transportes que inclui um metrô sem trilhos” e como o “patrimônio arquitetural é tão bem cuidado quanto a biodiversidade”, e destaca o papel do IPPUC como o segredo por trás da “harmonia urbana”.

Mas nem tudo é belo. Segundo o La Tribune, “esse modelo se esvai, vítima de conflitos entre a administração municipal e o Estado do Paraná, do qual o governador, o populista Roberto Requião, tem o controle sobre uma parte das 26 cidades da região metropolitana”.

Uma leitora do blog enviou tradução da matéria, que você encontra no Leia Mais. O texto original você encontra no site do La Tribune ou no site do Ministério das Relações Exteriores do Brasil: Les autorités locales multiplient les projets pour lui redonner son titre de ville verte emblématique.

No Brasil, Curitiba procura um segundo sopro

Yann Le Houelleur, de Curitiba

La Tribune

As autoridades locais multiplicam os projetos para lhe devolver o título de cidade verde emblemática

Esporte ou diversão em família, os habitantes da cidade brasileira Curitiba têm a opção de escolher entre não menos do que 33 parques e jardins. O secretário municipal encarregado do meio ambiente, José Antônio Andreguetto comemora: “A média do espaço verde por habitante é de 50 metros quadrados”. Os curitibanos beneficiam-se também de uma rede de transportes em comum que inclui um “metrô sem trilhos” às estações feitas de cilindros transparentes colocados sobre paradas que recebem ônibus laranjas e prateados.

Certas linhas comportam cores diferentes, ao redor das quais os empresários devem construir prédios de escritórios e para moradias. Mais longe, ficam os bairros construídos horizontalmente. Em Curitiba, o patrimônio arquitetural é tão bem cuidado quanto a biodiversidade.

O segredo dessa harmonia urbana? O planejamento. Depois de quarenta anos, o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), financiado pelo município, imagina e projeta os grandes espaços destinados a melhorar as condições de vida de seus habitantes. Seu presidente, Cleber Ubiratan de Almeida, lembra que, antes de se lanças em uma brilhante carreira política, Jaime foi assalariado da casa. Eleito prefeito em 1989, o engenheiro Lerner conseguiu atrair investidores de peso, entre eles a Renault, multiplicando os equipamentos a serviço da população. Foi o apogeu do “modelo Curitiba”.

Incentivos fiscais

Mas esse modelo se esvai, vítima de conflitos entre a administração municipal e o Estado do Paraná, do qual o governador, o populista Roberto Requião, tem o controle sobre uma parte das 26 cidades da região metropolitana. E o crescimento demográfico complica ainda mais as coisas: 3,3 milhões de habitantes, dos quais 1,8 milhão em Curitiba mesmo. A rede de transporte começa a se saturar. A frota será modernizada, e, a partir de então, só utilizará biocombustível à base de soja, e um “verdadeiro” metrô será inaugurado na véspera da copa do mundo, em 2014.

As autoridades imaginam soluções para recriar uma segunda juventude à cidade, principalmente para conter os efeitos da pressão imobiliária sobre o meio ambientes. Eles anunciam novos inventivos fiscais para os proprietários que querem converter seus terrenos virgens em parques e em jardins públicos. Para preservar os rios e os cursos d’água, poluídos por causa da multiplicação de habitações precárias, a cidade “obteve um empréstimo de 60 milhões de euros da Agência Francesa para o Desenvolvimento, para realocar cinco mil famílias e criar parques no lugar dessas favelas”, completa o secretário municipal. Outro projeto: uma usina para tratar 100% das 2.400 toneladas de lixo produzidas pelos Curitibanos por dia, transformando-as em fertilizante e em matérias primas. Um concurso foi lançado para essa construção, e 64 investidores se manifestaram. Depois de um tempo sem novidades, Curitiba sonha em voltar a ser uma cidade verde mostrando o exemplo.


20 comentários

  1. Frito
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 1:20 hs

    Muito interessante a matéria, de fato perdemos muito com a demência do Req.

  2. HONORIO
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 1:23 hs

    COMO DIZ O CAMPANA VAI FALTAR ENGOV PRA DESOPILAR O FIGADO DO GOVERNADOR. A MATÉRIA AINDA POR CIMA LEVANTA A BOLA DO LERNER.

    E AI GOVERNADOR, A IMPRENSA O DO RESTO DO MUNDO TAMBEM ESTA CONTRA VOCE PORQUE NAO RECEBEU VERBAS DE PUBLICIDADE?

    OU QUEM SABE SEU GOVERNO FOI UM LIXO MESMO?

  3. Dr. Divago
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 8:08 hs

    Isso nós já sabiamos. O que é novidade para mim, é que o mundo inteiro sabe agora. A nossa Maria Louca é mesmo esta M….de governo que temos devido a uns míseros 8 mil votos de diferença dele para o Osmar em 2006.
    Mas em 2010 temos a obrigação de acabar com está palhaçada de governo e recuperar o tempo perdido e fazer desta cidade e estado o melhor do país novamente.
    E surgiro que depois de 2010 arrumem um lugar no pinel para está Maria Louca, pois lugar de demente é no hospício.

  4. Pandolfo
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 8:51 hs

    ESSES CARAS QUE FIZERAM PUBLICAR ESSE NEGÓCIO NA FRANÇA NÃO SÃO OS MESMOS QUE GANHARAM GRANDE PARTE DA SANEPAR, DE GRAÇA, SEM PAGAR NADA, NO GOVERNO LERNER????????????
    AFINAL DE CONTA, O LERNER COMO GOVERNADOR DO ESTADO FOI UMA TRAGÉDIA PARA O PARANÁ, MAIOR DO QUE A TRAGÉDIA DO GOVERNO LUPION QUE DEIXOU COMO PRINCIPAL HERANÇA A GRILAGEM DE TERRA E ASSASSINATOS DE COLONOS NO SUDOESTE DO ESTADO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  5. jango
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 9:27 hs

    É preciso que um jornal frances apresente um retrato da situação imperante em nossa cidade e região metropolitana. Em poucas palavras foram no ponto das questões. Curitiba parou no tempo, dada a inoperância dos órgãos municipais em alguns pontos como transporte. Sem decisão para intervenções urbanas importantes para o futuro da cidade. O conflito mediocre entre governo estadual e municipal, mais por implicância do “populiste” das Araucárias, só veio em prejuízo da sociedade e dos próprios municípios da região metropolitana. Mas é preciso que um jornal frances diga o que já sabemos todo dia …

  6. quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 9:45 hs

    Infelizmente a matéria retrata a pura realidade da RMC. Curitiba é fonte de grandes administradores tecnicos como Lerner e de alguns politicos desqualificados como o Requião. Enquanto Lerner pensou e fez em Curitiba, criando uma cidade referência no mundo, Requião, tão como um oportunista que é, só se aproveitou das obras de Lerner. Usa o dinheiro que hoje é arrecadado mas que teve como origem a industrialização promovida por Lerner. Em termos de RMC, houve um grande desenvolvimento das cidades acerca de Curitiba e hoje os problemas são comuns, mesmo porque não podemos mais separar essas cidades já que há uma imensa integração entre elas. Sendo assim, fica claro a necessidade dos governantes do estado, de Curitiba e dos outros municipios falarem a mesma lingua. Hoje existe uma tal de Comec que é um órgão politico e que tem mais atrapalhado que ajudado. Infelizmente o Paraná parou no tempo, nossa industrialização acabou, foi reduzida a nada, pois o atual governador acha que as empresas vão “escravizar” os coitados paranaenses e ele é a salvação das pessoas contra os “monstros” que só visam o lucro…O resultado dessa visão jurássica é claramente vista em qualquer pesquisa economica feita no estado…criamos uma situação no estado que não funciona: queremos e precisamos de obras públicas, para isso precisamos de dinheiro e aumentar a arrecadação, só que expulsamos o empresáriado que é quem pode nos dar esse aumento de receita, logo ficamos de mãos abanando.. O periodo das trevas está acabando, Beto governador pois chega de atraso..

  7. quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 9:56 hs

    É bom não esquecermos que desmandos e incompetências como as vindas das atitudes de Requião e sua Turma, são noticias que correm primeiro do que aquelas que nascem fruto de trabalho digno, mas uma coisa não podemos esquecer. Na Maioria das vezes, as Vergonhas proporcionadas por Requiões, Sarneys, Renams, Collors, Lula e outros são noticiadas no Mundo antes mesmo da aqui atingirem a opinião pública.

    Isso é Bom até para esses incompetentes verem que são tão incompetentes que têm direito a RECONHECIMENTO INTERNACIONAL.

    ESSE REQUIÃO É UMA VERGONHA.

  8. PENK PENK
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 10:13 hs

    Pandolfo, tá certo vc, também não entro numa de defender o Requião, mas quando se fala em jornalistas ainda mais quando não conhecemos a origem dos fatos/noticias a intenção destas não devemos ir batendo palmas e ou fazendo criticas “asnóspitas”, a final se tascam o pau numa pessoa e elogiam outras, tem caroço neste angu. Por hora ficamos com o Campana, que apenas postou a matéria para o nosso conhecimento. Agora cabe a todos a analise dos fatos e boa..

  9. Silvano Andrade
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 10:14 hs

    Jaime Lerner.

    Sinceramente, o governo Lerner foi de entreguismo e maracutaia…O Requião é intragável…mas menos corrupto que os corações curitibanos…Imprensa estrangeira…não se deve dar crédito algum…até porque ser prefeito em Curitiba é mamão com açucar…renault, audi…isto é quirera para galinha…investir em Educação escolas técnicas, informática, inclusão

  10. Silvano Andrade
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 10:28 hs

    Jaime Lerner.

    Sinceramente, o governo Lerner foi de entreguismo e maracutaia…O Requião é intragável…mas menos corrupto que os corações curitibanos…Imprensa estrangeira…não se deve dar crédito algum…até porque ser prefeito em Curitiba é mamão com açucar…renault, audi…isto é quirera para galinha…investir em Educação foi a melhor tacada do Requião, o investimento do Lerner na área foi pífio…cabides de empregos, servidores que ganham 7.000 por mês e acumulam cargos…esta foi a contribuição lernista para o Paraná…sem contar o Pedágio (Estelionato) o entreguismo da Copel, empréstimos suspeitos ao apagar das luzes…Não sou eleitor do Requião…mas votar no lerner e nas suas crias é burrice.

    Lembrando que os controladores da mídia na França são os mesmos no Brasil… Pessoas inteligentes e com senso crítico aguçado sabem muito bem o que tem por trás destas matérias.

    Silvano Andrade

  11. Miro
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 10:30 hs

    Claro que o governador Mello e Silva vai dizer que essa matéria é comprada pela força do capitalismo Francês, e querem denegrir o populismo social feito por ele.
    E esse tal de Pandolfo, tomando as dores do governador. Coitado, vai ficar junto com o governador para apagar a luz quando o PMDB sair.

  12. Silvano Andrade
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 10:32 hs

    Senhor Fábio Campana

    Gosto muito do seu Blog…mas não caia na armadilha da parcialidade…

  13. Josoé de Carvalho
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 10:50 hs

    Aposto que esta jornalista não sabe onde fica o Brasil e tampouco Curitiba. Entre o brilhantismo do Lerner e a loucura do Requião, eu fico com o segundo. Somos vítima da loucura do Lerner em pedagiar as estradas do Parana nos moldes que ele fez. A própia privatização de parte da Sanepar e Copel já é o suficiente para que os elitores lúcidos deste estado coloque este nobre cidadão no ostracismo nas próximas eleições.

  14. Vlad Tsepesh
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 11:41 hs

    Quem conheceu o Lerner sabe que era impulsivo, tinha um quê de inconseqüente, não queria saber muito de detalhes, não tomava os cuidados necessários na escolha dos assessores, mas uma coisa quem o conheceu há de lembrar: ele passava quase todo o tempo pensando, discutindo e trabalhando para a Cidade ou o Estado.

    Essa que parece ser a grande diferença com a gestão atual, que passa o tempo todo preocupada e trabalhando por eleição, alianças, acusações, nomeações, briga com banco A ou banco B, criticando a imprensa, movendo infindáveis ações (todas natimortas) contra os pedágios, brigando com juízes, criticando governos anteriores enquanto usa a rede estatal para auto-promoção, etc.

    Ou seja, um, com seus erros (muitos) e acertos, foi Governador. O que aí está é um ocupante do poder que só arranja confusões e nada mais faz pelo Paraná do que a máquina pública faria sozinha.

  15. Samuel Sobral
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 11:54 hs

    Comenta-se, à boca pequena, que Requião estaria dando uma emagrecidinha para inplantar um útero sintético. A finalidade, dizem, é para conceber um filho a partir do sémem/espermatozóide de modo a se concretizar o seu desiderato existencial. Será que o veneno do Bob permitiria frutificar em suas entranhas um filho do Lerner e parar de demonstrar tanta inveja ?
    Respondam senhores !!!!

  16. loucura da loucura
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 12:01 hs

    Não devemos esquecer que em cima da loucura do pedágio (loucura eufêmica, pois, foi em parte pensada, em especial o valor das tarifas) vem aí a loucura do passivo judicial do pedágio (loucura crônica do governo renitente a uma promessa enganosa de campanha; o rombo assomará mais de 240 milhões aos cofres públicos), duas heranças malditas para o povo do Paraná. O pedágio está aí, as tarifas estão sendo atualizadas, a Justiça está dando ganho de causa às concessionárias, o governo segue nos levando para o abismo do passivo judicial, as ditas autoridades de controle público fazendo-se de desentendidas quanto às consequências para o erário público. Depois eles, seus comissionados e nepotes deixam o governo por outras plagas e o povo continua pagando as malfeitorias …

  17. quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 12:31 hs

    A matéria desce a lenha no Requião, mas o que o homem fez ou deixou de fazer por Curitiba? hehe.
    O que estão querendo que ele faça por Curitiba?

    Criticar é bom, mas explicite do que se trata a crítica.
    A única coisa que se fala é que ele tem controle sobre algumas cidades metropolitanas, mas e daí, que controle é esse? no que este “controle” implica sobre Curitiba? Queremos saber.

    O excesso de população da capital é culpa de Requião? rsrs
    A superlotação dos onibus é culpa do estado?

    E o preço da tarifa? o governo estadual propôs isentar o imposto sobre o diesel e porque até agora a URBS não entrou num acordo?

    Lerner, eu reconheço e elogio, foi um excelente prefeito, mas como governador…

    A reportagem elogia Lerner como prefeito e só isso, rsrs.
    Arquitetura funciona numa cidade, pois é através desta ciência que se faz a organização dela, isso explica porque os arquitetos Lerner e Richa fazem uma ótima administração, mas o estado do Paraná não é uma cidade, está aí o motivo de Lerner ser um mico como governador.

    O grande forte do nosso estado é a agricultura, e Lerner com sua visão urbanística lançou de forma leiga a Vila Rural, só na cabeça dele mesmo que 1 equitare é sufiente para um trabalhador rural ter o mínimo de progresso, sendo que o ideal seria no mínimo 14 equitares.

    Como seria Richa como governador? não sei, não sou advinho e muito menos jogo lama no trabalho dele.

    Nasci em Nova Londrina, pacata cidade de 13 mil habitantes do noroeste do estado, lá vivi até meus 19 e há 8 moro em Curitiba, por isso gosto de ter uma visão completa sobre o estado.

    Falo, elogio, critico e mais nada a declarar.

  18. Cap. Nascimento
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 12:39 hs

    Para aqueles que admiram e defendem o nepotão de mello e silva, vai um desafio de 1 minuto (é muito tempo né?). Respondam, quais são as três principais realizações do (des)governo da maria louca.
    Para aqueles que, como eu terei que pagar a conta deste governinho de malucos, lanço outro desafio. Vocês terão três dias (será que é pouco tempo?) para apontar todas as trapalhadas, desmandos, passivos administrativos e jurídicos, perda de qualidade de vida do paranaense, promessas eleitoreiras e não cumpridas e corrupção em geral, dentre tantos.
    Ei reiquejão, sai fora cara. Vá morar em seu apartamento em Paris.

  19. Peluso de Contenda
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 12:59 hs

    Não existem e nunca existirá 26 cidades da região metropolitana sob controle do governo Requião, pois muits tem prefeitos que tem orientação dos pares do Beto Richa, a exemplo de Araucária, que inclusive tem funcionários indicados pelo proprio Beto, Contenda com indicação do Nelson Justus e outros tantos…

  20. Nelson Edison de Moura Rosa
    quarta-feira, 26 de agosto de 2009 – 17:13 hs

    SENHOR Josoé de Carvalho:
    PELO VISTO NÃO ANDAS DE CARRO PELO PARANÁ, PARA CONHECER A “MARAVILHA” QUE REIQUIÃO ESTÁ DEIXANDO…
    TOME A ESTRADA E VÁ DE JAGUARIAIVA À SANTO ANTONIO DA PLATINA… DEPOIS NOS CONTE DOS CUIDADOS QUE O SEU GOVERNADOR TEM COM NOSSAS ESTRADAS.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*