Sete empresas disputam a operação dos radares em Curitiba | Fábio Campana

Sete empresas disputam a operação dos radares em Curitiba

radar1

Sete empresas apresentaram propostas para a licitação da Urbs que vai definir quem vai operar os radares em Curitiba. Outras seis propostas foram apresentadas numa segunda licitação feita pela Diretran para contratar serviços de monitoramento de trânsito com sistema fixo de barreiras eletrônicas

Entregaram documentação e proposta para prestação de serviços de radar, as empresas Consilux Consultoria e Construções Elétricas Ltda, que opera há onze anos os radares de Curitiba; o Consórcio Engefoto; a Splice Indústria Comércio e Serviços Ltda; a Fiscal Tecnologia e Automação Ltda; o Consórcio Controlvias; a Dataprom Equipamentos e Serviços de Informática Industrial Ltda; e o Consórcio Vias Curitiba.

A licitação dos radares prevê a substituição, a manutenção e a operação de todos os radares. A licitação das lombadas eletrônicas prevê a instalação de 50 equipamentos. O serviço é feito atualmente pela própria Diretran, com 25 equipamentos.


11 comentários

  1. Marcos Calonga
    terça-feira, 21 de julho de 2009 – 15:25 hs

    Jogo de cartas marcadas, todo mundo sabe quem vai levar!
    Estão dando poder de polícia para a inciativa privada, com o objetivo claro de achacar o cidadão e desviar $$$

  2. Theshotgun
    terça-feira, 21 de julho de 2009 – 15:27 hs

    Disputam a clientela da fábrica de multas.

  3. MAO SANTA
    terça-feira, 21 de julho de 2009 – 17:11 hs

    Vai acabar de novo em PIZZA. É muito conveniente para quem está de braços dados com os poderosos.
    E arrisca colocarem a culpa no Requião…

  4. Olhos Abertos
    terça-feira, 21 de julho de 2009 – 21:15 hs

    Que tal uma lombada.. não é mais barato?

  5. Brigitte Chaurais
    terça-feira, 21 de julho de 2009 – 22:35 hs

    Essa licitação está limpíssima, o que é dedutível da grande disputa e transparência do processo. Fiscalizar é preciso – mesmo com radar, até deputado dirige sem carteira e mata! E o Estado ñ costuma dar conta de suas obrigações, portanto a atividade tem q ser regulamentada pelo poder público e operacionalizada pela iniciativa privada, como aliás o Requião tbm sempre defendeu.

  6. Jose Carlos
    terça-feira, 21 de julho de 2009 – 23:52 hs

    Dobraram o número de radares. O “negócio” tem que dar dinheiro, e muito dinheiro. E como fica o radar que não gravou o deputado a 190 km/h? Não fotografou ou apagaram o filme? Isso é grave!

  7. Pé Vermeio
    quarta-feira, 22 de julho de 2009 – 9:46 hs

    Ué minha impresa não aí?
    Falando sério, qual é o papel destes radares, é educativo ou arrecadativo? Quem souber por favor nos diga que até agora eu não vi nem uma obra ou ação para a educação no transito de curitiba e região metropolitana.

  8. Pé Vermeio
    quarta-feira, 22 de julho de 2009 – 9:47 hs

    Ué minha impresa não ta aí?

  9. paulo
    quarta-feira, 22 de julho de 2009 – 10:53 hs

    quem era o motorista que disputou racha com o Carli no dia do acidente? Algum poitico importante, filho de algum prefeito? por que as imagens sumiram?
    Será essa a cidade da gente?

  10. cidadão curitibano
    quarta-feira, 22 de julho de 2009 – 10:58 hs

    que tal colocar um codigo de barras na placa. O cara passa acima e já desconta no cartão, folha, etc? A idéia não é ganhar grana. Educar, orientar e depois punir é para país otária tipo França.

  11. Luiz Carlos
    quarta-feira, 22 de julho de 2009 – 16:17 hs

    — Incrivel…Fantástico….Vai umaPitza?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*