PT e PMDB se reúnem nesta segunda-feira, de olho na sucessão de Requião | Fábio Campana

PT e PMDB se reúnem nesta segunda-feira, de olho na sucessão de Requião

gleisi
Euclides Lucas Garcia na Gazeta do Povo

O PT e o PMDB se reúnem hoje em Curitiba para discutir de forma oficial a disputa pelo governo do estado em 2010. Entre os peemedebistas, é grande a expectativa para que o PT se defina pela aliança com o partido e abandone as conversas com o senador Osmar Dias (PDT), que já se lançou como candidato. Apesar de também afirmar que sua prioridade é fechar com o PMDB, os petistas não escondem a preferência por uma aliança mais abrangente, que incluiria ainda PDT e PP, para formar um palanque forte à candidatura presidencial da ministra Dilma Rousseff.

Para o presidente estadual do PMDB, deputado Waldyr Pugliesi , a parceria que já existe com o PT nos governos do presidente Lula e do governador Roberto Requião deve ser mantida. Segundo ele, os dois partidos têm uma longa caminhada juntos e, por isso, seria importante dar continuidade à aliança para a disputa estadual. “O PT tem papel importante no governo Requião e pretendemos que isso se mantenha. Então, por que não fazer um esforço para continuarmos juntos?”, argumentou. Pugliesi salientou que o PMDB já se definiu pelos nomes de Requião como candidato ao Senado e do vice-governador Orlando Pessuti para a disputa ao governo do estado, mas garantiu que, na reunião de hoje, “ninguém vai fazer exigência descabida para ninguém”. “Vamos lutar firmemente para que o PT se some e se mantenha no nosso projeto”, revelou.

A presidente estadual do PT, Gleisi Hoffmann, fez coro ao discurso de Pugliesi e afirmou que a prioridade do partido é fechar com o PMDB. Ela destacou, no entanto, a importância de unir, também no Paraná, a base aliada que dá sustentação ao governo Lula. “Estamos fazendo um grande esforço para que fiquem juntos PT, PMDB, PDT e PP. Se damos certo no governo federal, por que não daríamos na eleição?”, questionou. Apesar da esperança em fechar essa grande aliança, Gleisi disse que o PT nunca deixou de lado a ideia de lançar candidato próprio para a disputa estadual. “Esse é apenas um primeiro encontro para discutirmos a disputa de 2010. Não se trata de uma reunião de decisão”, declarou. “Não vamos começar a conversa por nomes, mas por programas e projetos. O PT não faz política através de ultimato, mas sim com diálogo.”


2 comentários

  1. Betina
    segunda-feira, 13 de julho de 2009 – 8:32 hs

    É… se reunam e fiquem aí assistindo o Beto suceder o Requião.

    Essa eleição do Beto vai ser um espetáculo para se aplaudir de pé! Primeiro turno!!!

  2. Ita
    segunda-feira, 13 de julho de 2009 – 13:43 hs

    Depois das denuncias contra Beto ele não ganha mais, já perdeu meu voto e de muitos que conheço.
    Não é tão onesto como imaginavamos que fosse, depois destas denuncias…
    Agora é Pessuti.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*