PMDB e PDT rebatem críticas de Gleisi | Fábio Campana

PMDB e PDT rebatem críticas de Gleisi

viceg22032006

De Roger Pereira, no Paraná Online

Os presidentes estaduais do PMDB e do PDT comentaram, ontem, as declarações da presidente do PT, Gleisi Hoffmann, que, em entrevista a O Estado, publicada no domingo, classificou como lamentáveis as conversas que os partidos mantinham com o PSDB e cobrou coerência das legendas.

waldyr-200x200

Enquanto Augustinho Zucchi, do PDT, disse que é natural o PDT conversar com o PT e o PSDB apesar das posições tão antagônicas das duas legendas, Waldyr Pugliesi, do PMDB, lembrou que o PT também mantém diálogo com “gente com quem não tem afinidade ideológica”.

O presidente do PDT, deputado Augustinho Zucchi, disse não haver incoerência alguma nas conversas com o PSDB, uma vez que os partidos, no Paraná, já estiveram juntos em algumas campanhas desde 2004.

“Tivemos caminhando juntos com o PSDB em alianças formais. Então, não é nada estranho o fato de mantermos essa conversa. Vale lembrar que o PT do Paraná também já esteve contra nós, nas eleições de 2006.”

Ao mesmo tempo, por fazer parte do governo Lula, Zucchi acredita que é possível, o entendimento com o PT também no Paraná. “Estamos no momento adequado das conversas e o PDT só tem definido que Osmar Dias será candidato. Temos essas duas possibilidades de caminho: com o PT, respeitando a aliança nacional, ou com o PSDB, pelo caminho já percorrido juntos até aqui.”

Waldyr Pugliesi, presidente estadual do PMDB, devolveu a cobrança ao PT, “dentro do PT também tem gente que conversa com muitos que não têm nada a ver com o próprio PT. Eles querem dar suporte à candidatura da ministra Dilma (Rousseff PT, pré-candidata à presidência) e estão conversando com todo mundo”, disse, sem citar diretamente o nome do senador Osmar Dias.

O PMDB não aceita aliança com PT e PDT para apoiar a candidatura de Osmar. “O PDT até tem a ver com o PMDB. Majoritariamente, temos um pensamento que se afina. Temos identidade com o Brizola, com a defesa da Petrobras, do Banco do Brasil. No Paraná, temos que defender a Copel, por exemplo. Mas tem gente dentro dessa aliança que não tem nada a ver com esse pensamento”, declarou.

Pugliesi reconheceu que há correntes dentro do partido que defendem aliança com o PSDB, mas que isso será dissolvido internamente. “É público que tem gente dentro do PMDB que luta pelo Richa (Beto PSDB prefeito de Curitiba) e até se coloca como candidato a vice dele. Dentro do partido é normal termos diferentes posições, mas após votação e discussão conjunta, a minoria tem que seguir a decisão da maioria”, disse o deputado.
“Nessa hora de procurar um chão comum, não é hora de ficar colocando defeito. Estou muito a vontade para discutir com o PT o papel do estado. Temos mais confluências que rejeição. O PT verdadeiro e o PMDB verdadeiro têm muita identidade, tanto que estamos governando o Paraná juntos”, concluiu.


5 comentários

  1. claudemir cassarptti
    terça-feira, 21 de julho de 2009 – 9:31 hs

    só para lembrar o PT em São paulo ja se aliou com o MALUFFFFFFFFFFFFFFF

  2. MARIO DO ATLÉTICO
    terça-feira, 21 de julho de 2009 – 11:27 hs

    O PDT ESTÁ MAIS PERDIDO DO QUE “CACHORRO CAIDO DE MUDANÇA NO MEIO DA ESTRADA”. ATIRIRAM PARA TODOS OS LADOS E NÃO ACERTAM ENM NADA. O “URTIGÃO” CADA VEZ SE AFUNDA MAIS NA INCOERÊNCIA.

  3. Wilson
    terça-feira, 21 de julho de 2009 – 11:55 hs

    Enquanto o Lula se alia até ao capeta em seu governo (Sarney, Delfim Neto, etc.) e aqui no Paraná o PT se alia ao Belinati e ao Janene, etc., o PT quer cobrar coerência de quem? E com que direito?

  4. capo
    terça-feira, 21 de julho de 2009 – 13:48 hs

    ESSE PT NÃO TEM JEITO MESMO HEINNN!!!
    O LULA MAIS PARECE O ALI BABÁ!!!!

    GLEISE.
    FICA QUIETA QUE VC TEM CHANCE PRO SENADO!

    LOIRAAAAAAAA

  5. Diego
    terça-feira, 21 de julho de 2009 – 14:21 hs

    Ah ditado popular que diz: Quem sempre escolhe é escolhido Pois o PT vai chegar uma hora que ninguem vai querer e tera que sair com canditadura propria.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*