"Falta de efetivo sacrifica policiais", diz Douglas Fabrício | Fábio Campana

“Falta de efetivo
sacrifica policiais”, diz
Douglas Fabrício

douglas2

Para o deputado Douglas Fabrício (foto), do PPS, a forma como morreu o policial militar José Maria de Souza, assassinado durante o trabalho, em Farol, evidencia o problema da falta de efetivo na região. “Pelo que foi divulgado pela imprensa, o policial estava sozinho na abordagem a um criminoso perigoso”, observa o deputado.

“Apesar de não ser possível prever esse tipo de coisa, se houvesse pelo menos mais um policial nessa ocorrência as coisas poderiam ter sido diferentes”, analisa Douglas, que desde o início do mandato cobra do governo o aumento do efetivo policial na região.


9 comentários

  1. Marlene
    quinta-feira, 16 de julho de 2009 – 15:47 hs

    É isso ai Deputado a segurança no Paraná está uma VERGONHA………

  2. Cidadão Paranaense
    quinta-feira, 16 de julho de 2009 – 19:36 hs

    O pior e ver que o gov. Não da conta da violência nas Cidades do Paraná e implanta uma policia para vigiar a fronteira coisa que deve ser realizada pela Policia Federal que tem muita competência pra isto. Não que os militares que estão lá não tenham competência mas eles seriam muito melhor aproveitados atuando nos bairros e cidades mais violentas do Paraná. Requião a comedia ambulante.

  3. Jorge Ventura
    quinta-feira, 16 de julho de 2009 – 22:33 hs

    Acredito que precisamos de mais deputados para cobrar as loucuras de nosso dirigente na segurança, saúde, educação …

  4. na ativa
    quinta-feira, 16 de julho de 2009 – 22:43 hs

    Pois é.. faz tempo que os policiais vem desempenhado o trabalho de patrulhamentos sozinhos, principalmente nas pequenas cidades, onde o efetivo é minimo, tendo em inumeros casos, os policiais terem que trabalhar escala de 24 horas por 24 de descanço, sem contar as extras que por muitas vezes ocorrem nestas “folgas”, como por exemplo, reuniões e audiências em Fóruns ou quando são ouvidos em inquérito policiais.]
    Infelizmente foi mais um que morreu, e não foi por falta de preparo, uma vez que o citado Policial tinha desempenhado funções em grupos de operações especiais. Acreditem, logo será passado para a comunidade, mas não para a família, que perde um filho, um esposo e um pai. Mas para uma parte da sociedade e para alguns políticos, é só mais um…que pena. Que Deus dê força para a família deste Policial, pois o Estado…

  5. na ativa
    quinta-feira, 16 de julho de 2009 – 22:51 hs

    A tempo…
    se verificarem as mortes de alguns Policiais nos últimos tempos, irão descobrir que em muitas delas, os Policiais estavam trabalhando sozinhos…enquanto que a doutrina Policial determina que um Policial JAMAIS deveria trabalhar sozinho. Todavia, na prática, em muitos casos o que ocorre é o inverso…pena que na sua maioria, a sociedade não sabe o que acontece ou finge não saber. Na verdade, acho que não tem muito interesse, até o delinquente bater a sua porta…

  6. sexta-feira, 17 de julho de 2009 – 9:00 hs

    Amigos, “não existe falta de efetivo”, pelo menos para serem usados na segurança particular do Requeijão, da sua família, na sua residência no canguiri…e o povo…!!!!!!graças a Deus a roda gigante está girando e 2010 está chegando…

  7. sexta-feira, 17 de julho de 2009 – 10:16 hs

    Só para ter a certeza, Isso é um problema de segurança pública né???

    Pois é. Mais um.

  8. Breno
    sexta-feira, 17 de julho de 2009 – 11:20 hs

    Falta de efetivo, policiais de base mal remunerados, fazendo bicos para poder sobrevivier, sem auto estima. Consequencia: péssimo trabalho oferecido a população.Poderia esse Deputado tomar a iniciativa de, através da Assembléia, afinal são representantes do povo, analisar a péssima situação da segurança no Paraná e sugerir medidas para aprimora-la.

  9. Olhos Abertos
    sexta-feira, 17 de julho de 2009 – 16:47 hs

    Falta efetivo, falta concurso para preenchimento, falta verba, falta polícia quando é chamada. O que mais falta?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*