Vítima volta a identificar assassino do Morro do Boi | Fábio Campana

Vítima volta a identificar assassino do Morro do Boi

Foto Gazeta do Povo

Foto Gazeta do Povo

Fábio Schatzmann e Mara Cornelsen no Paraná Online

Durou quase dez horas a audiência de instrução e julgamento realizada ontem, no Fórum de Matinhos, em que Juarez Ferreira Pinto, 42 anos, é acusado de latrocínio (roubo com morte), lesão corporal, atentado violento ao pudor e perigo de contágio de doenças venéreas, crimes ocorridos no Morro do Boi, em Caiobá.

Quatorze testemunhas de defesa e de acusação foram ouvidas pelo juiz Rafael Luiz Brasileiro Kanayama, além do réu e da estudante Monik Pergorari Lima, 23, sobrevivente do atentado. Monik chorou ao ver Juarez e pediu que ele fosse retirado da sala. Ela voltou a apontá-lo como autor do crime e confirmou que ele roubou R$ 90 que estavam no bolso de sua bermuda.

Ela e o namorado Osíris Del Corso, 22, foram atacados no morro, em 31 de janeiro. Baleada nas costas, Monik ficou paraplégica. Osíris morreu no local.


O delegado Luiz Alberto Cartaxo de Moura, que conduziu as investigações, foi ouvido e garantiu que Juarez Ferreira Pinto é o assassino. Ele disse não ter dúvida quanto as diligências realizadas, embora existam contradições no processo. Cartaxo revelou que o reconhecimento que Monik fez do acusado só foi “cem por cento” na segunda vez em que lhe foi apresentada uma foto dele

Os pais do casal e um vendedor de cocos, que afirmou ter visto Juarez no local do crime, também foram testemunhas de acusação.


5 comentários

  1. Julio
    quarta-feira, 17 de junho de 2009 – 9:25 hs

    Tem algo estranho neste caso.

  2. O Povo
    quarta-feira, 17 de junho de 2009 – 11:39 hs

    Não sinto firmesa nas provas que incriminam o possível “monstro”, acho que a perícia da polícia se pricipitou em alguns detalhes e não a elementos contundentes de indiciamento e condenação segura do acusado!
    Muitas dúvidas, e algo estranho realmente no ar das apurações!
    Um bom advogado de defesa, desmontaria qualquer tentiva de condenação em um juri popular!

  3. Tarso de Castro
    quarta-feira, 17 de junho de 2009 – 11:48 hs

    Sendo o acusado um amigo (ou parente) de gente do governo do estado e sendo a Polícia Civil do mesmo governo, deveriam ter passado a investigação à Polícia Federal, ou a outro departamento.

  4. Eu em!!
    quarta-feira, 17 de junho de 2009 – 13:52 hs

    Quantos tiros o acusado deu?? Onde esta a arma?? Foi visto vestigios de povoras nas mãos, dedos ou se foi ele que apertou o gatilho da arma mesmo………Estou perguntando pos, não me interei muito do assunto, pos a prisão dele foi tão rapida que pensei que já estava tudo resolvido…Até o secretario da justiça apareceu dando entrevista……….

  5. SERÁ????????????????
    sexta-feira, 26 de junho de 2009 – 4:22 hs

    100% ninguem q viu uma pessoa num momento tão dificil conhece uma pessoa 100% e cada vez q diz algo na midia esse dinheiro roubada é uma quantia???
    e como uma pessoa q perde um grande amor aparece sorrindo…será q esse sorriso naõ esconde algo….será q ela naõ esconde o verdadeiro culpado??????????
    na verdade essa hisroria´tá sendo usada pra delegados esquecidos voltarem a midia e ganhar prestigio…esse homen ta sendo um bode espiatorio pra varias pessoas…
    quem em sã consciencia subiria num morro no meio do matagal???????
    quem sabe nos dias de hj….foram procurar passarinhos?????????ou não??????

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*