Violência no Brasil é maior que nos países vizinhos | Fábio Campana

Violência no Brasil é maior que nos países vizinhos

violencia-21
Na BBC Brasil

A violência manteve o Brasil atrás da Argentina, do Uruguai, do Paraguai, da Bolívia, do Peru e do Chile na última edição do Índice Global da Paz (IGP), um levantamento anual dos indicadores de segurança e violência no mundo.

Na América do Sul, o Brasil só fica na frente da Colômbia, país afundado em um grave conflito interno, e da Venezuela, onde a disputa política é acirrada.

O Brasil está em 85º lugar no ranking de 144 países, avançando cinco posições em relação ao IGP de 2008. A melhora mudança se deve principalmente a uma ligeira redução no volume de importação de armas, percentual do Produto Interno Bruto (PIB) destinado a investimentos militares e número de agentes armados em relação à população.

Em primeiro lugar no IGP deste ano, ficou a Nova Zelândia, destronando a Islândia – que caiu para o quarto lugar – como o país mais pacífico do mundo. Em segundo, está a Dinamarca, seguida por Noruega, Islândia, Áustria, Suécia e Japão. Completam os dez primeiros colocados Canadá, Finlândia e Eslovênia.

Chile em alta

O Chile é o melhor colocado da América Latina, na 20ª posição, uma atrás da obtida em 2008. Em seguida, dos vizinhos brasileiros, vem o Uruguai, em 25º. Entre os países desenvolvidos, os Estados Unidos ficaram em 83º lugar, bem atrás dos vizinhos canadenses (8º). O principal motivo para a má colocação dos americanos são as ameaças de terrorismo e criminalidade no país.

Índice Global da Paz

1. Nova Zelândia
2. Dinamarca
3. Noruega
4. Islândia
5. Áustria
6. Suécia
7. Japão
8. Canadá
9. Finlândia
10. Eslovênia

Por outro lado, a Europa foi considerada a região mais pacífica do planeta, com a maioria dos seus países entre os 20 primeiros colocados do ranking. Entre as exceções estão França (30º), Grã-Bretanha e Itália, os dois últimos juntos em 35º e 36º lugar, respectivamente.

De acordo com o IGP, embora tenha subido 14 colocações desde 2008, a Grã-Bretanha continua sob ameaça de terrorismo e criminalidade, além de registrar altas exportações de armamentos.

Já a Itália caiu oito posições (de 28 para 36) – os culpados também são a percepção da criminalidade e a proporção de agentes de segurança na população.

Em último na Europa está a Grécia, que caiu três posições principalmente por causa das revoltas domésticas que explodiram no país no ano passado, depois que um menino de 15 anos foi assassinado pela polícia.

Em último lugar no ranking global está o Iraque, arrasado pela longa guerra. Conflitos também arrastaram o Afeganistão para o penúltimo lugar e Israel para o 141º.

O pé do ranking IGP é completado por outros países em conflito, como Somália (142), Sudão (140), República Democrática do Congo (139) e Chad (138).


8 comentários

  1. V.Lemainski-Cascavel
    quinta-feira, 4 de junho de 2009 – 11:11 hs

    Disso qualquer um tem certeza….
    Precisamos reformar o Brasil….

  2. Gustavo Meneghel
    quinta-feira, 4 de junho de 2009 – 13:06 hs

    A ausência de comentários aqui retrata fielmente esse momento que estamos vivendo… ninguém tá nem ae pros nossos jovens que morrem diariamente executados pelo tráfico.
    Aqui na RMC deve ser uns 05 por dia.
    Esse país vive grave crise ética e moral.
    E o PT, nem o PSDB vai mudar isso.
    Quem vai?
    NÃO SEI.
    A sociedade civil organizada talvez…. quando acordar desse profundo sono…..

  3. Don Quixote
    quinta-feira, 4 de junho de 2009 – 19:08 hs

    O Estado Brasileiro faliu.
    No Paraná, tem mais de 50 mil criminosos condenados, que estão soltos. A polícia não tem gente, viatura, e local para meter essa gente.

    No País, são mais de 400 mil criminosos condenados pela Justiça, e todo dia cresce este índice. o caos já aconteceu na segurança pública. o Brasil faliu nesta área.

    Aí , vem uns artistas que querem prender quem não devolveu carteira de motorista.

    É demais para minha inteligência. Não façam isto comigo.
    Aí, aí, ai aiaiaiaiai

  4. Don Quixote
    quinta-feira, 4 de junho de 2009 – 19:10 hs

    Atenção, Lula e Requião, deputados (todos), vereadores, senadores (todos).

    Nosso País vive em estado de guerra fisiológica permanente.

    Acordem, acordem.

  5. 0rlando
    quinta-feira, 4 de junho de 2009 – 21:45 hs

    a violencia esta aumentando e o governo não faz nada….

  6. Cidadão Injuriado
    quinta-feira, 4 de junho de 2009 – 22:20 hs


    Falando em violência e da ação de marginais de toda ordem …

    Dizem alguns corretores de seguros que atualmente em Curitiba, são roubados por dia cerca de 25 veículos, quando em anos anteriores era o número de um mês. E, por conta disso nesse ano de 2009 os preços dos seguros subiram, apesar dos reflexos da crise financeira internacional, que fizeram cair a demanda por esses serviços de proteção ao patrimônio individual.

    Querem saber mais consultem a delegacia de furtos e roubos de veículos …Para onde vão esses veículos roubados ?

    Para o Paraguai e agora, também para a Bolívia e para abastecer de peças o comércio de Santa Catarina, parte de São Paulo e o proprio Paraná.

    Será que as autoridades paranaenses sabem disso ? Claro que sim e por que pouco ou nada fazem ?

    Boa pergunta e que fica a merecer uma rápida e boa resposta ! E ação policial saneadora, claro !

  7. Sãojoense Perplexo
    quinta-feira, 4 de junho de 2009 – 22:42 hs

    Sobre violência: roubos e sacrifícios em São José dos Pinhais.

    Roubo de vacas causa prejuízos a produtores rurais de São José dos Pinhais. Os Produtores rurais estão em pânico, diante da ação dos ladrões de gado.

    Depois da ocorrência de invasões e assaltos em chácaras localizadas em várias comunidades de São José dos Pinhais, visando bens materiais, agora os ladrões estão invadindo as propriedades rurais para roubar vacas, que são mortas no próprio local ou nas proximidades.

    Os moradores da região acreditam que os marginais, com este tipo de ação, visam a obtenção de carne, cujo destino ainda é ignorado. Esta situação acontece já há alguns meses, nas localidades da Cotia, Faxina, Campestre de Faxina e Campo Largo da Roseira.

    Num breve levantamento, estima-se que 12 animais (vacas leiteiras), de seis propriedades diferentes, já foram roubadas e sacrificadas.

    Fazendo uma conta rápida, o prejuízo passa de R$ 10.000,00 (dez mil reais), havendo animais sacrificados que valiam cerca de R$ 2.000, 00 a R$ 3.000,00 (três mil reais) por tratar-se de vacas leiteiras de alto potencial genético.

    Temendo consequências mais graves, a população das comunidades citadas cobram mais ação das forças policiais contra esses ladrões de gado, uma vez que eles andam armados, e a qualquer momento podem ferir pessoas .

    Descrentes da eficácia da ação policial e temendo represálias dos malfeitores, várias das vítimas omitem-se de efetivar o BOLETIM DE OCORRÊNCIA (BO), à única Delegacia de Polícia existente nesse município da região metropolitana de Curitiba.

    Aí pergunta-se: cadê as autoridades municipais e estaduais que nada falam ou fazem ?

    Será porque até agora o fruto de roubos e sacrifícios, são as vacas (sêres de quatro patas) ?

  8. Emanuel
    sexta-feira, 12 de março de 2010 – 23:19 hs

    Páis sem futuro…só por Deus….

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*