Travesti é encontrado morto em Curitiba. É o quarto assassinato em menos de um mês | Fábio Campana

Travesti é encontrado morto em Curitiba. É o quarto assassinato em menos de um mês

Mais um travesti foi assassinado em Curitiba. Foi o quarto assassinato registrado na cidade em menos de um mês. O travesti foi encontrado morto, durante a madrugada, dentro de um carro na rua Mamoré, bairro Mercês. Ele levou três tiros na cabeça e não portava documentos.

Testemunhas disseram que viram dois homens e uma mulher abandonando o carro. Entre o final de abril e o início de maio, três outros travestis foram mortos em diferentes pontos de Curitiba. Até então, a Delegacia de Homicídios não encontrou nenhuma ligação entre os crimes.


9 comentários

  1. Theshotgun
    terça-feira, 26 de maio de 2009 – 15:11 hs

    Curitiba precisa aprender um pouco de direitos humanos…

  2. O Povo
    terça-feira, 26 de maio de 2009 – 16:14 hs

    Esse sub mundos do crime estão sempre ligados diretamente as drogas, sexo, desajustes familiares e valores baixos de afeto e dignidade.
    Pena que devem ser pessoas pobres e humildes, que não tem vôz nem quem as possa representar!
    Lamentável a ocorrência de fatos dessa ordem que acabam sendo “rotineiros” com o passar do tempo!

  3. Guardalupe
    terça-feira, 26 de maio de 2009 – 17:28 hs

    Esse tipo de crime é coisa de nazista!!!

  4. BASEADO EM FATO!
    terça-feira, 26 de maio de 2009 – 17:38 hs

    Sim acho um injustiça a morte, porem temos que analisar caso a caso, já que a biba em questão estava com carro roubado, será que não estava havendo acertos de contas entre gangues “rosas”…

  5. drica
    terça-feira, 26 de maio de 2009 – 20:04 hs

    bom sem comentarios,eu sou jornalista e ja fiz um trabalho na faculdade sobre a vida das travestis,é uma pena que ainda aqui em curitiba,exista este tipo de fato afinal de contas sao seres humanos como nós,mesmo nao sabendo o que realmente aconteçeu,acho triste que em menos de 1 mes 4 travestis foram assasinadas,ta na hora de um bsata as pessoas tem que ser mais tolerantes com a opção sexual das pessoas,curitiba vai passar de capital modelo para capital desmodelo,desumana e pior a de gente ignorante e preconceituosa ,é o que todo mundo comenta de nós curitibanos.

  6. Freud
    terça-feira, 26 de maio de 2009 – 21:26 hs

    O desejo por ter relações homossexuais quando reprimido pode levar a psicoses deste tipo. Por certo, os assassinos se sentem atraídos sexualmente pelos travestis.

  7. Nina
    terça-feira, 26 de maio de 2009 – 22:19 hs

    Concordo com Guardalupe. Isso é coisa de neo nazista que acha que deve fazer limpeza social.
    Cambada de ignorantes…
    O problema só vai virar questão de discussão quando alguém for morto por engano num contexto desse. Aí, vai rolar marcha pelos direitos humanos, capinha mediocre na vejinha, reportagem no fantastico, etc…

  8. Deck
    quarta-feira, 27 de maio de 2009 – 12:01 hs

    Também já fiz um trabalho de faculdade com travestis.

    É um tema bastante complicado:

    1) De acordo com a última pesquisa realizada sobre a população curitibana, fica claro que a cidade é muito intolerante com os homosexuais;

    2) As travestis quase nunca denunciam agressões justamente por medo de represálias… por parte até mesmo da polícia;

    3) Existem sim drogas no meio. Mas é em uma pequena parcela. Não podemos generalizar.
    Fato é que, se a pessoa morta é humilde ou não tem influência, na primeira oportunidade, a polícia alega que era usuária de drogas.

    Exemplo disso é um amigo meu que foi morto no morro de Caiobá. Desceram para a praia em dois casais. O rapaz frequentava a Igreja Bola de Neve Church (não que isso o torne melhor ou pior).
    Ao encontrarem o seu corpo, como a família não estava sabendo do caso, disseram que era usuário de droga… e que encontraram crack nas suas roupas.

    Por que um rapaz iria deixar o casal de amigos e a namorada no ap para ir fumar crack a noite sozinho no morro?

    Um absurdo divulgado, mas que não resultou em nada. Mais uma manchete para os tablóides de Curitiba.

    Lamentável toda essa situação.

    Não são as “travecas” que estão morrendo gente, são pessoas, são seres humanos que estão sendo mortos pelo simples fato de não seguirem um “padrão” de costumes arcaicos.

    Tanto o governo municipal quanto o estadual devem interferir imediatamente nessa questão.

    Ou querem receber a Copa do Mundo numa cidade intolerante???

    Tem muito político homossexual (não assumido) ou que possui familiares gays. Eles vão esperar acontecer alguma coisa com eles para começar a agir?

  9. domingo, 14 de junho de 2009 – 9:57 hs

    poxa que triste e vergonhoso em 2009 sec 21 o ser humano ainda pensar desta forma , dsde de que o mundo é gira ja existe as diferenças e o povo ainda vive em funçao da vida alheia , travestis sim rapazes vitimas do requinte da crueldade de idiotas filho d e papai que c/ certeza sera abafadoo o caso logico afinal os travestis sao marginalizados porem nau se ve noticias de que travestis mataram pai e mae eles saem pelo mundo em busca da sobrevivencia pq? na maioria das a sociedade ipócrita nau da emprego , lembrandooo que o q? é d e costumes ver em cenas e fotos sao carros caros parandooo p/ eles embusca de prazer se se houve falar no maximo que o travesvti roubou o client ai qdo ele procura a justiça p/ contar sua verssao é ja de cARA ACUSADOO E TD A SOCIEDADE JA DISS TBM É TRAVESTI NA EUROPA SIM AS PESSOAS RESPEITAM E OS HOMENS VALORIZAM E QDO PROCURAO OS PRESTIMOS DE UM TRAVESTI ELE PAGAM SEM PESTANEJAR JA AKI NO BRASIL A DESVALORIZAÇAO E´ GDE AINDA SAO AGREDIDOS POR TDS ATÉ MESMO PELA PROPIA AUTORIDADE (POLICIA )

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*