Requião exige e a Assembleia aprova aumento de apenas 6% para o funcionalismo | Fábio Campana

Requião exige e a Assembleia aprova aumento de apenas 6% para o funcionalismo

372-assembleia-rb100531

O governo aprovou como quis o aumento salarial do funcionalismo. Nada mais que 6% e sem nenhuma emenda. As do PT foram reunidas em bloco com as demais da oposição, estratégia que obrigou a bancada do PT a se abster na votação para não ajudar a aprovar emendas de tucanos, democratas e do PPS.

Os governistas não deram importância para as galerias tomadas por funcionários. Nem se deixaram sensibilizar pelo argumento que explorou a contradição de um governo que propôs e aprovou 15% de aumento no salário mínimo para os trabalhadores da iniciativa privada, mas que não quis dar mais que 6% para os seus próprios funcionários.

O Fórum sindical vai se reunir para avaliar a derrota e decidir seu próximo passo. Para saber tudo sobre o debate a votação, inclusive quem votou e como votou, clique no Leia Mais.

Os deputados estaduais da base governista ficaram intimidados com as recentes ameaças do governador Roberto Requião e derrubaram as emendas propostas pelos deputados da Oposição ao projeto que prevê a reposição da inflação ao salário dos servidores públicos estaduais. Na “Escolinha” da última semana, o governador declarou que aqueles deputados que votassem favoráveis às emendas não contariam mais com as benesses do governo.

“É lamentável chegar a esse ponto. Os poderes tem que trabalhar de forma harmoniosa, mas de maneira independente. A ameaça se fez valer e não conseguimos número suficiente para aprovar um aumento efetivo aos servidores”, declarou Élio Rusch (DEM), líder da Oposição.

Entre as emendas apresentadas, a bancada oposicionista previa um reajuste de 15% e o pagamento do novo valor já no mês de maio, e não apenas 6% a ser pago de acordo com a disponibilidade financeira do Estado, como proposto pelo governo.

“Visávamos uma coerência. Se aprovamos 15% de aumento para o salário mínimo regional que é pago pela iniciativa privada, nada mais justo do que manter o mesmo percentual para os servidores. O lobby foi forte não só do Executivo, mas também do partido do governo sobre alguns deputados”, defendeu Rusch.

Segundo o deputado a atitude dos oposicionistas em requerer um aumento similar ao concedido à iniciativa privada foi baseada os argumentos do próprio governo.

“Em março quando enviaram o reajuste para o salário mínimo regional o governo afirmou que havia um aquecimento da economia e que o setor privado poderia suprir. Se há aumento nas vendas, consequentemente a arrecadação do estado também aumenta”, argumentou Rusch.

O deputado Valdir Rossoni (PSDB) lembra que votou favorável ao reajuste do salário mínimo regional por entender que o governo havia feito um estudo técnico que viabilizasse a proposta e também que seguiria uma similaridade na proposta de reajuste do servidor.

“Não tem justificativa tratar de maneira diferenciada. A partir do momento que o governo dá um tratamento a um setor o governo tem que dar o exemplo aos servidores e não tratar de modo diferenciado”, afirmou.

Rossoni questionou ainda a pressão do governador sobre os deputados, principalmente do Partido dos Trabalhadores.

“Vi uma divisão que não consegui entender. Os deputados do PT se recusaram votar em bloco porque não queriam votar as emendas da Oposição. Justo o PT que teria que representar o servidor público’, disse. “As ameaças do governador foram claras. Vi deputado quase que pedindo desculpas aos servidores porque foi enquadrado. Que poder tem esse homem que intimida tanto?”, questionou relatando que não há nenhuma grande obra no estado, grandes benefícios aos municípios que justifique o amedrontamento de alguns deputados.

Decretos

O deputado Douglas Fabrício (PPS) lamentou a incoerência do governo com os reajustes do quadro de funcionários do Estado.

“Enquanto que para os servidores, que são a maioria, o reajuste é de apenas 6% para alguns diretores de autarquias e hospitais o aumento chegou a 62%”, alertou.

Segundo Fabrício o governador teria concedido esse aumento salarial por decreto, sem a necessidade de aprovação do Legislativo.

O deputado Reni Pereira (PSB) disse que o governador não está fazendo mais do que a obrigação ao conceder 6% de reposição da inflação aos servidores.

“Há uma lei de 2007 que determina que no mês de maio o governante tem que repor a inflação dos últimos 12 meses. Não haveria nem a necessidade de enviar um projeto de lei para a Assembleia, bastaria um decreto do governador”, alertou.

Pressão

O deputado Mauro Moraes (PMDB) foi o mais ameaçado pelo governador e também por seu partido. Advertido diante de uma possível expulsão e perda do mandato o deputado pediu a retirada da votação das três emendas que havia apresentado.

Amparado com o regimento interno, o deputado Marcelo Rangel (PPS) conseguiu manter as emendas em votação.

“A emenda havia recebido mais de cinco assinaturas. Todos aqueles que assinaram foram coautores da proposta. Infelizmente, mais uma vez, a máquina governista barrou a aprovação de benefícios aos servidores”, lamentou Rangel.

Votação

O projeto foi aprovado em segunda votação pelos 51 parlamentares presentes à sessão. O deputado Augustinho Zucchi (PDT) não votou por estar presidindo. Os deputados Carlos Simões (PR) e Fernando Carli Filho (PSB) estão de licença.

As emendas foram rejeitadas por 15 votos favoráveis, 33 contrários e 3 abstenções.

Deputados que votaram favoráveis às emendas que beneficiariam os servidores: Ademar Traiano (PSDB), Antonio Belinati (PP), Durval Amaral (DEM), Luiz Carlos Martins (PDT), Marcelo Rangel (PPS), Ney Leprevost (PP), Osmar Bertoldi (DEM), Pastor Edson Praczyk (PRB), Plauto Miró (DEM), Professor Lemos (PT), Reni Pereira (PSB), Tadeu Veneri (PT) e Valdir Rossoni (PSDB).

Deputados que votaram contrários às emendas que beneficiariam os servidores: Ademir Bier (PMDB), Alexandre Curi (PMDB), Antonio Anibelli (PMDB), Artagão Júnior (PMDB), Bete Pavin (PMDB), Caíto Quintana (PMDB), Chico Noroeste (PMDB), Cida Borghetti (PP), Cleiton Kielse (PMDB), Dobrandino da Silva (PMDB), Dr. Batista (PMN), Duílio Genari (PP), Edson Strapasson (PMDB), Fábio Camargo (PTB), Felipe Lucas (PPS), Fernando Scanavaca (PDT), Francisco Bührer (PSDB), Jocelito Canto (PTB), Jonas Guimarães (PMDB), Luiz Accorsi (PSDB), Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), Luiz Eduardo Cheida (PMDB), Luiz Fernandes Litro (PSDB), Luiz Nishimori (PSDB), Mauro Moraes (PMDB), Miltinho Puppio (PSDB), Nelson Justus (DEM), Nereu Moura (PMDB), Pedro Ivo (PT), Rosane Ferreira (PV), Stephanes Junior (PMDB), Teruo Kato (PMDB), Waldyr Pugliesi (PMDB)

Deputados que se abstiveram da votação: Luciana Rafagnin (PT), elton Welter (PT) e Péricles de Melo (PT).

Deputados que não votaram: Augustinho Zucchi (PDT) que presidia a sessão, Carlos Simões (PR) e Fernando Carli Filho (PSB) que estão de licença.


26 comentários

  1. JOÃO
    terça-feira, 19 de maio de 2009 – 21:56 hs

    SENÃO NÃO SOBRA PARA ASSEMBLÉIA!!!!

  2. Jaferrer
    terça-feira, 19 de maio de 2009 – 22:01 hs

    O PT é uma vergonha mesmo! Como comentei em matéria anterior, na hora da votação é que saberíamos quem realmente defende os trabalhadores com coerência. O Elton Welter, lider do PT subserviente, que antes da ameaça do Duce arrotava independência e convicção para defender as emendas desse projeto medíocre, meteu o rabo entre as pernas e não teve coragem sequer de se posicionar e votar. É um insignificante que envergonha a cidade de Toledo. Até o Duílio, com a sua já tradicional tendência para votar a favor do governo (seja ele qual for), se mostra mais corajoso do que o nosso nobre papagaio de pirata.

  3. Luis Konig-Contenda
    terça-feira, 19 de maio de 2009 – 22:50 hs

    POR QUE NÃO EXISTE CRITICA TÃO CONTUNDENTE AO AUMENTO DADO AO FUNCIONALISMO PUBLICO NOS DIVERSOS MUNICIPIOS, TODOS EM MÉDIA DE 6%, O QUE ACREDITO TAMBÉM FOI DADO EM CURITIBA. QUEM ESTÁ MANOBRANDO…? QUANTO BETO RICHA CONCEDEU?

  4. Luis Konig-Contenda
    terça-feira, 19 de maio de 2009 – 22:58 hs

    Os deputados citados, já que pelo que se evidecia na mídia, base de apoio do prefeito Beto Richa, tiveram o mesmo empenho com os funcionários da Prefeitura Municipal de Curitiba, e teriam a mesma opinião?????
    “Deputados que votaram favoráveis às emendas que beneficiariam os servidores: Ademar Traiano (PSDB), Antonio Belinati (PP), Durval Amaral (DEM), Luiz Carlos Martins (PDT), Marcelo Rangel (PPS), Ney Leprevost (PP), Osmar Bertoldi (DEM), Pastor Edson Praczyk (PRB), Plauto Miró (DEM), Professor Lemos (PT), Reni Pereira (PSB), Valdir Rossoni (PSDB).”
    TALVEZ AINDA NÃO SOMOS INTELIGENTES O BASTANTE PARA ENTENDER POR ONDE CAMINHAM OS INTERESSES POLÍTICOS, MAS AÍ TAMBÉM JÁ É DEMAIS…

  5. SAULO FARIAS
    terça-feira, 19 de maio de 2009 – 23:46 hs

    9MATÉRIA DA GAZETA DO POVO)Deputados do PT, que apresentaram cinco emendas ao projeto, votaram contra as próprias emendas. Dos cinco petistas da bancada, apenas Tadeu Veneri e José Lemos, votaram a favor. Luciana Rafagnin, Elton Welter e Péricles Melo se abstiveram de votar. Pedro Ivo votou contra as emendas do próprio partido.
    Esses petistas não valem os feijão que come, se é que comem feijão! Oh gentinha ordinária. Esses sim são os chamados “vendilhões”. Cuspiram na bandeira do seu partido.Até onde esses demagogos irão? Ainda tem gente que confia nessa corja…A meia dúzia de gatos pingados que estavam no plenário, ficaram desnordeados com a atitudes dos nobres parlamentares do PT..Ou reza pra Deus ou se vende pro Diabo…decidam seus sem-vergonhas!Devem estar mamando e mamando bem nas tetas do governo…Bando de paga paus do governador Requião…VERGONHA!!!!
    Se realmente os petistas queriam aprovar as emendas, pq não encheram as galerias? Quando eles querem, as coisas acontecem..O que ocorreu de fato, foi o rabopreso dessa corja..SERVIDORES!!! ABRAM OS OLHOS, VOCÊS ESTÃO SENDO ENGANADOS!

    “O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE..CONFIAR EM PETISTA É PREJUDICIAL A SAÚDE!!!!

  6. Vigilante do Portão
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 4:08 hs

    Para com isso Koing, a discussão é sobre o fato de que o Requião, para fazer proselitismo, mandou as empresas e os particulares darem 15% de reajuste aos seus funcionários, sob o argumento de que “melhores salários aumentam o consumo e geram mais empregos…” entretanto, não usa a mesma idéia quando se trata de reajustar os salários dos servidores.
    O caso de Curitiba é diferente, desde o Cassio a prefeitura dá reajuste baseado na inflação, enquanto o Requião passou a fazer isso somente nos 3 últimos anos e, em muitos casos, o aumento foi apenas sobre o vencimento-base, esquecendo as gratificações, gerando uma grande defasagem no poder de compra.
    É bem verdade que para algumas categorias, principalmente as que possuem mais capacidade de mobilização, como o professorado, o esperto governador deu reajustes maiores

  7. PORVA
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 8:18 hs

    Fabio
    Devemos deixar de balelas.
    Pq só os Funcionários Públicos Estaduais merecem 15% , se Todos nós da iniciativa privada tivemos apenas 6 %?
    LUIZ KONIG CONTENDA, esse Deputados citados por VC, em um eventual Governo PSDB-DEM-PPS votariam reajuste ZERO!
    VC lembra do Peruca Dias e seus Cavalos em cima dos Professores?
    Ative sua memória!
    Chega de balelas!

  8. MANECO- TELECO-TECO
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 8:33 hs

    O QUE MUITO ME ADEMIRA É QUE AINDA TEM GENTE ( SERVIDORES) QUE CONFIAM NO …..PT…., COLEGAS ESSA CAMBADA SÓ FAZ PRESSÃO E BARULHO QUANDO INTERESSA SOMENTE A ELES,
    ESSES PTQUIÃO DEVERIAM SER BANIDOS DO PARANÁ, E A PRESIDENTE DO PT NO PARANÁ ( baby Gleise) NÃO VAI SE MANITESTAR CONTRA SEUS PARLAMENTARES, CAMBADA DE…….

  9. Caiçara
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 8:57 hs

    Em outros partidos também……..Todos com interesses, todos sórdidos, isso vem do tempo que mandavam caravelas para cá.
    Caravelas cheias, tudo “gente boa”

  10. SYLVIO SEBASTIANI
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 9:06 hs

    Os deputados que qpresentaram Emendas para aumentar os salários do servidores público, fizeram média ou fizeram os servidores público de bobos, de idiotas.Fazendo Emendas para aumento de 15% dos salárisos, sabendo que quen manda é o Governador. Agora, no próximo ano, sim , os servidores terão um aumento razoalvel, maios qie o justo,por diversos motivos: O Governador é candidato à Senador e sai do Governo, quem vai pagar é o próximo e o deputados estaduais preciam de suas reeleições e principalmente: dos votos dos servidores públicos, que por alegria do aumento satisfatório, irão todos, todos todos,votar pela reeleição desses atuais deputados, que “não se esqueceram dos servidores públicos do Paraná!. Eles são tão bonzinhos!!!! Deram aumento !!!

  11. José Russomanno
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 9:16 hs

    Oras bolas, o governador sabe onde aperta o seu calo.Ele sabe onde gastou demais, ou até que gastou errado e que agora não deve gastar com o que é mais importante, à dignidade de um homem.
    Requerer uma melhoria salarial não é ofença a ninguém, pelo contrário, é digno de quem está realmente necessitando à sustentação de sua família.
    Sensibilidade não é para todos, ainda mais para o senhor Governador, que todo mundo conhece bem.
    Devemos pedir seu comprometimento com a folha do estado em porcentagens???
    Fica a pergunta…..!!!

  12. Sei não
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 9:55 hs

    Veja só o Sr. Reni Pereira, funcionário público (é auditor) e votando contra os colegas, quem diria ….

  13. Che Guevara
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 10:10 hs

    É nestas horas que o despota do Canguiri olhando para a sua “coleção de miquinhos amestrados” diz:

    Tá tudo dominado!

  14. observador
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 10:18 hs

    GREVE GERAL NO ESTADO.. malditos deputados… maldito governador.. maldito reajuste..

  15. quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 10:28 hs

    Roubaneli mandou e a turma obedeceu, sentou direitinho como o “grande líder” mandou. O resto foi tudo jogo de cena, emendas, aumento de 15%, mauro moraes, petezada…. que nada, roubaneli manda e a tigrada senta. É bom ressaltar que tem muita gente aí que gosts mesmo é de sentar!

  16. mst
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 10:32 hs

    PT partido dos Trairas,lembraremos de vc no ano de 2010, dona Gleise saia deste partido se pretende ser a nossa senadora,caso contrario amargara outra derrota

  17. Carmem Sousa
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 10:42 hs

    É ridícula esta discussão. Os servidores tão dizendo que os deputados estão contra a população. Que nada, a população não recebeu 6% de aumento nem aqui, nem na China. Eles querem é encher os bolsos deles prá ficarem tomando cafezinho nas repartições.

  18. Pedro Vigário Neto
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 10:51 hs

    – “O mundo não está ameaçado pelas pessoas más, mas sim por aquelas que permitem a maldade.” (Albert Einstein)

    abraço.

  19. quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 10:57 hs

    ONDE ESTÁ A GLEISI ! POR ONDE ANDA A CATERVA PETISTA QUE NÃO SAI EM DEFESA DOS FUNCIONÁRIOS. CORJA DE VAGABUNDOS, SANGUESSUGAS, COVARDES. NÃO QUEREM PERDER OS CARGOS. PREFEREM VIVER HUMILHADOS, SOB AS BOTAS DO NEPOTISTA JURAMENTADO.

  20. O Povo
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 11:05 hs

    Requião exige?
    E os operários/deputados do PMDB + PT + uns agregados, cumprem fielmente as ordens do velhaco nepotista!

  21. ronaldo
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 11:07 hs

    Perguntar não ofende, esses dito deputadozinhos dessa casinha de leis são empregados do partidinho, desse governinho ou do Povo do Paraná !

  22. leitor
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 11:56 hs

    Sr. Reni Pereira, funcionário público (é auditor) , nunca houve interese ou manifestação, por parte do deputado nem pra auditor, ou outra classe, e espera a tal reelição!

  23. Teodoro
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 12:29 hs

    Quanta mediocridade senhores Deputados!

  24. maria souza
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 14:38 hs

    Prefiro comentar a atitude coerente dos Dep. Profº Lemos e Tadeu Veneri. Parabéns, vocês mantém a esperança de que no PT tem bons petistas que estão junto com os trabalhadores em todos o s momentos. Quanto aos petistas que votaram contra os servidores, é melhor nem dizer os nomes, pois estes devem ser esquecidos na próxima eleição (principalmente o PI) que de tão atrapalhado vota contra as emendas que assinou e a favor do Requião para receber as benéces do poder.

  25. Recíproca
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 14:40 hs

    A melhor solução é conceder também 6% de votos para Requião na próxima eleição.

  26. barrichelo
    quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 15:18 hs

    hei,hei. pode parar. porque so o pt? e os outros de outros partidos? olhjo vivo nessa raça.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*