Polícia Rodoviária Estadual fora das estradas federais do Paraná | Fábio Campana

Polícia Rodoviária Estadual fora das estradas federais do Paraná

De Mauri König na Gazeta do Povo

O Batalhão de Polícia Rodoviária da PM do Paraná – também conhecido como Polícia Rodoviária Estadual (PRE) – suspendeu ontem à tarde a fiscalização nos 3,4 mil quilômetros de estradas de rodagem federais que cortam o Paraná. A decisão foi tomada pelo governo do estado horas depois da publicação do acórdão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região determinando que a Polícia Militar se retirasse das rodovias federais. O Tribunal ordena, ainda, que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) assuma o controle e determina a devolução dos valores arrecadados com multas aplicadas pela PM nesses trechos. O procurador-geral do estado, Carlos Frederico Marés de Souza Filho, considera a decisão um prêmio aos infratores.

Os cerca de 260 policiais militares que atuam nas rodovias federais não estão emitindo multas nem Boletim de Ocorrência, mesmo em caso de acidente, mas permanecem nos postos para proteger o patrimônio público. O trabalho agora se restringe a atender emergências. Já a Superintendência da PRF no Paraná, mesmo não tendo sido notificada sobre a sentença, tem um plano de ação e mobilizará policiais para atender as rodovias federais no início da semana que vem. Segundo a assessoria de comunicação, uma prova da capacidade de mobilização pôde ser vista nos Jogos Pan-Americanos de 2006, no Rio, quando a PRF mobilizou 2 mil policiais praticamente do dia para a noite.Marés não vê problemas para o estado em ceder à PRF os 24 postos construídos pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), que executa essas multas. Ele só não concorda com a sentença que determina o ressarcimento das multas. Esse item do acórdão será questionado pela Procuradoria na Justiça. Os outros dois (saída da PM e ingresso da PRF) ainda serão analisados pelo governo. “Se tivesse que sentar agora no computador para redigir o recurso, o do item 3 eu saberia exatamente como fazer, os outros dois ainda teria de analisar”, disse Marés.

Apesar de o estado já estar cumprindo parte da sentença do TRF-4, Marés a considera equivocada. “Ambas [PRF e PM] têm poder de polícia e a ordem de retirada de uma delas é um prêmio para os infratores”, diz. “O que se deve fazer é coibir a infração, não importa por qual polícia. É como imaginar que um bandido assalta na esquina e só a Polícia Federal pode prendê-lo porque o bandido é federal.” O procurador, contudo, entende que o resultado não é de todo ruim para o estado, pois os policiais que estavam nas rodovias podem reforçar o policiamento nas ruas.

A PRE opera 24 postos de fiscalização em 3,4 mil quilômetros de vias federais no estado, enquanto a PRF está em pouco mais de mil quilômetros. A polícia paranaense assumiu esses trechos por meio de convênio de 27 de setembro de 1978, entre o extinto Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER) e o DER-PR para conservação e policiamento. Com base na legislação constitucional e legal, o TRF-4 reconheceu a impossibilidade de se delegar a fiscalização das rodovias federais como foi feito pelo DNER, sucedido pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

O Tribunal entendeu que, mesmo sendo legal à época da assinatura, o convênio perdeu a validade após a promulgação da Constituição de 1988. No entendimento do desembargador federal Valdemar Capeletti, se antes a PRF estava subordinada ao DNER, uma autarquia federal, a partir da Constituição isso deixou de ocorrer. A PRF passou a ser órgão permanente, organizado e mantido pela União. “Deixou de ser possível admitir, pois, que DNER pudesse, sem a interveniência da União, delegar competência que não mais lhe pertencia”, diz o despacho judicial.

Ao fundamentar seu voto, aceito por unanimidade pela 2ª Seção do TRF, Capeletti ressalta que a Constituição Federal e o Código de Trânsito Brasileiro atribuem exclusivamente à PRF (integrante da administração pública federal direta e, portanto, não subordinada ao extinto DNER ou ao seu sucessor, o DNIT) a competência para fazer patrulhamento ostensivo nas rodovias federais, bem como aplicar e arrecadar multas por infrações de trânsito, entre outras atribuições.


29 comentários

  1. Jorge
    sábado, 16 de maio de 2009 – 11:19 hs

    Infelizmente muito órgãos responsáveis pela fiscalização do trânsito demonstram muitas falhas. Entre tantas, uma ânsia arrecadadora impressionante. Vou me restringir, agora, a um deles especificamente: a Polícia Rodoviária Federal.
    Radares escondidos, fotografando incessantemente, são uma rotina impressionante! Preferencialmente em rodovias de pista dupla, onde a velocidade máxima é de 110 km/h na maioria dos trechos mas, estranhamente, os radares são, quase sempre escondidos em um buraco de mureta qualquer ou arbusto providencial, ladeado por uma viatura descaracterizada.
    Prevenção e ostensividade? Para quê? Fiscalização dos veículos e educação de condutores? Para quê? Sinalizar eficientemente acidentes e finais de fila? Para quê? O importante é arrecadar! Ou então, participar de alguma ação espetaculosa com a Polícia Federal, a Receita, o Ibama, o Ministério do Trabalho ou uma força-tarefa qualquer que vá dar ibope! Aparecer na mídia também é importante. Mas, a Constituição Federal também não concede competência fora das rodovias federais para a PRF. Por que quando a PRF excede absurdamente sua competência, nenhum procurador movimenta a justiça, visando barrar esse desvio de função? Vamos falar um pouco do nosso quintal.
    E a Linha Verde? É uma avenida ou uma rodovia? Em uma mesmo dia, quem sabe em uma mesma hora, encontramos a PRF e a Diretran fiscalizando a mesma via. De quem é a competência?
    Se o município administra aquele trecho da antiga rodovia, o que lá faz a PRF? E o mais estranho: passe em horários de congestionamento na Linha-Verde e será mais fácil encontrar um elefante indiano do que uma viatura da polícia rodoviária federal orientando o tráfego o minimizando o caos.
    Passe a noite e encontrará muitas delas e seus eficazes agentes multando. E arrecadando. Nas marginais, nas avenidas que cruzam, nas esquinas e nas canaletas. Ou então, durante o dia, em momentos tranquilos, com um radarzinho escondido em uma curva ou sob um viaduto. Multando e arrecadando.
    Mais algumas questões, hoje que estou excepcionalmente curioso: a Polícia Rodoviária Federal aboletou-se em assumir todas as rodovias federais que cortam o Paraná e que são policiadas pela Polícia Militar Estadual.
    Tem a PRF efetivo para assumir todos estes trechos e seus milhares de quilômetros? Tem a PRF condições de imediatamente bem exercer o policiamento e a fiscalização nestas rodovias? Dizem que tem uma capacidade de mobilização incrível. Quanto tempo durou o Pan?
    A PRF quer efetivamente assumir todas as rodovias federais paranaenses, inclusive as mal conservadas, esburacadas e mal sinalizadas? Ou somente as pedagiadas, duplicadas e onde há ambulâncias e guinchos, sobrando tempo para esconder radares e multar. Ah, e arrecadar!
    Será que há interesse da PRF em colocar as mãos no sangue de vítimas de acidentes, retirar da pista carros avariados pelos buracos e enxergar através da poeira?
    Nem sabemos se a PRF do Paraná sabe o que é poeira. Talvez só saibam o que é asfalto. Do bom onde o radar arrecada bem e enche os cofres. Mas, é só desabafo no mar de erros das autoridades…

  2. fred
    sábado, 16 de maio de 2009 – 12:30 hs

    esse tribunal da 4ª região deve ficar em lisboa, não é possível, de tempos em tempos somos agraciados com mais uma trapalhada. enquanto isso na sala de justiça…

  3. Mustafah
    sábado, 16 de maio de 2009 – 13:52 hs

    Agora, finalmente vamos ver sairem das estradas policiais que lá são mantidos por suas ligações com políticos estaduais, vai ser o fim de algumas escressências, como soldados intocáveis em razão de seus favores a deputados e não por seus serviços a comunidades, postos da PRE com 3 sargentos enquanto faltam esses profissionais nas cidades e a PM. A população só tem a ganhar

  4. Sandro
    sábado, 16 de maio de 2009 – 17:14 hs

    Decisão absurda que, além de premiar os infratores que, se não queriam ser multados que andassem nos limites legais e não teriam qualquer polícia ou agente de trânsito, seja federal, estadual ou municipal, a incomodá-los. Ora, nós brasileiros temos um hábito interessante, sempre culpamos os outros pelo nosso erro. Está errado se autuar os motoristas infratores??!!! O que isso??!!! Errado está quem descumpre a lei e, justamente por isso, causa sérios danos a sua própria vida e a de terceiros, assim como ocorreu no triste episódio envolvendo o deputado paranaense. As vítimas estariam erradas por morrer, devido a completa imprudência criminosa do parlamentar?? Acho que não. Portanto, a decisão do TRF 4 é um desserviço ao país e, mais precisamente, ao Estado do Paraná, pois nós paranaenses que transitamos por tais estradas federais vamos ficar à mercê de maus motoristas que, se erravam mesmo com a presença da nossa polícia rodoviária estadual, agora vão realizar barbaridades. Entendo que o magistrado deve ter liberdade plena para decidir e ninguém pode pressioná-lo a adotar essa ou aquela alternativa legal, porém também entendo que todos nós, inclusive os magistrados, devemos ser responsáveis por nossos atos. Gostaria de saber se, com tal decisão irresponsável do TRF 4, quando muitos prejuízos econômicos e de vidas estiverem acontecendo e a União ser chamada à responsabilidade pelas vítimas por tal caos, que certamente ocorrerá, ela exercerá seu direito de regresso contra os que assim decidiram, ou seja, os magistrados federais que atuam no TRF 4. Pois, por determinação deles é que o Batalhão de Polícia Rodoviária da PM irá sair das estradas federais que cortam o Estado do Paraná, portanto, eles deveriam ser responsabilizados por todas as mazelas que advier deste ato irresponsável. E nem se diga que a competência é da P.R.F., pois desde sempre muitas estradas federais são fiscalizadas pela P.R.E. e não só aqui no Paraná não, devido a convênios e delegações que, previstas em lei, são realizadas entre os entes da República. Portanto, se o TRF 4 entende incorreta tal situação, que adotasse uma decisão mais sábia, impondo-se condições para a retirada do policiamento estadual que hoje é feito, determinando à União que assuma tais estradas e não simplesmente a retirada da polícia que faz um serviço bastante importante à população hoje, não apenas fiscalizando o cumprimento da legislação de trânsito, mas também dando segurança aos cidadãos. Volto a dizer, completa e absurda irresponsabilidade no trato do interesse público pelo TRF de Porto Alegre, bem se vê que os juízes estão precisando descer do Olimpo e dar uma olhadinha no mundo real antes de decidir, o ministro Barbosa do STF que o diga, ele bem percebe essa realidade na corte onde trabalha.

  5. Carlos-Cajuru
    sábado, 16 de maio de 2009 – 22:33 hs

    Assim é bom, pois a industria dda multa do Sr Req

    Ei cerebro, oque voce vai fazer esta noitre?

    O que faço todas as noites Pink,
    tentar conquistar o mundo!

  6. Zé do Coco
    domingo, 17 de maio de 2009 – 7:39 hs

    O tribunal agiu corretamente, embora assim não pensem as pessoas em geral. Se aquilo é rodovia FEDERAL, não tem nada que usar efetivo policial rodoviário estadual.
    Ei gente, por favor, né? É simples assim, vamos parar de fazer joguinho demagógico à la Requião.

  7. Celso Luiz
    domingo, 17 de maio de 2009 – 15:17 hs

    Interessante a decisão do TRF, pois simplesmente cumpriu o estabelecido pela CF/88…caso isto nao ocorresse, distorções diversas poderiam ocorrer, tais como, a guarda municipal começar a desenvolver o policiamento ostensivo e reservado sem qualquer ressalva, contrariando por completo a sua missão constitucional…
    Agora, já que a decisão legal foi tomada e o Governador do Estado determinou a imediata devolução das rodovias federais a PRF, que seja o efetivo do Batalhão Rodoviario do Estado alocado naqueles postos em rodovias federais, de forma imediata, sejam transferidos para os Batalhões da Policia MIlitar das cidades onde trabalhavam, aumentando com isto o efetivo que fazem o policiamento das cidades e que atualmente, estão defasados…
    É importante ressaltar que quando adentramos na POlicia Militar do Paraná, nao entramos apenas para trabalhar em certas unidades da POlicia Militar, como a Rodoviara, Ambiental ou Escolar, e sim, somos capacitados pra exercer a função policial em qualquer unidade e em qualquer local do Paraná..
    Não haverá qualquer prejuizo à segurança das rodovias do Estado com a saida da Policia rodoviaria do Estado das rodovias federais, pelo contrário, os municipios que hoje pedem socorro pelo aumento da insegurança e pela diminuição do efetivo policial, vão com certeza agradecer…
    O Governo do Estado foi sábio em sua decisão de respeitar a justiça, agora falta para complementar a ordem legal, que o efetivo da Policia Rodoviaria seja remanejado para as unidades operacionais que atendem diretamente a comunidade…
    A população do Estado agradece…

  8. Jorge
    segunda-feira, 18 de maio de 2009 – 9:59 hs

    Algumas questões: A Polícia Rodoviária Federal possui competência para atuar em investigações de crimes federais ocorridos fora das rodovias?Pode cumprir mandados de prisão relacionados à crimes não relacionados ao trânsito nas rodovias federais? Pode cumprir mandados de busca e apreensão absolutamente distintos das atribuições constitucionais a ela destinadas? Por que a justiça federal não atua coibindo os desvios de função quando a Polícia Rodoviária Federal atua em desconformidade com a previsão constitucional?

  9. Carlos Roberto
    segunda-feira, 18 de maio de 2009 – 10:29 hs

    Iluminado Desembargado Valdemar Capeletti, que retira de nossas estradas o PM Rodoviária do Paraná e devolve quem é competente para fazer a fiscalização, agora me sentirei tranquilo ao viajar nessas estradas, sei que poderei ir visitar meus parentes e não sofrer nenhum tipo de medo nos Postos de fiscalização. A Justiça Divina foi feita.

  10. Lingua de Krocodilo®
    segunda-feira, 18 de maio de 2009 – 12:24 hs

    Voltando de SC, observei um sujeito na beira da estrada, manipulando um equipamento…ele não estava com o fardamento da PRF e eu só fiquei sabendo que aquele equipamento era um radar ao receber em casa uma multa por estar 20% acima dos 80 permitido na subida da serra. Não questiono a multa, eu estava errado, e sim a forma, pois aquele sujeito a paisana não era um policial e sim alguem prestando serviços a PRF. Sabemos que este procedimento é permido, pois o carro ainda estava estacionado de maneira irregular no acostamento da esquerda e era uma parati branca.
    Na multa consta um numero identicando o inspetor, pois duvidei.

    A multa foi paga e eu espero a oportunidade de fotografar aquele sujeitinho para espalhar na rede.

    Prestem atenção.

  11. honesto
    segunda-feira, 18 de maio de 2009 – 18:28 hs

    Ocorre que , na PM, todo mundo tem que fazer faqvores políticos e administrativos, o sgto fla e o soldado obedece, acontece coisas terríveis, inimagináveis!!! A PRF, não tem ingerÊncia, o PRF tem autonomia, aí é uma polícia melhor, além do que é preparada para tal, diferente da PM, ondo o cara não é concursado e tem que puxar muito saco para ir para a PM RODOVIÀRIA!!!
    Ainda assim não vou discutir o aspecto corrupção, qual vcs acham que se corrompe mais???? tá na cara, a record mostrou domingo os contrabandistas falando que pagam dinheiro para PM e Civel mas que a PRF e PF a coisa é diferente!!!

  12. linha dura.
    segunda-feira, 18 de maio de 2009 – 22:01 hs

    O povo do PR está de parabéns, pois é um absurdo ser multado por um órgão de trânsito que não possui competência legal para tal.Cumpra-se a Lei e depois veremos se mudou ou não, aí poderemos elogiar-mos ou criticar-mos o TRF4.

  13. Diego Souza
    terça-feira, 19 de maio de 2009 – 2:48 hs

    A decisão foi corretíssima. A PM estava atuando de forma irregular e a PRF é uma polícia muuuuuito mais qualificada que a militar.

    Vamos ser realistas! Quem viaja o estado todo, como eu, sabe como é difícil lidar com a RODOVIÁRIA ESTADUAL. Sempre sou “mordido” por eles. Já a RODOVIÁRIA FEDERAL a coisa é mais séria, não tem perdão: ou vc anda certo ou é multado mesmo, mas não mordido.
    Qto as reclamações sobre radar, isso é típico de quem foi multado e não assume a culpa. Tenho amigos na PRF e sei que os radares são operados apenas por Policiais. E claro, o radar tem que ficar em algum cantinho, do lado da pista, pois se ficar no meio da pista os carros passariam por cima!!!

    E tem mais, eu viajo o estado todo e nunca recebi multa por excesso de velocidade. É muito simples: é só prestar atenção nas placas que indicam o limite de velocidade!!!
    Os bons motoristas estão comemorando, enquanto os infratores estão lamentando!

    E para finalizar, de fato, como alguns já comentaram, na PRF não tem político dando ordens, como acontece na Militar. Meus amigos da PRF já me contaram casos de políticos que cometeram infração, esbravejaram, ameaçaram, mas… foram multados!!!

  14. policial
    terça-feira, 19 de maio de 2009 – 17:45 hs

    NA VERDADE ISSO É BOM MESMO, EU NÃO PASSO DE UMA MARIONETE NA MÃO DOS OFICIAIS,´DÁ ATÉ RAIVA, CONVERSO COM OS PRFs E OS CARAS PODEM MULTAR QUEM QUIZER, ENQUANTO AKI, SE UM PRIMO DE SARGENTO FIZER A MAIOR CAGADA E A GENTE MULTAR, É SÓ ESCALA EXTRA, AINDA VÃO CANCELAR A MULTA!!!! EU TB TÔ ESTUDANDO PARA UM DIA SAIR DESTA LAMA QUE É A PM!!!

  15. rodrigo scarpa
    terça-feira, 19 de maio de 2009 – 18:10 hs

    um absurdo a policia rodoviaria federal não tem efetivo sufuciente para tomar conta de todas as rodovias federais.

  16. xiru missioneiro
    terça-feira, 19 de maio de 2009 – 18:20 hs

    Pode ser que a Prf não seja melhor que a Pre, mas onde a Prf trabalha se combate os crimes e ilíciros, vejam o caso de Guaira onde a prf assumiu e apareceram os resultados. Um Prf não se sujeita a qualquer vereador de uma cidade que se julga uma autoridade acima da lei e transfere o soldado, cabo ou sgto, por flagla-lo alcoolizado.

  17. quarta-feira, 20 de maio de 2009 – 11:31 hs

    Poderia me informar qual é o nº do acordão do TRF 4º região que determina a saida dos Policiais Rodoviarios Estaduais fora das estradas Federais do Paraná.

  18. joao
    quinta-feira, 21 de maio de 2009 – 20:23 hs

    A atribuição tem de ser cumprida!! BR é lugar de federal não de PM… Assim como eu meio urbano é PM!!

    Ja pensou, um assistende administrativo Autuar uma grande empresa por sonegação fiscal, ao inves de auditores fiscais ??

    ALEM DO MAIS HÁ CANDIDADOS APROVADOS NO ULTIMO CONCURSO DA PRF, ESPERANDO APENAS SERAM CONVOCADOS PARA O CURSOS DE FORMAÇÃO!!

  19. EDSON
    sábado, 23 de maio de 2009 – 22:43 hs

    FICO TRISTE EM VER DEPOIMENTOS ONDE OS MANIFESTANTES DIZEM ….FUI MORDIDO, OU DEI DINHEIRO PARA POLICIAIS RODOVIARIOS, SAIBAM AMIGOS LEITORES QUE EM UM CRIME DE CORRUPÇAO EXISTE O ATIVO E PASSIVO OU SEJA QUEM PAGA E QUEM RECEBE, AMBOS SAO SUBMETIDOS A SANSAO PENAL DIANTE DA NOSSA LEGISLAÇAO VIGENTE, ESTOU ENVERGONHADO DE TANTOS BRASILEIROS DISCUTINDO COMPETENCIA OU VALORES EM VEZ DE DISCUTIREM O QUE PODE SER FEITO PARA DIMUINUIR O INDICE DE ACIDENTES NAS RODOVIAS PARANAENSES, O QUE PODEMOS FAZER PARA EVITAR TANTO CONTRABANDO E DESCAMINHO, TRAFICOS DE DROGAS INCLUINDO USO DE MENORES, OCORRIDOS NAS RODOVIAS TANTO FEDERAL OU ESTADUAO, NAO VAMOS ESQUECER QUE OMISSAO TAMBEM E CRIME E PREVARICAÇAO TAMBEM, TALVEZ PODEMOS TER ESSA RESPOSTA CONVERSANDO COM AS FAMILIAS QUE PERDERAM ENTE QUERIDOS EM ACIDENTES EM RODOVIAS SEJA ESTADUAL OU FEDERAL, ACREDITO ATRAVDES DE MINHA GRANDE IGNORANCIA QUE TALVEZ A BASE ESTEJA NA ESCOLA ATRAVES DE INSERÇAO DE DICIPLINA DIRECIONADAS A CONHECIMENTO DE DIREÇAO DEFENSIVA E PRINCIPALMENTE DA PALAVRA CONSEQUENCIA QUE RESULTA NOS NOSSOS ATOS DE OMISSAO OU AÇAO, ACREDITO TAMBEM QUE ESTA NA EMISSAO DE CNH ONDE COM POUCOS DIAS DE TREINAMENTE A LEI PERMITE O NOVO MOTORISTA COM UMA PERMISSAO CONDUZIR VEICULOS EM TRECHOS URBANOS E RURAIS, POIS SO TREINAMOS OS NOVOS MOTORISTAS EM TRECHOS URBANOS E NAO EM RODOVIAS RURAIS A DIFERENÇA ESTA ENTRE AS AULAS COM VELOCIDADE PEQUENA E QUANDO JA DE POSSE DA CNH PROVISORIA O INICIANTE PODE DESENVOLVER VELOCIDADE ATE 110 KM , SEM A PRATICA E EXPERIENCIA COMO JA A MUITO TEMPO SE FAZEM COM PILOTOS DE AVIOES DIGA DE PASSAGEM SEMPRE A UM CO PILOTO, SO PALESTRAS, SO PEQUENOS ANUNCIOS EM RADIO E TV COM PANFLETOS NAO MUDA A NATUREZA DO COMPORTAMENTO HUMANO NAS RODOVIAS, DESEJO QUE INDEPENDENTEMENTE DESSA MUDANÇA NAO ENTRANDO NO MERITO DA DECISAO JUDICIAL QUE O NOSSO BOM ESTADO DO PARANA TENHA A PARTIR DESTA UMA DIMUNUIÇAO DO INDICE DE ACIDENTES ENVOLVENDO MORTES E MULTILAÇOES DE TANTOS ADULTOS E CRIANÇAS, DESEJO TAMBEM QUE O GRANDE DEUS ATRAVES DE SUA INFINITA BONDADE E MISERICORDIA ILUMINE OS NOVOS POLICIAS QUE ESTARAO PATRULHANDO E NOS AJUDANDO NAS RODOVIAS FEDERAIS SEJAM BENVINDOS E ESPERAMOS QUE ALEM DOS CONTATOS PROFISSIONAIS NAS RODOVIAS SEJAMOS PARCEIROS NA BATALHA DO GENERO PROGRESSISTA HUMANO GRANDE ABRAÇO A TODOS DESCULPEM SE OFENDI ALGUEM ESSA NAO FOIE NEM E A INTENÇAO, ……………..JA FIZ MAIS DE 1000 PALESTRAS VOLUNTARIAS NAS ESCOLAS, COM O OBJETIVO DE ENSINAR NOSSAS CRIANÇAS A TEREM UMA VISAO MELHOR DO NOSSO TRANSITO ……….. SUCESSO A TODOS EDSON ..ESTOU PEDINDO A DEUS PELOS POLICIAIS E AUTORIDADES QUE DETEM O PODER

  20. iNDIGNADO
    segunda-feira, 25 de maio de 2009 – 2:41 hs

    Assistimos nesse mês de maio a tomada pela Polícia Rodoviária Federal do policiamento das rodovias federais que cortam o estado do Paraná, que há muitos anos era feito pela Policia Rodoviária Estadual, por conta de um descuido quando da elaboração da Constituição Federal, que criou o Departamento de Polícia Rodoviária Federal subordinado ao Ministério da Justiça e atribuiu o policiamento EXCLUSIVO das Rodovias Federais, impossibilitando dessa maneira a permanência da Policia Militar Rodoviária.

    Tem se noticiado que o Batalhão de Polícia Rodoviária está a trinta anos policiando esses trechos federais, o que não corresponde à realidade. Em 1978 foi firmado um convênio entre o extinto DNER e o DER para repasse de verbas federais pela conservação e policiamento que o estado já fazia há muito tempo. Na verdade, desde que essas rodovias que cortam o norte pioneiro não eram asfaltadas que o policiamento é feito pelo estado, primeiramente pelo Corpo de Policiamento Rodoviário que era um órgão do DER que depois passou para a Policia Militar do Paraná, quando se criou o BPRv, e naquela época, há mais de cinqüenta anos, nas estradas enlamaçadas, com jipe fusca ou de carona, estavam os patrulheiros estaduais atendendo acidente e prestando todo tipo de socorro aos usuários das rodovias, portanto nunca houve policiamento federal por aqui.

    Mas o que importa nisso não é quem vai fazer o policiamento, e sim quem vai pagar pelas mudanças e qual é o valor dessa conta.

    Para que os leitores entendam cada policial rodoviário estadual recebe em média R$ 2.000,00 ao mês, isto multiplicando-se por 240, que é o número de policiais que faziam o policiamento nos postos policiais que se localizam sobre as rodovias federais dá um montante de R$ 480.000,00 de salários, pagos pelos contribuintes.

    Já o salário de um policial rodoviário federal está em torno de R$ 6.000,00 que multiplicados por 300 que é o número de policiais federais que foram remanejados para o Paraná dá o valor de R$ 1.800.000,00, somando-se a isso ainda, os policiais foram trazidos de longe e estão recebendo o valor de R$ 180,00 por dia cada um para reembolso de despesas com hotéis, alimentação etc…, portanto mais R$ 5.400,00 para cada PRF que multiplicado pelos 300 mais R$ 1.700.000,00 de despesas que somada aos salários totaliza R$ 3.500.000,00, contra os R$ 480.000,00 que o estado gastava para fazer o mesmo serviço.

    Fora essa despesa com salários, a PRF assumiu os Postos Policiais que foram construídos pelo estado, que agora vai ter que construir outros nas rodovias estaduais para abrigar a PRE, pois somente aqui no norte pioneiro a Policia Rodoviária Estadual patrulhava 1000kms de rodovias, dos quais apenas 200 são federais, portanto ainda resta 800 kms para o estado patrulhar.

    Agora eu pergunto, QUEM VAI PAGAR ESSA CONTA?
    E a resposta é simples: O POVO. Esse povo simples e trabalhador, que luta de sol a sol para ganhar seu salário suado, e ver a maior parte dele ser comida pelos impostos, não sobrando para que esse mesmo povo possa ter saúde decente, não podendo se educar para que nas próximas eleições pudesse escolher representantes que realmente estivessem preocupados com a causa pública.

  21. Adimilson
    terça-feira, 26 de maio de 2009 – 18:05 hs

    É uma pena o rumo da discussão. Como já dito, existe corrupção ativa e passiva e o pessoal prefere isso a pagar pelo erro. Uns reclamam de serem mordidos e outros de pagarem multa, mas ninguém assume o erro da infração e aceita pagar a multa. A legislação está ai. O policial simplesmente deve cumpri-lá. Mas é mais cômodo pagar um cafezinho e ficar livre da multa e depois sair reclamando do que ser legalmente punido. A culpa é da população, que erra e aceita de tudo para que seu erro fique encoberto, causando outro erro por parte do agente público. Aqui em Minas Gerais, A PRE cumpre a lei, doa a quem doer. É muito bom ouvir de infratores algo do tipo: “Poh, aqui não tem acordo mesmo”. Como li em um blog: “É um misto de prazer e sadismo ao tentarem me corromper e eu cumprir TODAS as regras determinadas pelo CTB”.

  22. EDSON
    quinta-feira, 28 de maio de 2009 – 0:37 hs

    ola Fabio, gostaria de transmitir os parabens pela iniciativa de abrir este espaço para nos, registro que deixei o espaço acima com o nome edson, e aprendi muito com os demais comentarios dos colegas que registramam suas mensagens, minha profissao sou policial rodoviario estadual e ee muito bom saber o que pensa o povo brasileiro……grande abraço a todos e mais uma vez parabens pela iniciativa

  23. Paulo
    quarta-feira, 24 de junho de 2009 – 17:39 hs

    Somente no Brasil que aconteçe com tanta Policia, primeiramente a 1º corrupção começou com os portugueses com os indios, não seria mais fácil de unificar as policias rodoviarios estaduais ficando POLICIA RODOVIARIO NACIONAL?, e passar a PRF para PF?, e unificar as policia militar ficando POLICIA NACIONAL, pois o policial fica um mês em cada estado ele não vai criar amizade que favorece a troca de favor.
    Quem vai ganhar com isto é o Brasileiro

  24. Cidadão
    quinta-feira, 2 de julho de 2009 – 23:58 hs

    Prezado “iNDIGNADO” e outros defensores da PM ou da PRF.
    Olha só, vamos aos fatos:
    A PRe – Polícia Rodoviária Estadual (Militar), tem fama e faz juz ao que falam sobre ela, ou seja, que é corrupta. E não é somente uma corrupção dos Policiais de pista, do tipo que mordem os infratores de trânsito apenas, além disso tem muito mais, coisa grande mesmo. E a população só tem a ganhar com a PRF, pois os caras são melhor preparados para atuar no combate ao crime em rodovias e em delitos e infrações de trânsito. Quanto ao salário, eles ganham o que é justo, o problema é que os PMs ganham pouco, isso sim. Mas este salário melhor se traduz em resultados melhores também, pois o PRF não sendo corrupto e não “mordendo” nenhum usuário, traficante, ou muambeiro, e realmente fazer o que tem que ser feito (predê-los) a sociedade ganha muito mais que a diferença salarial de PMs e PRFs.

  25. Cristiano Luiz da Si
    segunda-feira, 13 de julho de 2009 – 8:14 hs

    Olá,
    Ontem (domingo, 12 de julho), estava trafegando pela PR 423, sentido Araucária Campo Largo, por volta das 10:30 da manhã, me deparei com 02 agentes da PRE, próximo a linha férrea mais ou menos 30 mts, na volta de Campo Largo por volta de 23:10 da noite, chegando próximo a linha férrea, passei com o meu veículo por vários buracos, causando um impacto muito grande e iniciando um barulho no amortecedor dianteiro esquerdo.
    Moral da história, agentes para fiscalizar os veículos, possuem vários nas rodovias, mas para fiscalizar os buracos não possui nenhum.
    Quem vai pagar o meu prejuízo?

  26. quarta-feira, 15 de julho de 2009 – 21:28 hs

    ´Torna-se fácil questionar o cumprimento da própria Constituição, em um País acostumado com a ilegalidade. Não se trata de punir a PRE ou prestigiar a PRF, mas de cumprir o que determina a Constituição da República. Em todos os demais estados do Brasil é a PRF que efetua o patrulhamento das rodovias federais, por que ser diferente com o PR. Particularmente, sei que a PRF possui quadro de profissionais gabaritados e preparados para bem servir. Embora a decisão pareça irrazoável agora, com o tempo e adaptações necessárias, será benéfica ao Estado. Fora imediatistas. A implantação da PRF significa mais profissionais da segurança nas rodovias e ruas do estado. Isso é bom e necessário.

  27. Edvaldo
    sábado, 10 de outubro de 2009 – 8:32 hs

    gostaria de saber porque a policia rodoviaria continua fazendo broqueio na br 369 na proximidades da cidade de bandeirante e fazendo multa para os motorista sendo que não é mais competencia dela e a multa vem com outro endeço de outra rodovia pela qual não estavamos trafegando isso ocorreu comigo ela tem que fiscalizar nas rodovias estaduais e não nas federais .

  28. fernanda
    domingo, 1 de maio de 2011 – 21:36 hs

    Gostei dessa decisão…realmente a Polícia Rodoviária Estadual teria que ser banida dos órgãos públicos.. pois quase no geral, essa classe só serve para receber um bom salário pago por nós cidadãos trabalhadores!! Os PREs, em 80%, infelizmente são policiais corruptos e no paraná principalmente na rota do Paraguai vivem de propina..Ou seja, quando recebem o “cafezinho”, ou a “caxinha” do guarda, não se importam qual o tipo de droga, arma ou munição que trafega na rodovia dentro dos veículos… Moral…recebem muito para fazer pouco e muitas vezes atrapalhar os cidadãos de bem!!!

  29. Antonio Carlos
    segunda-feira, 2 de setembro de 2013 – 8:58 hs

    Bom dia viajo muito por uma rodovia BR135 ate o trecho de Montes Claros MG é PRF de Montes Claros ate Januaria MG é PRE ai o asfalto acaba e volta ser da PRF que não tem apoio de nada dependendo do horário é muito perigoso viajar.Ai ninguém quer ser o pai da criança. E ai quem sera o pai?
    Sei que isto é de 2009 mais ate hoje continua a mesma coisa.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*