MP denunciará Greca por "farra" na Cohapar | Fábio Campana

MP denunciará Greca por “farra” na Cohapar

secgreca

De Antonio França, no Jornal do Estado

Documentos da auditoria feita pelo Ministério Público nas contas do presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Rafael Greca (PMDB), apontam que “há informações suficientes para abertura de denúncia-crime” por gastos com jantares de luxo pagos com dinheiro da autarquia. A denúncia foi publicada pelo Jornal do Estado em 2007.

A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público deve pedir nos próximos dias a abertura de ação do presidente da companhia na Justiça Estadual, com base no relatório da auditoria, que constatou “indícios de improbidade administrativa”.

Segundo o levantamento, a Cohapar gastou entre fevereiro de 2007 e abril de 2008, mais de R$ 27 mil com despesas de alimentação de seu presidente. Os gastos incluem jantares em restaurantes de luxo em Curitiba, como o Ille de France, especializado em cozinha internacional de alto padrão.

A Cohapar não nega os gastos, mas alega que as despesas se referem a compromissos oficiais com a recepção de autoridades. Além do salário de quase R$ 14 mil, Greca tem direito ainda a uma verba de representação no valor de R$ 8.806,00, na qual está incluído o vale alimentação. Além do Ille de France, os documentos revelam gastos no restaurante do Graciosa Country Club, Anarco Empório Restaurante, Ka Kiun Kim Cozinha Oriental, Estrela da Terra, La Pasta Gialla, Karbonel Frutos do Mar, Churrascaria Alto da Glória, Alma Lusa, Ponte Vecchio, Churrascaria do Erwin, entre outros.

A reportagem telefonou para a maioria desses restaurantes e gerentes, proprietários e garçons informaram que o presidente da companhia continua freqüentando esses locais luxuosos, mas não souberam dizer se ele paga com recursos próprios ou da Cohapar. No órgão, há cartão corporativo e conta representação, dois tipos de créditos disponibilizados aos secretários pelo governador Roberto Requião (PMDB).

Os gastos revelam a preferência de Greca pelas cozinhas oriental e francesa. Entre restaurantes especializados em comida japonesa, tailandesa e chinesa, foram despendidos mais de R$ 3,2 mil. Em quatro jantares no restaurante Ille de France teriam sido despendidos mais de R$ 1.037 mil. As carnes nobres eram as mais apreciadas pelo presidente da Cohapar. Somente as churrascarias de Curitiba já tiveram lucro superior a R$ 2,4 mil com a estatal.

Na relação de solicitações de pagamentos entregues a reportagem, dois chamam a atenção. No dia 2 de maio do ano passado, um jantar no Restaurante Estrela da Terra – comida típica paranaense – saiu por R$ 2.570,00. Pouco mais de quatro meses mais tarde (último dia 17 de setembro), nova despesa no mesmo restaurante no valor de R$ 1.320,00.

Documentos apontam que as despesas seriam realizadas pelo presidente, porém os pedidos de ressarcimento invariavelmente levariam as assinaturas do diretor administrativo e financeiro da Cohapar, João Carlos Gonçalves Baracho. A Cohapar se defendeu informando que “na maioria dos casos, havia necessidade da diretoria realizar encontros com superintendentes de instituições bancárias e de empresas parceiras”.), apontam que “há informações suficientes para abertura de denúncia-crime” por gastos com jantares de luxo pagos com dinheiro da autarquia. A denúncia foi publicada pelo Jornal do Estado em 2007. A do presidente da companhia na Justiça Estadual, Promotoria de Defesa do Patrimônio Público deve pedir nos próximos dias a abertura de açãocom base no relatório da auditoria, que constatou “indícios de improbidade administrativa”.
Segundo o levantamento, a Cohapar gastou entre fevereiro de 2007 e abril de 2008, mais de R$ 27 mil com despesas de alimentação de seu presidente. Os gastos incluem jantares em restaurantes de luxo em Curitiba, como o Ille de France, especializado em cozinha internacional de alto padrão. A Cohapar não nega os gastos, mas alega que as despesas se referem a compromissos oficiais com a recepção de autoridades. Além do salário de quase R$ 14 mil, Greca tem direito ainda a uma verba de representação no valor de R$ 8.806,00, na qual está incluído o vale alimentação.
Além do Ille de France, os documentos revelam gastos no restaurante do Graciosa Country Club, Anarco Empório Restaurante, Ka Kiun Kim Cozinha Oriental, Estrela da Terra, La Pasta Gialla, Karbonel Frutos do Mar, Churrascaria Alto da Glória, Alma Lusa, Ponte Vecchio, Churrascaria do Erwin, entre outros. A reportagem telefonou para a maioria desses restaurantes e gerentes, proprietários e garçons informaram que o presidente da companhia continua freqüentando esses locais luxuosos, mas não souberam dizer se ele paga com recursos próprios ou da Cohapar. No órgão, há cartão corporativo e conta representação, dois tipos de créditos disponibilizados aos secretários pelo governador Roberto Requião (PMDB).
Os gastos revelam a preferência de Greca pelas cozinhas oriental e francesa. Entre restaurantes especializados em comida japonesa, tailandesa e chinesa, foram despendidos mais de R$ 3,2 mil. Em quatro jantares no restaurante Ille de France teriam sido despendidos mais de R$ 1.037 mil. As carnes nobres eram as mais apreciadas pelo presidente da Cohapar. Somente as churrascarias de Curitiba já tiveram lucro superior a R$ 2,4 mil com a estatal.
Na relação de solicitações de pagamentos entregues a reportagem, dois chamam a atenção. No dia 2 de maio do ano passado, um jantar no Restaurante Estrela da Terra – comida típica paranaense – saiu por R$ 2.570,00. Pouco mais de quatro meses mais tarde (último dia 17 de setembro), nova despesa no mesmo restaurante no valor de R$ 1.320,00.
Documentos apontam que as despesas seriam realizadas pelo presidente, porém os pedidos de ressarcimento invariavelmente levariam as assinaturas do diretor administrativo e financeiro da Cohapar, João Carlos Gonçalves Baracho. A Cohapar se defendeu informando que “na maioria dos casos, havia necessidade da diretoria realizar encontros com superintendentes de instituições bancárias e de empresas parceiras”.


32 comentários

  1. ofaxineiro
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 12:02 hs

    Está comendo bem, não é a toa que engordou….Quem paga a conta somos nós, o povo, fala para este cidadão comer cachorro quente ou coxinha na esquina e se quiser frequentar alto luxo pague do seu bolso.

  2. mauricio
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 12:07 hs

    Realmente ele tem um paladar refinado e um “apetite” considerável.

  3. Dom Quixote
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 12:22 hs

    A vida deste homem sempre foi uma festa. É um eterno festeiro vezeiro, mas sempre com a grana e recusos públicos.

    Já estava na hora de alguém fazer alguma coisa, para barrar o festeiro da grana pública.

    A festança do Largo da Ordem, com o tutú dos curitibanos, vcai sair ? De novo ?

    E lá, no largo da Ordem, ele fica sempre sentado em uma mesa, com os puxas ao seu redor, parecendo um milionário paxá oriental. Chega. Foi longe demais.

  4. segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 12:25 hs

    Ele estava acostumado a gastar na época do jaime lerner. Enquanto ele gasta no Ir De france deve ser assim que escreve. Nós do mdb velho de guerra gastava comendo pão com mortandela. E viva o Romanelli

  5. sergio
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 12:25 hs

    Essa bicho………..tem bom gosto.

  6. Bruno
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 12:56 hs

    Ola Fabio, essanota tem duas vezes o mesmo texto
    R: Obrigado Bruno

  7. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 12:59 hs

    Devolve o dinheiro Gordinho, não tem essa de que são jantares para autoridades. Quando altos funcionários dos minitérios ou da Caixa Econômica visitam a COHAPAR, recebem diárias para custeio das despesas. E de mais a mais, local de reunião de trabalho é em horário comercial e na sede da empresa, nas representações dos Ministérios ou da Caixa em Curitiba. Nada de jantares em restaurantes de Luxo. Rafael, vc. não está seguindo os preceitos da Carta de Puebla e ainda cometendo o pecado da gula. KKK

  8. ronaldo
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 13:05 hs

    Como dizia Napoleon Bonaparte, ´´ do sublime ao ridículo é menor que um passo “. Espero que o MP và em frente.

  9. É DELES
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 13:05 hs

    No bar Montesquieu, dono do X Montanha, ali perto do UFTPR CEFET não tem nota fiscal?

  10. antonio cruz
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 13:15 hs

    Podia comer no restaurante popular de um real como eu como aí a despesa ficaria menor , será que ele suportaria o cardápio diário ?

  11. LONDRINENSE
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 13:39 hs

    ^^ÔOOOOOOOOOOOOFabio levaste quanto dos restaurantes??????????????

  12. segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 13:40 hs

    PELO TAMANHO DA CRIATURA VAI SER CRIADA A CPI DA COMILANÇA.

  13. segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 13:40 hs

    Deixem o Raphael exercer o seu Paladar Sofisticado …em Paz !!! Ele é o nosso Anjo Barroco; da Tradicional Familia Politica Paranense. (TFPP)
    Nosso querubim erudito , sofisticado, genuína jóia de exportação. !!!! Há os outros Gordos Balofos Cangaceiros no Canguiri….estes SIM mais que glutões… devoram nossa esperança e fé na democracia !!! E escamoteiam as notas fiscais….

  14. segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 13:51 hs

    Por isso que tá gordo feito um elefante. Comendo só do melhor as custas dos trouxas que elegeram o Bob Req. Se não tivesse verba de alimentação o cara gastaria todo o salario com comida.

  15. JUSTICEIRO
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 13:54 hs

    Rafael Greca já é pinta manjada desde os velhos tempos, eis que sempre surgem notícias de graves irregularidades nos órgãos públicos para onde é designado. O Governador parece em nada se preocupar com isso.

  16. O JUSTICEIRO
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 14:01 hs

    Hoje, de manhã, lendo essa notícia no blog, dona terezinha, cantineira aqui do escritório se intressou pela lista dos restaurantes, e pediu que eu lesse, em voz alta. Foi o que fiz, ao que ela (dona Terezinha), exclamou:

    “vixi, minha Nossa Sra. do Amparo, nunca ouvi falar de nenhum deles” – “o rango lá deve ser caro, mas, deve ser também uma gostosura e muito chique”. – acrescentando “não é àtoa que o Greca tá gooordo e com aquele bundão”.

    Essa é a filosofia popular e de quem às vezes não tem dinheiro nem pra comer. Mas, na hora do voto, comparece cedinho. É a vida…

  17. Daniel Fernandes
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 14:17 hs

    Mas que beleza!
    E eu aqui sem grana para almoçar!
    Será que ele não paga um almoço para mim também?

  18. Curitibano
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 14:21 hs

    E ainda essse fanfarrão guloso, manda seus funcionários terem palestras motivaciuonais em Hotel de Curitiba, para melhorar o desempenho na companhia. Isso que tem que ver as notas fiscais dos coqueteis que essa figura obesa faz lá no espaço cultural, da Cohapar, que é nada mais que uma grande sala para exposição das obras de arte de sua propriedade, onde os custos de coqueteis, aluguel da sala, bandas, orquestras, quartetos de cordas, são pagos todos com o dinheiro público. E a Cia esta cada vez mais no vermelho. Coitado do próximo governador quando chegar e ver o que esse bando fez com a COHAPAR.
    MP fiscalize mais a fundo que vcs terão trabalho para muitos anos.

  19. Bruno
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 14:25 hs

    O Raphael greca é secretário de estado e o cargo permite que ele tenha suas despesas reembolsadas por ele. Nao vejo problemas nisso.

  20. O PENSADOR...
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 14:34 hs

    O que dizer de um cara que faz farra com o dinheiro público??? Vai comer assim lá…O MP tem o dever de apurar esta situação, assim esperamos. Mas não é só isso, lembram dos quadros que o gordão mandou pintar????Até hoje não estou convencido deste gasto, que julgo ser um desvio de função da cia.

  21. tamandareense.
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 14:35 hs

    Esse gordo senhor tem historias desde o tempo da “caravela”, tambem de que precisava ganhar bem para pagar o carissimo VINHO que consome, será que come tanto ou só emite notas fiscais, com o fito de consumir tambem a verba de representação.

  22. O PENSADOR...
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 14:36 hs

    Em tempo, o Bruno deve ser um daqueles rapazes “assessores” do gordinho!!!

  23. Bruno
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 14:41 hs

    Em tempo, O Pensador deve ser daqueles que estiveram dentro e agora estao fora.

  24. tata
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 14:53 hs

    Tá na hora do abate do cachaço.

  25. O PENSADOR...
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 15:13 hs

    Bruno nunca estive dentro ou fora! Não possuo cargo público, assim sinto-me a vontade para falar o eu quiser! Tenho o privilégio de agir por minha conta sem ter que agradar a um chefe como vc tem que fazer…Mas entendo isso, sinceramente! O fato é que eu e a maioria das pessoas trabalhadoras comuns não gastam tanto dinheiro em restaurantes, mas isso também é compreensível, pois a grana que o gordo gasta não é a dele, pertence ao povo! Por falar em povo, estes nunca tiveram a oportunidade de jantar em restaurantes como o Ille de France, restaurante do Graciosa Country Club, Anarco Empório Restaurante, Ka Kiun Kim Cozinha Oriental, Estrela da Terra, La Pasta Gialla, Karbonel Frutos do Mar, Churrascaria Alto da Glória, Alma Lusa, Ponte Vecchio, Churrascaria do Erwin, entre outros. Por fim Bruno, você que está a defender o gordinho deve se beneficiar jantando junto e deve estar gordinho como ele! Cuidado! Os rapazes “assessores” do greca precisam sempre ser um exemplo, metaforicamente dizendo, precisam ser uma obra de arte! Uma pintura!

  26. Eu
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 17:22 hs

    deve ser assim q a esposa dele consegue as noticias pras notinhas daquela newsletter fdp q ela soca no email meu semanalmente.

  27. eleitor conciente
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 18:22 hs

    E Isso ai greca tolo samos nós que votamos é engordamos vceis e esse governador que até hoje nimguem fala das televisão o povo esquece de. tudo já esqueceu da historia do barco do grequinha. dale maracutaia.

  28. Bruno
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 19:14 hs

    Pensador, concordo com tudo que vc fala. Só digo que se o secretario foi jantar a trabalho, que deve pagar é o povo. Se foi jantar (e acho que foi) sem ser a trabalho, deverá pagar.
    Gooosfrabahh, nao se exalte!

  29. Dom Quixote
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 22:29 hs

    O BRUNO deve ser um puxa do Rafael, ou mesmo um funcionario dele.
    Recado.
    Bruno, peça para teu Rafael, ir almoçar em casa, ou ali no Mercadorama, como fazem os demais funcionarios da COHAPAR, e que pague a conta do seu bolso como fazem os demais funcionários públicos, e pare de puxar o saco do Rafel.
    Ele não gosta que puxem seu saco. Entende?

  30. Dom Quixote
    segunda-feira, 11 de maio de 2009 – 22:33 hs

    Autorizar jantar a trabalho?
    Bobos, inocentes vocês.
    Assim o Rafael, sempre vai “arranjar” uma desculpa de trabalho depois do expediente e, dá-lhe jantar de fino nos “Il de France da vida”.
    Me enganem que eu adoro.

  31. CURITIBANO DA GEMA
    terça-feira, 12 de maio de 2009 – 2:09 hs

    Tenho pena do varredor de rua aqui no Cabral que eu vejo toda manhã cedo limpando as ruas de Curitiba e comendo a sua marmita fria.

    Às vezes, penso que para este pobre coitado seria bom que ele não soubesse o que é o “ILE DE FRANCE”, uma refeição de mil reais, uma hora de conversa mole do Greca falando da Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, rindo como um porco e afrouxando o cinto para poder respirar após o vinho do Porto.

    A pergunta é: como é que não dá um negócio no coração do cara comendo como um frade de férias ?

  32. sexta-feira, 16 de setembro de 2016 – 18:29 hs

    Bom entendo que o Rafael não iria jantar no restaurante de 1 real….lá só servem almoço!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*