Tribunal de Contas julga "furo" de R$ 400 milhões nas contas de Requião | Fábio Campana

Tribunal de Contas julga “furo” de R$ 400 milhões nas contas de Requião

De Antônio França no Bem Paraná

O Pleno do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TC) analisa hoje recurso do governo do Estado contra as ressalvas na aprovação das contas de 2007 da Administração Geral do Estado, relativo a 2007. Segundo o relatório da Inspetoria do Tribunal, o governo diz ter gasto R$ 1,069 bilhão com a Administração Geral do Estado. No entanto, na revisão da Inspetoria, foram constatados gastos a mais, que totalizariam R$ 1,460 bilhão.

A diferença não declarada pelo governo, constatado pelo órgão, chega a quase R$ 400 milhões.
As contas da Administração Geral do Estado foram aprovadas com ressalvas por causa dos erros e o processo foi para o Ministério Público (MP). A Secretaria Estadual da Fazenda alegou erros primários na declaração, dizendo que alguns gastos teriam ficado sem ser declarados. O MP avaliou e aceitou a inclusão das novas informações do governo, porém, emitiu novamente os documentos ao TC. O Executivo decidiu recorrer ao Pleno do TC. É este relatório de prestação de contas – que chega às mãos dos conselheiros hoje com dois anos de atraso – que o governo declara todos os seus gastos com a máquina pública do Estado.
O relator do processo é o conselheiro Nestor Batista. Junto com ele, votam os outros membros do Pleno: Hermas Brandão (presidente), Fernando Augusto Mello Guimarães (vice-presidente), Caio Márcio Nogueira Soares (corregedor-geral), Artagão de Mattos Leão e Heinz Georg Herwig (ambos conselheiros). Do órgão também fazia parte o irmão do governador Roberto Requião (PMDB), Maurício Requião, que, se estivesse em plenário, estaria impedido de votar. Maurício foi afastado do cargo na semana passada pelo Supremo Tribunal Federal, para quem sua nomeação feriu a súmula vinculante número 13, que proíbe a contratação de parentes de autoridades em até terceiro grau para cargos em órgãos públicos.
Política

Outras Notícias


8 comentários

  1. ex-pectador
    quinta-feira, 19 de março de 2009 – 7:49 hs

    Exacerbada incompetência, afinal não ficalizar concessões e afins já deveria ser fonte de “financiamento” mais que suficiente. O que são concessões e afins?
    Prá ficar num exemplo bem atual temos a concessão do ferry-boat através de uma licitação no modelo “eu sózinho”, cujo contrato começará a vigorar nos próximos dias com a gratuidade para os veículos com placa de Guaratuba. Detalhe nada sutil é que os equipamentos invioláveis de identificação destas placas e de contagem de tráfego que o Edital pedia foram esquecidos. O controle será feito manualmente através de fixas que estão sendo preenchidas pelos proprietários dos veículos no escritório da operadora…
    CADÊ O MP ?

  2. ex-pectador
    quinta-feira, 19 de março de 2009 – 7:55 hs

    Desculpem, os proprietários de veículos com placas de Guaratuba devem preencher “fichas” e não “fixas”.
    Dr. Sigmund chamaria de ato falho, ou é aceitável que a demanda informada pela operadora, acompanhada pelo escritório de DER no local e que seria checada pelos equipos “esquecidos” tenha permanecido FIXA nos últimos doze anos?
    CADÊ O MP ?

  3. JOÃO MIGUEL- Ctda
    quinta-feira, 19 de março de 2009 – 8:21 hs

    OS INSPETORES DO TCE SÃO MUITO COMPETENTES, IMPARCIAIS E TEM INDEPENDENCIA PARA AGIR, EXEMPLO DISTO TIVEMOS CONTENDA/PR, QUE ESTÁ SENDO INSPECIONADA POR DENUNCIA DE DESVIOS, PORÉM DEPOIS DESTA ANÁLISE VAI PARA JULGAMENTO PELOS CONSELHEIROS E DAÍ EM DIANTE TUDO PODE VIRAR EM PIZZA, POIS COMO BRAÇO DA ASSEMBL. LEGISL. SOFRE VÁRIAS PRESSÕES E TROCA DE VANTAGENS..

  4. Geraldo
    quinta-feira, 19 de março de 2009 – 9:52 hs

    Que dúvida que acabará em pizza, meu caro João Miguel. Vão declarar que foi erro de forma, blá, blá, blá e não dá em nada essa vergonheira.

  5. Vigilante do Portão
    quinta-feira, 19 de março de 2009 – 12:28 hs

    Lembrando que o Balanço Geral do Estado, relativo ao mesmo ano, publicado e alterado 3 vezes. É incompetência. Bem, não sei, pode ser que os rolos sejam tantos que na hora de fechar as contas não houve Contador que fizesse bater. KKK

  6. Carlão
    quinta-feira, 19 de março de 2009 – 13:30 hs

    Não pode ser erro, são R$ 400.000.000,00 tirado do povo . TC nele !

  7. Ex-funcionário
    quinta-feira, 19 de março de 2009 – 14:20 hs

    Eu gostaria de saber o motivo que a loira (sic) gerente financeira da RTVE nunca contabilizou a dívida com o PASEP??? Me disseram que ela não sabe as contas pra contabilizar!!!! Tribunal de Contas cadê você que não viu que ela esconde processos quando da vistoria?

  8. Vigilante do Portão
    quinta-feira, 19 de março de 2009 – 19:07 hs

    Caso o TC visite a TV Educativa não vai sobrar um para apagar a luz, As irregularidades são tantas e tamanhas que vai todo mundo prá rua, inclusive os capachistas, digo jornalistas, contratados sem concurso e recebendo uma grana alta. Também para ter a obrigação de falar bem do Requião, só ganhando bastante dinheiro; Não é mesmo turma? KKK

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*