Richa apresenta ao DNIT projeto do contorno ferroviário | Fábio Campana

Richa apresenta ao DNIT projeto do contorno ferroviário

richa-no-denit

O prefeito de Curitiba, Beto Richa, se reuniu na tarde de hoje (foto) com o diretor geral do DNIT, Luiz Antonio Pagot, e com o superintendente do DNIT no Paraná, David Gouvêa, para tratar do Plano Diretor Multimodal da Região Metropolitana de Curitiba. O projeto executivo ficará pronto nos próximos seis meses.

O plano engloba entre outros projetos a criação do novo traçado do contorno ferroviário. O desvio vai facilitar a implantação de distritos industriais na área de abrangência e trazer benefícios indiretos aos municípios de Rio Branco do Sul, Itaperuçu e Colombo. O novo traçado tem 44 quilômetros de extensão, 23 a menos do que o atual, o que irá representar redução no custo do frete.

O aumento de capacidade da via vai atender uma demanda de transporte de 3,9 milhões de toneladas de cimento, clinquer e calcário agrícola. Isso significa uma diminuição do tráfego rodoviário de 130 mil carretas/ano.

No próximo dia 19, Luiz Antonio Pagot estará em Curitiba para participar de outra reunião com Richa e prefeitos dos demais municípios envolvidos.


15 comentários

  1. malu
    segunda-feira, 9 de março de 2009 – 18:41 hs

    Este projetos precisa sair do ESQUEMAO da Prefeitura de Curitiba. Tirar a variante do meio urbano e jogar em cima dos mananciais nao me parece muito correto!!!
    Mario

  2. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 9 de março de 2009 – 18:42 hs

    Os pilantras do DENIT não são os mesmos que disseram para a “Greisi”, então candidata à prefeitura, que havia um “projeto” para fazer um túnel, em mão dupla, desviando os trens do Cristo Rei e imediações? Cadê a Da, Greisi para dar conta do “projeto”?
    ERA MENTIRA, tudo para ver se catava alguns votinhos dos bairros supostamente beneficiados.

  3. LINEU TOMASS
    segunda-feira, 9 de março de 2009 – 19:57 hs

    fabio.

    NÃO FICOU BEM CLARO SE O PROJETO É DO IPPUC, DO DNIT, OU DA COMEC.
    Afinal, quem é o autor do projeto ?

    Vão discutir antes com o povão, ou vai ser coisa de “cima para baixo” ?
    Ou é só mídia para o Beto Richa ?

    Veja Fábio.
    Dizem que a linha verde está “pelas metades” e com muitos pepinos, devido a falta de grana, etc. etc.

    O DRAMA DA LINHA VERDE.
    Ora, pipocas, o Beto deve antes terminar as obras da Linha Verde, a qual já estão apelidando de “linha atravanca”, pois está sendo construida fora do conceito para o qual foi projetada, QUE SERIA UMA LINHA DE INTEGRAÇÃO COM TODOS OS ESPAÇOS DA CIDADE, E NÃO DE SEPARAÇÃO, COM O ABSURDO CORTE DE CURITIBA ENTRE DUAS PARTES, TAL ERA QUANDO EXISTIA A BR 166 E AINDA, TAL QUAL O BETO A FEZ.

    A “Linha Atravanca”, até agora só recebeu críticas e mais críticas, POIS INTEGROU NADA A NINGUÉM. Deve ter “entregado muito para muita gente”.

    LINEU TOMASS.

  4. Vigilante do Portão
    segunda-feira, 9 de março de 2009 – 20:36 hs

    Para com isso Lineu, o projeto está rolando faz anos, é como o da linha verde que ficou uma década para sair do papel.
    O tal contorno ferroviário já foi estudado, discutido e tinha até grana liberada, empacou na licença ambiental. É o Requião e sua turma, impedindo o Beto de fazer mais uma obra. Inveja é uma merda.

  5. É isso!
    segunda-feira, 9 de março de 2009 – 20:51 hs

    É isso Lineu. A tal linha verde liga nada pissiricas nehuma. Mas grana, quanta diferença! Que gasto, hein!

  6. jose
    segunda-feira, 9 de março de 2009 – 22:04 hs

    O Lineu, lê direito: se ele apresentou O PLANO ao DNIT, é óbvio que o projeto não é do DNIT, nem da COMEC.

    E o PROJETO ficará pronto em seis meses, ou seja não existe!!!

    Quanto à linha verde, vai lá e emite a SUA opinião e não o que te dizem; sugiro o seguinte trajeto: vai até o trevo da PUC e toma o sentido pinheirinho, falta um monte de coisa, mas melhorou o trânsito, só não sei se a médio prazo vai resolver.

  7. Gelô
    segunda-feira, 9 de março de 2009 – 23:35 hs

    Dr. Lineu,

    pela imagen percebe-se nítidamente um defensor do projeto. Tal como relata o Vigilante do Portão o projeto não é de hoje.

  8. ERNESTO
    terça-feira, 10 de março de 2009 – 8:17 hs

    A LINHA É VERDE SIM!
    PORQUE DEIXA A GENTE VERDE DE RAIVA EM LEVAR 45 MINUTOS PARA ANDAR 2 KM.
    ENCHEU DE SINALEIROS NA BR ONDE DEVERIA FLUIR O TRANSITO SIMPLESMENTE A TRANSFORMANDO NUMA VISCONDE DE GUARAPUAVA
    PIOR É QUE UMA SINCRONIZAÇÃO DE 2 SINALEIROS JA AJUDARIA !
    AINDA ONTEM FIQUEI PARADO NO PRIMEIRO SINALEIRO (TREVO DA PUC)OLHANDO O SINAL VERDE LA NA SALGADO FILHO AI QUANDO ABRIU PARA MIM FECHOU O OUTRO E NOVAMENTE FICAMOS PARADOS.
    SERÁ QUE NÃO TEM NINGUEM QUE VEJA ISSO ?
    BETO RICHA ,VA LA AS 18 HORAS E VEJA A MARAVILHOSA OBRA DE SEUS ENGENHEIROS!
    ESTOU REPESSANDO O “BETO FICA” !

  9. daniel p.
    terça-feira, 10 de março de 2009 – 9:26 hs

    a próxima obra do Beto será montar o autorama no tapete da sala. mas vai demorar dois anos e meio.

  10. NAGIB
    terça-feira, 10 de março de 2009 – 9:56 hs

    Dr. Lineu,
    O projeto não é do DNIT e nem

  11. parnanguara
    terça-feira, 10 de março de 2009 – 9:57 hs

    BETO 2010…, veja que a obra da LINHA VERDE foi pega em meio a MAIOR CRISE MUNDIAL, se os recursos diminuem a obra fica mais lenta… vamos esperar o fim ai sim fazer uma critica consistente.
    Quanto ao desvio ferroviário, tem que fazer o projeto e buscar o recurso no governo federal como fazem os demais estados da federação.

  12. NAGIB
    terça-feira, 10 de março de 2009 – 10:08 hs

    Dr. Lineu,
    O projeto não é do DNIT e nem da COMEC. É da prefeitura com participação de técnicos de várias secretarias, coordenados pelo IPPUC.
    a mudança da linha férrea já estava acertada há anos, inclusive com dotações orçamentárias federal e municipal. O Estado “segura” até hoje, nao liberando a licença ambiental pelo IAP. Requião, inclusive, pediu pra si a obra, via COMEC.

    Londrina é exemplo. Sem muito alarde, ainda no período da ditadura militar, conseguiu retirar trilhos do centro da cidade, através de um desvio construido na periferia da zona norte.

    Justiça seja feita: obra do ex-prefeito Belinati que possibilitou o ex-prefeito Wilson Moreira construir a ampla avenida Leste-Oeste e incorporar ao patrimônio do município áreas valorizadas, inclusive o belíssimo edificio da estação ferroviária, hoje Museu.

  13. José Russomanno
    terça-feira, 10 de março de 2009 – 10:31 hs

    Mais uma vez o Beto tá certo.
    O projeto apresentado nessa època trará mais segurança que o mesmo seja acrescentado no plano plurianual do Ministério dos transportes para os quatro anos seguintes,colocando-se a verba disponível ao DNIT para Curitiba e ao específico projeto.”
    É o prefeito de Curitiba trabalhando em benefício do cidadão Curitibano, parabéns !!!

  14. Cap. Nascimento
    terça-feira, 10 de março de 2009 – 12:01 hs

    Enquanto existir a tigrada do nepotão de mello e silva, um ministério público subserviente aos desejos do nepotão e uma ALL, este contorno ferroviário não sairá do papel, pois estes tratam o problema de forma política e conforme os seus interesses nem sempre transparentes.
    Por sinal, a ALL perturba o sossego do curitibano todos os diase em qualquer horário, tomba vagões em área de preservação ambiental da Serra do Mar, destroi patrimônio histórico do Paraná, não faz manutenção de suas linhas e composições e ninguém toma qualquer providência. Governo do estado, ministério público e demais “otoridades” são omissas. Porquê será?
    Ei reiquejão, pede prá sair.

  15. devaneios/loucuras
    terça-feira, 10 de março de 2009 – 18:23 hs

    Gostariamos que o Blog do Fábio nos fornecesse mais detalhes, para saber quais áreas de Curitiba serão privilegiadas com o projeto. Certamente, haverá imensa especulação imobiliária. Se passar próximo a mananciais não será problema, pois, desta forma evitará as invasões que causam muito mais dano ao meio ambiente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*