Requião baixa a borduna na Funai | Fábio Campana

Requião baixa a borduna na Funai

requiao-23

O governador Requião tem aumentado o teor da crítica ao governo Lula. Hoje, durante a reunião da Operação Mãos Limpas, Requião criticou os órgãos federais de atendimento indígena no Paraná. Segundo ele, crianças estavam morrendo por falta de alimentação nas aldeias paranaenses e o que se observa é uma contradição.

“A Funai brigando e conseguindo a demarcação da terra contínua dos índios, a Raposa Serra do Sol (em Roraima) – não vou discutir o mérito disso –, mas aqui os índios estão morrendo de fome”, disse Requião.

“Por que tanta terra lá e tanta falta de atenção aqui? Porque essa grandiosidade na Raposa Serra do Sol e essa miséria que leva crianças índias à morte no Paraná?”, perguntou.


9 comentários

  1. sítio do Requião
    segunda-feira, 23 de março de 2009 – 16:53 hs

    Gozado o Dulce gritar e criticar. A onde anda a Assessoria Especial para Assuntos Indígenas que o governo Criou. Aliás ela é vinculada a Secretaria de Assuntos Estratégicos do famoso Nizan Pereira. E tá sendo comandada por uma arquiteta que não entende nada de índio, é só dar uma passada na Rua dezembargador Motta em frente a Secretaria de Meio Ambiente e comprovar se existe algum projeto em relação aos índios paranaenses. Vamos abrir o olho, criticar é fácil quero ver funcionar.

  2. jango
    segunda-feira, 23 de março de 2009 – 17:32 hs

    O Nepotão da Araucárias parece que não leu a Constituição do Paraná contendo mandamentos para proteção, pelo Estado (vale dizer, pelo governo estadual, e não só pela Funai) dos nossos índios:

    CAPÍTULO IX

    Do Índio

    Art. 226. As terras, as tradições, usos e costumes dos grupos indígenas do Estado
    integram o seu patrimônio cultural e ambiental, e como tais serão protegidos.

    Parágrafo único. Esta proteção estende-se ao controle das atividades econômicas que danifiquem o ecossistema ou ameacem a sobrevivência física e cultural dos indígenas.

    Aproveita a reforma ortográfica é pede pra sair, Nepotão das Araucárias !!!

  3. Interior do Paraná
    segunda-feira, 23 de março de 2009 – 17:45 hs

    REQUIÃO TEM RAZÃO !! e pode falar com toda propriedade pq sempre olhou os povos indigenas com muito carinho e ja fez muito por eles..e so ir em uma aldeia no paraná e perguntar sobre a atuaão do governo do estado…principalmente no q diz respeito a moradia….para simplificar eh soh dar uma olhada nas votações de requião nas aldeias…normalmente superior a 80 %…

  4. A Boca pequena...
    segunda-feira, 23 de março de 2009 – 18:08 hs

    ATENÇÃO – Corre a boca pequena que Requiao ja teria enviado Pit Bulls palacianos ao local para reencarnar o episodio TEIXEIRINHA…Cuidado comunidade indigena….A terra é totalmente sem lei – não vcs….mas do lado do CENTRO CINICO….

  5. Carlão
    segunda-feira, 23 de março de 2009 – 18:48 hs

    Não fale do Lula, arrume teu Governo !!
    não tem merendas nas escolas, rebeliões na cadeias, rombo no Paraná Previdencia , Nepostismo, pedágio mais caro do Mercosul, Porto Pguá fálido, Museu denúncia no MP, ARRUME TUA CASA ! se liga, véio .

  6. ronaldo
    segunda-feira, 23 de março de 2009 – 21:17 hs

    Perguntar não ofende, já que essa porcaria de Funai não resolve porque o Paraná não atende essas famílias indíginas, não seria melhor esse governinho atender às nescessidades do que ficar baixando o bambú na Funai ?

  7. Carlos Américo
    segunda-feira, 23 de março de 2009 – 21:30 hs

    E a merenda que falta nas escolas é culpa de quem?

  8. Sergio Barbosa
    terça-feira, 24 de março de 2009 – 0:57 hs

    No Mato Grosso, eu vi no JN, da Globo, os índios e os fazendeiroa fizeram um acordo.
    Os índios entram com as terras e a mão de obra, e os fazendeiros com as máquinas e o know-how, e eles produzem muiiiiiiiiiita soja. E dividem o lucro, meio a meio.
    Acredita que tem gente (antropólogos, sociólogos e outros logos) querendo acabar com isso??

  9. Vigilante do Portão
    terça-feira, 24 de março de 2009 – 1:18 hs

    Não sou de concordar com o Requião em quase nada, porém nesse caso ele está certo. A Funai recebe um dinheirão e faz pouco pelos índios.
    A grande maioria dos funcionários está nos gabinetes das grandes cidades, como Rio de Janeiro, por exemplo, em campo, lá nas aldeias indíginas, são pucos agentes.
    Ainda outro dia, os jornais deram conta de que havia comida apodrecendo nos depósitos, enquanto centenas de índios de aldeias distantes passavam fome.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*