Justiça Federal liberta diretores da Camargo Corrêa presos em operação da PF | Fábio Campana

Justiça Federal liberta diretores da Camargo Corrêa presos em operação da PF

De José |Alberto Bombig e Fernando Barros de Mello, na Folha Online

A Justiça Federal concedeu neste sábado seis habeas corpus beneficiando os dez presos pela Polícia Federal durante a Operação Castelo de Areia, deflagrada na última quarta-feira.

Foram beneficiados pela decisão da desembargadora federal Cecília Mello os diretores da Camargo Corrêa Pietro Francesco Giavina Bianchi, Fernando Dias Gomes, Dárcio Brunato e Raggi Badra Neto, as secretárias Darcy Flores Alvarenga e Marisa Berti Iaquinto, e os supostos doleiros José Diney Matos, Jadair Fernandes de Almeida, Kurt Paul Pickel e Maristela Sum Doherty.

Até as 13h30, os acusados ainda permaneciam na carceragem da PF em São Paulo, mas a previsão era de que seriam libertados antes do início da noite.

Segundo Ministério Público Federal e PF, a Camargo Corrêa é suspeita de remessa ilegal de dólares para o exterior, superfaturamento em obra pública, doação ilegal para partidos políticos e lavagem de dinheiro. A empresa nega as acusações.

Escutas telefônicas apontam que a empreiteira fez doações ilegais a partidos, segundo a polícia. O relatório da PF cita PSDB, DEM, PPS, PSB, PDT, PMDB e PP, que negam caixa dois. A Fiesp é apontada na investigação como intermediária das doações da empresa a políticos. A federação nega.

Beneficiária de empréstimos milionários do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), a empresa é parceira do governo federal em algumas das principais obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e integra consórcios responsáveis pela expansão do metrô e do Rodoanel, em São Paulo, e pela construção do Centro Administrativo de Minas Gerais. Também detém a concessão de serviços públicos em vários Estados, como administração de rodovias, transmissão de energia e limpeza urbana.

A Procuradoria decidiu investigar em todo o país as obras da empresa que tenham apresentado indícios de irregularidade para verificar se os problemas têm alguma conexão com supostas doações ilegais.

As obras da Refinaria Nordeste e da usina de Tucuruí, das quais a empresa participou, já foram incluídas na investigação sob suspeita de superfaturamento. Para a Procuradoria, o dinheiro eventualmente pago a mais pode ter sido usado em doações irregulares.


5 comentários

  1. Vigilante do Portão
    sábado, 28 de março de 2009 – 19:28 hs

    Rico não fica na cadeia.
    Tem muita gente envolvida nisso, é claro que não vai dar nada.
    Qual seria o motivo da Camargo Corrêa dar dinheiro para vários partidos e candidatos? Veja o caso específico de Curitiba, foram R$300mil para o Beto e R$500mil para a Gleisi, isso “por dentro, assim, aquele que perder não vai dizer nada sobre as doações, mesmo que saiba que correu um “por fora” para o adversário.
    Fica de bem com todos e as obras continuam.
    Lembram do mensalão, lá no congresso não deu nada, punição ZERO, o motivo é o mesmo, o Sr. Marcos Valério deu nota fria para políticos de vários partidos, PT, PSDB, DEM, PP e outros, assim nenhum podia falar do outro.

  2. Joel
    sábado, 28 de março de 2009 – 19:33 hs

    Agora corre o risco do Juiz ir preso, acontecer o que aconteceu com o Protógenes de denuciador passar a ser denunciado, se eles continuasse presos podia cair a casa de muita gente que levou esse dinheiro, mas como envolvia corrupto grande, nossa bela Justiça colocou em liberdade.

  3. O Povo
    sábado, 28 de março de 2009 – 20:04 hs

    Puxa que surpresa essa notícia!
    Pensei que eles fossem passar o resto de suas vidas na cadeia, pois o Brasil é um país de Justiça limpa, onde todos são iguais em seus Direitos, afinal isso está na Constituição Federal!
    O Dr. Thomaz Bastos a pedido de Lula não teve mais de 24 horas de trabalho para dar paz aos Diretores de Importante Empresa?
    Quá,quá,quá…….
    Nós somos um bando de trouxas e deixamos as coisas baratas como eles querem!

  4. luis gringo
    sábado, 28 de março de 2009 – 22:20 hs

    “Enquanto não houver justiça,não haverá paz”
    Ernesto Che Guevara

  5. segunda-feira, 30 de março de 2009 – 10:57 hs

    E OS OUTROS

    Existe um “HABEAS CORPUS” Nº 2006.04.00.031776-9 parado na Justiça Federal 4ª Região desde o dia 20/12/2006, envolvendo o Diretor da Colúmbia com a Daslu, será que agora a coisa vai andar?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*