Deputados recuam e pedem garantias na compra do terreno do INSS | Fábio Campana

Deputados recuam e pedem garantias na compra do terreno do INSS

reni-1

Depois da submissa maioria de deputados à disposição do governador Requião ter aprovado ontem, em primeira discussão, a compra da área do INSS no Cabral para a construção da futura sede do Centro Judiciário de Curitiba, hoje os deputados da Comissão de Finanças decidiram ter mais cautela. Antes da votação em segunda discussão, incluíram uma emenda, aprovada por unanimidade, que se o INSS não comprovar que é o real proprietário da área, o dinheiro do governo para o pagamento ficará retido em juízo.

“A emenda foi aprovada porque chegou hoje as mãos dos deputados da Comissão de Finanças, várias escrituras autenticadas que comprovariam a posse de outras pessoas dentro do terreno. Para evitar que o dinheiro público seja aplicado em um negócio ilegal, decidimos apresentar a emenda que só determina o pagamento ao INSS desde que tudo isso seja esclarecido”, explicou o presidente da comissão, deputado Reni Pereira (foto), do PSB.

A intenção é fazer com que o projeto volte para a Comissão de Constituição e Justiça antes de ser votado em segunda discussão. “O terreno não vai sair correndo. Temos que ter cautela”, afirmou Pereira.


9 comentários

  1. fred
    terça-feira, 24 de março de 2009 – 16:32 hs

    ESSA OPOSIÇÃO PATÉTICA SÓ SERVE PARA CRIAR CONFUSÃO. AO INVÉS DE PRPOR ALGUMA SAÍDA POSITIVA PARA O CASO, A CONSTRUÇÃO DE UM CENTRO JUDICIÁRIO QUE SERVIRÁ PARA DAR AGILIDADE A JUSTIÇA, AO MENOS É O QUE ESPERO, FICA INTERROMPIDA DEVIDO A UMA DÚVIDA LEVANTADA CONTRA O INSS, QUIE É DE TODOS NÓS. CAMABADA DE INCOPETENTE

  2. CLOVIS PENA
    terça-feira, 24 de março de 2009 – 17:03 hs

    Esta dúvida mostra que a autorização para aplicação do recurso esta caminhando sem a caracterização / identificação clara da finalidade ou objeto. E confirma o farto alertamento feito no noticiário dos últimos dias.

  3. Campana
    terça-feira, 24 de março de 2009 – 17:24 hs

    Falei isso pela manhã. Que o barulho viria na analise do mérito, mas a vontade que o blogueiro tem de criticar é muito grande e daí da nisso.
    Falar da oposição e da situação é a mesma coisa. Não adianta.

  4. Antonio W
    terça-feira, 24 de março de 2009 – 18:19 hs

    Toda proposta de gasto que venha do rei do nepotismo, em fm de carreira, querendo agarrar-se incondicionalmente a qualquer corrente política que lhe garanta o conforto do dinheiro público, precisa ser avaliada, questionada, investigada. Afinal, quem pode apontar uma única obra, significativa, feita por esse corrupto, arremedo de governador, ao longo de quase oito anos? Auditoria já nas contas públicas!

  5. NAGIB
    terça-feira, 24 de março de 2009 – 18:38 hs

    Nossos deputados estão brincando com coisa séria.

    E, a coisa séria é o dinheiro do povo e a expectativa de todos que militam no judiciário que querem um edificio de aproximadamente 17 mil metros quadrados para alojar todas as varas cíveis e criminais da comarca de Curitiba, hoje distribuidas em 16 locais espalhados pela cidade. São milhões de reais que o Estado paga de alugueis.

    Ontem, aprovaram por unanimidade em primeira discussão e votação.. Hoje, pediram o óbvio ululante. É público e notório que o INSS já nao mais detém a posse do imóvel. Existem outros proprietários com escrituras autenticadas.Tudo está sub-júdice.

    A emenda aditiva ao projeto de lei, determinando o pagamento ao INSS depois de tudo estiver devidamente esclarecido. Sabe quanto? NUNCA.

  6. NAGIB
    terça-feira, 24 de março de 2009 – 18:44 hs

    Não é à toa que se comenta na “boca maldita” que 2/3 dos deputados não serão reeleitos em 2010. E dizem mesmo que desses que aí estão, alguns voltarão porquê tem muita grana pra gastar na campanha. Senão…a renovação seria total.

    O legislativo, em todos os níveis, municipal, estadual e federal, está desacreditado, desgastado e não é só por corrupção, não, mas por incompetência também.

    E pensar que sobrevivem com o meu, o seu, o nosso sagrado dinheirinho suado e duro de ganhar.

  7. jango
    terça-feira, 24 de março de 2009 – 18:54 hs

    Isto é meia-sola, só para dizer que estão preocupados. Estão fazendo o animal pelo rabo. Ninguém sabe que bicho que vai dar no final. Então porque deixar o dinheiro em juízo ? Algum particular arriscaria seu dinheiro em aventura semelhante ? A par disto, ninguém sabe ao certo quanto vai custar, a final, a área litigiosa para o povo pagar. Basta lidarem com dinheiro público e todas as aventuras são possíveis. Se algo der errado, sabem que o povo é que vai pagar a conta – a qualquer custo.

  8. Zé do Coco
    quarta-feira, 25 de março de 2009 – 2:18 hs

    Pelo jeito o cafezinho servido lá na Assembléia é do bom. Manteve Suas Excelências acordados para estabelecer uma salvaguarda importante…

  9. perguntar não ofende
    quarta-feira, 25 de março de 2009 – 10:23 hs

    Quer dizer então que quando os deputados não agem, são isso e são aquilo e quando agem, também são isso e são aquilo?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*