Bolsa Casa é plano com muito gogó e pouco concreto | Fábio Campana

Bolsa Casa é plano com muito gogó e pouco concreto

lulacasas

De Josias de Souza, na Folha Online

O que há de mais concreto no plano habitacional anunciado por Lula nesta quarta é a propaganda. Afora o gogó, o programa é feito de sonhos. Envoltos num cenário idílico, Lula e a presidenciável Dilma Rousseff trouxeram à luz o “Minha Casa, Minha Vida”. Uma iniciativa que promete prover à bugrada 1 milhão de casas.

Dizia-se que a mercadoria seria entregue em um ano. Evoluiu-se para dois anos. No discurso inaugural, Lula disse que “não tem data”. O horizonte foi às calendas gregas. O Bolsa Casa vem à luz com a cara de feto confuso. Numa das faces, tem aparência de rebento tardio. Por que não nasceu em 2003, primeiro ano da presidência de Lula?

Noutra face, tem aspecto prematuro. Informou-se que a coisa só vai deixar a maternidade em 13 de abril.
Só nesse dia as regras do programa, por ora esparsas, terão sido suficientemente esmiuçadas. Coordenadora do novo programa, Dilma Rousseff, a ministra-candidata, empurrou música para dentro da orelha da platéia:
“Nós vamos compatibilizar a prestação [das casas] com a renda das famílias”. Chegara a dizer que o governo daria casa de graça.

Não se chegou a tanto. Mas informou-se que, para as famílias com renda de até três salários mínimos, a prestação será de R$ 50 mensais. O governo prometeu levar a mão à bolsa da Viúva. Prometeu despejar sobre o novo plano R$ 34 bilhões. Dinheiro para empréstimos e subsídios. O grosso vai para duas regiões com alta, muito alta, altíssima densidade de votos: Sudeste e Nordeste.

Os fogos estouram já. A conta chega mais tarde. Como a entrega das casas “não tem data”, um pedaço do borderô, que pode chegar a R$ 60 bilhões, vai ao colo do sucessor de Lula. Dias atrás, Dilma reunira-se no Planalto com prefeitos e governadores. Dizia-se, então, que Estados e municípios teriam papel central no Bolsa Casa. Selecionariam os terrenos, credenciariam os candidatos a moradia, providenciariam a redução de impostos.

Nesta quarta, o ministro Márcio Fortes (Cidades) injetou confusão no pudim. Disse que, agora, o “foco” do governo são as construtoras. As empresas serão estimuladas a adquirir terrenos. Terão delegação oficial para selecionar e credenciar a clientela. Devagarinho, a ação social vai sendo submetida à lógica comercial. Prefeitos e governadores, se quiserem, virão por “adesão”. Aspectos urbanísticos são ignorados.

Na cartilha que mandou distribuir, o governo reproduz um dado do IBGE: o déficit habitacional no Brasil é de 7,2 milhões de moradias. Num cenário assim, tão adverso, fazer oposição ao plano da casa barata será algo tão temerário quanto vociferar contra o combate ao câncer.

Por obra e graça do marketing, Lula e Dilma foram à cerimônia de anúncio do plano habitacional envoltos num cenário de sonhos. Uma foto gigantesca, de cores vivas, injetou no palco de Brasília uma família de brasileiros sorridentes. Ao fundo, uma linda casa, de quatro águas. Incompatível com as dimensões das moradias de 35 m² e 42 m² que o governo promete entregar aos brasileiros pobres.

Para sorte de Lula, quando a propaganda é boa o brasileiro acredita até em casa sem paredes.


13 comentários

  1. quinta-feira, 26 de março de 2009 – 10:58 hs

    É só mais um engodo do presimente para conseguir $$$ para campanha 2010.

  2. Sensato
    quinta-feira, 26 de março de 2009 – 11:00 hs

    ESSE COMNETARIO É TIPICO DAQUELES QUE QUEREM O FRACASSO DO PAIS.

  3. SYLVIO SEBASTIANI
    quinta-feira, 26 de março de 2009 – 11:10 hs

    Em termos de habitação, acho que a Dilma deveria aproveitar algumas aulas com a Sandra Cavalcanti.Essa sim que é competente em tudo, e conhece esta área muito bem, já provou isso.

  4. O Povo
    quinta-feira, 26 de março de 2009 – 11:17 hs

    Os “Bolsas-Esmolas”, já encheram o saco, queremos é Emprego, salários dignos e cada um ser capaz de gerir e fazer frente aos seus custeios, não queremos mais sermos usados como massa de manobra política, de quem quer que seja, o povo tem que ser livre, trabalhar, produzir, ganhar e decidir pelo seu sustento, chega de paternalismo político de interesse eleitoreiro!

  5. Fernando
    quinta-feira, 26 de março de 2009 – 11:18 hs

    E o “sensato” está mais para um petista “semcérebro”.

  6. Sincero
    quinta-feira, 26 de março de 2009 – 11:35 hs

    As tucanetes precisam que o país quebre, pois só assim conseguiriam eleger aquela cara feia chamada Serra pra Presidente.
    Em relação ao Lula: “Ele voltará, não como um líder político, mas como um líder das massas”.

  7. Pô!
    quinta-feira, 26 de março de 2009 – 11:43 hs

    Por que esse projeto não nasceu nos 8 anos do FHC?
    O PSDB perdeu a chance!

  8. Bugrada
    quinta-feira, 26 de março de 2009 – 11:45 hs

    Bugrada????
    É assim que a elite trata os desafortunados!

  9. luis gringo
    quinta-feira, 26 de março de 2009 – 12:18 hs

    Quero esclarecer que quando postei meu comentario a noticia do plano de moradia popular ainda não estava neste blog.
    E claro que seria tratado como esta acima.
    Mais vamos lembrar algumas coisas…
    O PAC esta garantindo a moradia digna em algumas areas de risco,como o Parolin por exemplo.
    O mesmo PAC vai revitalizar os rios da Capital Ecologica.
    Postos de Saude como o do Sambaqui e hospitais como o do idoso tem quase 100 % de finaciamento do Governo Federal.
    Agora vão vir algumas pessoas disser que e esmola,que e pouco.
    Mais quando o FHC e seu PSDB eram governo(assim escrito com “g”)Curitiba não recebia tanto investimento.
    Lembrando que no PAC da Habitação o Governo Federal entrou com 80 %(R$ 175 milhões)dos recursos sendo a fundo perdido.
    Aqui em Curitiba foi votado 3 milhões para o fundo habitacional,pouco muito pouco.

  10. O Povo
    quinta-feira, 26 de março de 2009 – 12:20 hs

    Com ditadura e poder militar o desiquilibrado Hugo Chaves, também vai se perpetuando no poder da Venezuela!
    Lula tentará fazer o mesmo, logicamente pelo “bem” da população humilde! Quá,quá,quá….

  11. Pessoa
    quinta-feira, 26 de março de 2009 – 12:42 hs

    Fábio

    O comentário do plano foi Pernicioso e de Mal gosto.
    Favor reconsiderar!

  12. Falcão
    quinta-feira, 26 de março de 2009 – 14:12 hs

    Sabem a diferença entre o lula e a Galinha?
    É que a Galinha primeiro põe o ovo e depois
    faz o estardalhaço. E o lula, faz o estardalha
    ço e acaba não pondo o ovo. Vide obras do
    PAC (que já encheu o saco) que não sairam
    do papel, a ajuda aos flagelados de Sta. Ca-
    tarina etc.etc.

  13. Sem Noção
    sexta-feira, 3 de abril de 2009 – 12:52 hs

    Bem n sou muito boa em politica e sou nova mas ate onde me recordo o Lula lança programas e o FHC o que fez n me recordo, aqui na minha cidade interior de SP chegou sim o dinheiro do Pac, agora como o prefeito tah gastando ai já é outra historia ve se aqui algumas obras como e recapeamento das pistas e tubos de esgoto, porem eu axo q é pouco pelo o a cidade ganhou

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*