Turma do Bolsa Família foge da profissionalização | Fábio Campana

Turma do Bolsa Família foge da profissionalização

bolsafamilia

De Josias de Souza, no Folha Online

O governo lançou no ano passado um programa que tinha a aparência de porta. Uma porta de saída para a clientela do Bolsa Família. A idéia era oferecer cursos profissionalizantes para os brasileiros pobres. Conforme noticiado aqui, chegou-se mesmo a firmar uma parceria com a iniciativa privada.

Pretendia-se reservar 45% dos empregos criados em obras do PAC para os pobres pendurados no cadastro do Bolsa Família. Idealizaram-se cursos para profissões como: pintor, azulejista, encanador, carpinteiro, mestre-de-obras, desenhista, eletricista, tratorista, gesseiro, etc.

Tomada pelo que estava escrito no papel, a iniciativa parecia condenada ao êxito. Vista pelo resultado, tornou-se um fiasco. O plano subiu no telhado por duas razões: foi atropelado pela crise global e, mais grave, fenece por falta de interesse dos candidatos a emprego.

Deve-se ao repórter Roldão Arruda a revelação: das 370 mil pessoas selecionadas pelo goveno como alunos portenciais dos cursos, só 18,5 mil (5%) demonstraram interesse. Por quê? Na opinião do governo, as pessoas receiam que, matriculando-se nos cursos profissionalizantes, perderão o capilé do Bolsa Família.

De nada adiantou o governo assegurar que ninguém seria desligado do programa senão depois que ficasse caracterizada a efetiva inserção no mercado de trabalho. Consolida-se a impressão de que será mais difícil do que se imaginava retirar do Bolsa Família o caráter meramente assistencialista.


10 comentários

  1. joão kassab
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2009 – 15:18 hs

    POR ESSA E OUTRAS RAZÕES É QUE ESSE PROGRAMA ASSISTÊNCIALISTA É UMA TOTAL EXCRÊCENCIA. ELE NÃO OBRIGA O ASSISTIDO A PRODUZIR QUALQUER TIPO DE COMPENSAÇÃO PARA O PROGRESSO DO PAÍS. NO CAMPO, ONDE O PRODUTOR SE VÊ OBRIGADO A REGISTRAR O TRABALHADOR, NÃO MAIS ENCONTRA MÃO DE ÓBRA PARA A COLHEITA, POIS O BÓIA FRIA SE NÉGA A REGISTRAR-SE FICANDO O PRODUTOR A MÉRCE DO RISCO DE ELEVADAS MULTAS. NOS CENTROS URBANOS O ASSISTIDO, ENGRÓSSA O CONTINGENTE DA INFORMALIDADE, QUE BURLA O PROCESSO DE ARRECADAÇÃO DE TRIBUTOS CAUSANDO AOS CÓFRES PÚBLICOS UM PREJUIZO INCOMENSURÁVEL QUE PERDE O FATOR TRABALHO REGISTRADO EM CARTEIRA PROFISSIONAL. É SEM DÚVIDA ALGUMA, UM PROGRAMA ESSENCIALMENTE ELEITOREIRO DE COMPRA DE VÓTOS QUE DEVERIA SER OLHADO COM MUITO RIGÔR PELOS TRIBUNAIS ELEITORAIS.

  2. SYLVIO SEBASTIANI
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2009 – 15:24 hs

    O Lula com seu PT, criaram isso para o Brasil. Nossos filhos e nossos netos, vão ter que trabalhar em dobro para sustentar, as crias do PT. Isso me lembra o Senador Souza Naves, quando um dia viajando com ele, fiz a pergunta se ele acabaria com a corrupção, ele respondeu: Os filhos sabem que os pais tem um cargo público e com o que recebem não podem ter o padrão de vida que têm, eles gostam a vão fazer o mesmo.Portanto Sylvio, se eu for Governador, vou iniciar uma transformação, para depois de seus filhos e netos, os que vierem pensarem diferente. Lula, não estrague essas gerações.

  3. LINEU TOMASS
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2009 – 15:53 hs

    FABIO.

    O Programa Bolsa Família, quando implantado foi mais no sentido paternalista de dar alimento ao pobre.

    Após críticas severas de estarem eternizando a pobresa, “dando o peixe”, veio a fase do “ensinar a pescar”, porém de um modo frouxo, sem a exigência vinculante e fortre,
    com a regra de jogo; “se não frequentar cursos oficiais”, corta-se o benefício do bolsa família.

    Só uma atitude rígida neste estilo, poderá o Gioverno Federal minimizar este grave problema do programa de bolsa, que já foi duramente citicado neste sentido por muita fgente e, inclusive pela CNBB, que entendem que se não houver contra partida séria nestes programas, eterniza-se a pobresa e consagra-se o paternalismo político, o que formará um quisto na sociedade brasileiro, sem perspectivas de futuro.

    SOCIEDADE 20 x 80 ?

    Caso o Governo não reverta este quadro, teremos consagrada a previsão dos jornalistas alemães, Hans-Peter Martin e Harald Schumann, que escreveram o livro (profético), “A ARMADILHA DA GLOBALIZAÇÃO”, ( Editora O Globo 4a. Edição ), constante do Capítulo 1 (um), , “Sociedade 20 x 80”, os quais preveem que na economia globalizada (como estamos), a sicuedade mundial vai se dividir entre dois grupos.

    -Um grupo será de 20% da população mundial, serão os mais inteligentes, dirigentes da sociedade mundial, detentores do conhecimento, os quais produzirão 100% de tudo o que consome a sociedade mundial hoje.

    -Assim teremos dispensa de 80% da mão de obra (trabalhadores), produiva do Mundo, e a atual crise com a demissão em massa de , provaram esta sombria previsão.

    O QUE FAZER COM OS DESDEMPREGADOS?

    -Outro grupo será de 80% da população mundial, os quais NÃO DETERÃO O CONHECIMENTO, NÃO PARTICIPARÃO DAS PRODUÇÃO MUNDIAL, SERÃO DESEMPREGADOS E VIVERÃO DE SUSÍDIOS DE SEUS GOVERNOS, tal que já acontece no Brasil, há muito tempo. O FAT Fundo de Assistência ao Trabalhador, está desmilinguido, perdeu sua finalidade de capacitar trabalhadores e morre na corrupção.

    CASA GRANDE E SENZALA, A CAMINHO DA OFICIALIZAÇÃO?
    Repito, caso o Goveno Federal, não bata duro e reverta este quadro, estaremos caminhando para assumir a profecia que consta neste livro, dos jornalistas acima, os quais escreveram este livro em 1996, há mais de 12 anos, quando o LULA, ainda nem sonhava em ser Presdidente da República e muito menos em lançar este programa de “bolsas”.

    Aí está o desafio ao LULA e Cia., para “desprofetizarem” esta sombria e NEGRA previsão deste livro futurista, e do sinistro capítulo no. 1 ; SOCIEDADE 20 X 80.
    ´
    Recomendo a todos os polítcos e principalmente aos SINDICALISTAS e tambérm aos dirigentes do Estado Brasileiro, a lerem este livro.

    Alô, alô, Requião, leia voce também, pois no livro constam ótimas teses contra o “neo-liberalismo”, que explodiu o Mundo.

    LINEU TOMASS.

  4. LINEU TOMASS
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2009 – 16:05 hs

    ERRATAS:

    Leia-se; Governo Federal, duramente criticado, sociedade mundial, da produção mundial, viverão de sub-sídios,

    LINEU TOMASS.

  5. LINEU TOMASS
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2009 – 16:06 hs

    ainda:

    SUBSÍDIOS.

    LINEU OMASS

  6. jango
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2009 – 16:15 hs

    O bolsa-familia foi idealizado para instalação de currais eleitorais, à custa do dinheiro público e da carência do povo mais necessitado. É lastimável esta conjugação de fatores. O plano de Cristóvão Buarque ou do governo Fernando Henrique não tinha esta vilania. Aí está, o povo mais carente, pega os 50 da bolsa familia e se vira nos 30 por fora. Ademais, ele sabe que não vai ter emprego. O que vai ter adoidado é discurso em cada esquina, Lula na frente.

  7. Almasor Abbas Adilah
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2009 – 20:08 hs

    Está canalha pratica o mesmo tipo de programas usados também no passado sob o aval dos EUA na Costa Rica, assim estes programas não tem nada de novo, pois como lá a função deles é o manter estes países sem desenvolvimento e acomodados, já que servem para acobertar a altas taxas de juros, crescimentos pífios da economia, etc..
    Tal como no país da América Central estamos criando uma casta de mendigos, de pessoas que se acostumarão a viver na linha entre a miséria e a miséria absoluta, um bando de indolentes, pois estes programas não estão estrategicamente vinculados aos de qualificação profissional subordinados a projetos de desenvolvimento nacional auto-sustentável.
    Está política assistencialista do governo Lula não têm por lastro uma efetiva participação do Estado na “formulação de ideologias e políticas de salvação nacional por meio da educação, do incentivo a pesquisa, do apoio ao empreendedor, do que é nacional e popular.
    Em vez de darem cultura e qualificação profissional e um serviço público de qualidade para a população, que naturalmente acabariam por gerar desenvolvimento para podermos das chances de vida a novos milhões de brasileiros hoje os petistas preferem aliar estes programas assistencialistas a programas eugênicos de esterilização em massa (controle de natalidade), políticas que estão ao gosto do interesses imperiais.
    Não sou contra a existência tática provisória destes programas sociais, que por serem meros placebos deveriam ter o caráter temporário e não serem vendidos como uma ação de caráter estratégico, já que por si só eles não bastam.

  8. Rita Flex
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2009 – 22:57 hs

    Quem “fala mal” do bolsa família não o conhece direito. Dizer que ele é “paternalista”, “esmola”, ou outro adjetivo como estes, é a demonstração clara de ignorância dos críticos. Vocês que o criticam, acho que não estão aptos ao Programa, ganham bem, tem casa própria, qualificação (?) profissional… É a nossa classe média!

  9. Mano da Vila
    terça-feira, 24 de fevereiro de 2009 – 23:11 hs

    Bolsa Família é a institucionalização da esmola oriunda de dinheiro público. No governo do PT se torna uma indústria de improdutivos.

    Gere empregos, não dê esmolas!

  10. LEANDRO
    quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009 – 12:04 hs

    PÔ MEU VOCES PEGARAM PESADO….OS POBRES QUEREM COMER SEM PAGAR, E VOCES FICAM FALANDO PRA ELES TRABALHAR. BRINCADEIRA EIM. PORQUE ISSO, BOLSA FAMILIA, BOLSA ESCOLA, BOLSA REMEDIO, BOLSA GAZ, AGUA E LUZ..TRABALHAR PRA QUE???SÓ ESTA FALTANDO BOLSA DROGAS, DAI SIM TA COMPLETO!!!!
    ISSO DEVERIA SE CHAMAR BOLSA VERGONHA.
    VAI TRANSAR, O GOVERNO DA CAMISINHA,
    ENGRAVIDOU, O GOVERNO DA A PILULA DO DIA SEGUINTE,
    PEGOU AIDS, O GOVERNO DA COQUETEL IMPORTADO E REMÉDIOS A VONTADE,
    VAI USAR DROGAS, O GOVERNO DA SERINGA DESCARTAVEL
    FOI PRESO O GOVERNO DA SALÁRIO PRESIDIÁRIO PARA FAMILIA, E AINDA CUIDA DO BONITO COM QUATRO REFEIÇÕES DIÁRIAS, BANHO DE SOL, MÉDICOS E DENTISTAS, ENCONTRO INTIMO E INDULTO DE NATAL….E ESTE RENOMADO BLOG QUERENDO QUE O POBRE TRABALHE…PARA COM ISSO…TRABALHAR É PRA BURROS COMO EU!!!!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*