Tookuni diz que licitação reduz custos e amplia iluminação pública | Fábio Campana

Tookuni diz que licitação reduz custos e amplia iluminação pública

O secretário municipal de Obras Públicas, Mário Tookuni, respondeu as acusações do PT contra a licitação da iluminação pública. “Além da economia nos gastos, estamos liberando 50 funcionários e 21 caminhões, que vão acelerar o processo de ampliação da rede nos bairros”, diz Tookuni. Segundo ele, a Prefeitura reduzirá gastos com a manutenção e ampliará a rede municipal de iluminação pública.


17 comentários

  1. Júlio
    segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009 – 16:11 hs

    É impressionante. Sempre que a prefeitura faz alguma obra ela economiza dinheiro! Quando se está trocando o asfalto de ruas cujo pavimento estava em boas condições, se está economizando dinheiro; quando se paga um valor exorbitante uma obra questionável como a da BR 116, se está economizando.
    A Prefeitura faz a mágica de esbanjar dinheiro público dizendo que, na verdade se está economizando. Quem é trouxa de acreditar nisso?

    Pena que seja difícil encontrar jornalistas responsáveis que não comprem (ou sejam comprados) (pel)o discurso da prefeitura.

  2. Maria dos Anjos
    segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009 – 16:21 hs

    Mário Tookoni, pelo amor de Deus, você disse nas razões da PMC que irá reduzir gastos,( por favor ministério público entra na investigação, pois querem nos fazer de bobos), se, pela licitação anterior para se trocar uma lâmpada custava 88,00 e, agora, nesta licitação denunciada no TC, para se trocar uma lâmpada, cada contribuinte terá qque pagar 550,00. E, ele, Mário Tookoni, tem coragem de dizer que a PMC vai economizar. Alguma coisa não está batendo, só falta o Beto Richa vir a público dizer que 550,00 é menos que 88,00. OLHA, o que me parece é que, de fato, a PMC perdeu o rumo. Nem e justificar conseguem mais. o Fábio diz: Assim caminha a humanidade, aqui em Curitiba, essa parcela da mesma, caminha com o nariz de palhaço.

  3. Nelson
    segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009 – 16:51 hs

    A população de Curitiba tem que pagar:
    1 – 10.000,00 por cada placa de sinalização.
    2 – 550,00 por lampanda trocada.
    3 – 2,20 por passagem em ônibus super lotado.
    Beto Richa faz o povo de BOBO.
    FICA BETO em casa e para de enganar a população.

  4. Almasor Abbas Adilah
    segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009 – 17:40 hs

    Eles querem nos manter no escuro!

    O Beto tem feito um ótimo trabalho na iluminação pública, pois desde 2005 a Prefeitura ampliou em 41 quilômetros a rede.
    Respondendo a pedidos da população a Prefeitura começará a troca da iluminação prioritariamente nas proximidades das escolas municipais, nas ruas por onde circulam as linhas de ônibus e onde tenha uma grande circulação de pedestres, pois uma boa iluminação melhora a qualidade de vida até do ponto de vista da segurança.
    Lâmpadas antigas, de baixo rendimento, serão trocadas por equipamentos mais eficientes, pois além de clarearem mais consomem menos energia.
    A Prefeitura comprou 12 mil luminárias de vapor de sódio de 200 watts e com alto rendimento, que, além disto, evitam a dispersão e o ofuscamento, por serem revestidas de alumínio escovado, refletindo para baixo a luz, o que gera mais claridade, além de gerar uma economia de 20% no consumo.
    Elas não geram a poluição luminosa (PL), que é comumente definida como a luz externa mal-direcionada que vai para o céu (causando o brilho visto acima das cidades), ao invés de somente iluminar o chão; ou seja, é luz desperdiçada.
    Nas luminárias que poluem o céu, é preciso gastar mais energia (lâmpadas mais potentes, “com mais Watts”) para compensar a luz que deixa de ir para o chão. Usando luminárias bem projetadas, anti-dispersivas, concentra-se a luz no local a ser iluminado (uma rua, por exemplo), o que permite que lâmpadas menos potentes sejam usadas, economizando energia e estas são as que agora serão usadas.
    O que o Beto está fazendo aqui não tem nada de novo, pois varias das principais cidades brasileiras já realizaram estes programas de eficientização no consumo de energia da iluminação pública, tanto substituindo equipamentos antigos e vorazes em energia por outros mais novos e eficientes como também por diversos projetos vinculados ao uso final da energia e ao aumento da oferta de energia, como realização de relatórios de eficiência energética de prédios públicos; palestras para servidores municipais sobre o uso da energia nas atividades do poder público municipal; etc.. Etapa que eu acredito que o Beto venha a realizar para se conseguir urna iluminação de boa qualidade com consumo menor e isto consiste em melhorar o trabalho de inteligência na gestão da iluminação via aplicação de metodologias de gestão inovadoras associadas à instalação de equipamentos de comando melhores, pois os atuais já deram o que tinham de dar.
    Antes reclamavam da escuridão e agora que a Prefeitura investe em produtos de melhor tecnologia e qualidade eles também reclamam!
    Não existem razões lógicas para continuarmos desperdiçando energia elétrica e vivendo na escuridão!

  5. filo
    segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009 – 18:04 hs

    Alô, alô, pessoal.
    Iluminação pública? Economizar? prá quem? Há um ano eles quase dobraram o valor que pagamos a esse título. Está em todos as contas da Copel: Iluminação Pública: Segunda a nova Lei, aprovada em Dez/07 por aí, eles elevaram esse valor que antes podia ser até 5% da sua conta de luz e há partir daí passou a ser até 10% do consumo.

    Esse era o golpe? arrecadar para agora repassar para alguém que vai ganhar essa concorrência?

  6. OSVALDO ALCARAZ
    segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009 – 18:23 hs

    Bem que esse Almasor poderia ter um cargo na prefeitura. O homem sabe tudo, ou será que ele é socio do primo neste faturamento da iluminação pública.

  7. rei minos
    segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009 – 22:36 hs

    venhamos e convenhamos: o fato mais relevante dessa história foi a barrigada do colunista da gazeta do povo

  8. MALACO E CiA.
    segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009 – 23:02 hs

    TOOKUNI, DE ONDE APARECEU ISSO? ESSE JAPONES DEVE TER A CABEÇA PERTURBADA PELA RADIAÇÃO DA BOMBA DE HIROXIMA. QUE TIPO DE CONVÉRSA É ESSA? QUEREM NOS FAZER DE TROUXAS?

  9. Ricardo
    terça-feira, 10 de fevereiro de 2009 – 10:19 hs

    A “explicação” da prefeitura não explica absolutamente nada. Os dados avulsos não batem. É preciso um pouco mais de luz sobre essa história.

  10. Joca
    terça-feira, 10 de fevereiro de 2009 – 10:43 hs

    Vão ler o edital antes de ficar atirando? Gritar sem ler é tipico do gabinete petista

  11. Almasor Abbas Adilah
    terça-feira, 10 de fevereiro de 2009 – 11:45 hs

    Filo

    Na sua abordagem você só não fala que para as famílias de baixa renda, para os que consomem até 100 kw/h de energia elétrica, que são grande parcela da população, houve isenção do pagamento da Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública (Cosip) em Curitiba, o que é uma atitude muito justa ao favorecer aos pobres e aos que vivem na miserabilidade . Outro ponto importante que você também propositalmente não abordou é a questão de que o valor da contribuição não pode exceder a 10% do valor total da fatura de energia, então quem consome ouça energia não paga nem a taxa mínima, e estes são a maioria da população.

  12. Almasor Abbas Adilah
    terça-feira, 10 de fevereiro de 2009 – 11:45 hs

    Ricardo

    É claro que foi anunciado e amplamente debatido na Câmara e você sabe disso, portanto pare de agir com tanta má fé!

    Você ainda tem a cara de pau em vir dizer que a iluminação não melhorou com as novas lâmpadas e luminárias e como com suas falácias também dizer que o avanço tecnológico nada significa do ponto da melhoria da qualidade de vida?

    Pare de sofismar de forma tão vil e maniqueísta!

    As preocupações que o Beto teve há alguns anos atrás hoje fazem parte do discurso do Obama, que como o nosso prefeito vê como uma das saídas para a crise energética a eficientização que leva a racionalização do consumo de energia pelo serviço público.

    Gastando menos com energia, e está provado que estas lâmpadas consomem menos gerando uma economia de milhões, sobrará mais recursos para se investir no social e na infra-estrutura da nossa capital.

    Você propositalmente ou por ignorância esquece de que passamos por uma profunda crise econômica mundial e que o desperdício e a escassez de energia são fatores agravantes.

    Hoje andando por estes trajetos que você citou consigo enxergar melhor tanto quando estou no volante ou transitando a pé e não podia ser diferente, pois a visibilidade nas calçadas e ruas aumentou, já que a luminosidade, concentrada nas vias, já não se dispersa para todos os lados!

    Viva a tecnologia que reduziu os custos em energia em 20% e melhorou a qualidade da iluminação!

    Quando você humoristicamente diz que as lâmpadas estão com os seus focos voltados para o chão chego à conclusão que você quer que elas iluminem as estrelas!

    Quanto às placas você sabe muito bem que a Caixa, que é controlada pelo governo Lula, comprovou que a prefeitura apresentou custos compatíveis a um programa ligado ao Ministério do Turismo, que as pagou. A Caixa também informou que houve prévia consulta de valores do mercado e que o valor final incluiu, além das placas, material de instalação e mão-de-obra. (Fonte Folha de S.Paulo)

    As ruas do centro por receberem grande volume de transito necessitam de serem asfaltadas com um asfalto de melhor qualidade. Ou você queria que a Prefeitura tivesse feito apenas um “anti-pó”?

    Ou o “exemplo” é o que o governo Lula tem feito nas rodovias federais, aonde se investiu R$ 4,9 bilhões na manutenção das rodovias federais (as BRs) desde 2003, mas não conseguiu deixá-las em boa condição de tráfego, pois 69% dos trechos estão em condição ruim ou regular:

    “A União tem engordado ano a ano seus gastos com a manutenção dessas estradas. Decisões do Tribunal de Contas da União (TCU) indicam, no entanto, que o governo gasta muito e mal quando o assunto são as rodovias federais. Os problemas apontados pelo TCU são muitos: falta planejamento para as obras, os contratos são freqüentemente superfaturados, falta fiscalização e punição para os desvios, além de não haver prioridades definidas para os investimentos.” (Fonte O Estado de S.Paulo)

  13. Lineu Tomass
    terça-feira, 10 de fevereiro de 2009 – 12:30 hs

    É ISSO AÍ FABIO.

    COMO DIZ O MAZZA, NA HORA DO SUFOCO, NA HORA DO “ARROUCHO” (?) E DE DAR EXPLICAÇÕES CONVINCENTES, E NA DÚVIDA………..

    LIGUE O MISTURADOR DE VOZES, DE PREFERÊNCIA COM UMAS CINCO FORTES VOZES, TODAS AOS MESMO TEMPO, E TERÁS A MELHOR DAS SAÍDAS PARA O MAIOR DOS PROBLEMAS.

    NA LINGUAGEM POPULAR, NOS BAIRROS, A PERIFERÍA CHAMA ISTO DE “EMBOLAR O MEIO DE CAMPO”, ONDE OS 20 JOGADORES SE REUNEM EM TORNO DA BOLA, E DÁ AQUELA CONFUSÃO GENERALIZADA, “PÁ DAQUI , PÁ DE LÁ” , CANELADA DAQUI E DE LÁ, ONDE NINGUÉM SE ENTENDE, MESMO OS JOGADORES QUE VESTEM E AMAM A MESMA CAMISA.

    LINEU TOMASS.

  14. Lineu Tomass
    terça-feira, 10 de fevereiro de 2009 – 12:36 hs

    FABIO.

    EM TEMPO:

    FALTOU A PERGUNTA:

    “E O POVO NESTA CONFUSÃO, COMO FICA” ?

    ORA, PIPOCAS. APLIQUEM A LIÇÃO DA EX-MINISTRA ZÉLIA DE MELO…..

    “O POVO, ORAS BOLAS…..O POVO É SÓ MAIS UM DETALHE”.

    “O POVÃO EXISTE PARA PAGAR AS CONTAS E NÃO PARA SABER ALGO SOBRE ELAS” !

    LINEU TOMASS.

  15. Ricardo
    terça-feira, 10 de fevereiro de 2009 – 13:48 hs

    Almasor, eu moro no centro e sei que o prefeito não fez nada por nós por todos estes anos. Fez em uma ocasião especial e com o mesmo motivo pelo qual está fazendo agora: durante o evento da ONU, COP/MOP, o centro ficou uma maravilha, limpo, seguro e cheio de vida. O evento acabou, os mendigos e traficantes voltaram. Agora a história se repete. Por que? Por causa da Copa, ora bolas. Isso é responsabilidade? Não. É engodo, desperdício e má fé. É jogo político, troca de favores.

    Algumas das ruas que estão sendo recapadas agora já haviam sido na época do tal evento da ONU. E você tem coragem de dizer que elas representam economia? Economia pra quem, meu caro Almasor? Se a prefeitura precisa recapar uma via duas vezes em menos de 3 anos alguma coisa não está certa. Eu diria que ela está usando material de péssima qualidade ou origem duvidosa. É difícil concordar? Claro, é difícil ser situação, não é mesmo? Mas ser oposição em Curitiba é viver como eu vivo. Passei 3 anos com raiva da cidade e esperando que o prefeito fizesse algo por mim. Fez por sua reeleição e gastou o meu dinheiro com luzes que iluminam o chão. A Cruz Machado (ÚNICO exemplo que eu citei anteriormente) continua escura, apesar das luzes colocadas por debaixo das marquises. As prostitutas e traficantes continuam lá. Isso não é responsabilidade da prefeitura? Não é ela quem concede alvará aos comerciantes do sexo no centrão?

    Almasor, eu realmente entendo seus motivos, sei que é difícil ouvir críticas a quem nos paga. Mas eu sou curitibano de nascença e vejo a cidade se deteriorando a cada ano, sem que soluções concretas sejam tomadas. Asfalto não muda uma cidade, lamento. Não concordo com a política de seu chefe e vou continuar falando dela, porque me sinto pessoalmente atingido pela retórica da prefeitura.

  16. Almasor Abbas Adilah
    terça-feira, 10 de fevereiro de 2009 – 15:00 hs

    As prostitutas e traficantes continuam lá.”

    Você tem de criticar o Requião, pois ele é o responsável pela segurança pública em todo o estado!

    Ricardo, continue lambendo as botas do Duce que talvez ele te enxerge e alugue a sua “pena”, pois é terrível estar puxando o saco e desempregado!

    Eu, ao contrário de você, nunca fui funcionário público, embora conviva com o meio político,mas cansei de lhe ver lambendo as botas de deputados ou de quem pagasse pela “sua opinião”!

    Quanto as casas noturnas a função de coibir o mal uso das edificações que se envolvem com lenocínio é em primeiro da polícia, que deveria fechar as suas portas por exercerem atividades criminosas e o passo seguinte seria a mesma pedir a prefeitura a cassação dos alvaras de funcionamento.

    A Prefeitura não possui poder de polícia, mas quando está cumpre a sua função ela recebendo as denúncias fecha os estabelecimentos irregulares:

    Polícia / Notícias

    Bares e hotéis do centro fechados por força-tarefa

    Diogo Dreyer

    Uma grande operação de cassação de alvarás e fechamento de estabelecimentos irregulares no centro de Curitiba foi realizada ontem, chamando a atenção de quem passava pela região. A força-tarefa da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu), composta pela Polícia Militar, Polícia Civil e secretarias de Urbanismo e Defesa Social da Prefeitura, fechou quatro bares e três hotéis de alta rotatividade. Uma pessoa foi presa.
    O fechamento é resultado de fiscalizações anteriores, realizadas desde o início do ano, por agentes da Prefeitura e pelas polícias Civil e Militar. Diversas blitze constataram irregularidades nesses estabelecimentos, caracterizando o desvirtuamento de uso, ou seja, a utilização do local em desacordo com o alvará.”

    Agora quem entende de casa noturna é o Fábio Camargo, cujo sogro é secretário de Estado no governo Requião!

  17. Fernando Ximenes
    quarta-feira, 4 de março de 2009 – 16:32 hs

    Qual o custo da iluminção pública em estrada contratada por KW/h no Brasil e especificamente no Ceará.
    Agradeço antecipadamente.
    Atenciosamente.
    Fernando A. Ximenes

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*