Inadimplência de pessoa física é a maior desde 2002 | Fábio Campana

Inadimplência de pessoa física é a maior desde 2002

corda-pescoco

De Josias de Souza, na Folha Online

Dados divulgados pelo Banco Central indicam que continua subindo a inadimplência no crédito bancário. O calote nos empréstimos subiu de 4,4% em dezembro de 2008 para 4,6% em janeiro de 2009. É o maior patamar desde agosto de 2007 (4,7%).

Quem mais passou os financiamentos no beiço foram as pessoas físicas. Nesse segmento, as operações com atraso de mais de 90 dias subiram de 8% para 8,3%. É o mais vistoso índice de inadimplência em empréstimos pessoais desde maio de 2002, mês em que se havia anotado um de 8,4%.

Entre as empresas, a inadimplência subiu de 1,8% para 2% –pouco abaixo dos 2,2% anotados em novembro de 2007. O BC também informou que, em janeiro, os empréstimos bancários atingiram a impressionante marca de R$ 1,229 trilhão. Uma pendura que corresponde a 41,2% do PIB brasileiro. Há um ano, o total de empréstimos somava 34,2% do PIB.

Juntando-se as duas pontas, tem-se o pior dos mundos: para uma dívida cada vez maior, o brasileiro exibe capacidade de pagamento cada vez menor. Num cenário assim, não resta aos bancos senão abrir uma gigantesca mesa de negociação.Sabem que, sob crise, se puxarem demasiado a borracha do estilingue, acabam matando a galinha dos ovos de barro.

De resto, a inadimplência não conspurcou o otimismo oficial. Ouça-se o ministro Guido Mantega (Fazenda):
“Eu não vi a inadimplência super alta. Eu vi uma pequena elevação. É normal que em janeiro e fevereiro haja isso…” “…Você tem vencimentos de pagamentos de IPTU, IPVA. Isso não significa nenhuma deterioração importante da economia brasileira”.

Moral: nos olhos dos outros, falta de dinheiro é refresco.


2 comentários

  1. macedo
    sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009 – 8:39 hs

    Esta reportagem foi publicada no Jornal da Tarde, do grupo Folha, porém, para ver que o grito histérico não faz muito sentido, pois o índice geral de inadimplência, levando em conta as pessoas jurídicas, está apenas um pouco superior ao verificado em agosto de… 2007! Está aí o texto da matéria, que não deixa mentir: “O indicador nas linhas de aquisição de veículos passou de 4,5% para 4,7%. No cheque especial, recuou de 10,6% para 10,3%. No crédito pessoal, subiu de 5,5% para 5,7%. A inadimplência geral, que inclui também pessoa jurídica, passou de 4,4% em dezembro para 4,6% em janeiro, a taxa mais alta de agosto de 2007 (4,7%).”

    Bem que o pessoal lá da Barão de Limeira podia lançar um novo slogan: Folha, de rabo preso com a crise financeira mundial! Bem.. os interesses nós sabemos quais são…

  2. anónimo
    sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009 – 10:21 hs

    A culpa é do psdb! Fora Serra, Fora Beto fora Aécio.

    e hora do poder poluar

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*