Elizeu Furquim fala sobre a crise na Polícia Militar | Fábio Campana

Elizeu Furquim fala sobre a crise na Polícia Militar

O coronel Elizeu Furquim enviou mensagem ao blog comentando o imbróglio da remuneração dos PMs. Dá o histórico do problema e já adianta que “o coronel Furquim não é candidato a nada”. Leia o texto clicando no “Leia Mais”.

O imbróglio da remuneração PM, na sua história recente, tem início na regulamentação da EC 19/98, pela Lei Estadual n.° 13809/02, com efeitos financeiros a partir de 1.° de janeiro de 2003 (1.° dia de governo de R.Requião).

Esta lei restabelecia a igualdade da remuneração dos PMs, diferenciada pelos que obtiveram ganho de causa numa gratificação funcional.

A Lei congelou as vantagens aos que até ali haviam sido inativados, com os seus direitos adquiridos preservados e, decretou a supressão da “cascata”. A partir daí, houve a aplicação do percentual dos qüinqüênios sobre o básico, decretando a decadência salarial dos ativos.

Segundo cálculos já realizados, na época, e desprezados pela cúpula PM (Cel Foltran), a previsão era de que num período de aposentação (30 anos), teríamos, em média, um prejuízo real de cerca de 50% da remuneração PM (de soldado a coronel). Por conseqüência disso, fizemos a previsão de que em cinco anos, o assunto seria gravemente sentido; em dez anos, seria a causa de uma revolução. Não está dando outra.

Bem, no caminho, vimos propondo a solução via “subsídio”, versão remuneratória adotada pela mesma Emenda 19/98 para os militares estaduais. Muitos estados já estão praticando esta forma de remuneração. Outros, estão se adaptando.

No Paraná, o gênio Requião se insurge contra a solução, razão pela qual a AMAI, entidade que presidimos, já o notificou para dar obediência à ordem constitucional. O prazo venceu e ele continua resistindo. Por conseqüência, estamos, com a intermediação de um partido político, ingressando com a argüição de inconstitucionalidade junto ao Supremo Tribunal Federal.

Querendo ou não esta é a solução para o caso. O resto é conversa fiada, ensaio de amadores, esperteza de governo, políticos e grupos fisiológicos direta ou indiretamente interessados.

Por oportuno, o coronel Furquim não é candidato a nada. Abraço a todos e obrigado a quem estiver abraçando a causa. Ela é meritória.


8 comentários

  1. Izaias R. Porto
    sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009 – 16:27 hs

    Parabéns meu Comandante do passado e líder atual, sempre lutando por nossas causas, esse é um líder nato.

  2. jonas
    sábado, 21 de fevereiro de 2009 – 0:42 hs

    parabens ao cel furquim pela iniciativa mas santo ele nao e nao defende seus intereses pessoais porque soldado e soldado e oficial e oficial ne furquim.

  3. OSWALDO LOUREIRO
    sábado, 21 de fevereiro de 2009 – 8:24 hs

    O ilustre Cel. Furquim vem defendendo os interesses dos Policiais Militares há muitos anos, antes mesmo de presidir a AMAI. Sempre foi combativo e enfrentou os “grandes” sem medo. A defesa dos direitos dos PMs tem sido a bandeira de vida do destemido Coronel.

  4. De Santis
    sábado, 21 de fevereiro de 2009 – 9:07 hs

    Caro companheiro Cel FURQUIM, vamos falar frente a frente, não posso opinar de quem é a razão se dos praças ou dos oficiais receberam os reajustes. Gostaria de fazer um desafio: O defensor dos fracos e oprimidos teria a coragem de disponibilizar seu contra cheque para ver quanto recebe por mês como coronel aposentado? mostre para o Fabio e ele disponobilizara para todo. Mais uma Coronel, quanto o senhor recebe por ser presidente da AMAI? mostre tambem para o Fábio Campana que ele nos disponibilizará? tranparência é transparência……obrigado Fábio pelo espaço

  5. Ademir
    sábado, 21 de fevereiro de 2009 – 12:48 hs

    ESSE SENHOR JÁ FOI CANDIDATO MAIS Q UMA VEZ, NADA CONSEGUIU, FOI ATE PRESIDENTE DO FUNDO PENITENCIARIO, AGORA SE ARVORA DEFENSOR DOS OPRIMIDOS…..

  6. Ricardo da Silva
    domingo, 22 de fevereiro de 2009 – 11:17 hs

    Me sinto envergonhado pelos meus comandantes, só isso…………..não tem capacidade nem o conhecimento necessário para comandar uma instituição com essas, totalmente despreparados…………e sem nenhum conhecimento de uma lei chamada Constituição Federal..
    Abraços

  7. quarta-feira, 4 de março de 2009 – 22:45 hs

    O Coronel Furquim pode nao ser candidato a nada, mas eu votaria nele para qualquer cargo politico, como sei que ele não quer fazer parte de cargos eletivos que 99% são corruptos, fico com a nossa convivencia e respeito. Edison Bindi Subten RR

  8. Paulo
    segunda-feira, 9 de março de 2009 – 1:00 hs

    Ok…Os coronéis querem garantir poupudas aposentadorias, os praças estão interessados em dobrar o salário nos bicos, e os tenentes ou não estão nem aí, ou querem mais é estudar pra cair fora, pois carrregam a polícia nas costas, e qualquer recruta ganha mais que eles, fazendo um biquinho na venda da esquina…Enquanto isso, nosso SESP vive no mundo de Bobby, negando que o PCC já controla meio Paraná. Quem discorda, sinta-se à vontade…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*