Dilma lançada nos EUA em anúncio de 10 páginas | Fábio Campana

Dilma lançada nos EUA em anúncio de 10 páginas

Do Josias de Souza na Folha Online:

brasilpropaganda2

A revista americana Foreign Affairs estampa em sua última edição um anúncio de dez páginas sobre o Brasil.
Sob o patrocínio de estatais –BNDES, Petrobras e Embratur—e de um grupo de entidades e empresas privadas, o texto é generoso nos elogios.

A adjetivação começa pelo título principal: “Brazil, um gigante acorda”. Escorrega para os títulos secundários: “O Grande Momento do Brasil”. E esparrama-se pelo texto, que escamoteia os propósitos publicitários num mal disfarçado formato de reportagem. Embora esclareça que não ouviu Lula, a revista lhe atribui uma frase:

A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) é apresentada aos leitores dos EUA em posição que, no Brasil, ela diz que não assume “nem amarrada”. O anúncio vende Dilma como provável candidata às eleições presidenciais de 2010. Salpica frases da ministra sobre biocombustíveis.

Mais: o texto guinda o PAC (Programa de Acelaração do Crescimento) à condição de ponto central da gestão Lula.

Informa-se também que Dilma preside o Conselho de Administração da Petrobras. A informação não é gratuita.

Entre os trunfos do Brasil –estabilidade financeira, inflação baixa, etc—a revista menciona as descobertas de óleo do pré-sal.

Fernando Henrique Cardoso também foi brindado no anúncio com referências elogiosas.

“Os bancos brasileiros são sólidos e lucrativos graças à estabilidade criada pelo antecessor de Lula, Fernando Henrique Cardoso”, anota o texto a certa altura.

“De maio de 1993 a abril de 1994, FHC foi ministro da Fazenda do Brasil e introduziu o Plano Real para acabar com a hiperinflação…!”

“…Embalado pelo sucesso de seu plano, ele foi eleito presidente em 1994 e reeleito quatro anos mais tarde”.

A despeito das evidências, o Planalto informa que a peça publicitária não é publicidade. Seria um suplemento jornalístico. Coisa preparada com independência pela revista.

De acordo com essa versão oficial, as estatais despejaram anúncios nas páginas da Foreign Affairs porque foram informadas de que sairia a “reportagem” sobre o Brasil.

Deve-se à repórter Claudia Trevisan, primeira a trazer a notícia à rede, um lembrete nada negligenciável. Reza a Constituição, no parágrafo 1º do artigo 37 o seguinte:

“A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social…”

“…Dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos”.


9 comentários

  1. jango
    sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009 – 9:45 hs

    Este patrocínio de estatais a matérias que nada lhes dizem respeito é um escárnio, até porque, no caso, servem manifestamente de suporte a segundas e terceiras intenções politiqueiras de ocasião. Os americanos, de seu lado, dão corda, cobram alto cachê para a revista publicar, até porque já percebem a mediocridade da proposta e para eles quanto pior o Brasil, melhor. Esta Dilma nunca administrou nem a sua bolsa a tiracolo, quanto mais um país.

  2. HUSSEIN
    sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009 – 10:19 hs

    “Matéria redigida com fundo comercial ou eleitoral”, ensinava o saudoso Michel Cury, então diretor da sucursal da “Ultima Hora”.

    Como o anunciante que paga tem direito de exigir, BNDES, Embratur e Petrobrás deveriam exigir Brasil com S e não com Z, como aparece na matéria.

    Para muitos pode parecer a observação relevante, porque nos EUA, Brasil é com Z mesmo. Um absurdo. Por aqui, somos obrigados nas redações, concursos, etc., escrever certinho palavras do idioma deles. A recíproca não é verdadeira. Com a palavra, nossos professores.

    Lendo a matéria acho que a nossa terrorista vai ter muitos votos nos EUA.

  3. Almasor Abbas Adilah
    sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009 – 10:19 hs

    A Dilma é uma mercadoria que colocam na prateleira, mas com validade vencida, e que o PT tenta ao povo empurrar goela abaixo!

  4. SYLVIO SEBASTIANI
    sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009 – 11:15 hs

    Quem paga essa resportagem no exterior carissima, é o povo brasileiro. Nós, povo, não demos procuração a ninguém para gastar nosso dinheiro em propaganda politica, principalmente para uma senhora que ainda não tem aprovação dos brasileiros, aliás, nunca teve, pois nunca teve um mandato eletivo, é apenas a paixão do Lula, e ele deve pagar com seu dinheiro, os casos que tiver, o que faz um homem comum.Pode enfeita-la, vesti-la, plastifica-la, levar para passear no exterior e em todo o Brasil, mas não com o nosso dinheiro.Isso tudo tem um custo e cada um resolva seu problema.Avião do Governo, carro do Governo, Hotel e Restaurantes, passeios, reuniões, pagas pelo Governo, quando a gente vê passoas sem emprego, familias sem teto e sem comida, idosos sem assistência médica e sem remédio, morrendo em portas de hospitais, crianças morrendo nos primeiros dias de nascimento, crianças sem escolas, é um absurdo do outro lado a gastança do Governo Lula, com passeios e divulgações de seus passeios, para proteger a Madame Dilma.

  5. jose
    sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009 – 13:23 hs

    E elogia FHC!!!!

    Vejam em: http://blog.estadao.com.br/blog/claudia/

  6. Vigilante do Portão
    sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009 – 19:03 hs

    E a amiga Gleisi não está “indignada” com a grana gasta em publicidade pela companheira?
    Sei, ela só fica indignada quando a propaganda é do Beto. kkk

  7. Falcão
    sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009 – 21:50 hs

    É, parece que o infeliz eleitorado vai trocar o sapo barbudo por um prato de giló.

  8. Marcos
    sábado, 7 de fevereiro de 2009 – 0:49 hs

    …algo vergonhoso… se já não bastasse todos os desmandos e roubos praticados por esse governinho sem vergonha que está aí… que só sabe fazer média com a fatia paupérrima da população… ainda querem lançar uma ex-guerrilheira do Araguaia à presidência da república… é muita cara de pau mesmo… acho que, um governo que rouba, dá asilo político a assassino e flerta com as Repúblicas de Banana vizinhas (Venezuela, Bolívia, Equador… ), fazendo caridade com quem nos dá calote e os critica, não deve ser levado a sério…

  9. Vigilante do Portão
    sábado, 7 de fevereiro de 2009 – 12:37 hs

    Cadê o Ministério Público? Quero lembrar que o Cassio Taniguchi pagou multa por colocar um anúncio nos ônibus que trazia uma criança de origem japonesa, o judiciário entendeu que havia alusão ao fato do prefeito tambem ter olhos puxados.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*