Governo bloqueia US$ 2 bi em contas no exterior | Fábio Campana

Governo bloqueia US$ 2 bi em contas no exterior

O Ministério da Justiça bloqueou mais de US$ 2 bilhões (R$ 4,5 bilhões) em contas bancárias mantidas no exterior e relacionadas à Operação Satiagraha. Cerca de US$ 496 milhões são do banco Opportunity. Mais de U$ 500 milhões resultam de cooperação do governo americano. Trata-se do maior bloqueio de recursos suspeitos da história do Brasil.

O bloqueio foi determinado por ordem judicial expedida em Cooperação Jurídica Internacional. A ação foi coordenada pela Secretaria Nacional de Justiça com a participação do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI), da Justiça Federal e da Polícia Federal. Por enquanto, o Ministério da Justiça não vai divulgar o local do bloqueio e os nomes dos titulares das contas, por causa do compromisso assumido com os países cooperantes e para não atrapalhar as investigações subsequentes.

Dos recursos bloqueados pelo Ministério da Justiça em contas bancárias mantidas no exterior, resultado da Operação Satiagraha, cerca de US$ 496 milhões são do banco Opportunity, informou ontem, o Ministério Público Federal em São Paulo (MPF-SP). De acordo com o MPF-SP, US$ 450 milhões do montante do banco são de contas em Nova York e US$ 46 milhões provêm de contas do Opportunity na Inglaterra, bloqueadas em 2008. O pedido de bloqueio das contas partiu do próprio MPF-SP.

O Ministério da Justiça informou que o bloqueio de cerca de US$ 500 milhões resultou de cooperação com o governo norte-americano. Segundo o órgão, foi o maior bloqueio de recursos suspeitos da história do Brasil. A ordem partiu da Secretaria Nacional de Justiça, junto com o Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI), da Justiça Federal e da Polícia Federal, que determinaram o bloqueio, que contou com cooperação jurídica internacional.

O ministro da Justiça, Tarso Genro, elogiou o trabalho da Secretaria Nacional de Justiça, que, segundo ele, está tornando cada vez mais difícil a lavagem de dinheiro. A Operação Satiagraha ocorreu no dia 8 de julho de 2008, contra suspeitos de corrupção e de promover lavagem de dinheiro. Entre os presos, estavam o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta, o investidor Naji Nahas e Daniel Dantas, dono do Opportunity.


8 comentários

  1. Diego
    sexta-feira, 23 de janeiro de 2009 – 9:58 hs

    Essa “história! está muito nebulosa ainda…

    Mas se o Tarso Genro elogiou, boa coisa não é!!!

  2. sexta-feira, 23 de janeiro de 2009 – 9:59 hs

    “Lula defende os terroristas”

    O partido Itália dos Valores organizou nesta quinta-feira um protesto em frente à Embaixada do Brasil em Roma para criticar a decisão do ministro Tarso Genro de conceder o refúgio político ao ex-ativista Cesare Battisti. Ele é condenado à prisão perpétua em seu país por quatro assassinatos. Battisti nega os crimes.
    Durante a manifestação, quatro pessoas ficaram deitadas no chão sob lençóis com manchas vermelhas, representando os quatro italianos supostamente mortos por Battisti.
    Os protestos contaram com o apoio do Movimento pela Itália, liderado por Daniela Santanché, e da Coordenação Independência das Forças da Polícia.
    Também estava presente o coordenador regional de Lazio, Fabio Sabbatani Schiuma, adepto do Movimento pela Itália. “Pedimos ao prefeito de Roma, Gianni Alemanno, que se expresse como instituição e como expoente do Povo da Liberdade (coalizão governista)”, disse ele.
    A foto acima foi está no site do jornal La Repubblica. O dizer é claro: “Lula defende os terroristas”.

  3. Mariana
    sexta-feira, 23 de janeiro de 2009 – 10:23 hs

    É uma tentativa tosca de melhorar a imagem do Tarso Genro!!

    Não adianta, não há dinheiro capaz de nos fazer esquecer que existe um terrorista (Battisti) infiltrado entre nós pelo Tarso e Lula!!

    Já assinei as duas Cartas abertas que recebi:

    “Carta aberta
    .

    Caso Battisti – Solidariedade aos italianos

    Vimos por meio desta nos solidarizar ao repúdio do governo italiano frente à atitude irresponsável e vexaminosa do Ministro da Justiça brasileiro, Tarso Genro, de conceder refúgio político ao assassino e terrorista Cesare Battisti.

    Como cidadãos brasileiros, sentimos vergonha em ter como representante uma pessoa com esse tipo de atitude, que coloca o próprio alinhamento ideológico acima dos valores da vida e da justiça.

    Com o intuito de favorecer um criminoso que tirou covardemente a vida de cidadãos italianos, o ministro Tarso joga no lixo as boas relações entre nossas duas nações. E pior, com o apoio explícito do Presidente da República.

    Que caia a máscara hipócrita desse governo, que em todas as ocasiões possíveis, colocou-se como aliado de ditaduras e grupos terroristas, como é o caso de Cuba, das FARC, do Hamas e agora por último, dos terroristas italianos. É esse mesmo governo que almeja um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

    Nós, brasileiros de bem, não compactuamos com as posições adotadas unilateralmente por defensores de criminosos que, a pretexto de defender e questionar direitos que não lhes são cabidos, acobertam e dão guarida a indivíduos indesejáveis tanto aqui como em seus países de origem.

    A decisão de Tarso Genro NÃO REPRESENTA o Povo Brasileiro.

    A Itália deve tomar as medidas necessárias para denunciar e rechaçar esse ato que envergonha e humilha os cidadãos brasileiros e que despertou a justa revolta de nossos irmãos italianos.

    Também repudiamos atitudes baseadas em ideologias políticas ao invés da análise técnica e jurídica prevista em Acordos Internacionais e Tratados de Extradição entre nossos países (vide decreto nº 863, de 1993).

    Nosso apoio e franca estima!

    Ass: Nome

    Cidade – Estado – Brasil ”

    “Carta de apoio incondicional à Itália
    (Em Italiano: tradução livre abaixo)

    Foi com indignação que nós – brasileiros – tomamos conhecimento da decisão do Ministro da Justica- Sr.Tarso Genro, e com a devida e pública concordância do Presidente da Republica do Brasil, Sr. Luiz Inacio Lula da Silva que, contrários ao parecer do nosso Procurador Geral da República Dr. Antonio Fernando de Souza e da Comissão Nacional para Refugiados (CONARE) orgão consultivo do Ministério da Justiça – que negaram pedido de asilo ao terrorista Cesare Battisti – decidiram “autoritariamente” dar guarida ao mesmo, concedendo-lhe status de “refugiado político” mesmo tendo sido acusado pela Justiça italiana de cometer vários crimes, entre os quais frios assassinatos.

    Nós, brasileiros, não concordamos com o terrorismo como forma de ação política de combate ao poder estabelecido mediante o emprego da violência, sobretudo na vigência de regimes democráticos, como é o caso de seu país, a Itália, onde o terror não faz sentido algum, a não ser o de acolher atos insanos de pessoas sem compromisso com a legalidade e a democracia.

    Assim, queremos deixar claro que a postura do governo brasileiro não reflete o temperamento ordeiro e pacífico da grande maioria do povo brasileiro, que por sua vocação sempre procura soluções pacíficas para a resolução de conflitos, principalmente com paises amigos, como é o caso da Itália e que através dos meios de comunicação , como V.Excia. pode ler, manifestou-se contra a decisão de nosso governo.

    Repudiamos pois a presença deste terrorista em nosso território e acreditamos que a decisão unilateral do governo brasileiro, desrespeitando a soberania da Itália e deixando de levar em conta a excelente relação diplomática existente entre os dois países até então, só irá estimular a vinda de outros terroristas de todo o mundo com seus crimes acobertados desde que sejam considerados afinados com os ideais da esquerda petista.

    Se assim não for, outros serão banidos de nosso território, “como inimigos e extraditados”, como já aconteceu com os dois esportistas cubanos que não eram terroristas , mas cidadãos pacíficos, que por ordem deste mesmo Ministro da Justiça, foram covardemente deportados de volta para Cuba – uma ditadura – apenas por desejarem uma vida de liberdade, e cujo unico crime, foi o de abandonarem a delegação cubana por ocasião dos Jogos Panamericanos ano passado em nosso país, não importando as consequências deste gesto para os jovens.

    Pelos motivos acima expostos, então declaramos nosso repúdio ao comportamento da mais alta autoridade brasileira, a saber, o Presidente Lula da Silva e de seu Ministro da Justiça, Tarso Genro, sabendo que o julgamento do terrorista Cesare Battisti foi acompanhado pela Corte Européia de Direitos Humanos e decorreu em total observância aos direitos humanos do réu.

    — Italiano —
    E stato con indignazione che noi brasiliani – prendiamo la conoscenza della decisione del ministro della giustizia il sig.Tarso Genro e con l`accordo pubblico del presidente della Repubblica del Brasile, il sig. Luiz Inacio Lula da Silva che contraria al giudizio del Avvocato Generale, Dott. Antonio Fernando de Souza e della Commissione nazionale per l`organismo consultativo di Refugiados (CONARE) del Ministero di giustizia – quella avevano negato chiesto dell`asilo al terrorista Cesare Battisti , hanno deciso di una maniera autoritaria dare asilo nella condizione “del rifugiato politico, a una persona che è accusata per la giustizia italiana di commetere crimini, fra cui omicidi freddi.

    Noi, Brasiliani, non accosentiamo al terrorismo come forma politica di azione del combattimento al potere per mezzo della violenza, sopra tutti nelli i regimi democratici, poichè è il caso del relativo paese, Italia, in cui il terrore non rende ragionevole alcuno, da non essere di ricevere i atti insani della gente senza impegno con la legalità e la democrazia.

    Quindi, desideriamo lasciare chiaro che la posizione del governo brasiliano non riflette il ordeiro e il temperamento pacifico della grande maggioranza della gente brasiliana, che per il relativo vocazione sembra sempre le soluzioni pacifiche per la risoluzione di conflitto, pricipalmente con gli amici dei paesi, poichè è il caso dell`Italia e che , come V.Excia. può leggere, è stato rilevato contro la decisione del nostro governo.
    Rinneghiamo quindi la presenza di questo terrorista nel nostro territorio e crediamo che la decisione unilaterale del governo brasiliano, é un disrespetto la sovranità dell`Italia, e puo afferare il attuale di eccelente rapporto entri nei due paesi fino ad allora, soltanto andremo stimolare da allora venire di altri terroristi del mondo intero con i relativi crimini coperti che sono considerati affilati con gli ideali del PT(Partito del Presidente e del Ministro Genro).

    Se non sarà così, altri saranno esiliati del nostro territorio, come nemici, ed espulsi, come già è accaduto con i due sportisti Cubane che non erano terrorista, ma cittadini pacifici, che per ordine di questo esattamente il ministro di giustizia, covardemente há deciso per il ritorno a Cuba – una dittadura – soltanto per volere una vita di libertà e di cui unico crimine, era di abbandonare la delegazione Cubana per l`occasione dell`anno dei Giochi di Panamericani passato nel nostro paese, non importante i consegunezeas di questo atto per i povere giovani.

    Per i motivi sopra scritti, allora dichiariamo il nostro ripudio al comportamento da più alta autorità brasiliana, vale a dire, il presidente Lula Da Silva e del relativo ministro di giustizia, Tarso Genro, sapere che il giudizio del terrorista Cesare Battisti era seguito dal Consiglio Europeo dei diritti dell`uomo ed è trascorso nel rispetto totale ai diritti umani.”

    E enviei para:
    Endereços e links para envio:
    Embaixada da Itália – Brasília – DF
    SES – Av. das Nações, lote 30 – Qd 807
    CEP 70420-900 – Brasília – DF
    tel. (0xx61) 3442-9900
    fax (0xx61) 3443-1231
    fax (Dept. Comercial): (0xx61) 443-8772
    e-mail: ambasciata.brasilia@esteri.it
    site: http://www.ambbrasilia.esteri.it/
    .
    Correspondentes da imprensa italiana:
    .
    http://www.acie.org.br/socios_pais_rj.html#23
    Bittencourt, Ricardo IPS – Agência de Notícias – Itália Escritório: Av. Augusto Severo, 156 / 1106 – Glória
    20021-040 – Rio de Janeiro – RJ
    Telefone(s): 2509-4842 Fax: 2509-4842
    ACIE: 930
    rbitt@centroin.com.br
    .
    Bizzarri, Giuseppe Europa – Jornal – Itália Escritório: Rua Santo Alfredo, 22 – Santa Teresa
    20240-070 – Rio de Janeiro – RJ
    Telefone(s): 2224-5374
    ACIE: 1020
    giubizzarri@hotmail.com
    .
    Cotroneo, Rocco Corriere Della Serra – Jornal – Itália Escritório: Rua Francisco Otaviano, 17 / cob. 02
    Copacabana – 22080-040 – Rio de Janeiro – RJ
    Telefone(s): 3201-3991
    ACIE: 915
    rcotro@uol.com.br
    .
    Milanesi, Gherardo Avvenire – Jornal – Itália Escritório: Av. N. S. Copacabana, 583 / 607 Copacabana – 22050-000 – Rio de Janeiro – RJ
    Telefone(s): 2548-1800
    Fax: 2548-1800
    ACIE: 958
    agenziaisla@uol.com.br
    .
    Osava, Chizuo (Mario) IPS – Inter Press Service – Agência de Notícias – Itália Escritório: Rua Pereira da Silva, 492 / 104 A – Laranjeiras 22221-140 – Rio de Janeiro – RJ Telefone(s): 2205-8448
    ACIE: 533 Itamaraty: 410
    mosava@terra.com.br
    .
    Pardíes, Alicia Martínez Ansa – Agência de Notícias – Itália Escritório: Praia do Flamengo, 66 B / sala 1805 Flamengo – 22228-900 – Rio de Janeiro – RJ
    Telefone(s): 2225-1393 / 8134-9755
    ACIE: 998
    alicia.pardies@ansa.com.br
    .
    Jornal Il Tiempo – Italy
    http://iltempo.ilsole24ore.com/2009/01/20/978871-brasile_deve_dare_battisti.shtml
    .
    Jornal em Roma:
    http://www.repubblica.it/
    .
    http://www.newseum.org/todaysfrontpages/flash/

  4. Mariana
    sexta-feira, 23 de janeiro de 2009 – 10:25 hs

    Jornal Il Tiempo – Italy
    http://iltempo.ilsole24ore.com/2009/01/20/978871-brasile_deve_dare_battisti.shtml
    .
    Jornal em Roma:
    http://www.repubblica.it/
    .
    http://www.newseum.org/todaysfrontpages/flash/

  5. Lineu Tomass
    sexta-feira, 23 de janeiro de 2009 – 10:57 hs

    FABIO.

    É MUITA RAPINAGEM NESTE POBRE “BRAZIL”.

    DESDE 1500 PREDAM AS RIQUEZAS DESTA NAÇÃO, RIQUEZA ESTA CADA VEZ MAIS CONCENTRADA NAS MÃOS DE POUCO, ATRAVÉS DESTES GIGANTESCOS ESQUEMAS, DE VAZAMENTO DE FORTUNAS SONEGADAS PARA O EXTERIOR, PRODUTO DE DE CAIXA 2.

    COMEÇOU EM 1.500 COM OS “VALOROSOS” COLONIZADORES PORTUGUESES, A MAIORIA DEGREDADOS, NOS HERDARAM ESTA PRÁTICA NEFASTA DE MANDAR RIQUEZAS PARA AS METRÓPOLES, PORQUE AQUI, CONTINUAMOS A SER “COLÔNIA” DAS NAÇÕES RICAS.

    ESTE ESQUEMA NÃO PAROU ATÉ HOJE.

    E CONTINUA…..CONTINUA….CONTINUA…

    LINEU TOMASS.

  6. Rafael
    sexta-feira, 23 de janeiro de 2009 – 12:11 hs

    A Itália deve cortar Relações Diplomáticas com o Brasil, tenho vergonha dos Nossos Ministros, e do nosso Presidente, mas é Bom Lembrar que foi o povo Brasileiro que colocou o PT na Presidência então temos que sofrer mesmo, pois povo burro sofre

  7. sábado, 24 de janeiro de 2009 – 13:17 hs

    Então voltando ao assunto principal desta matéria,que foi a apreensão do dinheiro enviado ilicitamente para fora deste país.É tudo nebuloso demais, não dizem a quem pertencem os US$ 2 bilhões. Aqui no Brasil é assim,quem fez a denúncia foi punido,isso todos os brasileiros sabem quem são e porque foram denunciados quem fez o certo…Estranho não é????Agora vem a “ética” , sempre a favor da proteção daqueles que roubam, o Brasil está errado em eleger estes picaretas do PT,estes mesmos que antes de chegarem ao governo berravam aos quatro cantos contra o protecionismo dos ladrões da pátria,e, hoje praticam atos muito mais vulgares dos encontrados nos prostibulos…
    Lembrem-se em 2010 FORA PT, FORA DUCE,FORA DILMA/ESTELA….

  8. BENIGNO A DIAS
    segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009 – 11:17 hs

    A Síndrome da Superpopulação (por: Benigno Dias)

    Em Gênesis: 9:7 Deus ordena: “Mas vós frutificai, e triplicai-vos; povoai abundantemente a terra, e multiplicai-vos nela”. Seguir esta ordem divina seria um suicídio coletivo, gente se afogando em gente. SAIBAM O PORQUÊ:

    A explosão demográfica é, sem dúvida, a causa de quase todas as mazelas modernas. Cada indivíduo que nasce, constitui um multiplicador de problemas em potencial.
    O fenômeno da superpopulação traz, inevitavelmente, a sociedade competitiva. Na sociedade competitiva, o homem passa a enfrentar o seu semelhante como um inimigo, embora, quase sempre, não-declarado. Para derrotar o competidor, consciente ou inconscientemente, o ser humano incorpora o seu mais extremo recurso: a lei que revoga as demais, a lei da sobrevivência. Não a lei da sobrevivência instintiva, mas aquela calculada, arrivista. Nesse estágio, os inversos de valores, como: moral, solidariedade e sinceridade tornam-se armas diabólicas da estratégia interpessoal. Passa-se a conviver, então, numa sociedade pandemônica, algo pior que a sociedade de lobos preconizada por Plauto; quem dera fosse, pelo menos, lobos não raciocinam!
    A multidão serve também como camuflagem (mimetismo) para muitas pessoas se despersonalizarem, corromperem-se……na quase certeza de que passarão despercebidas. Outras assim procedem para chamar a atenção, pois à medida que aumenta a população, mais um elemento se sente diminuto, anônimo. E há até aqueles que se entorpecem; como a buscar um condicionamento psicológico capaz de ajustá-los às adversidades cotidianas .
    À proporção que a superfície terrestre vai sendo povoada, sobra menos solo cultivável. A agropecuária dispõe, paradoxalmente, de menor espaço para produzir alimentos para um maior número de consumidores. Então, recorre-se ao “milagre da química”. A fim de conciliar a ganância de quem produz à necessidade de quem consome, aplica-se o fertilizante, a herbicida, o transgênico, a clonagem etc. Tudo isso tem como decantador ou despejo final, o corpo humano, constantemente bombardeado . Surgem as moléstias; enfermidades cuja proliferação mais rápida e resistente será propiciada pela grande concentração de organismos fragilizados, coabitantes de um ecossistema cada vez mais insalubre.
    A indústria, por seu turno, na tentativa de responder à demanda e competir com a concorrente, automatiza-se, robotiza-se. Tal processo implica a troca do trabalhador pela máquina, sinônimo de desemprego e desespero. Sobretudo no mundo globalizado. Um chinesinho que acabou de nascer, pode prejudicar a qualidade de vida dum brasileirinho aqui. A China é uma nação onde a economia ainda não abraçou o dogma do capitalismo ocidental. O trabalhador chinês vende sua mão-de-obra numa escala depreciada, por conseguinte, seus produtos comerciais são processados a baixo custo. Desse modo, é mais vantajoso, para um empresário brasileiro, importar bugigangas chinesas do que comprar artigos da indústria nacional, embora esta segunda opção significasse a inclusão de trabalhadores brasileiros no setor produtivo.
    Em meio à tanta tribulação, o tecido social se esgarça, levando as pessoas ao estado de niilismo: “não nos resta mais nada, estamos às vésperas do fim”. Esse tipo de sensação desperta no homem uma gana voraz por lograr e estocar tudo, antes que alguém chegue primeiro.
    E todos passam a pensar e agir assim; o individualismo e a desconfiança recíproca se exacerbam. Segundando esta afirmativa, a Fundação Getúlio Vargas, em recente pesquisa, constatou que os países mais populosos são mais corruptos, não somente em quantidade, mas em percentagem também.
    Por essa busca enlouquecida, a princípio, aquela que acaba pagando mais caro é a natureza, a qual, degradada, “vinga-se” do homem. Isso justifica a preocupação do chefe do Programa Ambiental da Organização das Nações Unidas, Klaus Toepfer, manifesta durante sua visita em Sidney-Austrália. Referindo-se à China, disse Toepfer: “Quadruplicar o PIB de uma país de 1,3 bilhões de habitantes, imaginem a catástrofe ambiental que tal ambição possa trazer à vida na terra!”
    Claro que um freio abrupto na densidade demográfica, mundial, é algo que beira às raias da utopia. Mesmo porque, hoje, o número de habitantes de um país virou trunfo das negociações internacionais. Basta espelhar-se pelo mau exemplo da China: seu governo tem violado os direitos humanos sistematicamente, nem assim, as potências capitalistas (as detentoras do poder terráqueo) adotam retaliações contra o governo de Pequim. No mundo capitalista, quem manda são os megaempreendimentos: empresas, bancos, indústrias etc. Qual país capitalista gostaria de perder um mercado consumidor com o volume do chinês? George Bush, em recente pronunciamento, declarou que a Índia já merece um lugar no Conselho de Segurança da ONU, porque o país já conta com uma massa populacional próximo a um bilhão de habitantes. No plano interno, também não é diferente: os governantes, à exceção dos chineses, nenhum esboça o interesse de controlar a taxa de natalidade. Pois, para os empresários (legítimos financiadores do poder eleito), quanto maior a população, maior o número de consumidores em potencial. É compromisso desses homens de negócios, estimular a multiplicação de objetos de lucro/produção (consumidores/trabalhadores), a fim de que seus empreendimentos se perpetuem crescentes, postumamente, sob as rédeas dos seus descendentes. Enquanto isso, àqueles que sonham com um mundo racionalmente povoado, restam-lhes os mecanismos de controle natural das populações: epidemias, tsunamis, terremotos etc.
    Contudo, se ainda existe alguém comprometido com a posteridade, que decrete logo um rígido controle na taxa de natalidade, antes que o planeta entre em colapso. Ou antes mesmo que, ao invés de chorar, um homem passe a comemorar a morte de um semelhante seu, por ter-se livrado de mais um concorrente.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*