Em época de eleição, Morales volta ao populismo | Fábio Campana

Em época de eleição, Morales volta ao populismo

De Miriam Leitão:

Evo Morales voltou a usar o velho truque de adotar uma medida populista em épocas de eleição. Hoje ele anunciou que nacionalizou por decreto uma filial da British Petroleum na Bolívia.

É um truque que ele já usou, inclusive contra o Brasil. Perto de uma eleição ou referendo importante (no domingo os bolivianos vão às urnas votar por mudanças na Constituição) ele manipula o povo boliviano com estes gestos tipo nacionalista. Foi assim quando invadiu com tropas as refinarias da Petrobras. É golpe publicitário.


9 comentários

  1. LINEU TOMASS
    sexta-feira, 23 de janeiro de 2009 – 21:51 hs

    FABIO.

    NÃO É SÓ O EVO DA BOLÍVIA.

    TEM MUITA GENTE POR AQUI NO BRASIL E NO PARANÁ, QUE USA O MESMO MÉTODO.

    LINEU TOMASS

  2. Thiago
    sexta-feira, 23 de janeiro de 2009 – 23:10 hs

    Essa mulher é muito idiota mesmo!
    As riquesas devem pertencer ao Estado consequentemente ao povo, quem dera no Brasil o Estado tomasse de volta a Vale do Rio Doce e até mesmo a Petrobrás.
    Agora tá aí o Pré-Sal sendo que 40% de sua àrea já está nas mãos das empresas privadas que adquiraram através de leilões, tudo na lógica neoliberal, herança de do picareta Fernandinho.
    Pela nacionalização da riqueza!

  3. sábado, 24 de janeiro de 2009 – 0:43 hs

    Se ele privatizasse as rodovias, como o lerner e o serra, vendesse as estatais etc, seria moderno. Como defende o interesse do povo, é nacionalista, tal como foi brizola, em algum momento itamar, lula etc, é “populista”! É mole?

    js

  4. Elias
    sábado, 24 de janeiro de 2009 – 3:04 hs

    Thiago e joazinho:

    desde quando algo que é do estado é do povo? o povo paga pra sustentar quando a estatal vai mal, mas desde quando recebe o benefício, já que é “dono”?

    você são mesmo tão ingênuos a ponto de pensar que o estado existe para proteger o povo?

    ninguém em teoria política é idiota o suficiente para afirmar uma imbecilidade dessas. nem marx, nem os liberais radicais, nem nenhum teórico político respeitável dos últimos 150 anos foi capaz de dizer uma imbecilidade dessas.

    me diga um lugar onde os interesses do povão são defendidos pelo estado. ou vocês são tolos a ponto de achar que o evo morales fez essa jogada perto da eleição por coincidencia?

    um pouquinho de estudo e coerencia, por favor. falar que “estado grande” = “povo com interesses defendidos” é ao mesmo tempo não entender de política e não ter lido 1 livro de história na vida.

  5. Jaferrer
    sábado, 24 de janeiro de 2009 – 8:32 hs

    Concordo com você Elias. O senso comum confunde, sistematicamente, interesse de Estado com interesse do povo. Ainda mais se o o governo é populista, como grande parte desses atuais governos da América do Sul. Seu discurso é direcionado exatamente para potencializar essa confusão; não passam de reedições do antigo caudilismo que aflige a região desde o século XIX com a chamada “libertação”. A consequencia disso todos sabem, ditadura. Como disse um historiador uruguaio, “agora que nos libertamos da Espanha, quem nos libertará de nosso libertadores?”.

  6. Jussara R. Araujo
    sábado, 24 de janeiro de 2009 – 14:47 hs

    Sr. colunista,
    Gosto de ler sua coluna, mas acho uma pobreza vocë desperdiçar seu espaço com comentários da Mirian Leitão; ela é muito estilo McCarthy; você – aposto – não ia informar seu leitor dizendo que Morales é populista. Você sabe que é ele é muito 10.
    Puxa – tira essa imagem que ela jogou.
    Faz aí um comentário histórico. Diz que ele é Aymara; que ele devia mesmo estatizar a Petrobrás lá porque a Petrobrás não é politicamente correta em termos de meio ambiente no espaço boliviano;etc, etc, diz – vai.
    Diz mais. Vocë sabe, eu sei que você sabe que a Bolívia é o pulmão do mundo; que as riquezas históricas da Bolívia pela primeira vez – com Morales – estão sendo preservadas e, principal a riqueza humana: as crianças que até bem pouco morriam de fome.
    Grata
    Jussara

  7. sábado, 24 de janeiro de 2009 – 15:55 hs

    Puts, não vi que quem assina o texto é a Miriam Leitão. De qualquer forma, Elias e Jeferrer, o que tenho a dizer, que sumiu da midia local o tema “fazer a lição de casa” que consiste em vender tudo, diminuir o tamanho do estado, flexibilização trabalhista, já que o novo presidente americano e a atual crise, impôe a participação do estado mais efetiva. Exemplo? as economias que mais cresceram no período foram as que “têm mais estado”, brasil, venezuela, china e brasil. Portanto, o obama vai dar dinheiro pros bancos e empresas quebradas, mas vai por lá um executivo do governo prá cuidar da tão “competente” liberdade de mercado, tão cara aos nossos neo bobos!
    Concluo dizendo que o estado cuida sim da vida dos cidadãos. Ou vc ignora que a politica do lula/pt melhorou a vida do brasileiro, com amis emprego, por exemplo e aumento do pib, de 1,6 tri para 2,6 tri em 6 anos??

    abraço, js

  8. Elias
    sábado, 24 de janeiro de 2009 – 19:44 hs

    Cara Jussara, vou dar uma opinião:

    1. Aparentemente você acha que ele não é populista por que ele é “nota 10”. O que seria o populismo para você? Por que o que parece que é você sabe que ele é populista e distributivista, só que acha isso bom. Então assuma que você gosta desse tipo de política, como deixa claro depois, ao invés de querer mudar a linguagem e as palavras. Evo Morales é sim populista, e você tem o direito de achar isso uma boa política. O fato do sistema capitalista atrasado daquele país, onde oligarquias associadas ao estado terem gerado pouca distribuição, não faz com que Evo Morales esteja certo em suas próprias propostas. O sistema anterior era péssimo, e gerava pobreza. O sistema do Evo também é péssimo e gera pobreza, pois o estado gigantesco e filantrópico gera tanta ineficiência e pobreza que essas crianças vão viver de esmola do estado.

    2. “A Petrobras não é politicamente correta”. O que é “politicamente correto”? Aquilo que você decidir que é correto?

    3. A Bolívia não é o pulmão do mundo. A Amazônia não é o pulmão do mundo. O pulmão do mundo é o Oceano Pacífico. É dos organismos de lá que sai a maior parte do oxigênio que a gente consome. Na verdade, as florestas produzem até bastante oxigênio, mas consomem bastante também. Esse papo de pulmão do mundo é propaganda para preservar as florestas, o que até foi bom, mas como propaganda. Não como argumento pra nada.

  9. Zé do Coco
    segunda-feira, 26 de janeiro de 2009 – 14:48 hs

    Calma, cavalheiros, a Jussara quis apenas fazer uma gozação. Ela simplesmente fez ironia com os discursos que os demagogos adoram utilizar quando se trata de propriedade de outra pessoa ou país.
    Jussara, como ironia, foi perfeito. Embora não seja Aymará, nem qualquer indígena puro-sangue, fica bem na foto enaltecer os índios.
    Mas Evo Morales é tão índio quanto eu sou Onassis. É o maior blefe que os tolos bolivianos, principalmente indígenas, já engoliram em toda a história daquele país.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*