Dívida do Paraná cresceu vinte vezes em dez anos | Fábio Campana

Dívida do Paraná cresceu vinte vezes em dez anos

divida

Estudo do Ipea mostra que a dívida do Paraná cresceu quase vinte vezes em menos de dez anos, desde a renegociação da dívida dos estados com o governo federal, promovida em 1998. A dívida paranaense, que era de R$ 519 milhões em junho de 98, saltou para R$ 10,9 bilhões em dezembro de 2006.

A maior parte desse aumento foi motivado pelo empréstimo de R$ 5,6 bilhões para sanear e privatizar o Banestado. Esse empréstimo criou uma dívida a ser paga em trinta anos, em parcelas mensais de cerca de R$ 30 milhões.


O estudo do Ipea mostra ainda que nos últimos anos a dívida do Paraná também cresceu porque o Estado reduziu a economia que fazia para amortizá-la e reduzi-la. Isso acontece por conta da falta de estabilidade na geração do chamado “resultado primário”, que contabiliza receitas menos despesas, não incluindo em nenhum tipo de despesa financeira, seja ela amortização ou serviço de dívida. “O Estado do Paraná apresentou resultados (primários) expressivos em 2003 e 2004, seguidos por acentuada redução nos anos 2005 e 2006″, afirma o texto assinado pelos técnicos do instituto. “Os estados do Paraná e de Santa Catarina, embora sejam economicamente mais bem estruturados que a maioria dos estados brasileiros, apresentam ainda resultados primários instáveis, fortes oscilações e uma baixa execução de investimentos”, conclui o estudo.

O levantamento aponta ainda que as despesas de pessoal do Poder Executivo dos estados apresentaram um aumento de apenas 0,34% como porcentagens do PIB (Produto Interno Bruto), em dez anos. No Paraná, porém, esse aumento foi muito acima da média, chegando a 3,81% entre 1995 e 2005.

Além disso, as despesas de custeio no estados brasileiros quintuplicaram e passaram de 1,1% para 6,09% do PIB, ao passo que as despesas de investimentos encolheram de 2,2% para 0,94% do PIB. As despesas de custeio envolvem tudo o que toca o dia-a-dia do Estado: desde a gasolina dos carros oficiais até as reformas e manutenção dos prédios.


6 comentários

  1. BREAK
    quinta-feira, 8 de janeiro de 2009 – 9:30 hs

    Atenção povo do Paraná o governador vai dizer que é mentira e não vai querer pagar, mas acreditem o cara não assume mesmo as cacas que faz então pagamos nós.

  2. JoãoMariaDeAgostinho
    quinta-feira, 8 de janeiro de 2009 – 10:44 hs

    E viva Jaime Lerner, tchê!!!

  3. LINEU TOMASS
    quinta-feira, 8 de janeiro de 2009 – 12:22 hs

    VEJA QUE CONTRADIÇÃO.

    QUANTO MAIS O ESTADO GASTA, MENOS SERVIÇOS ELE PRESTA A POPULAÇÃO.

    É CRISE NA SAÚDE, NA SEGURANÇA, NA GERAÇÃO DE EMPREGOS, NA DISTRIBUIÇÃO DE RENDA, E COMO DISTRIBUIR RENDA SE O ESTADO FICA COM QUASE METADE DO QUE O BRASILEIRO PRODUZ? E AINDA O ESTADO QUER SEMPRE MAIS E MAIS?

    QUANDO NÃO É O ESTADO, SÃO AS EMPRESAS PRIVADAS QUE ASSUMIRAM AS EMPRESAS ESTATAIS, COMO O PEDÁGIO CARÍSSIMO NO PARANÁ, NA TELEFONIA NEM SE FALA, POIS O CUSTO POR MINUTO SALTOU MILHARES POR CENTO O MINUTO, A COISA VAI POR AÍ AFORA.

    OS BANCOS COBRAM OS JUROS CAMPEÕS DO MUNDO. É UM ASSALTO.

    HÁ A CADA DIA MAIS E MAIS APROPRIAÇÃO DIRETA E INDIRETA DA RENDA, “CORDEIRO” DO QUE ACATA TUDO, E AINDA SORRI, FELIZ DA VIDA.

    LINEU TOMASS.

  4. Rock
    quinta-feira, 8 de janeiro de 2009 – 12:41 hs

    Esse Break, deve ser um Jumento já que não sabe ler um texto, onde ele explica que mais da metade dessa divida foi criada pelo Jeime,que afundou o Estado com a divida devida a Federação e entregou um Banco de graça ao Itaú.

  5. manuel portugues
    quinta-feira, 8 de janeiro de 2009 – 16:28 hs

    HARA SÓ, E NINGUÉM FOI PRESO???????

  6. Fred
    quinta-feira, 8 de janeiro de 2009 – 20:47 hs

    O Eron Arzua é muito ligado ao Jaime Lerner e todo mundo sabe!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*