Beto Richa instala a terceira onda de reforma gerencial | Fábio Campana

Beto Richa instala a terceira onda de reforma gerencial

beto-richa-caio-marini

Na reunião que terminou há pouco, o prefeito Beto Richa instalou o que o consultor Caio Marini (foto, à direita), da Fundação Getúlio Vargas e consultor de Aécio Neves em Minas, chama de “terceira onda de reforma gerencial do Estado brasileiro”.

A primeira foi em 1995, no governo FHC, no Ministério da Administração. A segunda em 2003, com o choque de gestão de Neves em Minas Gerais. E agora, pela primeira vez como experiência municipal, em Curitiba de Beto Richa, diz Marini.

No plano municipal há a possibilidade da reforma ser medida de maneira mais direta pela população. Hoje todos os secretários assinaram contrato de gestão e assumiram metas a serem cumpridas no próximos doze meses.

O acompanhamento será constante e a cada quatro meses será feita uma avaliação mais profunda. A novidade ainda não foi absorvida completamente pela burocracia, que terá de se adaptar aos novos tempos.

O Imap – Instituto Municipal de Administração Pública, dirigido por Homero Giacomini, elaborou os contratos, os planos e será o instrumento principal de fiscalização, ao lado da Secretaria de Finanças, da Secretaria de Governo, do Planejamento e diretamente pelo gabinete do prefeito.


10 comentários

  1. marcia
    terça-feira, 6 de janeiro de 2009 – 11:33 hs

    seria ótimo ter acesso a esses contratos…

  2. PESSOA
    terça-feira, 6 de janeiro de 2009 – 11:40 hs

    Haverá acompanhamento do TURISMO do Prefeito?
    Não esqueçam que a campanha para Governador 2.010 já começou!

  3. RODRIGO
    terça-feira, 6 de janeiro de 2009 – 12:02 hs

    Enquanto Requião dá exemplos de como não se administra um estado, vemos o que o Beto e Aécio fazem!!!

    Por isso quero Beto Governador em 2010!!!!

  4. Ana
    terça-feira, 6 de janeiro de 2009 – 12:08 hs

    é isso aí Beto!! o melhor prefeito do Brasil e governador em 2010!! Quem viver verá!

  5. Lineu Tomass
    terça-feira, 6 de janeiro de 2009 – 13:26 hs

    MITOS E REALIDADES.
    CHOQUE DE GESTÃO E MUNDO REAL.

    GOSTARIA DE SABER SE O “MESTRE, CAIO MARINI”, APLICA EM SUAS TEORIAS DE GESTÃO PÚBLICA, OS CONCEITOS E FATOS REAIS NARRADOS PELO INESQUECÍVEL E OUSADO AMIGO E EMPRESÁRIO-ESCRITOR, RUDOLF KURT MIROW, CUJOS CONCEITOS CONSTAM NO LIVRO, “DITADURA DOS CARTÉIS”, O QUAL PROVOU QUE SOMOS UM PAÍS DE TERCEIRO MUNDO, TOTALMENTE CARTELIZADO PELAS GRANDES EMPRESAS E CORPORAÇÕES.

    ESTES CARTÉIS SÃO FORMADOS ATRAVÉS DE ASSOCIAÇÕES DE EMPRESAS, AS QUAIS DITAM O PREÇO EM CONCORRÊNCIAS PÚBLICAS, DE FORMA COMBIINADA, ESCALANDO A EMPRESA GANHADORA DA CONCORRÊNCIA.

    NO BRASIL, AS GRANDES OBRAS PÚBLICAS, CHEGAM AO EXAGERO DE UM “OVER-PRICE”, DE MAIS DE 200% (DUZENTOS) EM REALAÇÃO AOS PREÇOS DE OBRA IDÊNTICA NA EUROPA, SEGUNDO A FOLHA DE SÃO PAULO.

    SERÁ QUE O “CHOQUE” DO SR. CAIO, VAI ALCANÇAR TAMBÉM ESTA QUESTÃO DE “SOBRE- PREÇOS” PÚBLICOS DE CONCORRÊNCIAS, QUE É DO MAIOR INTERESSE DO POVÃO QUE PRODUZ E PAGA A CONTA DO MUNICÍPIO DE CURITIBA?

    EFICIÊNCIA NO SERVIÇO MPÚBLICO PARA MANTER OS PRIVILÉGIOS?

    O “CHOQUE DE EFICÊNCIA DE GESTÃO PÚBLICA”, PASSA TAMBÉM PELAS ENTIDADES PRIVADAS QUE SERVEM AO PODER PÚBLICO, NOTADAMENTE QUANTO AOS PREÇOS E QUALIDADE.

    VIDE O QUE ACONTECEU COM OS PREÇOS DOS PEDÁGIOS NO PARANÁ, SUPER-HIPER-CARTELIZADO, QUE NOS COBRA MAIS DE R$12,00 (DOZE REAIS), POR 70 KILÔMETROS DE EMPRESA NACIONAL-PARANAENSE, CONTRA R$ 2,00 (DOIS) REAIS COBRADO POR EMPRESA EUROPÉIA, PELOS MESMOS 70 KILÔMETROS.

    ALÔ, ALÔ, “MESTRE MARINI”, VOSSA SENHORIA TEM UMA FÓRMULA PARA DAR UM CHOQUE DE GESTÃO NESTA TURMA DAS EMPRESAS DO PEDÁGIO AQUI DESTE “PARANAZÃO SOOFRIDO DE GUERRAS”?

    VEJA “MESTRE CAIO”. DE 2 PARA 12, SÃO MAIS DE 500% QUINHENTOS POR CERTO DE “OVER PRICE”.
    TENS UMA FÓRMULA PARA ESTA ROUBALHEIRA DO DINHEIRO´PÚBLICO?

    AÍ SIM, TERÍAMOS UM VERDADEIRO CHOQUE DE GESTÃO NO SERVIÇO PÚBLICO.

    SR. MARINI, VAMOS TROCAR UMAS IDÉIAS? CONTATO: linomass@bol.com.br

    LINUEU TOMASS – ADVOGADO.

  6. Júlio
    terça-feira, 6 de janeiro de 2009 – 15:21 hs

    Não seria mais fácil falar que se trata de cópia ipsis litteris do sistema que Aécio tentou implantar sem muito sucesso em MG, mas que tenta vender como a oitava maravilha do mundo?

    Sugiro que alguém vá para MG e veja a “beleza” que são os serviços públicos por lá. A situação lá está simplesmente caótica.

  7. divo juruna
    terça-feira, 6 de janeiro de 2009 – 15:49 hs

    O Beto Richa podia é acabar com a roubalheira no ICI. Mas isso ele não faz.

  8. Lineu Tomass
    terça-feira, 6 de janeiro de 2009 – 16:02 hs

    DE NOVO, LINEU TOMASS.

    SR. MARINI, ESTOU AGUARDANDO CONTATO.
    A PROPÓSITO DE SUA “PRIMEIRA ONDA DE REFORMA DO ESTADO GERENCIAL BRASILEIRO”, FEITA NO GOVERNO DO DESASTRADO F.H.C., PERGUNTO:

    A ONDA DE PRIVATIZAÇÕES DO FHC, FEZ PARTE DESTE “GERENCIAMENTO”?

    NA ESPERA. LINEU TOMASS.

  9. terça-feira, 6 de janeiro de 2009 – 22:15 hs

    Srs. A iniciativa é válida se os resultados forem de fato monitoriados de forma isenta e imparcial, periodicamente. Acho difícil é desligar um indicado político por não atingir as metas. Vamos ver. O contrato e os resultados devem ser divulgados na web, incluindo a avaliação da satisfação do serviço público pelo usuário, ou seja a população. Estranhei comentários que tratam de outras questões e envolvem a esfera de governo estadual e federal, que nada tem a ver com a matéria. Esqueceram de dar o remedinho para o cidadão ?

  10. Gelô
    terça-feira, 6 de janeiro de 2009 – 22:43 hs

    Que chatice esse bláblá todo e, só para constar, a primeira onda gerencial-profissional no estado brasileiro, com todo o respeito ao consultor mineiro, foi na era Getúlio Vargas senhores e faz tempo hein!

    Quem quiser é só consultar livros de história do Estado Brasileiro, eu posso até recomendar.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*