Requião defende estatização do crédito | Fábio Campana

Requião defende estatização do crédito

O governador Requião apresentou, em reunião na Associação Brasileira de Imprensa, propostas para o Brasil enfrentar a crise financeira mundial.

Entre elas, a estatização do crédito, investimentos em infra-estrutura, o controle do câmbio e a desoneração do consumo. As idéias foram expostas durante a abertura do seminário “Estratégias para o Brasil sair da crise”, no Rio de Janeiro. Requião foi convidado para fazer a palestra de abertura pelo presidente da ABI, jornalista Maurício Azêdo.


8 comentários

  1. LuizSeriedade
    quarta-feira, 3 de dezembro de 2008 – 18:16 hs

    acho que o tal de Azêdo ja se arrependeu de ter convidado o governador do Paraná. Ele só foi para azedar a maioneze

  2. Vigilante do prtão
    quarta-feira, 3 de dezembro de 2008 – 19:16 hs

    Vamos checar se alguma estatal do Paraná não está patrocinando o evento.
    É de rir, controle cambial, impedindo a livre circulação dos recursos? Deu tão certo em Cuba…Tão certo que as pessoas se matam para “entrar” na Ilha. KKK
    Mudar as regras do jogo, pode trazer INSEGURANÇA, que afasta capitais. Logo, não haverá recursos para os investimentos na infraestrutura.
    É MAIS UMA BURRICE Do REQUIÃO e DO LESSA.
    O cara, de tão incompetente, foi mandado embora do BNDS, pelo Lula. Justamente pela visão obtusa do mundo. Essa turma não sabe que o MURO CAIU. O SONHO ACABOU. A realidade é a globalização e não adianta chorar.
    Agora vão convidar o Chaves, Morales, Lugo e outros Caloteiros e fanfarrões para fazer um debate em Curitiba, tudo pago pela Viúva, só para o Requião posar de Estadista.
    Basta ver o crescimento do PIB do Paraná, em comparação com os demais estados da federação. para saber que o Requião é um péssimo governador.
    Na gestão do Lerner, caminhávamos aceleradamente para superar o PIB do Rio Grande do Sul, agora…

  3. jango
    quarta-feira, 3 de dezembro de 2008 – 19:18 hs

    Estatização nepotística juramentada é com o Inquilino do Canguiri – maior salário de governador do país – salário de Ministro Presidente do Supremo Tribunal Federal – mais de 24 mil pilas/mes saindo do bolso do povo – “estatização” é para essas coisas e viagens ao exterior a cada 76 dias, nepotes e comissionados em penca no estribo do Estado, etc

  4. quarta-feira, 3 de dezembro de 2008 – 19:21 hs

    Essa ABI não deve ser uma entidade séria… convidar o maluco do Requião é falta derespeito com os participantes!

  5. quarta-feira, 3 de dezembro de 2008 – 19:45 hs

    Mudem o nome do governador para Vladimir Ilich Lênin Requião!

  6. quarta-feira, 3 de dezembro de 2008 – 20:28 hs

    Tudo que esse inutil propõe é besteria. Não se aproveita nada. Fica cada vez mais evidente sua cara de ” comunista”. Essa “idéias brilhantes” na condução da economia paranaense tem levado ao abismo nossa participação na economia nacional desde 2003. Requião não sabe fazer nada logo deve calar-se…….

  7. eu mesmo.
    quinta-feira, 4 de dezembro de 2008 – 7:12 hs

    e o que vocês falam da taxa de desemprego no Paraná?
    que tal Curitiba onde a taxa chegou a 4,5%?
    Só falta falarem que é obra do super herói Beto Richa.

    É praticamente um messias. Nada de mal se fala.

  8. quinta-feira, 4 de dezembro de 2008 – 13:03 hs

    O crescimento do emprego na RMC está diretamente relacionado à: Indústria automotiva onde a participação do Requião é ZERO, empresas prestadoras de serviços que estão se instalando em Curitiba devido a propostas interessantes como o Tecnoparque, onde a participação do Requião é ZERO, construção civil e comercio puxados pelo bom desempenho do restante, onde a participação do Requião é ZERO. No interior, Agricultura onde a participação do Requião é ZERO, não tem nenhum programa interessante, só brigas contra transgênicos e blá,blá,blá… Serviços e comercio crescem baseados no bom desempenho da agricultura, logo não tem nada haver com Requião. Conclusão: Requião não tem participação nenhuma nas instalações das industrias no estado, logo não acrescentou nada de empregos , simplesmente se aproveita dos resultados da correta politica industrial do Sr Lerner anos atrás, e também não participa em nada no bom desempenho da Agricultura, bancada por dinheiro dos bancos federais, pelo bom tempo e lógico, pelo excelente trabalho dos agricultores que não precisam dele pra nada,. e para finalizar: Requião tem participação sim, mas no fato de impedir que mais empregos tenham sido gerados no estado, basta ver as idéias estupidas, que mais parecem base do comunismo., que ele tem capacidade de expor…e não fica nem vermelho de vergonha…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*