Requião assume pessoalmente Secretaria de Comunicação | Fábio Campana

Requião assume pessoalmente Secretaria de Comunicação

O governador Roberto Requião decidiu não confiar a ninguém os R$ 53 milhões que pretende gastar no ano da crise de 2009 em propaganda. Deu um chega pra lá nos grupos de pressão e assumiu pessoalmente a Secretaria de Comunicação Social.

Requião informou que vai decidir monocraticamente sobre gastos e sobre a própria propaganda. Seu assessor de imprensa, José Benedito Pires Trindade, vai figurar como preposto, mas sem qualquer poder de decisão. Continuará a cuidar dos releases do palácio.


11 comentários

  1. Tereza Garcia
    quarta-feira, 24 de dezembro de 2008 – 9:45 hs

    Ué! Não ficavam plantando nota dizendo que era o Luiz Mussi, o Setti ou o grafico Machado? Deu Benedito secretário e Pissetti fazendo o plano de aplicação dos 53 milhões. Erraram feio hem?

  2. Cap. Nascimento
    quarta-feira, 24 de dezembro de 2008 – 9:51 hs

    Que o nepotão de mello e silva também é um incompetente para escolher membros de sua equipe, isto é fato. Basta observar a mediocridade das realizações de seu governo.
    Mas acumular a pasta das comunicações com o cargo de governador, aí já é demais. Ou a falta de honestidade de sua equipe é imensa ou ele julga-se melhor que qualquer um. Ou será que ele próprio quer comandar a farra com o dinheiro público?
    Ei reiquejão, pede prá sair.

  3. Indy
    quarta-feira, 24 de dezembro de 2008 – 9:58 hs

    Maldade pura. Típica da sua língua ferina!

  4. lauro da vila guaíra
    quarta-feira, 24 de dezembro de 2008 – 10:18 hs

    requião assume tudo, menos a própria loucura. Serpa que ele não quer assumir o planalto tb???

  5. Sérgio Sanderson
    quarta-feira, 24 de dezembro de 2008 – 13:08 hs

    Incrível essa notícia. Pois o Requião é, principalmente, analfabeto em comunicação. Um tipo de pessoa que não ouve, não compreende as pessoas, tem dificuldades de se relacionar com iguais e, nesta área, parou no que aprendeu no tempo de científico sobre a questão. Não passou do ISEB básico, aquele das cartilhas. Ele sabe que comunicação é setor estratégico, pois o que é um governante que não se comunica? Mas não consegue resistir…ó tempora ó mores!

  6. Luis Carlos (break)
    quarta-feira, 24 de dezembro de 2008 – 15:21 hs

    isso pode? cade a justiça?

  7. Crítico
    quarta-feira, 24 de dezembro de 2008 – 19:54 hs

    Já que existem alguns que querem “criticar por criticar”, que, ao menos, façam com conhecimento básico: se algum chefe do executivo resolver assumir todas as pastas, o fato é completamente possível!

  8. BOLIVARIANO
    quarta-feira, 24 de dezembro de 2008 – 20:48 hs

    Lembram que o REIquião, no começo do seu desastrado segundo governo, assumiu a Secretaria de Segurança Pública? Deu no que deu o Paraná apresentando indices de criminalidade superior aos demais estados. Autoritarismo mais incompetêcnia é a formula certa do fracasso. Vamos ver um monologo autoritário na comunicação do Paraná e com certeza uma drenagem direta das verbas mecanizadas para os amigos do rei. Nada mais que isso.

  9. Mano da Vila
    quinta-feira, 25 de dezembro de 2008 – 13:16 hs

    Cadê o Manhcado?
    É, 53 milhões é muito dinheiro para um desgoverno bolivariano requianista com “caixa” já quebrado. É o último tiro de Requi para o Senado, a propaganda pessoal.

    Impeachment de Requião Chaves já!

  10. quinta-feira, 25 de dezembro de 2008 – 15:43 hs

    Depois de liberar a pasta na mão de que só se beneficiou e implantou o terrorismo na comunicação do Gov do Estado…ficou sem confiança. Só não pode errar duas vezes e largar em mão erradas novamente …. Mas pode ser um fato impossível, haja visto que o mesmo o carregou nas costas na primeira campanha e vai ficar devendo a gasolina e os almoços pro resto da vida. Estamos de olho!!!!

  11. Agenor Freitas Valle
    quinta-feira, 25 de dezembro de 2008 – 16:26 hs

    Nada soma, nada acrescenta. Xiita, raivoso, preconceituoso, incapaz de dialogar, com uma subordinação e obsequência cegas ao seu poderoso chefão, a estreiteza ideológica e a o permanente mau humor, seus recalques pessoais e agressividade notória, que em qualquer parte do mundo o incapacitariam para a vida pública e o serviço ao Estado, na província governada de modo facistóide acabaram – suprema ironia – por tornarem-se seus principais predicativos. Tanto o amo quanto o seu criado são feitos do mesmo barro. Pobre Paraná!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*