"Podemos enfrentar a crise", diz FHC | Fábio Campana

“Podemos enfrentar a crise”, diz FHC

fhc

Do Paraná Online:

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que a economia brasileira tem “base boa” para o enfrentamento dos efeitos da crise financeira internacional no país.

“A crise é ruim para todo mundo. Então, todo mundo vai sair mais enfraquecido, e não mais fortalecido”, afirmou o ex-presidente, em entrevista à TV Brasil. Fernando Henrique acredita, no entanto, que o Brasil pode sair (da crise) com perspectiva de retomada do crescimento. “Nós temos uma base boa”, reforçou.

“Acho que 2009 vai ser um ano difícil, porque as importações vão ser mais caras e as exportações vão diminuir drasticamente. Tomara que seja possível evitar o desemprego. Acho que o crescimento da economia vai sofrer. É inevitável”, disse.

O ex-presidente destacou, entretanto, que é necessário o governo reduzir os gastos. “Em primeiro lugar, o governo tem que levar em consideração que a arrecadação vai cair. Portanto, ele não pode gastar sem parar. Segundo: deve-se concentrar mais em investimentos, porque só em consumo não vai funcionar.”

Além disso, Fernando Henrique entende que é preciso concentrar-se em investimentos para retomar o crescimento. “E tem que segurar, sobretudo, os gastos que podem ser postergados. Gastos que comprometam o orçamento por muitos anos devem ser freados”, afirmou.


10 comentários

  1. Francisco
    domingo, 28 de dezembro de 2008 – 11:28 hs

    Por que a imprensa e até blogs ainda dão espaço a personalidade tão repudiada depois de seus 8 anos de presidencia? Por que o próprio FHC não se recolhe a um retiro e se compraz em fazer reflexões intelectuais? Acaso não consegue superar no plano pessoal a constatação da dicotomia entre sua imensa vontade de voltar à Presidencia e a constatação da impossibilidade absoluta disso?
    Ele deve precisar arranjar uma namorada e ir passear no parque.

  2. aluno especialização
    domingo, 28 de dezembro de 2008 – 13:05 hs

    Ainda bem que com todo prestígio internacional que ele tem não nos abandonou!!

    É o Brasil na lista dos Top 100 da Foreign Policy…:

    Fernando Henrique Cardoso, Brazil

    Politician, author

    An internationally renowned sociologist and a two-term former president of Brazil, Cardoso is a professor at Brown University’s Watson Institute for International Studies. He has authored numerous books, including Dependency and Development in Latin America, and is a director of the Club of Madrid. He wrote “Here Today, Gone Tomorrow: Political Parties” for the September/October 2005 issue of FP.
    http://www.foreignpolicy.com/story/cms.php?story_id=4314#bios

  3. Thiago Silva
    domingo, 28 de dezembro de 2008 – 17:09 hs

    Francisco, dê graças a Deus, a FHC e a líderes como Mário Covas, Franco Montoro, José Richa, Euclides Scalco e Ulysses Guimarães, por estarmos num país democrático. Assim, você tem espaço para escrever e falar asneiras com as que você comentou logo acima, sem sofrer nenhuma perseguição politica ou criminal, coisa que esses homens sofreram.

    FHC um dos maiores democratas que este país já teve, fez uma reflexão sóbria do que está acontecendo com o mundo e o que pode acontecer com o Brasil.

    Diferentemente do nosso atual Presidente que fica jogando uma cortina de fumaça para iludir a populção, fazendo com que esta pense que não há crise!

    Sejamos sóbrios e corajosos: há uma crise e devemos enfrentá-la; certamente as bases econômicas legadas por FHC serão importantíssimas na superação desta crise.

  4. Zé do Coco
    segunda-feira, 29 de dezembro de 2008 – 8:09 hs

    A base é boa, é o plano Real que ainda não foi para o buraco, muito embora a turminha do PT tenha se esforçado.
    A base é boa, mas as cabeças não são exatamente pensantes nesse governo…

  5. Theo
    segunda-feira, 29 de dezembro de 2008 – 9:44 hs

    “Nunca antes na história deste país”, houve tantos burros falando asneiras sem conhecer ou se aprofundar no passado não muito distante!
    Ou acham que o Brasil não existia antes das investidas Petistas de Lula e Ali-Babá!

  6. Francisco
    segunda-feira, 29 de dezembro de 2008 – 12:35 hs

    Thiago, “bases econômicas legadas por FHC” como importantes para superar a crise? Um desses legados foi uma extensa privatização de estatais, que, se prosseguisse, retiraria do Estado instrumentos fundamentais para superar a crise, como o crédito de bancos ainda mantidos no Estado, que está disponível enquanto o crédito de bancos privados e privatizados está de torneiras fechadas. Se a “receita FHC” prosseguisse in totum estaríamos vulneráveis muito mais a essa crise.
    Mas, deixa estar, depois de ver até o candidato tucano de 2006 vestir roupas pró-estatais na campanha, desculpamos as viúvas de FHC, que ainda se arrepiam ao ler os pronunciamentos invejosos e ressentidos do “Principe dos sociologos”. O bom é ver esse ressentimento todo explicitado com franqueza e sujidade no esgotão a céu aberto que é o blog do “tucano-hard” Reinaldo Azevedo, o famoso “Tio Rei(dículo)”

  7. Ricardo
    segunda-feira, 29 de dezembro de 2008 – 15:02 hs

    A receita de FHC no enfrentamento de crises levou o Brasil à beira do abismo. Dependesse deste senhor o país hoje seria parte da Alca e estaria enterrado junto com o México. Que o homem é intelectual, ninguém duvida. O problema do Brasil é que os intelectuais se sentem aptos a trabalhos técnicos. E neste ponto FHC se mostrou ineficiente, em duas ocasiões. Vendeu e sucateou. O que ele deixou não é legado, é maldição. As opiniões dele sobre Lula e os ecos de seus puxa sacos respingam preconceito. E não existe no mundo nada mais atrasado do que isso.

  8. jose
    segunda-feira, 29 de dezembro de 2008 – 16:40 hs

    O engraçado é que os mesmos “críticos” de FHC se beneficiam hoje do acesso á internet, celulares, etc e nem se envergonham….

    E ainda gostam de pagar um preço por gasolina dos mais altos do mundo e nem reclamam…

    O mais engraçado ainda é que antes da crise a política econômica era a melhor do mundo e sequer citavam que era apenas a continuação da mesma política de FHC…aliás, de onde era mesmo o Sr. Meirelles? Por qual partido ele foi eleito antes de assumir o BC?

    E a Embraer, a Vale? Depois de privatizadas aumentaram de valor, contrataram mais funcionários e se internacionalizaram, será que se fossem estatais estaríam vivas?

  9. Ricardo
    segunda-feira, 29 de dezembro de 2008 – 18:54 hs

    Ora, Jose, não seja irracional. A internet e o telefone são comandadas por empresas campeãs de reclamações nos Procons. Os serviços funcionam hoje porque é o rumo natural da história. Não funcionavam antes porque não havia interesse de que funcionassem. É mais ou menos como a base de Alcântara, lembra? Afundou e o papo era de que o Estado não tinha condição de cuidar. Pois muito que bem, a Petrobras hoje dá lucro para o país e poderia dar mais se não tivesse sido vendida. Se você quer mesmo saber, a Venezuela tem uma das gasolinas mais baratas do mundo e eu tenho absoluta certeza que não foi obra dos sociais democratas. Poderia ser aqui assim, mas o senhor FHC não demonstrou muito interesse nesse assunto. No meio da crise, aplausos a quem quis derrubar o único instrumento que está mantendo a economia razoavelmente estável é brincadeira de mau gosto. O Estado é forte e não deve graças a ex-presidente tucano algum.

  10. Américo
    terça-feira, 30 de dezembro de 2008 – 14:18 hs

    Ô campana,
    Para com isso, repercutir fala do fhc é uma roubada,
    roubada??? oppppssssssssssss
    O cara quebrou o país tres vezes, e ainda quer dar palpite, não é possível.
    Quanto ao josé, parece que os últimos dois neurônios dele estão de férias e dizem que não voltam mais.
    A carla perez perto dele é genial.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*