O leopardo e o jaguara | Fábio Campana

O leopardo e o jaguara

gattopardo-leopardo

Requião tem usado como clichê a promessa de não repetir a máxima do Príncipe de Salina, do romance de Lampedusa, “O leopardo”, que diz que é melhor mudar alguma coisa para não mudar coisa alguma.

Ora, pois, a fórmula leopardesca não lhe cai bem. Requião tem prometido mudar tudo, com a sutileza de um barulhento vira-lata, mas não tem cumprido nada, absolutamente nada do que prometeu. A máxima de Requião é aquela, “ou baixa ou acaba”.

Nem baixou, nem acabou. Nosso Leopardo está mais para jaguatirica. Ou jaguara, como preferem os populares. Assim caminha a humanidade.


10 comentários

  1. Jonatas
    segunda-feira, 8 de dezembro de 2008 – 10:20 hs

    Me explica duas coisas: 1- o governador não tinha brigado com o rodrigão? ontem o megaempresario até falou na abertura do seminario da crise. 2- ele tá nervoso com o rodriguinho (o requiao nao deu a palavra pra ele)? o que o rapaz fez de errado?

  2. fred
    segunda-feira, 8 de dezembro de 2008 – 10:39 hs

    VAMOS ESPERAR A TURMA DA DIREITA, QUE NÃO VAI PROMETER NADA DISSSO, NA VERDADE, NÃO VAI PROMETER NADA, VAI VOLTAR A POLÍTICA DAS SOMBRAS,. ONDE TUDO, MAS TUDO MESMO ERA DECIDIDO BEM LIONGE DA OPINIÃO PÚBLICA. ESSE MONTE DE ASPONE ACOMODADO VAI FICAR BATENDO PALMINHA PRA TUDO O QUE APARECER, NOVAS PRIVATIZAÇÕES E AMPLIAÇÃO DAS EXISTENTES, DESMONTE DO APARELHO PÚBLICO E SUCATEAMENTO DA MÁQUINA. AH! VALE LEMBRAR DA ROUBALHEIRA, QUE DEIXOU MUITAS SAUDADES!!

  3. O Pensador
    segunda-feira, 8 de dezembro de 2008 – 11:06 hs

    Tomazi de Lampeduza, escreve essa obra tendo como foco a aristocracia, que na época da unificação da Itália, são rodeados de todo o luxo e a riqueza e julgam-se acima dos demais mortais, enquanto a maioria de camponeses passa por toda espécie de privações, deste modo, a nobreza usufrui dos benefícios de ser a classe dominante.
    “Se quisermos manter as coisas como estão, algo deve mudar” .Para que os aristocratas pudessem manter sua condição privilegiada, deveriam abdicar de sua condição de classe dominante e aliar-se aos novos dominadores, a burguesia. Desta maneira, continuariam a manter os tais privilégios.
    Qualquer semelhança com reino do Paraná é mera conhecidência!

  4. ronaldo
    segunda-feira, 8 de dezembro de 2008 – 12:19 hs

    Exatamente, a máxima leorpadesca é justamente sobrê o padágio, que não abaixou, não acabou e sim aumentou com uma instalação nova de uma praça de padágio próximo da Lapa sem processo licitatório. Como vemos, nem para implementar a fórmula leopardesca existe competência.

  5. Fernandes
    segunda-feira, 8 de dezembro de 2008 – 12:31 hs

    Brigou nada!

    O filho do “Bufo rei” é funcionário do gabinete do Rodriguinho e o Virgílio, secretário da Indústria e Comércio, é indicação da FIEP.

    É só um mero jogo de cena!

  6. EMERSON
    segunda-feira, 8 de dezembro de 2008 – 13:36 hs

    IRIA COMENTAR O QUE DISSE O FRED ,MAS ACHO PERDA DE TEMPO PORQUE NÃO SE APROVEITA NADA !

  7. Juvenal Antena
    segunda-feira, 8 de dezembro de 2008 – 14:14 hs

    Fábio… É muito pessoal esse texto e não combina com o que você representa ao jornalismo político do Paraná. Estou escrevendo isso por gostar desse blog e por concordar com a avaliação que fizeste.

  8. Denize
    segunda-feira, 8 de dezembro de 2008 – 14:39 hs

    Saudação

    Caro Fábio Campana

    ACOMPANHO AS ATIVIDADES DA SITUAÇÃO E DA OPOSIÇÃO GOVERNAMENTAL DA NAÇÃO

    Desculpe-me pela intromissão, mas foge o “bom tom” referir-se a um Governante de Estado ou qualquer outro representante eleito pelo povo de: barulhento vira-lata, jaguara.

    Novamente desculpe-me, respeito seu ofício e sua capacidade intelectual.

    Atenciosamente
    De…

  9. jango
    segunda-feira, 8 de dezembro de 2008 – 18:58 hs

    Qualcosa dovera cambiare – io mai …

  10. Fernandes
    segunda-feira, 8 de dezembro de 2008 – 22:13 hs

    “As boas maneiras e a educação muitas vezes são como as luvas que calçam o ladrão!”

    Com pilantra travestido de “mocinho” em filme de terceira do pescoço para baixo é tudo canela!

    Parabéns Fábio!

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*