Novas prisões na fraude de Itaperuçu | Fábio Campana

Novas prisões na fraude de Itaperuçu

Mais 12 pessoas foram presas por causa do esquema de fraude em empréstimos que gerou um prejuízo milionário ao Paraná Banco em convênio firmado com a prefeitura de Itaperuçu, na região metropolitana.

Agora subiu para 70 o número de prisões feitas nesta operação, que começou na terça-feira. Funcionários do departamento de recursos humanos da prefeitura teriam falsificado contra-cheques e outros documentos necessários para as transações e o desvio de dinheiro utilizando laranjas no esquema, há quatro meses.

Alguns “laranjas” já prestaram depoimento e foram liberados. Até agora, a polícia ainda não deixou claro para onde foi todo este dinheiro.


2 comentários

  1. André
    sexta-feira, 5 de dezembro de 2008 – 0:33 hs

    A Justiça deveria agir assim em todos os casos de denuncias que existem nos municipios.

  2. Jose Alberto Radamés
    sexta-feira, 5 de dezembro de 2008 – 3:12 hs

    O Paraná é o estado da piada pronta. O Prefeito José de Castro França “Saruva” ficou preso preventivamente meio ano (6 meses), de junho a dezembro de 2007, quando o Des.Lídio Rottoli de Macedo o libertou, mesmo assim deveria permanecer afastado do cargo, mas seu advogado Alcides Munhoz da Cunha, ex-subprocurador geral da república em Brasília e ex-chefe da PGR no Paraná, lutou e conseguiu que “Saruva” retornasse ao posto em dezembro de 2007, voltando à todo vapor.
    Veja o contrasenso, o prefeito é preso cautelarmente por 6 meses por acusações de graves crimes no trato da coisa pública e além de lhe concederem a liberdade, dias depois, lhe permitem que administre a mesma coisa pública a qual é acusado de fraudar de forma flagrante (gravações ambientais e outras provas).
    Não bastasse isso o TRE/PR não cassou o Prefeito em novembro de 2006, mas em dezembro de 2007, o plenário do TSE por unanimidade cassou seu mandato por corrupção eleitoral. Segurou-se no mandato até março, quando algo inusitadíssimo aconteceu, vencido o relator Min.Caputo Bastos por 6×1, prevaleceu o voto do Min.Marcelo Ribeiro que deu provimento aos Embargos de Declaração pelo fato do TRE ter deixado de analisar uma preliminar de prova pericial, a qual já tinha sido realizada três vezes e queria fosse feita pela quarta vez.
    Assim, “Saruva” seguiu no mandato e candidato à reeleição, abusando como sempre fez do poder, enfrentou uma representação do MP, que cassou seu registro em 04.10, além de mais três ou quatro ações todas ajuizadas pelo MP pendentes de julgamento na Comarca de Rio Branco.
    O inexplicável será ver a Justiça Eleitoral diplomar esse cidadão, mesmo tendo flagrante conhecimento de todos os crimes eleitorais ocorridos na campanha, além desse ora noticiado, a vergonhosa fraude com empréstimos consignados, para conseguir dinheiro da campanha.
    Por um milésimo disso, Requião fez José Maria Correa Interventor em Matinhos, afastando o conhecido pescador Seda e agora, Itaperuçu continuará terra sem lei, acobertada pelas vistas grossas de alguns, com a simpatia de outros.
    Chegou no limite!! A situação é muito pior do que a Rio Branco de Bento Benelli e a Londrina de Belinatti seria uma espécie de modelo de Administração Pública, comparada ao caos dessa cidade da RMC.
    Somente a título de informação, o advogado da Prefeitura é filho do Desembargador Rafael Cassetari, não constituindo isso nenhum ato ilegal, somente informações para téu sábio e vivaz raciocínio, brilhante Fabio Campana.
    Eis o grito, que espera se ecoe pela tua respeitada escrita. J.Radamés.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*