Um Ano Novo com os velhos conflitos no Oriente Médio | Fábio Campana

Um Ano Novo com os velhos conflitos no Oriente Médio

israel-gaza1

israel-gaza2

Na medida em que os bombardeios do gueto de Gaza se transformam em uma guerra total entre o grupo palestino Hamas e o governo israelense, as declarações diplomáticas tentam dividir igualmente a responsabilidade sobre os conflitos.

Em seguida ao término de um cessar-fogo mediado pelo Egito e que durou seis meses, militantes do Hamas teriam lançado bombas ao sul do Líbano, segundo o governo de Israel, e isso teria motivado a retaliação. A resposta desproporcional aos ataques, todavia, é motivo de grande desconforto internacional.

Segundo reportagem da BBC, “a maior parte do arsenal dos militantes palestinos é composta de foguetes improvisados – pouco mais do que canos com abas metálicas soldadas na ponta, cheios de explosivos”, que raramente matam, mas são lançados indiscriminadamente sobre o território israelense. Ontem foi registrada a segunda vítima fatal do lado israelense.

Do lado palestino da Faixa de Gaza, ontem já se apontavam cerca de 300 mortos, sendo que mais de 50 civis (entre eles, mulheres e crianças) e mais de 1.500 feridos. A ofensiva de sábado foi considerada a mais sangrenta em 40 anos no território palestino, e sem precedentes na região. Na segunda-feira foram abaixo dois prédios simbólicos para o poder do grupo político: o Ministério do Interior e a Universidade Islâmica.

O ano novo de 2009 já chegou em algumas partes do mundo, mas os conflitos no Oriente Médio serão os velhos.

Na primeira ofensiva, o bombardeamento de alvos do Hamas em plena luz do dia obteve consideráveis baixas militares – as bases e os complexos palestinos não haviam sido evacuados. Paralelamente, Israel tem bombardeado a infra-estrutura da região, em especial os túneis que ligam a região ao Egito e que deram algum alívio a um pesado bloqueio dos israelenses aos moradores da Faixa de Gaza que tornou a região, antes mesmo do recente conflito, um caso humanitário. Metade da população está desempregada e 70% vivem dos víveres fornecidos pela Agência de Refugiados da ONU.

Ao que tudo indica, Israel está tentando se aproveitar das divisões internas palestinas e aposta no descontentamento da população, sufocada pelo bloqueio imposto.

A reação militar desproporcional e as condições de vida cada vez mais precárias impostas pelo bloqueio à região, todavia, têm grandes chances de provocar nos palestinos o que até agora eles não conseguiram fazer por si próprios: unir adversários internos. A tendência, aliás, não é apenas que palestinos se unam, mas que os países árabes ajam juntos para conter mais essa escalada de violência na região.


17 comentários

  1. quarta-feira, 31 de dezembro de 2008 – 18:08 hs

    Amigo Campana,

    Fico pensando sob o que querem dizer com resposta desproporcional. Os palestinos não guentam nada. É como se fosse cachorro pequeno provocando o grande e depois reclamam de que o grande usou de muita força. Por que da provocação ??? Quem não aguenta que não provoque. Este Hamas é uma cambada de terroristas e bandidos que tem apoio dos palestinos mais ignorantes culturamente. Eu acho , mesmo não sendo judeu, que Israel tá certo que não quer apanhar que não provoque. Respeito é bom. Principalmente quando se sabe que a surra vai ser feia. Se os palestinos querem reivindicar algo que o façam de forma ordeira e pacifica pois de outra forma o couro come no lombo nos narigudos.

  2. EDEVALDO
    quarta-feira, 31 de dezembro de 2008 – 21:16 hs

    Vamos esperar o Requião fazer um encontro pra resolverr o problema no Oriente Médio.

  3. NAGIB
    quinta-feira, 1 de janeiro de 2009 – 0:36 hs

    Trétis do coração:
    Que colocação infeliz e racial vc fez. Quanta ignorância.
    Essa luta é milenar. Procure estudar melhor a história universal que enfatiza o Oriente Médio.
    Dizer que o Hamas é “uma cambada de terroristas e bandidos” você proferiu uma blasfêmia.
    Continue assim: árabe é terrorista e norte-americanos e judeus que matam impiedosamente são os mocinhos.
    Se você não sabe, nos ultimos dias desta semana, os judeus assassinaram mais de 500 palestinos. Quem são os terroristas?
    Não esqueça de Hiroshima e Nagazaki, já que vc é fã do Bush e os assassinos americanos.

  4. JoãoMariaDeAgostinho
    sexta-feira, 2 de janeiro de 2009 – 0:39 hs

    Trétis de Coração, seu ignorante.

    Isso é que eu chamo de não entender uma questão.

    Você pensa que vive em um videogame, que as pessoas não tem motivações, que tudo é programado e que você é o centro do universo? Reivindicar de forma ordeira e pacífica? Foi o que fizeram os judeus quando proclamaram a independência de Israel em 1947 depois da resolução da ONU? E você sabia que a ONU determinou naquela época que o Estado Palestino deveria ser criado AO MESMO TEMPO que o Estado Judeu? Já faz mais de 60 anos… você aguentaria protestar de forma ordeira e pacífica seu território depois de ver o quintal de sua casa cheia de gente que você não conhece?

    Que tal colocar-se no lugar dos outros para tentar entender?

  5. Zé do Coco
    sexta-feira, 2 de janeiro de 2009 – 7:28 hs

    Trétis, concordo com você. Até Israel começar a revidar os ataques, ninguém falava dos sucessivos lançamentos de mísseis pelo Hamas e Hizbollazh sobre comunidades israelenses, ninguém falava nas vítimas israelenses. Ninguém falou até agora sobre o fato de os mísses caírem sobre Haifa, Tel Aviv e as várias comunidades agropastoris israelenses. Agora, sem conhecimento de causa, sem terem estado lá em Israel, vêm alguns nos blogs da vida falar em ataques “desproporcionais”, papagueando notícias de órgãos de imprensa suspeitos. Seria ridículo se não fosse trágico.

  6. Francisco
    sexta-feira, 2 de janeiro de 2009 – 10:55 hs

    Trpetis e Zé do Cocô, voces realmente são imbecis, ignorantes da história. Pouco vale esclarecer quem não deve ter paciencia pra ler livro…
    Se voces dois, idiotas, tivessem a terra onde moram delimitada injustamente pela ONU pra dar lugar ao Estado de Israel, se vivessem há décadas sob bloqueio militar e economico, vissem seus filhos impedidos de progredir e crescer decentemente, vissem seus amigos e parentes protestando pacificamente por justiça e sendo trucidados por um imenso poderio militar israelense… aí eu queria ver, seus ignorantes, se não teriam vontade de viver jogando mesmo simples pedras contra o opressor israelense.
    Vamos desculpar a ignorância, ou vamos entender que é nela que as grandes redes de jornais pró-Israel se apóiam para evitar que se apóie o direito de defesa dos palestinos?
    Vão estudar, tretiscano do coração indiferente e zè do cocô mental!

  7. zthox
    sexta-feira, 2 de janeiro de 2009 – 19:35 hs

    Tudo em nome de Deus…

  8. NAGIB
    sexta-feira, 2 de janeiro de 2009 – 22:54 hs

    É isso aí, Francisco.
    Disse uma grande verdade.
    Só quero avisar o Zé Coco que os “orgãos de imprensa suspeitos” em todo o planeta, estão nas mãos dos judeus.

  9. Zé do Coco
    sábado, 3 de janeiro de 2009 – 9:06 hs

    Francisco, não é cocô, OK? É COCO, a fruta que salvo prova em contrário não tem acento gráfico. Mas, cada qual fala do que tem na cabeça, não é mesmo? Você fala em leitura sem me conhecer. Sabe por acaso quantos livros tenho aqui na minha biblioteca particular, todos lidos e alguns repassados?
    Quanto ao que a ONU fez ou deixou de fazer, é acadêmico, porque houve chances de corrigir os rumos do que você atribui a um erro daquela entidade. Sei perfeitamente que no mesmo projeto de criação do Estado de Israel, constava que se criaria no mesmo ato o Estado Palestino.
    Correção: isso de dizer que órgãos de imprensa suspeitos estarem nas mãos de judeus é uma obra-prima digna do autor dos “Protocolos dos Sábios de Sião”.
    Eu apenas comentei com base nos fatos que se PODEM comprovar; acho muita afoiteza e infantilidade dizer que os jornais mais importantes do mundo estão nas mãos de judeus. Então você explique a todos nós aqui porque jornais como o Los Angeles Times, os noticiosos da BBC e jornais ingleses em sua maioria não falarem nada contra os bombardeios do Hamas contra território israelense nem sobre o número de vítimas que lá fizeram. Apenas uma sugestão: visite a área deflagrada, mas faça como quem sempre visitou os lugares de que falam os jornais tão ciosos das 300 e tantas vítimas do ataque “cruel” que Israel efetuou. Visite território israelense, que no noticiário dos jornais que você diz pertencer a judeus não tem supostamente vítima nenhuma do Hamas.
    Antes de falarmos em achismos, que tal você ir lá? Eu fui. Passar bem, Francisco.

  10. NAGIB
    sábado, 3 de janeiro de 2009 – 23:07 hs

    Mais uma vez você perdeu a oportunidade de ficar calado.
    Querendo mostrar conhecimento extrapolou em citações comparadas ao nazismo e fascismo.
    Se você é partidário dos judeus e dos assassinos norte-americanos (lembra de Hiroshima, Nagazaki, índios, negros, mexicanos, iraquianos, vietnamitas, coreanos, e tantos outros povos dizimados e mutilados?) guarde para você e não venha aqui tentar incutir seus ideais raciais.
    Para se ter idéia da parcialidade da imprensa com referência à invasão de israel na Faixa de Gaza, agora pouco, no Jornal Nacional da Globo, deram maior ênfase à três mortos civis e um militar iraselense ferido do que aos quase 500 palestinos mortos até as 20:30 horas de hoje (03).
    Quanto aos seus livros lidos e relidos devem ser oriundos dos retrógrados pensadores do mal.
    pára de falar em achismo citando jornais que você nem os lê.

  11. NAGIB
    sábado, 3 de janeiro de 2009 – 23:50 hs

    corrigindo: retrógados

  12. segunda-feira, 5 de janeiro de 2009 – 7:54 hs

    Regras jornalísticas sobre o Oriente Médio

    Doze regras de redação da grande mídia internacional quando a notícia é sobre o Oriente Médio:

    1. No Oriente Médio, são sempre os árabes que atacam primeiro e sempre Israel que se defende. Esta defesa chama-se “represália”.

    2. Os árabes, palestinos ou libaneses não têm o direito de matar civis. Isto se chama “terrorismo”.

    3. Israel tem o direito de matar civis. Isto se chama “legítima defesa”.

    4. Quando Israel mata civis em massa, as potências ocidentais pedem que seja mais comedida. Isto se chama “reação da comunidade internacional”.

    5. Os palestinos e os libaneses não têm o direito de capturar soldados de Israel dentro de instalações militares com sentinelas e postos de combate. Isto se chama “seqüestro de pessoas indefesas.”

    6. Israel tem o direito de seqüestrar a qualquer hora e em qualquer lugar quantos palestinos e libaneses desejar. Atualmente, são mais de 10 mil presos, 300 dos quais são crianças e 1000 são mulheres. Não é necessária qualquer prova de culpabilidade. Israel tem o direito de manter seqüestrados presos indefinidamente, mesmo que sejam autoridades democraticamente eleitas pelos palestinos. Isto se chama “prisão de terroristas”.

    7. Quando se menciona a palavra “Hezbollah”, é obrigatório que a mesma frase contenha a expressão “apoiado e financiado pela Síria e pelo Irã”.

    8. Quando se menciona “Israel”, é proibida qualquer menção à expressão “apoiado e financiado pelos EUA”. Isto pode dar a impressão de que o conflito é desigual e que Israel não está em perigo de existência.

    9. Quando se referir a Israel, são proibidas as expressões “territórios ocupados”, “resoluções da ONU”, “violações dos direitos humanos” ou “Convenção de Genebra”.

    10. Tanto os palestinos quanto os libaneses são sempre “covardes”, que se escondem entre a população civil a qual “não os quer”. Se eles dormem em suas casas, com suas famílias, a isto se dá o nome de “covardia”. Israel tem o direito de aniquilar com bombas e misseis os bairros onde eles estão dormindo. Isto se chama “ação cirúrgica de alta precisão”.

    11. Os israelenses falam melhor o inglês, o francês, o espanhol e o português que os árabes. Por isso, eles e seus apoiadores devem ser mais entrevistados e ter mais oportunidades do que os árabes para explicar as presentes ‘regras de redação’ (de 1 a 10) ao grande público. Isso se chama “neutralidade jornalística”.

    12. Todas as pessoas que não estão de acordo com as ‘regras de redação’ acima expostas são “terroristas anti-semitas de alta periculosidade”.

  13. Zé do Coco
    segunda-feira, 5 de janeiro de 2009 – 15:15 hs

    Nagib, eu não me reportei a Vossa Senhoria para expor meus pontos de vista porque afinal de contas sou dono do meu próprio nariz.
    Digo o que penso e o que mais incomoda no meu jeito de ser é que não há o que contradizer.
    V. Sa. não me conhece, nem faz idéia sobre se eu assino jornais de fora do País ou não.
    Idéias contrárias são normais, desde que não sejam fruto de um espírito atrabiliário, que vai contra tudo com o que não concorda.
    Além do fato de ler todos os jornais que cito, posso lhe informar que tenho mais viagens ao Oriente Médio do que V. Sa. que utiliza nome árabe.
    E conheço esses problemas todos IN LOCO.
    Posso ex catedra dizer o que bem entendo, mesmo porque não se trata de novidade nenhuma que desde o primeiro dia em que Israel foi fundado já teve de enfrentar ataques.
    Nada mais justo que se defenda e que, de preferência, dê uma lição em regra aos grupos terroristas que até o presente momento só fizeram lançar mísseis sobre território israelense sem que a comunidade internacional tivesse se manifestado contra.

  14. asshi
    terça-feira, 6 de janeiro de 2009 – 18:03 hs

    Receita de Bolo:
    Pegue um prego enferrujado, coisa de 1000 anos e enfie dentro de uma mão novinha em folha. Aquela esperada e prometida. Espere infeccionar por 70 anos. Leve ao calor de 40 a 50 graus e se for preciso aqueça mais com petróleo, petrodólares. Logo teremos uma bela terra apodrecida de mortes, solidão, e minas enferrujadas esperando uma perna sem medo.

  15. Dèbora Silva
    quarta-feira, 1 de abril de 2009 – 17:11 hs

    Adorei seu comentario em relacao aos conflitos do Oriente Medio, em que esta baseado nosso assunto escolar da 8 serie no Colegio Dom Bosco continui assim voce ser um otimo escritor, mas a algumas discordancias a respeito do item do oriente medio …Mas nada a argmentar . o
    Obrigada.

  16. JULIANA MARTA MARIA
    quarta-feira, 1 de abril de 2009 – 17:13 hs

    ACHO ISTO UMA NABA……..

  17. ROBERTO {Sao Bernardo do Campo
    sexta-feira, 8 de janeiro de 2010 – 0:14 hs

    CARO ZE`DO COCO.TUDO BEM QUE VOCE E DONO DO SEU NARIZ. MAS TIRE ELE DE DENTRO DA PRIVADA. EVOLUA. NAO FAÇA DA SUA IGNORANCIA UMA ARMA.A VITIMA SEMPRE SERA VOCE MESMO.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*