Venda de carros usados caiu 14% no Paraná | Fábio Campana

Venda de carros usados caiu 14% no Paraná

De Ana Ehlert no Bem Paraná

As vendas de carros seminovos e usados caíram 14% em outubro na comparação com setembro, segundo levantamento da Associação dos Revendedores de Veículos Automotores do Paraná (Assovepar). A estimativa é de que 5 mil carros deixaram de ser vendidos em virtude da crise financeira global que elevou os juros dos financiamentos e reduziu os prazos.

Segundo Gilberto Daggerone, diretor de relações públicas da Assovepar, os negócios ficaram paralisados entre a segunda quinzena de setembro e as primeiras semanas de outubro. “Quando os juros subiram para 2,90% ninguém fazia negócio”, lembra. Ontem, as taxas já haviam arrefecido, de acordo com Daggerone. “Elas estão em 1,89% mas tem gente falando que há taxas ainda menores, por volta de 1,79%, mas eu ainda não vi”, diz.

Daggerone relata ainda que, de modo geral, os revendedores que atuam principalmente em Curitiba, estão remanejando os preços para fazer frente à elevação dos juros. “O mercado está se adequando as necessidades para poder voltar a vender”, explica.
Apesar dos números de outubro, Daggerone conta que o setor está bastante otimista com relação ao fim do ano. “Nossos associados estão com boas ofertas para o consumidor e na segunda semana de dezembro deve haver um feirão da Assovepar no Pavilhão do Parque Barigüi com aproximadamente 1.500 boas ofertas”, afirma.

Sobre a inadimplência no segmento, Daggerone esclarece que ainda é cedo para o setor falar sobre o assunto.
Importados — As vendas de veículos importados registraram queda de 26,29% em outubro na comparação com setembro, segundo dados das 15 marcas filiadas a Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva).
Foram vendidos 2.616 veículos no atacado, contra 3.549 veículos de setembro. Na comparação com outubro de 2007, houve alta de 79,5%.

No acumulado deste ano, segundo a Abeiva, de janeiro a outubro, as vendas somaram 27.596 unidades, crescimento de 206,42%. No ano passado, de janeiro a dezembro, a totalização era de 9.006 unidades.
Segundo o presidente da Abeiva, Jörg Henning Dornbusch, “havia expectativa de queda de vendas ainda mais significativa, por conta da redução do fluxo de movimentação nas concessionárias. Mas, como as matrizes, importadoras e concessionárias estabeleceram um acordo de não elevar os preços finais, mesmo com a alta do dólar e do euro, as nossas filiadas conseguiram diminuir o impacto psicológico do câmbio”.
Dornbusch afirma ainda que a Abeiva vai manter a previsão de fechamento de vendas em 2008 em 32 mil unidades. Para tanto, no último bimestre do ano, as quinze marcas terão de comercializar mais 5.000 unidades.


Um comentário

  1. Vigilante do Portão
    terça-feira, 11 de novembro de 2008 – 8:33 hs

    É a “marolinha”…

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*