Requião e a opção preferencial pelos ricos | Fábio Campana

Requião e a opção preferencial pelos ricos

Quem vai ganhar com essa reforma tributária do Requião são os comerciantes mais ricos. A previsão é de que o setor de supermercados vai deixar de recolher R$ 200 milhões no ano com a reforminha tributária do Duce. Não é pouco e deixa todos os donos de supermercados alegríssimos e dispostos a lutar pela causa.

Requião entra nessa com o discurso da opção preferencial pelos pobres e sai como opção preferencial dos ricos. As micro-empresas, os pequenos comerciantes, vão enfrentar nova concorrência, absolutamente desleal.

A previsão é de quebradeira e desemprego. Mas as grandes redes estarão satisfeitas. E os mesmos micro-empresários que aplaudiram um dia a política fiscal que lhes dava competitividade, agora percebem que o que Requião lhes deu com uma das mãos, agora retira com as duas. E dá para os ricos.


10 comentários

  1. terça-feira, 25 de novembro de 2008 – 18:19 hs

    É Campana o Duce não é fácil. Pobre não tem dinheiro para campanha. Requião só pensa nele e na familia. Quer arrumar um lugarzinho para cada parente até o fim do mandato.E sai com a gratidão dos supermercadista, em especial os moleques Muffatto. Onde eles iam arrumar grana pros carrrões ??? Debaixo deste angu eu acho que tem !!!! Cade o deputado Reni ???? Dá-lhe deputado. E o deputado Rossoni ???? Põe quente Rossoni que o telhado desta turma é de vidro. É só puxar a cordinha.

  2. FABIO AGUAYO
    terça-feira, 25 de novembro de 2008 – 18:23 hs

    CONCORDO PLENAMENTE COM ESTÁ ANALISE E VOU MAIS LONGE O LOBBY ESTÁ FORTÍSSIMO, NUNCA VI O BASTIDOR TÃO AGITADO, MAS TAMBÉM NÉ 2010 ESTÁ AI,ALGUEM PRECISA SE SALVAR, E OS PRIMEIROS SÃO OS ATACADISTAS E DEPOIS ALGUNS CANDIDATOS.
    PENA QUE AS MERCEARIAS E OS PEQUENOS ARMAZENS IRÃO DESAPARECER E A CERVEJINHA NO BARZINHO ADEUS, VAI SAIR TUDO DO MERCADO DIRETO PRA CASA. HAJA DONA DE CASA DE CABEÇA INCHADA.

  3. adelino fernandes
    terça-feira, 25 de novembro de 2008 – 19:42 hs

    Fábio ,o governador Requiao quer fazer bonito com o chapéu alheio,taxando onde tem mais arrecadacao e tbém receber com certeza,taxando os combustíveis(já passa de 45%)cigarros(?),bebidas e energia elétrica(27% de ICMS e PIS/COFINS) e diminuir para os supermercados e atacadistas,que com certeza nao vao repassar aos comsumidores.O Requiao esteve recentemente em Parnavaí )e brigou com a imprensa(prá variar) O homem mudou,melhor piorou

  4. Ricardo
    terça-feira, 25 de novembro de 2008 – 19:45 hs

    Deixar bem claro que o acréscimo sobre um de cinco ítens é o motivo do esperneio da imprensa seria muito mais digno. A oposição já perdeu essa. É simples e é assim que as coisas são. Os filhos dos donos da comunicação que paguem essa conta. Eu apóio.

  5. Mano da Vila
    terça-feira, 25 de novembro de 2008 – 20:40 hs

    Requião Chaves precisa fazer “caixa” para a campanha ao senado. É o seu último tiro.
    Então, vale tudo!
    No passado Requião como senador não fez nada, absolutamente nada. Raríssimas as vezes que foi entrevistado. Nunca em assuntos relevantes. Zerou no Senado.

    Impeachment de Requião Chaves já!

  6. Anônimo
    terça-feira, 25 de novembro de 2008 – 20:48 hs

    Luis Carlos, quem tem telhado de vidro não atira pedra nos outros, já dizia o homem quem não tem pecado atire a primeira pedra, e voce logo quer que o Rossoni atire o cara não e louco como parece.

  7. quarta-feira, 26 de novembro de 2008 – 7:05 hs

    O Mano da Vila falou e disse! A estratégia do Bob Req é pegar $ dos ricos para enganar os pobres, o problema é a classe média – a maioria.

    Em suma , arrumou $ e perdeu muito voto! Vai se aposentar em 2010, queira ou não queira!

  8. asdrubal.guimaraes
    quarta-feira, 26 de novembro de 2008 – 8:32 hs

    Sim, mas esta opção do Requião pelos ricos só vale enquanto eles estão com a caneta na mão. Vejam o caso daquele empresário mineiro, da grande construtora Gutierrez, chamado Roberto. Era amigo, muito amigo, mas quando o cara morreu o Requião não foi capaz de mandar sequer uma coroa de flores. Esperto foi o Darci Fantin, que se escafedeu do Requião enquanto vivo, para não chegar no Além com cara de idiota traído.

  9. jose
    quarta-feira, 26 de novembro de 2008 – 11:09 hs

    Para tomar conhecimento….

    Sindicatos da indústria e empresários apóiam

    reforma tributária proposta por Requião

    Paulo de Tarso Maranhão do Conselho Estadual de Política e Desenvolvimento Industrial. Foto: Carlos Soares/SECS

    Sindicatos de indústria e grandes empresários do Paraná manifestaram nesta terça-feira (25), durante reunião do Conselho Estadual de Política e Desenvolvimento Industrial, no Palácio das Araucárias, apoio à proposta de reforma tributária encaminhada à Assembléia Legislativa pelo Governo do Paraná. De acordo com o presidente do Conselho, Luis Mussi, a expectativa é que a redução da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) aumente as vendas.

    O presidente do Sindicato da Indústria da Carne (Sindicarne), Péricles Salazar, frizou durante a discussão que o projeto de lei que o governador Roberto Requião encaminhou à Assembléia Legislativa é de alto interesse para a economia do Estado. “É um projeto muito interessante, trata-se de uma redistribuição de riquezas, de distribuição de renda, que irá atender a população mais carente”, afirmou Salazar.

    “O setor do trigo sempre é atendido pelo Governo do Estado. Nós apoiamos integralmente este projeto de reforma tributária, que irá beneficiar as classes menos favorecidas. Este projeto permitirá a circulação de riquezas no Paraná. O setor do trigo em particular será muito beneficiado”, ressaltou o presidente do Sindicato da Indústria do Trigo do Paraná (Sindustrigo-PR), Roland Guth.

    O conselheiro e presidente da Associação Paranaense de Empresas de Base Florestal, Alvaro Scheffer, explicou que a redução do ICMS irá beneficiar a produção de madeira de reflorestamentos. “Do ponto de vista da indústria, do nosso setor, seremos muito beneficiados. O projeto tem todo o nosso apoio”, afirmou.

    O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Alimentos, Paulo Maranhão, disse que a redução das alíquotas de ICMS irá contribuir para a melhora da competitividade entre indústrias.“O consumidor será beneficiado em pouco tempo com a redução dos preços finais. Em cerca de um mês já será possível verificar os benefícios”, disse.

    Durante a reunião o empresário da Vinícola Campo Largo, Giorgeo Zanlorenzi, anunciou um investimento de R$ 4 milhões para o processamento de uvas no Paraná. “Até fevereiro a indústria já estará funcionando, estaremos processando em torno de 500 toneladas de uva. Em dez anos o Paraná deverá igualar a sua produção de vinho a do Rio Grande do Sul”, afirmou.

    AEN – 25/11/08

  10. quarta-feira, 26 de novembro de 2008 – 13:56 hs

    O José logo também tá chegando o Natal e Papai Noel trará um montão de presentes. Quem sabe junto também não venha o coelhinho da Páscoa. Amigão a AEN/ Agência Estadual de Noticias quer mais é passar a conversa na turma da marmita que somos nós. A turma que paga o pato e o baita PERU de Natal do Requião e seus asseclas.Tá certissimo o presidente do Sindicarne trata-se de uma redistribuição de riquezas. Por que só os supermercadistas ??? Os grande frigorificos que já sonegam prá xuxu querem entrar nesta redistribuição. Sonegar mais imposto. Mais redistribuição no bolso dos pecuaristas e donos de frigorificos que já são pobrezinhos de dar dó. Ah!!! Que venha logo o bom velhinho com seus duendes e renas .

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*