Reforma tributária de Lula não sai em 2008 | Fábio Campana

Reforma tributária de Lula não sai em 2008

Apesar do esforço do governo, são nulas as chances de o Congresso aprovar o projeto de reforma tributária em 2008. Ainda que seja aprovado na Câmara, o projeto vai empacar no Senado. Além de sofrer resistências quanto ao mérito, o projeto tem contra si o calendário.

Garibaldi Alves, presidente do Senado, disse o seguinte: “o Senado entra em recesso no dia 22 de dezembro. Até esse dia, é impossível votar a reforma tributária. O presidente Lula poderia convocar extraordinariamente o Congresso, para trabalhar no recesso, mas não creio que ele o faça…”


2 comentários

  1. Vigilante do Portão
    terça-feira, 25 de novembro de 2008 – 13:08 hs

    Então só vai valer em 2010.
    Aquela grana extra, da cobrança parcial do ICMS sobre energia elétrica, nos estados de origem não vai entrar.
    Resta ao Requião jogar todas as fichas no golpe da falsa redução das tarifas, chamada de “reforminha”, que ora tramita na Assembléia.

    A tal reforminha é uma fraude. Colocaram até um professor da Universidade Estadual de Maringá para fazer uns cálculos absurdos, dando uma enorme economia de imposto para os consumidores. A matéria foi exibida na Educativa, como sendo verdade verdadeira.
    Estamos mal em tributário nas nossas faculdades.
    O tal professor não sabe fazer conta. Insisto, a redução de 18% para 12%, se houver, pois depende da boa vontade dos empresários, será APENAS SOBRE A MARGEM DE COMERCIALIZAÇÃO, pois da indústria ou da distribuidora para o comerciante a alíquota já é de 12%.
    O governo que fazer crer que a redução de 6% será sobre o preço total. É MENTIRA.
    Por exemplo: um medicamento que custe ao consumidor R$100,00, na tese do governo, haveria uma redução de R$6,00. Na verdade, como a margem de comercialização dos medicamentos é de 30%, o descondo será de apenas R$1,80 (6% de R$30,00, grosso modo).
    Assim será com todos os produtos.
    Já a Energia Elétrica, combustíveis, telefonia, bebidas e cigarros, esses, sofrerão aumento de 2% para todos os consumidores/usuários. INEXORAVELMENTE.
    O governo diz que os supermercadistas estão aprovando. Claro, vão ter uma margenzinha maior para lucrar. São todos tão bonzinhos, só querem reduzir os preços. KKK

  2. Ricardo
    terça-feira, 25 de novembro de 2008 – 17:05 hs

    E a tal CSS, abandonaram de vez? As eleições já passaram e parece que esqueceram… ou se assustaram com os recordes de arrecadação dos últimos meses.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*