Na moita, governo quer anistiar servidores | Fábio Campana

Na moita, governo quer anistiar servidores

Na moita, sem fazer alarde, o governo enviou mensagem ao Legislativo que trata da concessão de anistia aos servidores públicos e empregados da administração pública estadual, autárquica e fundacional, bem como empregados de empresas públicas e de sociedades de economia mista sob o controle do Estado, que entre 1º de janeiro de 1983 a 31 de dezembro de 1988 tenham sido despedidos, dispensados, demitidos ou exonerados por motivação política.

Quem são os beneficiados de tão surpreendente iniciativa?


10 comentários

  1. Camargo
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 10:16 hs

    Prezado Fabio Campana.
    O governo deveria rever, ainda em tempo, as demissoes injustas, na administracao das estatais,Copel como exemplo.Pessoal concursado, que no governo Lerner, por ocasiao da tentativa de privatizar a empresa, ocorreram. Tais demissoes ocorreram com criterios de “politica “interna da Empresa, sem justa causa.O objetivo era o de proteger os afilhados de gerentes, pessoal ja aposentado,que na administracao atual, ainda continuam sem fazer nada.Uma vergonha.

  2. CEP
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 10:29 hs

    Será que o governo também vai propor anistia para os professores processados pela profª Madselva no Colégio Estadual do Paraná? Todos foram processados com base em leis de 1971 e 1976, respectivamente o estatudo do servidor público e o estatuto do magistério. Leis criadas no auge do regime militar com o objetivo de perseguir funcionários que discordassem das “políticas públicas” do governo. Igualzinho ao que a Madselva e o Maurício Requião fizeram no CEP. “Pimenta nos olhos dos outros é refresco”!

  3. Abuso e desrespeito
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 10:35 hs

    Será que entrarão na lista os professores 10(dez) professores do Colégio Estadual do Paraná, processados pela “professora” Maria Madselva Ferreira Feiges, com o aval do Secretário de Educação Maurício Requião de Mello e Silva, por terem ousado se posicionar contra os desmandos e arbitrariedades cometidos por aquela “senhora”?
    “Aos amigos TUDO, aos inimigos a “lei”?

  4. Geraldo Medeiros
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 10:42 hs

    epa!!! mas essa coisa estranha trata de anistia a funcionários demitidos por motivação política, justamente nas gestões de José Richa e Álvaro Dias (1a metade).

    Requião querendo anistiar demitidos por José Richa e Álvaro Dias?

  5. irene
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 11:06 hs

    e daí os anistiados vão receber os salários atrasados?

  6. Fernandes
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 11:11 hs

    Por “conicidência” o período abrange os governos Richa e Álvaro e as demissões do Doático e de alguns petistas!

  7. Fernandes
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 11:12 hs

    Por “coincidência” o período abrange os governos Richa e Álvaro e as demissões do Doático e de alguns petistas!

  8. jango
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 11:52 hs

    Não vimos tudo,é expressionante, não vimos. O que se pode esperar deste governo ? Se o executivo ousa enviar este tipo de mensagem é porque conta com o compadrio de deputados do lado de lá da Praça da Salete. É o mesmo carreirinho que já resultou na nomeação do nepote do governador que se encontra aberto a novas estripulias. Interesse público ? Nem pensar. Isto não existe. O momento é da a matilha de lobos. Só interesses personalíssimos, se não escusos. Eleições só em 2010, então, vestirão pele de cordeiro. O povo, como sempre, brinca de roda e paga a conta. Povo bonzinho.

  9. Caio Almeida Machado
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 12:44 hs

    A pretexto de “preparar a empresa para privatização”, o governo Lerner promoveu violento assédio moral, perseguição política e demissões sem justa causa de profissionais de alto nível, muitos concursados, devido à sua opinião política (inclusive apoio ao sr. Requião, derrotado na reeleição de Lerner). Muitos perderam ações na justiça do trabalho desde que esta passou a considerar “justo” uma estatal demitir sem justa causa profissionais concursados. Alguns que haviam ganho as ações sofreram revés em “rescisórias” promovidas pela Copel. Esses profissionais foram abandonados por Requião, que até deu seqüência às tais rescisórias. Seria bom que a anistia abrangesse a todos!

  10. Será que ele vai
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 17:07 hs

    O ex-procurador Luiz Henrique Bona Turra enquadra-se neste assunto da mensagem do Rei Kião?

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*