Justiça autoriza fechamento do Terminal de Álcool de Paranaguá | Fábio Campana

Justiça autoriza fechamento do Terminal de Álcool de Paranaguá


A Justiça concedeu liminar que autoriza o fechamento imediato do Terminal Público de Álcool no Porto de Paranaguá. A ação foi proposta pelo Ministério Público Federal contra a administração do Porto e o Instituto Ambiental do Paraná, o IAP. Segundo o pedido, há graves riscos ao meio ambiente e às cerca de 400 famílias que moram perto do local.

O Terminal foi inaugurado há menos de dois anos, mas teria sido feito com material inadequado, apesar do investimento de R$ 14 milhões.

O Ministério Público também pediu à justiça que o IAP perca o direito de conceder licenças ambientais, por conta da concessão irresponsável para a construção do Terminal. Lá no Porto, ninguém fala sobre o assunto.


8 comentários

  1. ronaldo
    sexta-feira, 21 de novembro de 2008 – 14:57 hs

    Sim e agora, fecha e deixa sem uso até apodrecer, desmancha e joga fora, desmancha e monta em outro lugar, e o dinheiro do povo que foi usado para construir esse desmando bolivarista como fica, e, às pessoas que participaram direta e indiretamente na construção dessa loucura adminístrativa como fica, quero saber !

  2. jango
    sexta-feira, 21 de novembro de 2008 – 15:26 hs

    A lei 9605 prescreve que o funcionário que expede licença ambiental em desconformidade com as normas ambientais comete crime contra a administração ambiental. E agora ? Ninguém é responsável ? Ou a encrenca está somente começando ? É preciso haver efetiva responsabilização, caso contrário tudo vai pela vala comum do “fato consumado” onde geralmente ocorre a socialização da culpa e a privatização dos benefícios.

  3. Paranaguá
    sexta-feira, 21 de novembro de 2008 – 17:25 hs

    Mais uma do DUDU DOIDÃO , agora morando na Europa com o $$$$ que arrecadou em Paranagua.

  4. Rafael Filippin
    sexta-feira, 21 de novembro de 2008 – 17:41 hs

    Ronaldo, a liminar foi bem clara, o terminal funcionará quando as famílias esquecidas pelo Governo da Carta de Puebla forem realocadas e indenizadas, dentre outras medidas técnicas que deverão ser checadas pelo IBAMA, pois o IAP nao tem moral administrativa para licenciar nada. A propósito, se isso não for feito, aí sim é que o investimento será perdido!

  5. Lead
    sexta-feira, 21 de novembro de 2008 – 18:03 hs

    O IAP libera tudo mesmo! Até autorizou a COCAMAR a queimar pneus nas caldeiras em Maringá. A população que se lixe!!!

  6. Vigilante do Portão
    sábado, 22 de novembro de 2008 – 9:48 hs

    Só pilantragem
    A Gazetona deu a notícia que o presidente do IAP, Burko, mandou suspender “todas” as licenças dos terminais de cargas perigosas do Porto de Paranaguá.
    A liminar, concedida pela Justica Federal, manda fechar o Terminal “Público de Alcool”.
    Como tudo no governo do Requião deve ser analisado com mais vagar, a medida de suspender “todos”, vinda de pessoas acostumadas a não cumprir as ordens emanadas do poder judiciário, parece estranha, e é, ao expandir a eficácia para além do mandado judicial, a intensão do governo é a de causar tumulto.
    Não permitir o embarque e desembarque de produtos perigosos, vai gerar um tumulto no pornecimento dos produtos e fazer com que a inicistiva privada compre uma briga que é do governo do estado.
    Quando começarem a faltar produtos ou as exportações ficarem paralizadas, a grita vai ser geral e a justica poderá cassar a liminar, tendo em vista o perigo do desabastecimento.
    Ou seja, as empresas privadas foram colocadas na lide, não por força do ato judicial, mas sim por vontade única e exclusiva do governo estadual de tumultuar o processo.

  7. bimbo
    sábado, 22 de novembro de 2008 – 17:35 hs

    Depois que o Dudú Doidão foi embora, viraram tudo “macho”

  8. Cristiano
    sábado, 22 de novembro de 2008 – 18:45 hs

    Que vergonha !!! ainda irmão do Governador ,
    Nepotismo é faz só M …
    Por isto que sumiu esta coisa .

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*