Esposas de deputados terão que explicar como aplicam dinheiro público | Fábio Campana

Esposas de deputados terão que explicar como aplicam dinheiro público

A compra de seis terrenos no centro de Curitiba pela Associação Paranaense das Senhoras Esposas de Deputados Estaduais está sendo contestada na Justiça por uso indevido de dinheiro público.

O valor total é de cerca de R$ 1 milhão e teria sido repassado pela Assembléia Legislativa. Os terrenos ficam no bairro Centro Cívico e teriam sido comprados entre os anos de 1999 e 2001.

O autor da ação judicial é um funcionário aposentado da Assembléia, José Rosa Filho. Um dos terrenos da Associação é usado como estacionamento privado. A atual presidente da associação, Fernanda Crisóstomo, mulher do deputado Cleiton Kielse, do PMDB, explicou em entrevista à rádio Band News FM que os terrenos rendem cerca de R$ 4 mil por mês, dinheiro usado, segundo ela, para prestar assistência a entidades carentes. Ouça:

Ou clique aqui para baixar o arquivo em formato mp3.

O processo foi extinguido em 2006 pela juíza Vanessa de Souza Camargo. Agora, em setembro, o Tribunal de Justiça do Paraná anulou a sentença da juíza e a ação prossegue.


9 comentários

  1. segunda-feira, 17 de novembro de 2008 – 15:52 hs

    Como elas justificaram a compra dos terrenos?

    Que eu saiba especulação imbiliaria não é função do Estado e nem permitido ao setor publico!

    É corrupção demais, assim nunca deixaremos de ser um paizinho subdesenvolvido!

    PS: a Vanessa é irmã do Fabio (o pref dos bairros)

  2. jango
    segunda-feira, 17 de novembro de 2008 – 16:38 hs

    Dinheiro público financiando associação de senhoras esposas de deputados … Não vimos tudo. E se não fosse um cidadão aposentado da assembléia indignado nada seria apurado. A esperança contra os usos e abusos do dinheiro público está neste exíguo segmento da sociedade, porque se formos esperar pelas ditas autoridades de controle público – cheias de prerrogativas, régios salários pagos pelo povo e calhamaços de leis e normas – ficaremos sempre no Expresso 2222 da Centrla do Brasil – que vai de Bonsucesso pra depois do ano 2000 – disse tão bem o ex-ReMinistro da Recultura ReGilberto ReGil. Ou não ?

  3. O Povo
    segunda-feira, 17 de novembro de 2008 – 16:59 hs

    A coincidência é que a juíza que eliminou a ação é a Dra. Vanessa de Camargo, irmã do Deputado Fábio Camargo e Filha do Desembargador Camargo, tudo muito estranho e “coincidência pura”?

  4. Cristiano
    segunda-feira, 17 de novembro de 2008 – 18:45 hs

    Quem era a Presidente e a mesa composta por quem ?
    Quem era o Presidente e mesa da Assembléia na época ?
    Quem eram os donos dos terrenos ?
    O DINHEIRO SEI QUE É DO POVO !

  5. VAl
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 9:35 hs

    Bom nessa o LUIZ ROUBANELLI vai se f……pois ele tem algumas esposas…hahahah…e todas recebem pela ALEP………vamos ver como é aplicado o dinheiro das madames………

  6. carabina
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 11:11 hs

    Cadeia para essas idiotas.

  7. SYLVIO SEBASTIANI
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 12:26 hs

    CARABINA: CADEIA SIM , IDIOTAS NÃO! O ASSUNTO É MUITO MAIS SÉRIO.

  8. SYLVIO SEBASTIANI
    terça-feira, 18 de novembro de 2008 – 13:28 hs

    ACRESCENTO: O Tribunal de Contas do Estado revelou que a Associação das Senhoras de Deputados (creio ser a única no Brasil), recebeu repasses de dinheiro do Legislativo em 2005 RS$220 mil e outras entidades também, nototal de 410,125 e aponta que que isso contraria a Constituição Federal e a Estadual, além da Lei n°.8.429°2 e Lei Complementar n°01°2000 e da Lei Federal n°4.32064. Deixo aqui a pergunta ao Ministério Público, defensor da sociedade, do Estado, do dinheiro público, o que vai fazer com esta notícia publicada na página 15 do jornal Gazeta do Povo do dia 17 de novembro?

  9. Carlos
    segunda-feira, 28 de novembro de 2011 – 17:20 hs

    Conheço, pelo menos, a boa índole da Fernanda Magalhães, mas das outras esposas de deputados não posso dizer nada.

Deixe seu comentário:

Campos obrigatórios estão marcados com *

*

*